Clorazepato dipotássico

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Hepática DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência na Condução
O que é
Clorazepato dipotássico é um benzodiazepínico.

As benzodiazepinas pertencem ao grupo de medicamentos denominados depressores do sistema nervoso central (SNC), que são medicamentos que retardam o a atividade do sistema nervoso.
Usos comuns
Clorazepato dipotássico é utilizado para tratar distúrbios de ansiedade, crises parciais, ou sintomas de abstinência de álcool.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Clorazepato dipotássico está indicado para as perturbações de ansiedade e sintomas ansiosos. Epilepsia.
Classificação CFT

02.09.01 : Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos

Mecanismo De Ação
As benzodiazepinas ligam-se de forma inespecífica aos recetores de benzodiazepina BNZ1, que medeiam o sono, e BNZ2, que afeta o relaxamento muscular, atividade anticonvulsivante, a coordenação motora e a memória.

Acredita-se que os recetores de benzodiazepina sejam acoplados ao ácido gama-aminobutírico (GABA) e isso aumenta os efeitos do GABA mediante o aumento de afinidade para o recetor de GABA.

A ligação do neurotransmissor inibitório GABA ao local abre o canal de cloreto, resultando numa membrana celular hiperpolarizado que impede a continuação da excitação da célula.
Posologia Orientativa
Dose média diária 15 mg, em 3 administrações ou numa administração única, ao deitar; se necessário podem atingir-se os 80 mg.
Administração
Sem Informação.
Contraindicações
As doses nos indivíduos idosos devem ser em geral menores do que no adulto jovem; nas crianças, tal como no idoso, podem desencadear-se reações paradoxais.

Tome cuidado na miastenia gravis, insuficiência respiratória grave, síndrome de apneia do sono.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Sonolência e descordenação motora, alterações gastrintestinais, obstipação, diarreia, vómitos e alterações do apetite; alterações visuais e irregularidades cardiovasculares; alteração da memória a curto prazo, confusão, depressão, vertigem.

O seu uso prolongado pode causar dependência e síndrome de abstinência quando a medicação é interrompida.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Ver Benzodiazepinas. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 1º
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Ver Benzodiazepinas.
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática:Ver Benzodiazepinas.
Insuf. Renal
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Ver Ansiolíticos e Hipnóticos.
Condução
Condução
Condução:Altera a capacidade de condução.
Precauções Gerais
É muito importante que o médico verifique a evolução em visitas regulares para se certificar de que o medicamento está a funcionar corretamente. Podem ser necessários exames de sangue para verificar se há efeitos indesejáveis.

O uso de Clorazepato enquanto estiver grávida pode prejudicar o feto. Utilize uma forma eficaz de controle de natalidade para não ficar grávida.

Se acha que engravidou durante o uso do medicamento, informe o médico imediatamente.

o médico pode sugerir que participe de um registo de gravidez para pacientes que tomam um medicamento antidepressor.

O Clorazepato pode causar em algumas pessoas, especialmente idosos, sonolência, tonturas, vertigens, instabilidade, ou menos alerta que normalmente.

Além disso, o Clorazepato pode causar visão dupla ou outros problemas de visão.

Certifique-se que sabe como reagir aos efeitos do Clorazepato antes de conduzir, utilizar máquinas, ou executar tarefas que possam ser perigosas se não estiver alerta ou capaz de pensar ou ver.

Clorazepato vai adicionar efeitos ao álcool e outros depressores do Sistema Nervoso Central (medicamentos que provocam sonolência ou menos alerta).

Alguns exemplos de depressores do SNC são os anti-histamínicos ou medicamentos para alergias ou constipações, sedativos, tranquilizantes, ou medicamentos para dormir; analgésicos de prescrição ou narcóticos; fármacos para convulsões ou barbitúricos; relaxantes musculares; ou anestésicos (entorpecentes), incluindo alguns anestésicos dentários.

Fale com o médico ou Dentista antes de tomar qualquer um daqueles fármacos, enquanto estiver a usar Clorazepato.

Não pare de tomar Clorazepato sem falar primeiro com o médico. Ele pode querer reduzir gradualmente a quantidade que está a tomar antes de parar completamente.

Isto pode ajudar a evitar um agravamento do seu estado e reduzir a possibilidade de sintomas de abstinência, como convulsões, alucinações, náuseas ou vómitos, distúrbios do estômago ou cãibras musculares, tremores, ou comportamento incomum.

