Colecalciferol (ou Vitamina D3)

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O Colecalciferol é um derivado de 7-dehidroxicolesterol formado por raios ultravioleta com quebra da ligação C9-C10.

Diferencia-se do ergocalciferol por ter uma ligação simples entre C22 e C23 e lhe faltar um grupo metilo em C24.
Usos comuns
O Colecalciferol é utilizado para tratar ou prevenir diversas doenças causadas por uma carência de Vitamina D, especialmente nas situações da pele ou ossos.
Tipo
molécula pequeña
História
Sem informação.
Indicações
Para o tratamento da insuficiência ou deficiência de vitamina D, raquitismo refratário (raquitismo resistente à Vitamina D), hipofosfatemia familiar e hipoparatiroidismo, e na gestão de hipocalcémia e osteodistrofia renal em pacientes com insuficiência renal crónica em diálise.

Também é usado em conjunto com o cálcio no tratamento e prevenção da osteoporose primária ou induzida por corticosteroides.
Classificação CFT
11.03.01.01     Vitaminas lipossolúveis
Mecanismo De Ação
O primeiro passo envolvido na ativação de Vitamina D3 é a 25 - hidroxilação, que é catalisada pela 25 - hidroxilase no fígado e, em seguida, por outras enzimas.

O esterol mitocondrial 27 - hidroxilase catalisa a primeira reacção de oxidação da cadeia lateral de intermediários de esteróis.

A forma ativa da Vitamina D3 (calcitriol) liga-se a recetores intracelulares que, em seguida, funcionam como fatores de transcrição, modulam a expressão do gene.

Como os recetores de outros hormonas esteróides e hormonas da tiroide, o recetor da Vitamina D tem domínios de ligação de DNA e de ligação da hormona.

O recetor de Vitamina D forma um complexo com um outro recetor intracelular, o recetor de retinóide X, heterodímero e que é o que se liga ao ADN.

Na maioria dos casos estudados, o efeito é o de ativar a transcrição, mas também são conhecidas situações em que a Vitamina D suprime a transcrição.

O Calcitriol aumenta as concentrações séricas de cálcio por: aumentar a absorção gastrointestinal de fósforo e cálcio, aumentando a reabsorção osteoclástica e aumento distal da reabsorção tubular renal de cálcio.

Calcitriol parece promover a absorção intestinal de cálcio, através da ligação ao recetor da Vitamina D no citoplasma da mucosa do intestino.

Subsequentemente, o cálcio é absorvido através da formação de uma proteína de ligação do cálcio.
Posologia Orientativa
Dose usual em adultos para a Insuficiência de Vitamina D: 400 a 1000 unidades internacionais por via oral uma vez por dia.

Dose usual em adultos para a Deficiência de Vitamina D: 1000 unidades internacionais por via oral uma vez ao dia.

Dose usual em adultos para a Prevenção de Quedas: 800 unidades internacionais por via oral todos os dias (com cálcio).

Dose Geriátrica Usual para Prevenção de Fraturas:
Para os pacientes com mais de 65 anos de idade: 100.000 unidades internacionais por via oral, a cada 4 meses;

Dose Pediátrica Usual para a Insuficiência de Vitamina D: Recém-nascidos, latentes e crianças: 200 unidades internacionais por via oral uma vez ao dia.

Dosagem alternativa:
Prematuros: 400 a 800 unidades internacionais por via oral uma vez por dia ou 150 e 400 unidades internacionais/kg/dia.

Neonatos e lactentes (total ou parcialmente amamentados) amamentados: 400 unidades internacionais por via oral uma vez ao dia de início nos primeiros dias de vida.

Continuar a suplementação com 1000 ml/dia ou 1 qt/dia de Vitamina D até que a criança seja desmamada da fórmula fortificada ou leite inteiro (depois de 12 meses de idade).

Na fórmula alimentar para neonatos e latentes que ingerem menos de 1.000 ml de Vitamina D fortificada: 400 unidades internacionais por via oral uma vez ao dia.

