Dipiridamol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
O dipiridamol é um inibidor de fosfodiesterase que bloqueia a absorção e metabolismo da adenosina pelos eritrócitos e células endoteliais vasculares.

Também potencia a ação antiagregante de prostaciclina.
Usos comuns
É utilizado para prevenir coágulos sanguíneos após cirurgia de substituição da válvula cardíaca.
Tipo
Molécula pequena.
História
Sem informação.
Indicações
Tem sido usado na prevenção secundária do AVC isquémico e do acidente isquémico transitório, sem provas seguras da sua eficácia.
Classificação CFT

03.05.01 : Antianginosos

Mecanismo De Ação
O dipiridamol inibe tanto a probabilidade de adenosina desaminase como a fosfodiesterase, impedindo a degradação do cAMP, um inibidor da função plaquetária.

Essa elevação de AMPc bloqueia a libertação de ácido araquidónico a partir da membrana de fosfolípidos e reduz a atividade do tromboxano A2.

O Dipiridamol também estimula diretamente a libertação de prostaciclina, que induz a atividade da adenilato ciclase, aumentando assim a concentração de AMPc intraplaquetário e inibindo a agregação de plaquetas.
Posologia Orientativa
Adultos - Via oral: 100-200 mg 3 vezes/dia antes das refeições.
Administração
Sem Informação.
Contraindicações
Deve vigiar-se e usar com prudência nos doentes com angina instável, enfarte recente do miocárdio, estenose aórtica subvalvular e ICC.

Pode agravar a enxaqueca.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Náuseas, vómitos, diarreia, cefaleias, mialgias; vasodilatação facial, taquicardia e possível urticária; agravamento de sintomas de doença coronária; aumento da hemorragia durante a cirurgia.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Não há referências ao uso deste vasodilatador durante a gravidez. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Presente no leite; usar com vigilância.
Precauções Gerais
O Dipiridamol pode causar tonturas.

Estes efeitos podem ser agravados se tomado com álcool ou certos medicamentos.

Deve usrr-se dipiridamol com cautela.

Não conduzir ou realizar outras tarefas possivelmente inseguras até saber de que forma reage ao medicamento.

Evitar alimentos ou bebidas que tenham cafeína (por exemplo, café, chá, cacau, cola, chocolate) antes de tomar dipiridamol.

O dipiridamol não deve ser utilizado em crianças; A sua segurança e eficácia não foi confirmada em crianças.

Gravidez e Aleitamento: Se engravidar, deve contatar o médico.

Vai ser necessário discutir os benefícios e riscos do uso de dipiridamol durante a gravidez.

O Dipiridamol é encontrado no leite materno.

Não amamente enquanto tomar dipiridamol.
Cuidados com a Dieta
O Café, e o chá podem diminuir o efeito do dipiridamol.

Tomar com alimentos para reduzir a irritação.
Terapêutica Interrompida
Tomar a dose assim que se lembrar.

Se for quase altura da próxima dose, pular a dose e tomar o medicamento no horário programado.

Não tomar medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Conservar o Dipiridamol à temperatura ambiente, entre 15 e 25 graus C.

Armazenar longe do calor, humidade e luz.

Não congelar.

Manter o dipiridamol fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Antiarrítmicos + Dipiridamol

Observações: Aumentam a depressão do miocárdio quando são administrados com outros AA. Aumentam o risco de arritmias ventriculares quando são dados com AA que prolongam o intervalo QT
Interações: Aumentam o efeito da adenosina com maior toxicidade: - Dipiridamol - Dipiridamol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Abciximab + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: Anticoagulantes (por exemplo, varfarina, heparina), dipiridamol, anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) (por exemplo, ibuprofeno), ticlopidina, ou trombolíticos (ativadores do plasminogénio tecidual), pois o risco de hemorragia pode ser aumentado. - Dipiridamol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Adenosina + Dipiridamol

Observações: A adenosina pode interferir com medicamentos com tendência para interferir com a condução cardíaca.
Interações: O dipiridamol, conhecido como inibidor da captação da adenosina, pode potenciar a acção do Adenosina; num estudo com dipiridamol demonstrou-se que este aumenta em quatro vezes a acção da adenosina. Recomenda-se que a adenosina não seja utilizada em doentes medicados com o dipiridamol; se o uso de Adenosina for essencial, o dipiridamol deve ser interrompido 24 horas antes da utilização ou a dose de Adenosina deve ser grandemente reduzida. - Dipiridamol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dipiridamol + Adenosina

Observações: N.D.
Interações: O Dipiridamol aumenta os níveis plasmáticos e os efeitos cardiovasculares da adenosina. O reajuste da dose de adenosina deverá ser considerado. - Adenosina
Sem efeito descrito

