Decitabina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução Uso Hospitalar DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica) DCI/Medicamento sujeito a Monitorização Adicional
O que é
Este medicamento está sujeito a monitorização adicional.

A Decitabina é indicada para o tratamento de pacientes com síndrome mielodisplásica (SMD).

É um análogo químico da citidina, um nucleosídeo presente no DNA e RNA.

Na presença de Decitabina as células incorporam o ADN durante a replicação e RNA durante a transcrição.

A incorporação de Decitabina no ADN ou ARN inibe a metiltransferase provocando deste modo a desmetilação nessa sequência.

Isto afeta adversamente a maneira que as proteínas celulares de regulalação são capazes de se ligar ao substrato de ADN / ARN.
Usos comuns
A Decitabina é utilizada para tratar síndromes mielodisplásicas (certos tipos de cancro de sangue ou da medula óssea).
Tipo
small molecule
História
Sem informação.
Indicações
Está indicada para o tratamento de doentes adultos com idade igual ou inferior a 65 anos com leucemia mielóide aguda (LMA) recentemente diagnosticada ou secundária, de acordo com a classificação da Organização Mundial de Saúde (OMS), que não são elegíveis para padrão da quimioterapia de indução.
Classificação CFT
16.01.03     Antimetabolitos
Mecanismo De Ação
Acredita-se que a Decitabina exerce os seus efeitos antineoplásicos após a sua conversão para o trifosfato de Decitabina, em que o medicamento se incorpora diretamente no ADN e inibe a metiltransferase de ADN, a enzima responsável pela metilação de ADN sintetizada de novo nas células de mamíferos.

Isto resulta em hipometilação do ADN e da diferenciação celular ou apoptose.

A Decitabina inibe a metilação de ADN in vitro, o que é conseguido em concentrações que não causam maior supressão da síntese de ADN.

A hipometilação induzida por Decitabina em células neoplásicas pode restaurar a função normal dos genes que são críticos para o controlo de diferenciação e proliferação celular.

Nas células que se dividem rapidamente, a citotoxicidade de Decitabina também pode ser atribuída à formação de adutos covalentes entre DNA metiltransferase e a Decitabina que foi incorporada no ADN.

As células não proliferadas são relativamente insensíveis à Decitabina. A Decitabina é específica do ciclo celular e atua perifericamente na fase S do ciclo celular. Não inibe a progressão de células a partir da fase G1 para S.
Posologia Orientativa
Num ciclo de tratamento, é administrada numa dose de 20mg/m2 de área de superfície corporal por perfusão intravenosa durante 1 hora, diariamente, durante 5 dias consecutivos (i.e. um total de 5 doses por ciclo de tratamento).

A dose diária total não deve exceder 20mg/m2 e a dose total por ciclo de tratamento não deve exceder 100mg/m2.
Administração
O tratamento deve ser iniciado sob a supervisão de médicos experientes na utilização de agentes quimioterapêuticos.

É administrado por perfusão intravenosa. Não é necessário um cateter venoso central.
Para instruções acerca da reconstituição e diluição do medicamento antes da administração.
A solução é administrada na veia (sob a forma de perfusão) durante uma hora.
Contraindicações
Hipersensibilidade à decitabina.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reação alérgica: urticária; dificuldade de respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Chame o seu Médico imediatamente se tem:
– Febre, calafrios, dores no corpo, tosse, dor de garganta, sintomas de gripe;
– Fácil nódoas negras, hemorragias (nariz, boca, vagina ou reto), manchas roxas ou vermelhas puntiformes sob a pele;
– Pele pálida, sensação de tontura, aumento da frequência cardíaca, dificuldade de concentração;
– Manchas brancas ou feridas dentro de sua boca ou nos lábios, ou
– Pontadas no peito, pieira no peito, sensação de falta de ar, tosse com expetoração amarela ou verde;
– Inchaço, dor, sensibilidade ou vermelhidão em qualquer lugar em seu corpo, ou
– Desequilíbrio eletrolítico (confusão, batimentos cardíacos irregulares, sede excessiva, aumento da mição, espasmos musculares, desconforto nas pernas, fraqueza muscular ou sensação de coxear).

Efeitos colaterais comuns incluem:
– Dor de cabeça, tontura, sonolência;
– Náuseas, vómitos, dor de estômago, diarréia, prisão de ventre;
– Tosse, boca seca;
– Dor nas articulações, ou
– Problemas de sono (insónia).

Esta não é uma lista completa dos efeitos secundários e outros podem ocorrer.

Peça aconselhamento Médico sobre os efeitos secundários.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: D - Há evidências de risco em fetos humanos. Só usar se o benefício justificar o risco potencial. Em situação de risco de vida ou em caso de doenças graves para as quais não se possa utilizar drogas mais seguras, ou se estas drogas não forem eficazes.
Aleitamento
Aleitamento:A Decitabina está contraindicado durante a amamentação.
Conducao
Conducao:Os efeitos de Decitabina sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são moderados. Os doentes devem ser informados que, durante o tratamento, podem sofrer efeitos indesejáveis, como anemia. Assim, recomenda-se precaução ao conduzir.
Precauções Gerais
Mielossupressão
Mielossupressão e complicações derivadas da mielossupressão, incluindo infeções e hemorragias que ocorram em doentes com LMA, podem ser exacerbadas pelo tratamento.
Deste modo, os doentes estão sujeitos a umrisco acrescido de infeções graves (devido a qualquer patogénio, tais como bactérias, fungos e vírus), com resultado potencialmente fatal.