Crianças que ingerem menos de 1.000 ml de Vitamina D fortificada de leite: 400 unidades internacionais por via oral uma vez ao dia.

Adolescentes sem ingestão adequada: 400 unidades internacionais por via oral uma vez ao dia.

As crianças com maior risco de deficiência de Vitamina D (má absorção crónica de gordura, mantida com medicamentos anticonvulsivantes): Doses mais elevadas podem ser necessárias; usar testes de laboratório para avaliar o estado mineral ósseo [25 (OH) D, PTH)].

Dose Pediátrica Usual para a Deficiência de Vitamina D:
Tratamento da deficiência e/ou Vitamina D raquitismo:
Crianças de 1 a 12 meses: 1000-5000 unidades internacionais/dia durante 2 a 3 meses; uma vez que a evidência radiológica de cura é visível, a dose deve ser reduzida para 400 unidades internacionais/dia.

As crianças com mais de 12 meses: 5000 a 10000 unidades internacionais/dia durante 2 a 3 meses, uma vez observada a evidência radiológica de cura, a dose deve ser reduzida para 400 unidades internacionais/dia.

As crianças com maior risco de deficiência de Vitamina D (má absorção crónica de gordura, mantida com medicamentos anticonvulsivantes): Doses mais elevadas podem ser necessárias; usar testes de laboratório para avaliar o estado mineral ósseo [ 25 (OH) D, PTH].

Nota: Se houver baixa adesão, uma dose única elevada pode ser usada ou ser repetida periodicamente.

O tratamento da insuficiência de Vitamina D ou deficiência associada a DRC (etapas 2 a 5, 5D): soro 25 hidroxiVitamina D [ 25 (OH) D ] nível igual ou inferior a 30 ng/ml:
Soro 25 (OH) D de 16 a 30 ng/mL: Crianças: 2000 unidades internacionais/dia durante 3 meses ou 50.000 unidades internacionais por mês durante 3 meses.

Soro 25 (OH) D 5 a 15 ng/mL: Crianças: 4000 unidades internacionais/dia por 12 semanas ou 50.000 unidades internacionais a cada duas semanas durante 12 semanas.

Soro de nível 25 (OH) D inferior a 5 ng/ml: Crianças: 8000 unidades internacionais/dia durante 4 semanas, em seguida, 4000 unidades internacionais/dia durante 2 meses de terapia total de 3 meses ou 50.000 unidades internacionais/semana durante 4 semanas, seguidas por 50.000 unidades internacionais 2 vezes/mês para uma terapia total de 3 meses.

A dose de manutenção, uma vez realizada a repleção; soro de nível 25 (OH) maior do que 30 ng/mL: 200 a 1000 unidades internacionais/dia.

Ajuste da dose: Monitorizar o soro 25 (OH) D, corrigindo os níveis totais de cálcio e fósforo 1 mês após o início do tratamento, a cada 3 meses durante a terapia e com qualquer alteração da dose de Vitamina D.

Prevenção e tratamento da deficiência de Vitamina D na fibrose cística:
Ingestão diária recomendada:
Crianças com menos de 1 ano: 400 unidades internacionais/dia.

Crianças com idade de 1 ano: de 400 a 800 unidades internacionais/dia.

Dosagem alternativa:
Crianças com menos de 1 ano: 8000 unidades internacionais/semana.

Crianças com idade de 1 ano: 800 unidades internacionais/dia.

Nota: Se o nível de soro 25 hidroxiVitamina D [ 25 (OH) D ] se mantiver inferior ou igual a 30 ng/mL (75 nmol/L) e a adesão do Paciente estabelecida; então o regime de dose média pode ser utilizado:

Dose Média do Regime:
Pacientes com menos de 5 anos: 12.000 unidades internacionais/semana durante 12 semanas.

Pacientes com 5 anos ou mais: 50.000 unidades internacionais/semana durante 12 semanas.

