Cortisona

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
A Cortisona, (17-hidroxi-11-desidrocorticosterona) é uma hormona esteróide 21-carbono.

É uma das principais hormonas libertadas pela glândula suprarrenal, em resposta ao stress.

Na estructura química, é um corticosteróide intimamente relacionado com o cortisol.

É usada para tratar uma variedade de doenças e pode ser administrado por via intravenosa, por via oral, intra-articular (nas articulações), ou por via transcutânea.

A Cortisona suprime o sistema imunitário, assim reduzindo a inflamação e dor concomitante e inchaço no local da lesão.

Existem riscos, em particular na utilização a longo prazo de Cortisona.
Usos comuns
A Cortisona é usada para tratar diversas condições, tais como doenças alérgicas, doenças da pele, colite ulcerativa, artrite, lúpus, psoríase, ou distúrbios respiratórios.
Tipo
Sem informação.
História
Desde 1855, que é conhecida a doença de Addison, uma doença grave causada pela destruição bilateral das glândulas suprarrenais, que produz principalmente um desperdício de água e sal, hipotensão, fadiga, déficit hormonal (entre as hormonas afetados a Cortisona) e perda de peso.

Por volta de 1935, o norte-americano Edward Calvin Kendall e seus colegas, no decurso das suas investigações sobre este assunto na famosa Clínica Mayo em Rochester (EUA), isolaram, a partir das glândulas suprarrenais do boi e seis substâncias desconhecidas, uma delas então denominada como "composto E" de fórmula determinada.

O obejetivo nominal era de apenas tratar a doença de Addison, mas outras aplicações se adivinharam, tendo-se iniciado uma grande investigação.

A publicacção da Clínica Mayo sobre as conclusões sobre as hormonas do córtex das glândulas suprarrenais levou aos colaboradores e a Edward Calvin Kendall o reconhecimento internacional.

Em 1950, os médicos Kendall e Philip S. Hench foram agraciados com o Prémio Nobel de Fisiologia e Medicina. Eles dividiram-no com o Dr. Tadeusz Reichstein (Suécia), que também tinha assinalado as hormonas do córtex renais e isolado, simultaneamente, as suas estruturas e funções.

A Cortisona foi produzida pela primeira vez pela Merck & Co. a 30 de Setembro de 1949, e Percy Julian anunciou um melhoramento no processo de produção da Cortisona a partir de ácidos biliares.

Isto eliminou a necessidade de utilização de tetróxido de ósmio, um produto químico caro e raro.
Indicações
A Cortisona está indicada no tratamento de alergias graves, artrite, asma, esclerose múltipla, e doenças da pele.
Classificação CFT

N.D.

Mecanismo De Ação
O Acetato de Cortisona liga-se ao receptor do glucocorticóide citosólico.

Depois de se ligarao receptor do complexo receptor-ligando recém formado, desloca-se para o núcleo da célula, onde liga-se a diversos elementos de resposta a glucocorticóides (GRE) na região promotora dos genes alvo.

Em seguida, o receptor ligado ao ADN, interage com os factores de transcrição de base, fazendo com que aumente a expressão de genes-alvo específicos.

Pensa-se que as acções anti-inflamatórias dos corticosteróides envolvem lipocortinas, proteínas inibidoras fosfolipase A2, que, por inibição do ácido araquidónico, controlam a biossíntese de prostaglandinas e leucotrienos.

Especificamente os glicocorticóides induzem a síntese da lipocortina - 1 (anexina - 1), que, em seguida, liga-se às membranas celulares que impedem a fosfolipase A2 de entrar em contacto com o substrato do ácido araquidónico.

Isto leva à produção diminuída de eicosanóides.

A expressão ciclo-oxigenase (COX - 1 e COX - 2), é também suprimida, potenciando o efeito. Por outras palavras, os dois produtos principais da inflamação as prostaglandinas e os leucotrienos são inibidas pela acção dos glucocorticóides.

Os glicocorticóides também estimulam a lipocortina-1 a escapar para o espaço extracelular, onde liga-se aos receptores de membrana de leucócitos e inibe vários eventos inflamatórios: adesão epitelial, de emigração, quimiotaxia, fagocitose, explosão respiratória e à libertação de vários mediadores inflamatórios (enzimas lisossomais, citocinas, activador de plasminogénio tecidular, quimiocinas, etc) a partir de neutrófilos, macrófagos e mastócitos.

