Dissulfiram

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Dissulfiram é um derivado carbamato usado como um elemento de dissuasão do álcool.

É uma substância relativamente não-tóxica quando administrada isoladamente, mas altera marcadamente o metabolismo intermediário do álcool.

Quando o álcool for ingerido após a administração do Dissulfiram, a concentração de acetaldeído no sangue aumenta, seguido por lavagem, vasodilatação sistémica, dificuldades respiratórias, náuseas, hipotensão, e outros sintomas (síndrome de acetaldeído).

Atua mediante a inibição da aldeído desidrogenase.
Usos comuns
Dissulfiram é usado para ajudar a superar os problemas com a bebida.

Não é uma cura para o alcoolismo, mas sim para desencorajar de beber.
Tipo
pequena molécula
História
O Dissulfiram é uma substância descoberta na década de 1920.

A ação da droga foi descoberta por acaso em 1948 pelos pesquisadores Erik Jacobsen, Jens Hald e Keneth Ferguson na empresa farmacêutica dinamarquesa Medicinalco.

A substância era destinada a fornecer um remédio para infestações parasitárias, no entanto, os trabalhadores testando a substância em si mesmos relataram sintomas graves após o consumo de álcool.
Indicações
Adjuvante no tratamento do alcoolismo crónico (deve ser utilizado sob supervisão de especialistas).
Classificação CFT

2.13.3 : Medicamentos para o tratamento da dependência de drogas

Mecanismo De Ação
O Dissulfiram bloqueia a oxidação do álcool na fase de acetaldeído, durante o metabolismo do álcool após a ingestão de Dissulfiram que causa uma acumulação de acetaldeído no sangue produzindo sintomas muito desagradáveis​​.

O Dissulfiram bloqueia a oxidação do álcool por meio de sua inativação irreversível da aldeído desidrogenase, que atua na segunda passagem de utilização do etanol.

Além disso, o Dissulfiram liga-se e inibe competitivamente os recetores da benzodiazepina periférica, o que pode indicar alguma utilidade no tratamento dos sintomas de abstinência de álcool, no entanto, esta atividade não tem sido extensivamente estudada.
Posologia Orientativa
Administrar 800 mg, como dose única no 1º dia, que vai sendo reduzida durante 5 dias até 100 a 200 mg/dia.
Administração
Via oral. Não administrar até que o Paciente esteja pelo menos 12 horas sem ingerir álcool.
Contraindicações
Deve ser assegurado que o doente não ingeriu álcool nas 24 horas que antecederam o inicio do tratamento; é necessária precaução na IR ou IH ou respiratória, na diabetes e na epilepsia. São contraindicações a IC, doença coronária, história de AVC, hipertensão, psicose, alterações da personalidade, gravidez e aleitamento.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Sonolência e fadiga; náuseas e vómitos, halitose e redução da libido. Raramente reações psicóticas, dermatite alérgica, neurite periférica e lesão da célula hepática.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Concentrações elevadas de acetaldeído na presença de álcool podem ser teratogénicas. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 1º
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Evitar; desconhece-se se é perigoso.
Condução
Condução
Condução:Pode alterar a capacidade de condução.
Precauções Gerais
Não ingerir álcool, mesmo em pequenas quantidades, enquanto estiver a tomar Dissulfiram e durante 14 dias após parar de o tomar, pois o álcool pode fazer com que fique muito doente.

Além das bebidas, o álcool é encontrado em diversos outros produtos. Ver a lista de ingredientes dos alimentos e outros produtos antes de os usar irá ajudá-lo a evitar o álcool.

Também pode evitar o álcool, se:
– Não utilizar alimentos que contenham álcool, produtos ou medicamentos, tais como elixires, tónicos, molhos, vinagres, xaropes para tosse, boca lavagens, ou gargarejos.

– Não entrar em contacto com ou respirar os vapores de produtos químicos que podem conter álcool, acetaldeído, paraldeído, ou outros produtos químicos relacionados, tais como solvente de tinta, tinta, verniz, ou goma-laca.

– Tenha cuidado ao usar produtos que contenham álcool, que são aplicados sobre a pele, como alguns transdérmicos (adesivos stick-on) de medicamentos ou álcool, massagens nas costas, loções pós-barba, colónias, perfumes, águas de colónia, ou preparações pós-banho.

O Uso desses produtos, enquanto estiver a tomar Dissulfiram pode causar dor de cabeça, náuseas, vermelhidão ou prurido local porque o álcool contido nestes produtos pode ser absorvido através da pele.