Nota: Se o nível de repetição D [ 25 (OH) D ] hidroxiVitamina se mantiver inferior ou igual a 30 ng/mL (75 nmol/L) e a adesão do paciente estiver estabelecida; então um regime de dose elevada pode ser usado:

Regime de Alta Dosagem:
Pacientes com menos de 5 anos: 12.000 unidades internacionais duas vezes por semana durante 12 semanas.

Pacientes com 5 anos ou mais velhos: 50.000 unidades internacionais, duas vezes por semana durante 12 semanas.
Administração
Via oral. Pode ser administrada com ou sem alimentos. Administrar com as refeições pode reduzir o desconforto no Tracto Gastro Intestinal (TGI).
Contraindicações
Não use este medicamento se já teve uma reação alérgica a vitamina D, ou se tem níveis elevados de cálcio ou de vitamina D no sangue, ou se tem quaisquer situações que fazem com que seja difícil para o seu organismo absorver os nutrientes dos alimentos (má absorção).
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reacção alérgica: urticária, dificuldade em respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Pare de tomar Colecalciferol e chame seu Médico imediatamente se tem:
– Problemas de raciocínio, alterações no comportamento, irritabilidade;
– Urinar mais do que o habitual;
– Dor no peito, sensação de falta de ar, ou
– Primeiros sinais de overdose de vitamina D (fraqueza, gosto metálico na boca, perda de peso, dor muscular ou óssea, obstipação, náuseas e vómitos).

Esta não é uma lista completa dos efeitos secundários e outros podem ocorrer.

Peça aconselhamento médico sobre os efeitos secundários.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Durante a gravidez a ingestão diária não deve ser superior a 600 UI de vitamina D3 (colecalciferol); a sobredosagem acarreta hipercalcemia prolongada, podendo conduzir ao atraso mental e físico, estenose aórtica e retinopatia na criança. Sem risco fetal; seguro para utilizar na grávida (evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco, se usado em doses superiores às recomendadas). Trimestre: 1º, 2º e 3º
Aleitamento
Aleitamento:Vigiar calcemia do lactente se a mãe recebe doses elevadas. As grandes doses tomadas por via sistémica pela mãe podem produzir hipercalcemia no lactente; evitar o calcipotriol e calcitriol de acordo com o produtor.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Preferir fármacos que não necessitem de hidroxilação renal (calcitriol ou alfacalcidol).
Precauções Gerais
Não use este medicamento se já teve uma reação alérgica a vitamina D, ou se tem:
– Altos níveis de cálcio no sangue (hipercalcémia);
– Altos níveis de vitamina D no organismo (hipervitaminose D), ou
– Qualquer condição que torna difícil para o seu organismo a absorver os nutrientes dos alimentos (má absorção).

Para se certificar de que pode tomar com segurança o Colecalciferol, informe o seu Médico se tem alguma destas situações:
– Doença cardíaca;
– Doença renal, ou
– Um desequilíbrio eletrolítico.

As suas necessidades de Colecalciferol podem mudar se estiver grávida ou a amamentar.

Informe o seu Médico se estiver grávida ou se planeia engravidar durante o tratamento, ou se tem um bebé a amamentar.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Não tome a dose esquecida se for quase hora da sua próxima dose. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Armazenar à temperatura ambiente longe da humidade, luz e calor.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Bendroflumetiazida + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Vitaminas: O risco de hipercalcemia aumenta quando a bendroflumetiazida é administrada com preparações com vitamina D.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Electrólitos + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: Ao prescrever Electrólitos, devem ser consideradas as potenciais interações entre este tratamento e outras terapêuticas concomitantes associadas a condições pré-existentes. A concentração sanguínea de outros medicamentos pode ser alterada durante a hemodiálise, hemofiltração e hemodiafiltração.
Interações: A vitamina D e os medicamentos que contêm cálcio podem aumentar o risco de hipercalcemia (por exemplo, carbonato de cálcio actuando como um quelante do potássio).

