Difenidramina + Levomentol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência na Condução
O que é
Fluidificante e antitússico.

A Difenidramina é um anti-histamínico H1, de primeira geração, manifestando atividade anticolinérgica é usado para melhorar as reações alérgicas ao sangue ou plasma, em anafilaxia, como adjunto da epinefrina.

Mentol é um composto orgânico obtido por síntese ou da extracção do óleo de Mentha piperita ou outros óleos essenciais.
O mentol também é famoso por suas propriedades anestésicas e anti-inflamatórias, além de ser amplamente usado para combater inflamações na garganta.
Usos comuns
No alívio dos sintomas da congestão nasal associados a rinite alérgica ou a infecções respiratórias altas.

No tratamento da tosse.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
No alívio dos sintomas da congestão nasal associados a rinite alérgica ou a infecções respiratórias altas.

No tratamento da tosse.
Classificação CFT

10.01.01 : Anti-histamínicos H1 sedativos

Mecanismo De Ação
Cloridrato de difenidramina:
O cloridrato de difenidramina é uma etanolamina e um antagonista dos receptores H1 da histamina de primeira geração um inibidor reversível e competitivo da histamina sobre o receptor H1.

Os antagonistas dos receptores H1, especialmente etanolaminas, possuem uma actividade anti-histamínica e antimuscarínica significativa, e simultaneamente propriedades sedativas.

O mecanismo sedativo do cloridrato de difenidramina parece resultar do antagonismo dos receptores centrais da histamina e dos receptores colinérgicos.

A evolução da sedação após a administração oral de uma dose de 50 mg foi associada a concentrações plasmáticas elevadas, e diferiu significativamente do placebo durante as primeiras três horas após administração.

A farmacodinâmica da sedação correlacionou-se com picos de concentração do medicamento ocorridos durante a absorção e a fase de distribuição (fase alfa).

Levomentol:
O levomentol pode actuar como poderoso antitússico.

Está relacionado com o forte efeito estimulante sobre os receptores do frio presentes na laringe, na ausência de ar fresco.

Constactou-se que as substâncias que produzem uma sensação de calor na via respiratória podem estimular o reflexo da tosse, enquanto o mentol, que produz uma sensação de frio, possui o efeito oposto.
Posologia Orientativa
Adultos: 1 a 2 colheres de chá de 2 em 2 ou de 3 em 3 horas.

Crianças com idade igual ou superior a 6 anos: ½ (meia) a 1 colher de chá de 3 em 3 horas.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Hipersensibilidade às substâncias activas.

Crianças com idade inferior a 6 anos não devem tomar, excepto se prescrito pelo médico.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Reacções adversas ao Medicamento Identificadas Durante a Experiência Pós-Comercializacção Com Cloridrato de Difenidramina/Levomentol:

A Categoria de Frequência foi Estimada a partir de Ensaios Clínicos ou Estudos Epidemiológicos*

Cardiopatias:
Desconhecido: Hipotensão, Palpitações, Taquicardia.

Afecções do ouvido e do labirinto:
Desconhecido: Zumbido.

Afecções oculares:
Desconhecido: Visão turva.

Doenças gastrointestinais:
Frequentes: Boca seca
Desconhecido: Obstipação, Diarreia, Dispepsia, Náuseas, Vómitos.

Perturbações gerais e alterações no local de administração:
Frequente: Astenia.

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
Desconhecido: Prurido, Erupção cutânea, Urticária.

Doenças do sistema nervoso:
Muito frequentes: Sonolência
Frequentes: Tonturas
Desconhecido: Agitação, Dificuldade de coordenação, Convulsões, Cefaleias, Insónias, Parestesia, Sedação, Tremor.

Perturbações do foro psiquiátrico:
Desconhecido: Sentir-se confuso, Irritabilidade, Alucinações, Nervosismo.

Doenças renais e urinárias:
Desconhecido: Retenção urinária.

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino:
Desconhecido: Desconforto no peito, Garganta seca, Secura nasal.

* Categoria de frequência com base em ensaios clínicos apenas com o cloridrato de difenidramina

reacções Adversas ao Medicamento Identificadas Durante a Experiência Pós-Comercializacção Com Cloridrato de Difenidramina:

A Categoria de Frequência foi Estimada a partir das Taxas de Notificações Espontâneas:

Cardiopatias:
Muito raros: Hipotensão, Palpitações, Taquicardia.