Antes de utilizar produtos na sua pele que contenham álcool, primeiro testar o produto, aplicando-os numa pequena área da pele. Deixar que o produto permaneça na pele durante 1 ou 2 horas.

Se não resultar vermelhidão, comichão, ou outros efeitos indesejados ocorrerem, deve poder usar o produto.

– Não utilize produtos que contenham álcool em pele ferida ou feridas abertas. Fale com o seu médico se tiver quaisquer dúvidas.

Alguns dos sintomas que podem ocorrer se usar qualquer álcool enquanto tomar Dissulfiram são:
– Visão turva
– Dor no peito
– Confusão
– Tonturas ou desmaios
– Batimento cardíaco rápido ou irregular
– Flushing ou vermelhidão do rosto
– Aumento da sudação
– Náuseas e vómitos
– Dor de cabeça latejante
– Dificuldade em respirar
– Fraqueza.

Estes sintomas vão permanecer desde 30 minutos a várias horas, enquanto houver álcool no seu sistema circulatório.

Em raras ocasiões, se tiver uma reação grave ou tiver ingerido uma grande quantidade de álcool, um ataque cardíaco, inconsciência, convulsões e morte podem ocorrer.

O seu Médico pode querer que seja portador de um cartão de identificação indicando que está a usar Dissulfiram.

Este cartão deve listar os sintomas mais prováveis de ocorrerem se o álcool for retirado, e o médico, clínica ou hospital a serem contactados em caso de uma emergência. Estes cartões podem estar disponíveis a partir do fabricante. Pergunte ao seu profissional de saúde se tiver alguma dúvida sobre isso.

Se vai tomar Dissulfiram durante um longo período de tempo (por exemplo, durante vários meses, de cada vez), o seu Médico deve verificar o seu progresso em visitas regulares.

Antes de comprar ou usar qualquer receita líquida ou remédio de venda livre, falar com o seu Farmacêutico para se certificar de que não contém álcool.

O Dissulfiram pode fazer com que algumas pessoas se tornem sonolentas ou menos alerta do que habitualmente.

Se isso ocorrer, não conduza, utilize máquinas, ou execute tarefas que possam ser perigosas se não estiver alerta.

O Dissulfiram irá adicionar aos efeitos de outros depressores do SNC (medicamentos que retardam o sistema nervoso, podendo causar sonolência).

Alguns exemplos de depressores do SNC são os anti-histamínicos ou medicamentos para a febre dos fenos, outras alergias ou constipações, sedativos, tranquilizantes, ou medicamentos para dormir; analgésicos prescritos ou narcóticos; barbitúricos; fármacos para convulsões; relaxantes musculares; ou anestésicos, incluindo alguns anestésicos dentários.

Fale com o seu Médico antes de tomar qualquer um dos acima, enquanto estiver a tomar Dissulfiram.
Cuidados com a Dieta
Evite álcool durante 14 dias após o tratamento ter sido interrompido.
Tome, independentemente das refeições.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Aproveite o resto do dia doses em intervalos uniformemente espaçados salvo indicado pelo seu Médico.
Cuidados no Armazenamento
Guarde o medicamento num recipiente fechado à temperatura ambiente, longe do calor, humidade e luz direta.

Evite congelamento. Manter fora do alcance das crianças.
Não guarde medicamentos fora de prazo ou medicamento que já não são necessários.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Consultar informação actualizada

Beclometasona + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Existe um potencial teórico de interacção em doentes particularmente sensíveis tratados com dissulfiram ou metronidazol.
Usar com precaução

Isoniazida + Dissulfiram

Observações: A isoniazida é um inibidor do metabolismo hepático de vários fármacos, o que pode potenciar a toxicidade de alguns fármacos tomados concomitantemente. Alimentos ricos em tiramina (queijo e peixe): A isoniazida com o consumo destes alimentos, pode causar elevação dos valores tensionais, taquicardia e rubor facial.
Interações: Dificuldades de coordenação e episódios psicóticos.
Usar com precaução

Fenobarbital + Dissulfiram

Observações: Para além das interações acima mencionadas, está descrito que muitos outros fármacos podem alterar a resposta aos barbitúricos ou ver a sua própria resposta alterada. Por isso deve haver precaução sempre que se adiciona ou retira um fármaco de um regime terapêutico que contém fenobarbital, tendo sempre em consideração a possibilidade de ser necessário efectuar ajustes de doses.
Interações: Os inibidores da Monoaminoxidase e o dissulfiram poderão inibir o metabolismo dos barbitúricos e consequentemente prolongar os seus efeitos. Poderá por isso ser necessário reduzir a dose do barbitúrico.
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Cafeína + Dissulfiram