Dipiridamol + Anticoagulantes orais

Observações: N.D.
Interações: Quando o Dipiridamol é usado em associação com qualquer substância que influencie a coagulação como os anticoagulantes e os antiagregantes plaquetários, deve ter-se em conta o perfil de segurança para estes medicamentos. A associação de Dipiridamol ao ácido acetilsalicílico não aumenta a incidência de hemorragias. Quando o Dipiridamol foi administrado concomitantemente com a varfarina, a incidência de hemorragias não foi mais elevada, nem em frequência nem em gravidade, do que a observada quando a varfarina foi administrada isoladamente. - Anticoagulantes orais
Sem efeito descrito

Dipiridamol + Ácido Acetilsalicílico

Observações: N.D.
Interações: A associação de Dipiridamol ao ácido acetilsalicílico não aumenta a incidência de hemorragias. - Ácido Acetilsalicílico
Sem efeito descrito

Dipiridamol + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Quando o Dipiridamol foi administrado concomitantemente com a varfarina, a incidência de hemorragias não foi mais elevada, nem em frequência nem em gravidade, do que a observada quando a varfarina foi administrada isoladamente. - Varfarina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dipiridamol + Antihipertensores

Observações: N.D.
Interações: Dipiridamol pode aumentar o efeito hipotensor de fármacos que diminuem a pressão arterial. - Antihipertensores
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dipiridamol + Teofilina

Observações: N.D.
Interações: O efeito do dipiridamol pode diminuir em presença de xantinas, o que deve ser tido em consideração aquando da administração de teofilina I.V. - Teofilina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dipiridamol + XANTINAS (Derivados da Metilxantina)

Observações: N.D.
Interações: O efeito do dipiridamol pode diminuir em presença de xantinas, o que deve ser tido em consideração aquando da administração de teofilina I.V. - XANTINAS (Derivados da Metilxantina)
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fludarabina + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: A eficácia terapêutica de fludarabina pode ser reduzida pelo dipiridamol e outros inibidores da captação da adenosina. - Dipiridamol
Sem efeito descrito

Eptifibatida + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: Eptifibatida não pareceu aumentar o risco de hemorragias graves e ligeiras associadas ao uso concomitante de varfarina e de dipiridamol. - Dipiridamol
Sem efeito descrito

Dipiridamol + Antiagregantes plaquetários

Observações: N.D.
Interações: Quando o Dipiridamol é usado em associação com qualquer substância que influencie a coagulação como os anticoagulantes e os antiagregantes plaquetários, deve ter-se em conta o perfil de segurança para estes medicamentos. - Antiagregantes plaquetários
Usar com precaução

Dipiridamol + Inibidores de colinesterases (I-ChE)

Observações: N.D.
Interações: Dipiridamol pode neutralizar o efeito anticolinesterase dos inibidores da colinesterase podendo por isso agravar a miastenia grave. - Inibidores de colinesterases (I-ChE)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Reteplase + Dipiridamol

Observações: Não foram realizados estudos de interação. As análises retrospetivas de estudos clínicos não revelaram a existência de qualquer interação, clinicamente relevante, com os medicamentos utilizados concomitantemente com a reteplase, em doentes com enfarte agudo do miocárdio.
Interações: A heparina, os antagonistas da vitamina K e os medicamentos que alteram a função plaquetária (tais como ácido acetilsalicílico, dipiridamol e abciximab) podem aumentar o risco de hemorragia se forem administrados antes, durante ou depois da terapêutica com reteplase. Deve prestar-se atenção a este efeito, especialmente, durante períodos de concentração plasmática baixa de fibrinogénio (até cerca de 2 dias após terapêutica fibrinolítica do enfarte agudo do miocárdio). - Dipiridamol
Usar com precaução

Pegaspargase + Dipiridamol

Observações: A diminuição nas proteínas séricas causada por Pegaspargase pode aumentar a toxicidade de outros medicamentos ligados a proteínas. Além disso, ao inibir a síntese da proteína e a divisão celular, Pegaspargase pode perturbar o mecanismo de ação de outras substâncias que requerem a divisão celular para produzir efeitos, como o metotrexato. Pegaspargase pode interferir com a desintoxicação enzimática de outros medicamentos, sobretudo no fígado.
Interações: A utilização de Pegaspargase pode levar a uma flutuação dos fatores de coagulação. Por sua vez, tal pode promover a tendência para hemorragias e/ou trombose. Por esse motivo, é necessário prudência ao administrar concomitantemente anticoagulantes, como cumarina, heparina, dipiridamol, ácido acetilsalicílico ou anti-inflamatórios não esteroides. - Dipiridamol
Consultar informação actualizada