Os doentes devem ser monitorizados quanto a sinais e sintomas de infeção e tratados de imediato. Em estudos clínicos, a maioria dos doentes apresentou mielossupressão basal de Grau 3/4. Registou-se um agravamento da mielossupressão na maioria dos doentes com anomalias basais de Grau 2, e mais frequentemente que nos doentes com anomalias basais de Grau 1 e 0. A mielossupressão provocada por Decitabina é reversível.

Hemograma e contagem de plaquetas devem ser realizados regularmente, conforme clinicamente indicado e antes de cada ciclo de tratamento. Na presença de mielossupressão ou complicações derivadas da mesma, o tratamento com Decitabina pode ser interrompido e/ou podem ser instituídas medidas de suporte.

Afeção hepática
A utilização de Decitabina em doentes com afeção hepática não foi estabelecida. A administração de Decitabina emdoentes com afeção hepática deve ser efetuada com precaução e os doentes devem ser rigorosamente monitorizados.

Compromisso renal
A utilização de Decitabina em doentes com compromisso renal grave não foi estudada. A administração de Decitabina em doentes com compromisso renal grave deve ser efetuada com precaução (Depuração da Creatinina (CrCl) <30 ml/min) e os doentes devem ser rigorosamente monitorizados.

Doença cardíaca
Os doentes com antecedentes de insuficiência cardíaca congestiva grave ou doença cardíaca clinicamente instável foram excluídos dos estudos clínicos e, assim, a segurança e eficácia de Decitabina estes doentes não foi estabelecida.

Após reconstituição e diluição da solução para perfusão intravenosa, este medicamento contém entre1-10 mmol de potássio por dose, dependendo do fluido de perfusão utilizado para diluição. Esta informação deve ser tida em consideração pelos doentes com diminuição da função renal ou doentes numa dieta controlada de potássio.

Este medicamento contém 0,29 mmol de sódio por frasco para injetáveis.

Após reconstituição e diluição da solução para perfusão intravenosa, este medicamento contém entre 0,6-6mmol de sódio por dose, dependendo do fluido de perfusão utilizado para diluição.

Esta informação deve ser tida em consideração pelos doentes numa dieta controlada de sódio.
Cuidados com a Dieta
Como é administrado por via intravenosa (numa veia), não são necessárias restrições relativas à comida ou bebidas.
Terapêutica Interrompida
Fale com o seu Médico para obter instruções se faltar a um compromisso para a injeção de Decitabina.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Não conservar acima de 25° C.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Decitabina + Outros medicamentos

Observações: Não foram realizados estudos clínicos formais de interação medicamentosa com decitabina.
Interações: Existe a possibilidade de uma interação medicamentosa com outros agentes que sejam igualmente ativados por fosforilação sequencial (através de atividades intracelulares da fosfoquinase) e/ou metabolizados por enzimas implicadas na inativação da decitabina (p.e. citidina deaminase). Assim, recomenda-se precaução na associação destes medicamentos com decitabina. Impacto de medicamentos coadministrados na decitabina: As interações metabólicas mediadas pelo citocromo (CYP) 450 não são antecipadas uma vez que o metabolismo da decitabina não é mediado por este sistema, mas sim por desaminação oxidativa. Impacto da decitabina nos medicamentos coadministrados: É improvável que a decitabina desloque os medicamentos coadministrados da sua ligação proteica plasmática, dado que a ligação proteica plasmática in vitro é reduzida (1%). Foi demonstrado que a decitabina é um inibidor fraco do transporte mediado por P-gp in vitro e, assim, também se espera que não afete o transporte mediado por P-gp de medicamentos coadministrados.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

As mulheres em idade fértil devem utilizar métodos contracetivos eficazes e evitar engravidar enquanto são tratadas com decitabina. Se este fármaco for utilizado durante a gravidez, ou se uma doente engravidar durante o tratamento com este medicamento, a doente deve ser informada sobre os potenciais perigos para o feto.

A Decitabina está contraindicado durante a amamentação; assim, se o tratamento com Decitabina for necessário, a amamentação deve ser interrompida. Dada a possibilidade de infertilidade como consequência da terapêutica com Decitabina, os homens devem ser aconselhados sobre a conservação de esperma e as mulheres em idade fértil devem ser aconselhadas sobre a criopreservação de oócitos antes do início do tratamento com Decitabina.

Os efeitos de Decitabina sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são moderados. Os doentes devem ser informados que, durante o tratamento, podem sofrer efeitos indesejáveis, como anemia. Assim, recomenda-se precaução ao conduzir e utilizar máquinas.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017