Observações: Não existem interações de segurança relevantes entre o ácido acetilsalicílico e o paracetamol.
Interações: Cafeína e Dissulfiram: Os doentes alcoólicos em recuperação a fazer tratamento com dissulfiram devem ser alertados no sentido de evitar a utilização de cafeína para diminuir o risco de agravamento do síndrome de abstinência do álcool devido à estimulação cardiovascular e cerebral induzida pela cafeína.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ifosfamida + Dissulfiram

Observações: A administração sequencial ou a coadministração planeada de outras substâncias ou tratamentos que possam aumentar a probabilidade ou a gravidade dos efeitos tóxicos (por meio de interações farmacodinâmicas ou farmacocinéticas) requer uma avaliação individual cuidadosa do benefício esperado e dos riscos. Os doentes que recebem tais combinações devem ser cuidadosamente monitorizados para sinais de toxicidade de forma a permitir a intervenção atempada. Doentes tratados com ifosfamida e agentes que reduzem a sua ativação devem ser monitorizados para uma potencial redução de eficácia terapêutica e da necessidade de ajuste de dose.
Interações: As interações seguintes são concebíveis em analogia com a ciclofosfamida: O efeito terapêutico e a toxicidade da ifosfamida podem ser aumentados pela administração simultânea de clorpromazina, triiodotironina ou inibidores do aldeído desidrogenase, tais como dissulfiram (Antabus). Potenciação do efeito musculo-relaxante do suxametónio. A administração concomitante de agentes antidiabéticos, tais como sulfonilureias e ifosfamida pode aumentar os efeitos de hipoglicemia dos medicamentos anteriores. Interações teóricas da ifosfamida e alopurinol resultam num aumento da gravidade da depressão da medula óssea.
Potencialmente Grave

Metronidazol + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: A ingestão concomitante de dissulfiram pode provocar um estado tipo psicótico.
Não recomendado/Evitar

Ornidazol + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Evitar a associação com dissulfiram. Por sua estrutura nitroimidazólica, pode potencializar a ação do vecurónio.
Usar com precaução

Vitaminas do complexo B + Ácido ascórbico + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Pode influenciar a interacção entre o dissulfiram e o álcool.
Não recomendado/Evitar

Secnidazol + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: O Secnidazol não deve ser associado ao dissulfiram por existir o risco de aparecimento de estados confusionais e psicóticos agudos.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Flurazepam + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Inibidores conhecidos das enzimas hepáticas particularmente a cimetidina, omeprazol e dissulfuram, mostraram reduzir a depuração das benzodiazepinas e podem potenciar a sua ação.
Sem significado Clínico

Vitaminas do complexo B + Ácido ascórbico + Biotina + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Pode influenciar a interacção entre o dissulfiram e o álcool.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ciclofosfamida + Dissulfiram

Observações: A coadministração planeada ou a administração sequencial de outras substâncias ou tratamentos que podem aumentar os efeitos semelhantes ou a gravidade da toxicidade (através de interações farmacodinâmicas ou farmacocinéticas) exigem uma avaliação individual cuidada dos benefícios e dos riscos esperados. Os doentes que recebem tais combinações devem ser monitorizados cuidadosamente quanto a sinais de toxicidade para permitir uma intervenção atempada. Os doentes em tratamento com ciclofosfamida e agentes que reduzem a sua ativação devem ser monitorizados quanto a uma possível redução da eficácia terapêutica e a necessidade de um ajuste de dose.
Interações: Interações que afetam a farmacocinética da ciclofosfamida e dos seus metabolitos - A reduzida ativação da ciclofosfamida pode alterar a eficácia do tratamento com ciclofosfamida. Um aumento da concentração do metabolito citotóxico pode ocorrer com: – Alopurinol – Hidrato de cloral – Cimetidina – Dissulfiram – Gliceraldeído – Indutores das enzimas microssomais hepáticas e extrahepáticas humanas (por ex. Enzimas do citocromo P450): A capacidade de indução das enzimas microssomais hepáticas e extrahepáticas tem de ser considerada no caso de tratamento anterior ou concomitante com substâncias conhecidas por induzirem uma atividade aumentada de tais enzimas como rifampina,fenobarbital, carbamazepina, fenitoina, hipericão e corticosteroides. – Inibidores da protease: a utilização concomitante de inibidores da protease pode aumentar a concentração de metabolitos citotóxicos. A utilização de regimes com base em inibidores da protease foi determinado estar associado com uma incidência mais elevada de infeções e neutropenia em doentes a receber ciclofosfamida, doxorubicina e etoposido (CDE) do que o uso de um regime com base NNRTI.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Paracetamol + Cafeína + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Os contracetivos orais, cimetidina e dissulfiram reduzem o metabolismo hepático da cafeína, enquanto os barbitúricos e o tabaco aumentam.
Consultar informação actualizada