Além disso, o sistema imunitário está suprimido por corticosteróides, devido a uma diminuição da função do sistema linfático, uma redução de imunoglobulina complementar e concentrações, a precipitação de linfocitopénia, e interferência com a ligação antigénio-anticorpo.
Posologia Orientativa
Dose usual em adultos para Insuficiência Adrenal: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Trombocitopénia púrpura idiopática (Imune): 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Choque: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para a Anemia Hemolítica: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para a Eritroblastopenia: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para a Síndrome de Loeffler: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Sarcoidose: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Beriliose: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para o Linfoma: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para a Síndrome Nefrótica: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Uveíte: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Iritis: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Ceratite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Conjuntivite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Iridociclite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Coriorretinite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Coroidite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Lúpus Eritematoso Sistémico: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Dermatomiosite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Espondilite Anquilosante: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Bursite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Osteoartrite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para a Artrite Reumatóide: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Artrite Gotosa: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para a Artrite Psoriática: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Dose usual em adultos para Epicondilite: 25 mg a 300 mg por dia, por via oral ou IM, em 1-2 doses divididas.

Usual Dose pediátrica para Insuficiência Adrenal: 0,5 mg a 0,75 mg/kg/dia por via oral, dadas em doses igualmente divididas em períodos de 8 horas.

Alternativamente, de 0,25 mg a 0,35 mg/kg IM uma vez por dia.
Administração
A Cortisona pode ser administrada sob a forma de comprimidos, pomadas, cremes ou por via injectável.

Porém, qualquer medicamento a base de Cortisona, por via oral, deve ser tomado com alimentos para reduzir o seu efeito no tracto gastrointestinal.
Contraindicações
Não use Cortisona se:
– é alérgico a qualquer ingrediente de Cortisona
– tem uma infecção fúngica sistémica
– Estiver a tomar Mifepristone.

Contacte o médico ou Profissional de Saúde imediatamente se alguma destas limitações se aplicar a si.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reacção alérgica: urticária, dificuldade em respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Chame o médico imediatamente se tiver algum destes efeitos secundários graves:
– Problemas com a sua visão;
– Inchaço, rápido ganho de peso, sensação de falta de ar;
– Depressão grave, pensamentos ou comportamento incomum, convulsões;
– Fezes com sangue ou alcatroadas, tosse com sangue;
– Pancreatite (forte dor no estômago que se estende para as costas, náuseas e vómitos, ritmo cardíaco acelerado);
– Baixo nível de potássio (confusão, batimentos cardíacos irregulares, sede excessiva, aumento da micção, desconforto nas pernas, fraqueza muscular ou sensação de mancar); ou
– Pressão arterial perigosamente alta (cefaleia, visão turva, zumbido nos ouvidos, ansiedade, confusão, dor no peito, falta de ar, batimentos cardíacos irregulares, convulsaõ).

Efeitos secundários menos graves podem incluir:
– Problemas de sono (insónia), alterações de humor;
– Acne, pele seca, pele esfoliada, hematomas ou descoloração;
– Cicatrizacção lenta;
– Aumento da transpiração;
– Dores de cabeça, tonturas, sensação de tontura;
– Náuseas, dor de estômago, inchaço, ou
– Mudanças na forma ou localizacção da gordura corporal (especialmente nos braços, pernas, face, pescoço, seios e cintura).

Esta não é uma lista completa dos efeitos secundários e outros podem ocorrer.
Peça aconselhamento Médico sobre os efeitos secundários.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Evitar. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 1º
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Controlar com cuidado. O uso de corticosteróides inalados ou de aplicação tópica pela mãe conduz a níveis muito baixos no leite que não são provavelmente lesivos. Ver Corticosteróides.
Precauções Gerais
A Cortisona pode causar tonturas. Não conduza, nem utilize máquinas, ou faça qualquer outra coisa que possa ser perigosa até saber como reage à Cortisona.

O uso de Cortisona isoladamente, com alguns outros medicamentos, ou com álcool pode diminuir a sua capacidade de conduzir ou realizar outras tarefas potencialmente perigosas.

A Cortisona pode diminuir a capacidade do organismo para combater a infecção, especialmente se tomada durante por longos períodos de tempo.

Previna a infecção, evitando o contacto com as pessoas com gripes ou outras infecções.

Notifique o médico de quaisquer sinais de infecção, como febre, dor de garganta, erupção cutânea, ou arrepios.

Se ainda não teve varicela ou sarampo, evite o contacto com qualquer pessoa que tenha qualquer uma destas doenças. Se está exposto a alguém com varicela ou sarampo, contacte o médico imediatamente.

Tenha sempre consigo um cartão de identificacção em todos os momentos que indique que está a tomar Cortisona.

Antes de ter qualquer tratamento Médico ou dentário, cuidados de emergência ou cirurgia, informe o Médico ou dentista que está a utilizar Cortisona.

O uso a longo prazo pode causar catarata, glaucoma e infecções oculares. Contacte o médico imediatamente se desenvolver quaisquer alterações incomuns na sua visão.