Electrólitos + Glucose + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de compostos contendo cálcio e/ou vitamina D pode provocar excesso de cálcio (hipercalcemia).

Mercaptamina + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: Não foram realizados estudos de interacção.
Interações: Mercaptamina pode ser administrado simultaneamente com suplementos de electrólitos e minerais necessários no tratamento do síndroma de Fanconi, assim como vitamina D e hormona tiroideia.

Carbonato de cálcio + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Salvo outra indicação do médico, não associar produtos contendo vitamina D; em caso de associação, é necessário fazer regularmente o doseamento do cálcio no sangue e na urina.

Amlodipina + Valsartan + Hidroclorotiazida + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Requerida PRECAUÇÃO com a utilização concomitante: HIDROCLOROTIAZIDA: Vitamina D e sais de cálcios: A administração de diuréticos tiazídicos, incluindo a hidroclorotiazida, com vitamina D ou com sais de cálcio pode potenciar o aumento do cálcio sérico. A administração concomitante de diuréticos tiazídicos poderá levar a hipercalcemia em doentes predispostos a hipercalcemia (p.ex. hiperparatiroidismo, doenças mediadas pela vitamina D ou malígnas) através do aumento de reabsorção tubular de cálcio.

Ácido alendrónico + Alfacalcidol + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: A vitamina D e os seus derivados não devem ser administrados juntamente com alfacalcidol. Dado que o alfacalcidol é um derivado muito potente da vitamina D, a ingestão concomitante origina, provavelmente, um efeito cumulativo e, consequentemente, um aumento do risco de hipercalcemia.

Trissilicato de magnésio + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Anfetaminas ou quinidina, esteróides anabolizantes, anticoagulantes orais derivados da cumarina ou da indandiona, antidiscinéticos, antimuscarínicos (especialmente a atropina e seus derivados), benzodiazepinas, fosfato sódico de celulose, cimetidina ou ranitidina, diflunisal, glicosídeos digitálicos, efedrina, preparações orais de ferro, cetoconazol, levodopa, loxapina oral, mecamilamina, metenamina, lipase pancreática, fenotiazinas, fosfatos orais, salicilatos, resina de poliestirensulfonato de sódio, sucralfato, tetraciclinas orais, tioxantenos orais, vitamina D. O Trissilicato de magnésio pode diminuir a absorção destes medicamentos.

Acetato de cálcio + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Também pode ocorrer interacção com preparações de vitamina D. Portanto, deve ser mantido um intervalo de 1-2 horas entre a toma de Acetato de cálcio e a de outros medicamentos.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Lactulose + Parafina líquida + Vaselina branca + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: A utilização prolongada pode diminuir a absorção das vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) devido à parafina.

Candesartan + Hidroclorotiazida + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Se tiverem que ser prescritos suplementos de cálcio ou de Vitamina D, recomenda-se a monitorização dos níveis séricos de cálcio e o respetivo ajuste posológico.

Aliscireno + Amlodipina + Hidroclorotiazida + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: A análise farmacocinética populacional de doentes com hipertensão não revelou quaisquer alterações clinicamente relevantes durante a exposição no estado de equilíbrio (AUC) e Cmax de aliscireno, amlodipina e hidroclorotiazida comparativamente com as terapêuticas duplas correspondentes.
Interações: Precauções com utilização concomitante: Vitamina D e sais de cálcio: A administração de diuréticos tiazídicos, incluindo a hidroclorotiazida, com vitamina D ou com sais de cálcio pode potenciar o aumento do cálcio sérico. A administração concomitante de diuréticos tiazídicos poderá levar a hipercalcemia em doentes predispostos a hipercalcemia (p. ex. hiperparatiroidismo, doenças mediadas pela vitamina D ou malígnas) através do aumento de reabsorção tubular de cálcio.