Clorazepato pode provocar, em algumas pessoas, agitação, irritação, ou apresentar outros comportamentos anormais. Também pode causar, a algumas pessoas, pensamentos e tendências suicidas ou tornar-se mais deprimido.

Se perceber algum destes efeitos secundários, informe o médico imediatamente.

Não tome outros medicamentos que não tenham sido discutidos com o médico.

Isso inclui a medicamentos de prescrição ou sem receita (OTC), e ervas ou suplementos vitamínicos.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Se for quase altura da sua próxima dose, salte a dose e tomar o medicamento no horário programada. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Guarde o Clorazepato à temperatura ambiente longe da humidade, calor e luz.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Clorazepato dipotássico + Álcool

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Não é recomendada a ingestão concomitante de álcool. O efeito sedativo pode estar aumentado quando este medicamento é utilizado em simultâneo com o álcool. Este facto afeta a capacidade de conduzir ou utilizar máquinas. - Álcool
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Antipsicóticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Antipsicóticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Neurolépticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Neurolépticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Hipnóticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Hipnóticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Ansiolíticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Ansiolíticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Sedativos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Sedativos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Antidepressores

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Antidepressores
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Analgésicos Opiáceos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. No caso dos analgésicos opiáceos, pode ocorrer um efeito euforizante responsável por um aumento da dependência psíquica. - Analgésicos Opiáceos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Antiepilépticos (AEs)

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Antiepilépticos (AEs)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Anestésicos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Anestésicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Antihistamínicos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Ter em atenção a associação com os depressores do SNC. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neurolépticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, antidepressivos, analgésicos opiáceos, antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Antihistamínicos
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Antiácidos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Os antiácidos administrados simultaneamente reduzem a absorção de clorazepato. - Antiácidos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Cisaprida

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: Aumento transitório do efeito sedativo das benzodiazepinas devido a uma velocidade de absorção mais rápida. A diminuição na vigilância pode tornar perigosa a condução de veículos e o manuseamento de máquinas. - Cisaprida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorazepato dipotássico + Clozapina

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação ainda que em menor grau.
Interações: O risco de colapso com paragem respiratória e/ou cardíaca é aumentado pela associação de clozapina e benzodiazepinas. - Clozapina
Não recomendado/Evitar

Etcorvinol + Clorazepato dipotássico

Observações: N.D.
Interações: Usando etclorvinol com qualquer um dos seguintes medicamentos normalmente não é recomendada, mas pode não ser necessária em alguns casos. Se ambos os medicamentos são prescritos em conjunto, o médico pode alterar a dose. - Adinazolam - Alfentanil - Alprazolam - Amobarbital - Anileridina - Aprobarbital - Brofaromina - Bromazepam - Brotizolam - Buprenorfina - Butabarbital - Butalbital - Carbinoxamina - Carisoprodol - Clorodiazepóxido - Clorzoxazona - Clobazam - Clonazepam - Clorazepato - Clorgilina - Codeína - Dantroleno - Diazepam - Estazolam - Fentanilo - Flunitrazepam - Flurazepam - Furazolidona - Halazepam - Hidrocodona - Hidromorfona - Iproniazida - Isocarboxazida - Cetazolam - Lazabemida - Levorfanol - Linezolida - lorazepam - lormetazepam - Meclizina - Medazepam - meperidina - mefenesina - meprobamato - metaxalone - metadona - Metocarbamol - Metoexital - Midazolam - Moclobemida - Morfina - Nialamida - Nitrazepam - Nordazepam - Oxazepam - Oxicodona - Oximorfona - Pargilina - Pentobarbital - Fenelzina - Fenobarbital - Prazepam - Primidona - Procarbazina - Propoxifeno - Quazepam - Rasagilina - Remifentanil - Secobarbital - Selegilina - Sufentanil - Suvorexanto - Tapentadol - Temazepam - Tiopental - Toloxatona - Tranilcipromina - Triazolam - Zolpidem - Clorazepato dipotássico
Usar com precaução