Afecções do ouvido e do labirinto:
Muito raros: Zumbido.

Afecções oculares:
Muito raros: Visão turva.

Doenças gastrointestinais:
Muito raros: Obstipação, Diarreia, Boca seca, Dispepsia, Náuseas, Vómitos.

Perturbações gerais e alterações no local de administração:
Muito raros: Astenia.

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
Muito raros: Prurido, Erupção cutânea, Urticária.

Doenças do sistema nervoso:
Muito raros: Agitação, Dificuldade de coordenação, Convulsões, Tonturas, Cefaleias, Insónias, Parestesia, Sedação, Sonolência, Tremor.

Perturbações do foro psiquiátrico:
Muito raros: Sentir-se confuso, Irritabilidade, Alucinações, Nervosismo.

Doenças renais e urinárias:
Muito raros: Retenção urinária.

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino:
Muito raros: Desconforto no peito, Garganta seca, Secura nasal.
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
Crianças com idade inferior a 6 anos não devem tomar o medicamento excepto se prescrito pelo médico. Não utilizar para causar sonolência na criança.

Pode causar sonolência pronunciada. Os doentes devem ser aconselhados a conduzir veículos automóveis ou utilizar máquinas com precaução.

Enquanto tomar este medicamento, evite a ingestão de bebidas alcoólicas, e consulte um profissional de saúde antes de tomar depressores do sistema nervoso central. Pode ocorrer excitabilidade.

Não deve ser utilizado para o tratamento da tosse persistente ou crónica, tal como a tosse que ocorre no caso de asma, ou quando a tosse é acompanhada por secreções excessivas, excepto quando indicado pelo médico.

Não inicie o tratamento se tiver tomado um inibidor da monoaminoxidase nas duas semanas anteriores.

O cloridrato de difenidramina possui actividade anticolinérgica que pode ser potenciada por outros medicamentos com efeitos anticolinérgicos.

O cloridrato de difenidramina pode aumentar os efeitos sedativos dos depressores do sistema nervoso central, incluindo álcool, sedativos, e tranquilizantes.

Os doentes com as condições seguintes devem ser aconselhados a consultar um médico antes de utilizarem medicamentos contendo cloridrato de difenidramina e levomentol:
- Condição respiratória como enfisema, bronquite crónica, ou asma brônquica aguda ou crónica
- Glaucoma
- Hiperplasia da próstata com volume urinário residual.
Cuidados com a Dieta
Evite a ingestão de bebidas alcoólicas
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Conservar a temperatura inferior a 25˚C.
Manter o frasco bem fechado.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Difenidramina + Levomentol + Anticolinérgicos

Observações: N.D.
Interações: O cloridrato de difenidramina possui actividade anticolinérgica que pode ser potenciada por outros medicamentos com efeitos anticolinérgicos. - Anticolinérgicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Difenidramina + Levomentol + Depressores do SNC

Observações: N.D.
Interações: O cloridrato de difenidramina pode aumentar os efeitos sedativos dos depressores do sistema nervoso central, incluindo álcool, sedativos, e tranquilizantes. - Depressores do SNC
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Difenidramina + Levomentol + Álcool

Observações: N.D.
Interações: O cloridrato de difenidramina pode aumentar os efeitos sedativos dos depressores do sistema nervoso central, incluindo álcool, sedativos, e tranquilizantes. - Álcool
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Difenidramina + Levomentol + Sedativos

Observações: N.D.
Interações: O cloridrato de difenidramina pode aumentar os efeitos sedativos dos depressores do sistema nervoso central, incluindo álcool, sedativos, e tranquilizantes. - Sedativos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Difenidramina + Levomentol + Tranquilizantes

Observações: N.D.
Interações: O cloridrato de difenidramina pode aumentar os efeitos sedativos dos depressores do sistema nervoso central, incluindo álcool, sedativos, e tranquilizantes. - Tranquilizantes
Contraindicado

Difenidramina + Levomentol + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: N.D.
Interações: O tratamento com Difenidramina/Levomentol não deve ser iniciado se o doente tiver tomado um inibidor da monoaminooxidase nas duas semanas anteriores. - Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Difenidramina + Levomentol
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

O cloridrato de difenidramina pode causar alterações psicomotoras e sonolência pronunciada.
Deve ser exercida precaução na condução de veículos automóveis ou utilização de máquinas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 26 de Novembro de 2020