Vardenafil + Dipiridamol

Observações: Estudos in vitro Vardenafil é metabolizado predominantemente por enzimas hepáticas através da isoforma 3A4 do citocromo P450 (CYP), com alguma contribuição das isoformas CYP3A5 e CYP2C. Assim, os inibidores destas isoenzimas podem reduzir a taxa de depuração do vardenafil.
Interações: Não existem dados sobre a interação do vardenafil e de inibidores não específicos da fosfodiesterase, tais como a teofilina ou o dipiridamol. - Dipiridamol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Reviparina sódica + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: a) Potenciação Substâncias que afectam a coagulação sanguínea e as células implicadas neste processo podem aumentar o risco hemorrágico (por exemplo ácido acetilsalicílico (aspirina), derivados da cumarina, dipiridamol, dextranos, antibióticos do tipo das cefalosporinas, penicilina em doses elevadas). - Dipiridamol
Não recomendado/Evitar

Apixabano + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: Não é recomendada a utilização concomitante de medicamentos associados a hemorragias graves com Apixabano, tais como: trombolíticos, antagonistas dos recetores GPIIb/IIIa, tienopiridinas (por exemplo, clopidogrel), dipiridamol, dextrano e sulfimpirazona. - Dipiridamol
Usar com precaução

Citalopram + Dipiridamol

Observações: Interações farmacocinéticas: A biotransformação do citalopram para desmetilcitalopram é mediada pelas isoenzimas do sistema citocromo P450 CYP2C19 (aproximadamente 38%), CYP3A4 (aproximadamente 31%) e CYP2D6 (aproximadamente 31%). O facto do citalopram ser metabolizado por mais de um CYP significa que a inibição da sua biotransformação é menos provável, uma vez que a inibição de uma enzima pode ser compensada por outra. Consequentemente, a administração concomitante de citalopram com outros medicamentos na prática clínica tem uma probabilidade muito baixa de originar interações farmacocinéticas medicamentosas.
Interações: Hemorragias: É necessária precaução em doentes que estão a ser tratados simultaneamente com anticoagulantes (como a varfarina), medicamentos que afetam a função dos trombócitos, como medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINE), ácido acetilsalicílico, dipiridamol e ticlopidina ou outros medicamentos (p.ex. antipsicóticos atípicos)que podem aumentar o risco de hemorragia. - Dipiridamol
Não recomendado/Evitar

Melagatrano + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: Interações farmacodinâmicas: A utilização concomitante de Melagatrano com fármacos que actuam sobre a hemostase ou a coagulação pode aumentar consideravelmente o risco de hemorragia. Por conseguinte, os fármacos a seguir referidos não devem ser administrados concomitantemente com Melagatrano: Antagonistas da vitamina K, heparina não fraccionada e derivados, heparinas de baixo peso molecular (HBPM), fondaparinux, desirudina, trombolíticos, antagonistas dos receptores da glicoproteína IIb/IIIa, clopidogrel, ticlopidina, Ácido Acetilsalicílico em doses > 500 mg/dia, dipiridamol, sulfimpirazona. - Dipiridamol
Contraindicado

Regadenosona + Dipiridamol

Observações: Não foram realizados estudos de interação com outros medicamentos.
Interações: Dipiridamol: O dipiridamol aumenta os níveis sanguíneos de adenosina e a resposta à regadenosona pode estar alterada quando os níveis sanguíneos de adenosina estão aumentados. O dipiridamol deve ser suspenso, sempre que possível, pelo menos dois dias antes da administração de Regadenosona. - Dipiridamol
Não recomendado/Evitar

Ximelagatrano + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: Interações farmacodinâmicas: A utilização concomitante de Ximelagatrano com fármacos que actuam sobre a hemostase ou a coagulação pode aumentar consideravelmente o risco de hemorragia. Por conseguinte, os fármacos a seguir referidos não devem ser administrados concomitantemente com Ximelagatrano: Antagonistas da vitamina K, heparina não fraccionada e derivados, heparinas de baixo peso molecular (HBPM), fondaparinux, desirudina, trombolíticos, antagonistas dos receptores da glicoproteína IIb/IIIa, clopidogrel, ticlopidina, aspirina em doses > 500 mg/dia, dipiridamol, sulfimpirazona. A aspirina como fármaco antiagregante plaquetário em doses ≤ 500 mg/dia, os AINEs e o dextrano devem ser utilizados com precaução quando administrados concomitantemente com Ximelagatrano devido a um potencial aumento do risco de hemorragia. Caso seja essencial a co-administração, é necessária monitorização rigorosa. - Dipiridamol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Heparina sódica + Dipiridamol

Observações: N.D.
Interações: Aumento do efeito da heparina: O aumento clinicamente significativo do efeito da heparina e o aumento da tendência para hemorragia podem ser provocados por: inibidores da agregação plaquetária, como ácido acetilsalicílico, ticlopidina, clopidogrel, dipiridamol em doses elevadas. Fibrinolíticos, Outros anticoagulantes (derivados da cumarina), Anti-inflamatórios não-esteroides (fenilbutazona, indometacina, sulfinpirazona), Bloqueadores dos recetores da glicoproteína IIb/ IIIa, Penicilina de alta dose, Medicamentos citostáticos, exceto a doxorrubicina, Dextranos - Dipiridamol
Consultar informação actualizada