Ácido acetilsalicílico + Codeína + Cafeína + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Os contracetivos orais, a cimetidina e o dissulfiramo retardam a degradação hepática da cafeína, enquanto que os barbitúricos e o consumo de tabaco a aceleram.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Femprocumona + Dissulfiram

Observações: Femprocumona é metabolizado principalmente pelo CYP450 2C9 e isoenzimas 3A4 Medicamentos comumente prescritos podem potencializar ou antagonizar o efeito dos cumarínicos. Portanto, é importante a monitoração dos parâmetros da coagulação após o início ou retirada de outras drogas em pacientes em uso de anticoagulantes orais.
Interações: Substâncias que podem intensificar o efeito dos anticoagulantes orais: Alopurinol, amiodarona, esteróides anabólicos, fibratos, dissulfiram, drogas anti-inflamatórias (salicilatos e alguns anti-inflamatórios não hormonais, incluindo inibidores da COX-2), tamoxifeno, drogas tireoideanas, antidepressivos tricíclicos, e alguns antimicrobianos (várias cefalosporinas, cloranfenicol, cloxacilina, sulfonamidas, derivados da eritromicina e derivados triazólicos e imidazólicos).
Sem efeito descrito

Alprazolam + Dissulfiram

Observações: As interações farmacocinéticas podem ocorrer quando o alprazolam é administrado concomitantemente com compostos que inibem a enzima hepática CYP3A4, aumentando os níveis plasmáticos de alprazolam.
Interações: Não houve interação com propranolol e dissulfiram.
Usar com precaução

Amitriptilina + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Dissulfiram: foi relatado delírio em doentes medicados concomitantemente com dissulfiram e amitriptilina.
Consultar informação actualizada

Naltrexona + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: A interação com outros psicofármacos (ex., dissulfiram, amitriptilina, doxepina, lítio, clozapina, benzodiazepinas) não foi investigada.
Usar com precaução

Cetoprofeno + Omeprazol + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Ligadas ao componente OMEPRAZOL: Combinações que podem ser administradas com precaução: Medicamentos metabolizados pelo citocromo P450: O Omeprazol é metabolizdo no fígado através do citocromo P450 (principalmente CYP 2C19, S-mefenitoína hidroxilase) e inibe enzimas da sub família CYP2C (CYP 2C19 e CYP 2C9) e pode retardar a eliminação de outras substâncias activas metabolizadas por estes enzimas. Isto foi observado para a fenitoína, varfarina e benzodiazepinas como o diazepam, triazolam e flurazepam. Recomenda-se a monitorização periódica dos doentes tratados com varfarina ou fenitoína, podendo ser necessário a redução da dose. Outras substâncias activas que podem ser afectadas são hexabarbital, citalopram, imipramina e clomipramina. O Omeprazol pode inibir o metabolismo hepático do disulfiram sendo possível a ocorrência de alguns casos de rigidez muscular.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Varfarina + Dissulfiram

Observações: n.d.
Interações: Os compostos que reconhecidamente potenciam a acção da varfarina ou que habitualmente são referidos como exercendo esse efeito são: Ácido etacrínico, ácido mefenâmico, ácido tielínico, álcool (ingestão aguda), alopurinol, amiodarona, Ácido Acetilsalicílico, azapropazona, cefamandol, ciprofloxacina, claritromicina, cloranfenicol, cimetidina, clofibrato, cotrimoxazol, danazol, dextropropoxifeno, dipiramidol, dissulfiram, eritromicina, estanozolol, etiloestrenol, fenilbutazona, fibratos, fluconazol, glucagão, halofenato, hormonas tiroideias, cetoconazol, latamofex, meclofenamato de sódio, metronidazol, miconazol, noretandrolona, omeprazol, oxifenbutazona, oximetolona, paracetamol, piroxicam, propafenona, quetoquenazol, quinidina, quinina, sinvastatina, ISRS antidepressivos, sulfinpirazona, sulfonamidas, sulindac, tetraciclina, valproato, vitamina E.
Usar com precaução