Darunavir + Clorazepato dipotássico

Observações: O perfil de interação do darunavir pode variar dependendo se é utilizado o ritonavir ou o cobicistate como fármacos potenciadores. As recomendações dadas para a utilização concomitante de darunavir e outros medicamentos podem por isso variar dependendo se darunavir é potenciado com ritonavir ou com cobicistate, e é também necessária precaução durante o primeiro tempo de tratamento, se se substituir o fármaco potenciador de ritonavir para cobicistate.
Interações: SEDATIVOS/HIPNÓTICOS: Buspirona, Clorazepato, Diazepam, Estazolam, Flurazepam, Midazolam (parentérico), Zolpidem: Não foi estudado. Os sedativos /hipnóticos são extensivamente metabolizados pelo CYP3A. A coadministração com Darunavir potenciado pode causar um aumento significativo na concentração destes medicamentos. Se midazolam parentérico é coadministrado com Darunavir potenciado, pode causar um grande aumento na concentração desta benzodiazepina. Os dados da utilização concomitante de midazolam parentérico com outros inibidores da protease sugerem um possível aumento de 3- 4 vezes nos níveis plasmáticos de midazolam. Recomenda-se monitorização clínica quando Darunavir potenciado é administrado concomitantemente com estes sedativos/hipnóticos, devendo ser considerada uma dose mais baixa destes sedativos/hipnóticos. Se o midazolam parentérico for administrado concomitantemente com Darunavir potenciado, tal deve ser realizado numa unidade de cuidados intensivos ou em condições equivalentes, que assegurem monitorização clínica rigorosa e atenção médica apropriada em caso de depressão respiratória e/ou sedação prolongada. Deve considerar-se um ajuste da dose de midazolam, especialmente se for administrada mais do que uma dose única de midazolam. - Clorazepato dipotássico
Usar com precaução

Darunavir + Cobicistate + Clorazepato dipotássico

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interação com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interações: SEDATIVOS/HIPNÓTICOS: Buspirona, Clorazepato, Diazepam, Estazolam, Flurazepam, Midazolam (parentérico), Zolpidem: Tendo por base considerações teóricas, é expectável que Darunavir / Cobicistate aumente as concentrações plasmáticas destes sedativos/ Darunavir / Cobicistate (inibição do CYP3A) Recomenda-se monitorização clínica quando Darunavir / Cobicistate é administrado concomitantemente com estes sedativos/hipnóticos, devendo ser considerada uma dose mais baixa destes sedativos/hipnóticos. Recomenda-se precaução na administração concomitante de Darunavir / Cobicistate e midazolam parentérico. - Clorazepato dipotássico
Não recomendado/Evitar

Indinavir + Clorazepato dipotássico

Observações: n.d.
Interações: Adicionalmente, indinavir com ritonavir não deve ser administrado com alfuzosina, meperidina, piroxicam, propoxifeno, bepridilo, encainida, flecainida, propafenona, quinidina, ácido fusídico, clozapina, clorazepato, diazepam, estazolam e flurazepam. - Clorazepato dipotássico
Contraindicado

Ritonavir + Clorazepato dipotássico

Observações: n.d.
Interações: Efeitos do Ritonavir nos Medicamentos Não Antirretrovirais Coadministrados: Sedativos/hipnóticos: Clorazepato, diazepam, estazolam, flurazepam, midazolam por via oral e parentérica e triazolam: É possível que a coadministração de ritonavir resulte em concentrações plasmáticas aumentadas de clorazepato, diazepam, estazolam e flurazepam, pelo que é contraindicada. Midazolam é extensamente metabolizado pelo CYP3A4. A coadministração com Ritonavir pode causar um grande aumento na concentração desta benzodiazepina. Não se realizou nenhum estudo de interação medicamentosa para a coadministração de Ritonavir com benzodiazepinas. Com base em informação referente outros inibidores da CYP3A4, espera-se que as concentrações plasmáticas do midazolam aumentem significativamente quando o midazolam é administrado por via oral. Por conseguinte, Ritonavir não deve ser coadministrado com midazolam administrado por via oral, no entanto deve usar-se de precaução ao coadministrar Ritonavir com midazolam administrado por via parentérica. A informação relativa ao uso concomitante de midazolam administrado por via parentérica com outros inibidores da protease sugere um possível aumento de 3-4 vezes nos níveis plasmáticos de midazolam. Se Ritonavir for coadministrado com midazolam administrado por via parentérica, a administração deverá ser feita numa unidade de cuidados intensivos (UCI) ou em local semelhante, de modo a garantir uma monitorização clínica rigorosa e gestão médica adequado em caso de depressão respiratória e/ou sedação prolongada. Deve ser considerado o ajuste da dose de midazolam, especialmente se for administrada mais do que uma dose única de midazolam. - Clorazepato dipotássico
Usar com precaução