Sildenafil + Dipiridamol

Observações: n.d.
Interações: Efeitos do sildenafil sobre outros medicamentos: Estudos in vitro: O sildenafil é um inibidor fraco das isoformas 1A2, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1 e 3A4 do citocromo P450 (CI50> 150 μM). Dadas as concentrações plasmáticas máximas de sildenafil de aproximadamente 1 μM após as doses recomendadas, é pouco provável que Sildenafil comprimidos altere a depuração de substratos destas isoenzimas. Não existem dados sobre a interacção do sildenafil e de inibidores não específicos das fosfodiestearases, como a teofilina ou o dipiridamol. - Dipiridamol
Usar com precaução

Varfarina + Dipiridamol

Observações: n.d.
Interações: Existem muitos compostos que interactuam com a varfarina, resultando da interacção, quer de um aumento, quer de uma diminuição do efeito anticoagulante. Há também a considerar alterações da absorção, nomeadamente as induzidas pela colestiramina. Para além dos anticoagulantes, existem outros fármacos capazes de alterar o processo de coagulação e de causar hemorragia. São exemplos destes fármacos as hormonas tiroideias, o clofibrato, Ácido Acetilsalicílico, AINEs e trombolíticos. A administração concomitante destes fármacos com varfarina favorece a hemorragia. Mesmo que não tenham sido descritas interações da varfarina com certos compostos com acção a nível hematológico, o médico deve estar alertado para a possibilidade de um risco acrescido de hemorragia ao fazer a prescrição simultânea de varfarina com estes fármacos. Existe igualmente um risco acrescido de hemorragia nos doentes medicados com varfarina, quando são expostos a certos produtos, nomeadamente colaspase, alguns meios de contraste, epoprostenol. Quando há um sério risco de hemorragia resultante da interacção, deve evitar-se a administração concomitante dos dois fármacos. Noutros casos, a actividade anticoagulante deve ser cuidadosamente monitorizada e proceder-se ao ajuste posológico de acordo com as necessidades. Os períodos considerados críticos correspondem, quer à introdução, quer à suspensão do fármaco interactuante, num doente com o regime de anticoagulação controlado. Os problemas decorrentes da administração concomitante da varfarina com alopurinol, contracetivos orais ou disopiramida, resultam do facto de serem imprevisíveis os efeitos que estes fármacos produzem na actividade anticoagulante, já que umas vezes as diminuem e outras a aumentam. A administração de dipiridamol a doentes medicados com varfarina pode causar hemorragia, com a particularidade de não alterar os parâmetros de avaliação de actividade anticoagulante. Os compostos que reconhecidamente potenciam a acção da varfarina ou que habitualmente são referidos como exercendo esse efeito são: Ácido etacrínico, ácido mefenâmico, ácido tielínico, álcool (ingestão aguda), alopurinol, amiodarona, Ácido Acetilsalicílico, azapropazona, cefamandol, ciprofloxacina, claritromicina, cloranfenicol, cimetidina, clofibrato, cotrimoxazol, danazol, dextropropoxifeno, dipiramidol, dissulfiram, eritromicina, estanozolol, etiloestrenol, fenilbutazona, fibratos, fluconazol, glucagão, halofenato, hormonas tiroideias, cetoconazol, latamofex, meclofenamato de sódio, metronidazol, miconazol, noretandrolona, omeprazol, oxifenbutazona, oximetolona, paracetamol, piroxicam, propafenona, quetoquenazol, quinidina, quinina, sinvastatina, ISRS antidepressivos, sulfinpirazona, sulfonamidas, sulindac, tetraciclina, valproato, vitamina E. - Dipiridamol
Usar com precaução

Paracetamol + Ópio + Cafeína + Dipiridamol

Observações: n.d.
Interações: CAFEÍNA RELACIONADA Associações sujeitas a precauções de uso Dipiridamol: Com dipiridamol por injeção: redução do efeito vasodilatador do dipiridamol pela cafeína. Interrompa o tratamento com cafeína pelo menos 5 dias antes da imagem do miocárdio com dipiridamol e evite o consumo de café, chá, chocolate ou cola dentro de 24 horas antes do teste. - Dipiridamol
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Dipiridamol
Usar o dipiridamol como indicado pelo médico.

Verificar o rótulo do medicamento para instruções de dosagem exatas.

Dipiridamol é administrado na forma injetável no consultório, hospital ou clínica do médico.

Se se esquecer de uma dose de dipiridamol, deve contactar o médico imediatamente.

Esclareça com o médico qualquer dúvida que possa ter sobre como usar dipiridamol.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020