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: Fenitoína ou barbitúricos podem comprometer o efeito da vitamina D.

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Barbitúricos

Observações: N.D.
Interações: Fenitoína ou barbitúricos podem comprometer o efeito da vitamina D.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Acetato de cálcio + Carbonato de magnésio + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: A vitamina D e seus derivados, aumentam a absorção do cálcio. Deste modo, torna-se necessário monitorizar o nível de cálcio sérico, no caso da administração simultânea de Acetato de cálcio / Carbonato de magnésio e tiazidas ou derivados da vitamina D.

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Diuréticos tiazídicos (Tiazidas)

Observações: N.D.
Interações: Os diuréticos tiazídicos podem conduzir a hipercalcémia devido à reduzida excreção urinária de cálcio, através dos rins. Assim, os níveis plasmáticos e urinários de cálcio devem ser monitorizados durante o tratamento a longo prazo.

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Glucocorticoides

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de glucocorticoides pode afetar o efeito da vitamina D.
 Potencialmente Grave

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Glicosídeos cardiotónicos (cardíacos)

Observações: N.D.
Interações: A toxicidade de glicosídeos cardíacos pode aumentar durante o tratamento com vitamina D devido aos níveis aumentados de cálcio (risco de arritmias cardíacas). Nestes doentes, deverão monitorizar-se o ECG bem como os níveis séricos e urinários de cálcio.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Colestiramina

Observações: N.D.
Interações: O tratamento simultâneo com resinas permutadoras de iões tais como a colestiramina ou laxantes tais como óleo de parafina, pode reduzir a absorção gastrointestinal de vitamina D.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Laxantes

Observações: N.D.
Interações: O tratamento simultâneo com resinas permutadoras de iões tais como a colestiramina ou laxantes tais como óleo de parafina, pode reduzir a absorção gastrointestinal de vitamina D.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Parafina líquida

Observações: N.D.
Interações: O tratamento simultâneo com resinas permutadoras de iões tais como a colestiramina ou laxantes tais como óleo de parafina, pode reduzir a absorção gastrointestinal de vitamina D.

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Antifúngicos

Observações: N.D.
Interações: O agente citotóxico actinomacina e os agentes antifúngicos derivados do imidazol interferem com a atividade da vitamina D pela inibição da conversão da 25- hidroxivitamina D para 1,25-di-hidroxi vitamina D pela enzima renal 25-hidroxivitamina D-1-hidroxilase.

Colecalciferol (ou Vitamina D3) + Dactinomicina (ou Actinomicina)

Observações: N.D.
Interações: O agente citotóxico actinomacina e os agentes antifúngicos derivados do imidazol interferem com a atividade da vitamina D pela inibição da conversão da 25- hidroxivitamina D para 1,25-di-hidroxi vitamina D pela enzima renal 25-hidroxivitamina D-1-hidroxilase.

Dicloreto de rádio (223Ra) + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: Não foram realizados estudos clínicos de interação.
Interações: Uma vez que não se podem excluir interações com cálcio e fosfato, deve-se considerar suspender a suplementação com estas substâncias e/ou Vitamina D alguns dias antes de iniciar o tratamento com Dicloreto de rádio. A quimioterapia concomitante com Dicloreto de rádio pode ter efeitos aditivos sobre a mielossupressão. A segurança e eficácia da quimioterapia concomitante com Dicloreto de rádio não foram estabelecidas.

Tocofersolano + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: Não foram realizados estudos de interação.
Interações: Devido à inibição do transportador P - Glicoproteína, o tocofersolano pode também reforçar a absorção intestinal de outras vitaminas lipossolúveis concomitantes (A, D, E, K) ou de outros medicamentos altamente lipofílicos (como esteróides, antibióticos, antihistamínicos, a ciclosporina, o tacrolimus). Por conseguinte, há que efetuar a devida monitorização e, quando necessário, ajustar a dose.