Saquinavir + Clorazepato dipotássico

Observações: A maioria dos estudos de interação medicamentosa com saquinavir foi desenvolvida com saquinavir não potenciado ou com saquinavir cápsulas moles não potenciado. Um número reduzido de estudos foi desenvolvido com saquinavir potenciado com ritonavir ou com saquinavir cápsulas moles potenciado com ritonavir. Os dados obtidos a partir dos estudos de interação medicamentosa realizados com saquinavir não potenciado podem não ser representativos dos efeitos observados com a terapêutica de saquinavir/ritonavir. Adicionalmente, os resultados observados com saquinavir cápsulas moles podem não ser preditivos relativamente à magnitude destas interações com saquinavir/ritonavir.
Interações: Benzodiazepinas: Alprazolam; Clorazepato; Diazepam; Flurazepam (saquinavir/ritonavir) As concentrações destes medicamentos podem ser aumentadas quando coadministrados com saquinavir/ritonavir. É necessária a monitorização cuidada dos doentes relativamente aos efeitos sedativos. Pode ser necessária a diminuição da dose da benzodiazepina. - Clorazepato dipotássico
Usar com precaução

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida + Clorazepato dipotássico

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interação com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interações: SEDATIVOS/HIPNÓTICOS Buspirona Clorazepato Diazepam Estazolam Flurazepam Midazolam (parentérico) Zolpidem Tendo por base considerações teóricas, é expectável que DRV/COB aumente as concentrações plasmáticas destes sedativos/hipnóticos. (inibição do CYP3A) Recomenda-se monitorização clínica quando este medicamento é administrado concomitantemente com estes sedativos/hipnóticos, devendo ser considerada uma dose mais baixa destes sedativos/hipnóticos. Recomenda-se precaução na administração concomitante de este medicamento e midazolam parentérico. Se este medicamento for administrado concomitantemente com midazolam por via parentérica, tal deve ser realizado numa unidade de cuidados intensivos ou em condições equivalentes, que assegurem monitorização clínica rigorosa e atenção médica apropriada em caso de depressão respiratória e/ou sedação prolongada. Deve-se considerar um ajuste da dose de midazolam, especialmente se for administrada mais do que uma dose única de midazolam. - Clorazepato dipotássico
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Clorazepato dipotássico
Tome este medicamento exatamente como foi receitado para si. Não tome o medicamento em quantidades maiores, ou durante mais tempo do que o recomendado pelo seu Médico.

Siga as instruções de prescrição da bula do medicamento. O seu Médico poderá alterar a dose para ter certeza de obter os melhores resultados a partir desta medicação.

Clorazepato deve ser usado apenas por um curto período de tempo. Não tome este medicamento por mais de 4 meses sem indicação do seu Médico.

Clorazepato pode criar dependência e deve ser utilizado apenas pela pessoa a quem foi receitado. Clorazepato nunca deve ser compartilhado com outra pessoa, especialmente alguém com uma história de vício ou abuso de drogas.

Manter o medicamento em local seguro onde outros não possam chegar. Contacte o seu Médico se perceber que este medicamento parece não estar a resultar bem no tratamento de seus sintomas de ansiedade.

Não deixe de utilizar Clorazepato de repente, sem primeiro falar com o seu Médico. Pode precisar de usar menos, antes de parar completamente a medicação.

Os sintomas podem voltar quando parar de usar Clorazepato ou depois de o usar por um longo período de tempo. Também pode ter sintomas de abstinência quando parar de tomar Clorazepato.

Os sintomas de abstinência podem incluir tremores, sudorese, dificuldade em dormir, dores musculares, dor de estômago, vómitos, diarreia, irritabilidade, problemas de memória, confusão, pensamentos ou comportamento incomum, e apreensão (convulsões).

Para ter a certeza de que esta medicação não está a causar efeitos nocivos, o seu sangue e função hepática pode precisar de ser testados regularmente.

Não perca nenhuma visita ao seu Médico que esteja agendada.

Guarde o Clorazepato à temperatura ambiente longe da humidade, calor e luz.

Mantenha o controle da quantidade de pílulas que foram utilizados a partir de cada novo frasco do medicamento.

Os benzodiazepínicos são drogas de abuso e deve estar atento a qualquer pessoa do agregado familiar que esteja a tomar este medicamento indevidamente ou sem receita médica.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020