Zalcitabina + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Fármacos com potencial para causar neuropatia periférica: Zalcitabina deve ser utilizado com cuidado nos doentes a receber outros medicamentos com potencial para causar neuropatia periférica. Os fármacos que têm sido associados à ocorrência de neuropatia periférica incluem os análogos dos nucleósidos anti-retrovíricos, cloranfenicol, cisplatina, dapsona, dissulfiram, etionamida, glutetimida, ouro, hidralazina, iodoquinol, isoniazida, metronidazol, nitrofurantoína, fenitoína, ribavirina e vincristina. Fármacos como a anfotericina, o foscarnet e os aminoglicosidos podem aumentar o risco de desenvolvimento de neuropatia periférica ou outros efeitos adversos associados ao Zalcitabina, por interferência com a clearance renal da zalcitabina (o que aumenta a exposição sistémica). Os doentes para quem é necessário utilizar um destes fármacos com Zalcitabina, devem ser sujeitos a monitorização clínica e laboratorial frequente, com ajuste da dose se se detectar alguma alteração significativa na função renal.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dissulfiram + Benzodiazepinas

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Benzodiazepinas: o metabolismo do clordiazepóxido e diazepam estão diminuídos, mas não o do oxazepam e lorazepam - Benzodiazepinas
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dissulfiram + Clorodiazepóxido

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Benzodiazepinas: o metabolismo do clordiazepóxido e diazepam estão diminuídos, mas não o do oxazepam e lorazepam - Clorodiazepóxido
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dissulfiram + Diazepam

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Benzodiazepinas: o metabolismo do clordiazepóxido e diazepam estão diminuídos, mas não o do oxazepam e lorazepam - Diazepam
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Dissulfiram + Metronidazol

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Metronidazol: foram referidas confusão e psicoses nos doentes que tomam dissulfiram e metronidazol; mecanismo desconhecido - Metronidazol
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Dissulfiram + Dissulfiram

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Metronidazol: foram referidas confusão e psicoses nos doentes que tomam dissulfiram e metronidazol; mecanismo desconhecido - Dissulfiram
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenitoína + Dissulfiram

Observações: N.D.
Interações: Fármacos que podem aumentar os níveis séricos de fenitoína incluem: cloranfenicol, sulfonamidas, dicumarol, disulfiram, isoniazida, cimetidina, sultiamo, fenilbutazona, tolbutamida, salicilatos, clordiazepóxido, fenotiazinas, diazepam e alcoolismo agudo.
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Dissulfiram + Fenitoína

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Fenitoína: inibição do metabolismo e aumento dos níveis plasmáticos - Fenitoína
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dissulfiram + Anticoagulantes orais

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Ver também: - Anticoagulantes Orais
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dissulfiram + Álcool

Observações: Inibe as enzimas microssomais hepáticas metabolizadoras de fármacos. Inibe a aldeído-desidrogenase
Interações: Ver também: - Álcool
Usar com precaução

Subcitrato de bismuto potássico + Metronidazol + Tetraciclina + Dissulfiram

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com esta associação. Antes do tratamento, deve ser verificada a necessidade de outra medicação concomitante em doentes que estejam a tomar este medicamento. Apesar de não ter sido detetada qualquer interação específica com a associação, os doentes que tomem um grande número de medicamentos concomitantes têm geralmente um risco mais elevado de sofrerem efeitos indesejáveis e, por conseguinte, devem ser tratados com cuidado.
Interações: Interações com o metronidazol: Álcool/dissulfiram: O metronidazol tem uma reação ao álcool bem documentada e semelhante à reação com o dissulfiram (cãibras abdominais, náuseas, vómitos, cefaleia, rubores). Foram notificadas reações psicóticas em doentes alcoólicos que utilizem metronidazol e que tenham utilizado dissulfiram nas 2 semanas anteriores.
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Dissulfiram
Além das bebidas, o álcool é encontrado em diversos outros produtos. Verificar a lista de ingredientes contidos nos alimentos e outros produtos antes de os usar irá ajudá-lo a evitar o álcool.

Não use alimentos que contenham álcool, como molhos e vinagres.

Antes de tomar a primeira dose de Dissulfiram, certifique-se de não ter ingerido qualquer bebida alcoólica ou produto contendo álcool ou medicamentos (por exemplo, tónicos, elixires e xaropes para tosse) durante as últimas 12 horas.

Se não tem certeza sobre o teor de álcool de medicamentos que pode ter tomado, consulte o seu Profissional de Saúde.

Tome o Dissulfiram todos os dias como indicado pelo seu Médico.

O medicamento é geralmente tomado todos os dias pela manhã.

No entanto, se isso faz sentir-se sonolento, pergunte ao seu Médico se antes pode tomá-lo à hora de dormir.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019