Alfacalcidol + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: A vitamina D e os seus derivados não devem ser administrados em simultâneo com o alfacalcidol. Uma vez que o alfacalcidol é um derivado com elevada eficiência, a administração concomitante poderá causar um efeito aditivo a resultar no aumento do risco de hipercalcemia. Hipercalcemia pode desencadear uma disritmia cardíaca em doentes submetidos a tratamento com digitálicos. Os doentes que estejam a tomar digitálicos e este medicamento simultaneamente devem ser cuidadosamente monitorizados.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Benazepril + Hidroclorotiazida + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Vitamina D, sais de cálcio: Aumento dos níveis séricos de cálcio.

Tacalcitol + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Não são prováveis interações em doentes a utilizar preparações multivitamínicas contendo até 500 UI de vitamina D.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fosfato tricálcico + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: A administração oral do cálcio sobretudo se associada à administração de vitamina D, aumenta a toxicidade dos digitálicos.

Colessevelam + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: O Colessevelam pode afetar a biodisponibilidade de outros medicamentos. Por conseguinte, quando não é possível excluir a ocorrência de uma interação medicamentosa com um medicamento administrado concomitantemente para o qual seriam clinicam ente importantes pequenas variações no nível terapêutico, Colessevelam deve ser administrado pelo menos quatro horas antes ou pelo menos quatro horas após a administração da medicação concomitante para minimizar o risco de redução da absorção dessa medicação. Para medicamentos concomitantes que exijam administração através de doses divididas, deve referir-se que a dose necessária de Colessevelam pode ser tomada uma vez por dia. Quando são administrados medicamentos nos quais as alterações nos níveis sanguíneos podem ter um impacto clinicamente significativo na segurança ou na eficácia, os médicos devem considerar a monitorização dos respetivos níveis séricos ou dos efeitos. Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: O Colessevelam não induziu qualquer redução clinicamente significativa na absorção das vitaminas A, D, E ou K durante os estudos clínicos até um ano.

Fosfato tricálcico + Colecalciferol + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Todos os fármacos contendo cálcio ou vitamina D devem ser suspensos durante o tratamento com Fosfato tricálcico / Colecalciferol.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aliscireno + Hidroclorotiazida + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Vitamina D e sais de cálcio: A administração de diuréticos tiazídicos, incluindo a hidroclorotiazida, com vitamina D ou com sais de cálcio pode potenciar o aumento do cálcio sérico. A administração concomitante de diuréticos tiazídicos poderá levar a hipercalcemia em doentes predispostos a hipercalcemia (p. ex. hiperparatiroidismo, doenças mediadas pela vitamina D ou malígnas) através do aumento de reabsorção tubular de cálcio.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenitoína + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Fármacos cuja eficácia é reduzida pela fenitoína incluem: corticosteróides, dicumarol, doxiciclina, contracetivos orais, quinidina, vitamina D, digoxina, rifampicina, estrogénios e furosemida.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico
Siga todas as indicações da prescrição. O seu Médico poderá alterar a sua dose para ter certeza de obter os melhores resultados.

Não tome este medicamento em quantidades maiores ou menores, ou por mais tempo do que o recomendado.

Meça o medicamento líquido com uma colher especial de medição ou dispositivo doseador, não uma colher de mesa vulgar. Se não tiver um dispositivo de medição da dose, peça uma ao seu Farmacêutico.

A cápsula de Colecalciferol é geralmente tomada apenas uma vez por semana ou uma vez por mês. Siga as instruções de dosagem do seu Médico cuidadosamente.

As cápsulas devem ser mastigadas antes de engolir.

O Colecalciferol é apenas parte de um programa completo de tratamento que também pode incluir uma dieta especial. É muito importante seguir o plano de dieta criado para si pelo seu Médico ou conselheiro de nutrição.

Deve tornar-se muito familiarizado com a lista de alimentos que deve comer ou evitar para ajudar a controlar a sua doença.

Armazenar à temperatura ambiente longe da humidade, luz e calor.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017