A Cortisona pode causar um aumento da pressão sanguínea, retenção de sal e água, e a perda de cálcio e de potássio. Converse com seu Médico para ver se precisa de diminuir a quantidade de sal na sua dieta ou tomar um suplemento de cálcio ou vitamina D.

Evitea vacinacção com vacinas de vírus vivo (p.ex., sarampo, varicela, poliomielite oral) enquanto estiver a tomar Cortisona. A vacinacção pode tornar-se menos eficaz.

Pacientes com diabetes - A Cortisona pode afectar o açúcar no sangue. Vigiar de perto os níveis de açúcar no sangue e questione o médico antes de ajustar a dose do seu medicamento para a diabetes.

Exames laboratoriais, incluindo electrólitos no sangue, os níveis de cálcio no sangue, pressão arterial e testes de visão podem ser realizados para acompanhar seu progresso ou a verificar os efeitos secundários. Certifique-se de que vai manter todas as consultas médicas e laboratoriais.

Aconselha-se precaução quando se utiliza a Cortisona nas crianças, porque elas podem ser mais sensíveis aos seus efeitos.

Os corticosteróides podem afectar a taxa de crescimento em crianças e adolescentes em alguns casos. O crescimento do seu filho pode precisar de ser avaliado regularmente durante o uso de Cortisona.

Gravidez e Aleitamento: Se ficar grávida durante o uso de Cortisona, discutacom seu Médico os benefícios e os riscos da utilização de Cortisona durante a gravidez.

Não se sabe se a Cortisona é excretada no leite materno. Se está ou vai estar a amamentar enquanto estiver a utilizar Cortisona, consulte o médico ou Farmacêutico para discutir os riscos para o seu bebé.
Cuidados com a Dieta
A Cortisona pode ser tomada com ou sem alimentos. Se ocorrerem dores de estômago, tome com alimentos para reduzir a irritacção do estômago.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Não tome a dose esquecida se for quase hora da próxima dose. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Guarde a Cortisona à temperatura ambiente, entre 59 e 86 graus F (15 e 30 graus C). Armazene longe do calor, humidade e luz. Não guarde na casa de banho. Mantenha a Cortisona fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Usar com precaução

Deflazacorte + Cortisona

Observações: N.D.
Interações: Embora os estudos clínicos com deflazacorte não tenham permitido encontrar interacções medicamentosas, deve observar-se precaução semelhante à habitual durante corticoterapia. - Cortisona
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidroclorotiazida + Amilorida + Cortisona

Observações: N.D.
Interações: interacções com hidroclorotiazida: Cortisona: A terapia concomitante de diurético tiazídico e corticosteroide resulta numa excessiva perda de potássio. - Cortisona
Usar com precaução

Tacrolímus + Cortisona

Observações: n.d.
Interações: Inibidores do metabolismo: Estudos in vitro, demonstram que as substâncias a seguir indicadas são potenciais inibidores do metabolismo do tacrolímus: Bromocriptina, cortisona, dapsona, ergotamina, gestodeno, lidocaína, fenitoína, miconazol, midazolam, nilvadipina, noretisterona, quinidina, tamoxifeno, troleandomicina. O sumo de toranja tem sido relacionado com o aumento dos níveis sanguíneos de tacrolímus pelo que deverá ser evitado. - Cortisona
Usar com precaução

Ibuprofeno + Paracetamol + Cortisona

Observações: n.d.
Interações: Este produto pode interferir com alguns medicamentos, incluindo: • corticosteróides, como a prednisona ou a cortisona. - Cortisona
Usar com precaução

Carisoprodol + Fenilbutazona + Paracetamol + Cortisona

Observações: n.d.
Interações: Sulfonamidas Sulfametazol, sulfametoxazol, sulfadiazina. Fenilbutazona pode acelerar o metabolismo de Dicumarol, aminofenazona, digitoxina, e a cortisona através da indução de enzimas microssomais hepáticas. - Cortisona
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Cortisona
Use a Cortisona como indicado pelo médico. Verifique o rótulo do medicamento para instruções de dosagem exatas.

– A Cortisona pode ser tomado com ou sem alimentos. Se ocorrerem dores de estômago, tome com alimentos para reduzir a irritacção do estômago.

– Se for necessário parar com a Cortisona ou se um medicamento diferente é adicionado à terapia, pelo médico, isso será feito de forma gradual. O risco de efeitos secundários pode aumentar se a Cortisona for subitamente interrompida.

– Se esquecer a toma de uma dose de Cortisona, tome-a assim que possível. Se for quase altura da próxima dose, salte-a dose e volte ao seu esquema posológico regular. Não tome duas doses de uma só vez.

Esclareça com o médico qualquer dúvida que possa ter sobre como usar a Cortisona.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 26 de Novembro de 2020