Clonidina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
A clonidina é um agente hipotensor derivado da Imidazolina e é um agonista α2-adrenérgico de ação central.

Atravessa a barreira sangue - cérebro e actua no hipotálamo para induzir uma diminuição na pressão sanguínea.

Também pode ser administrado como uma infusão epidural, como adjuvante no tratamento da dor de cancro severo que não é aliviada por analgésicos opiáceos isolados.

A Clonidina pode ser utilizada para o diagnóstico diferencial de feocromocitoma em pacientes hipertensos.

Outros usos para a Clonidina incluem profilaxia de enxaquecas vasculares, tratamento da dismenorréia grave, gestão dos sintomas vasomotores associados à menopausa, rápida desintoxicação na gestão da abstinência de opiáceos, tratamento de abstinência do álcool utilizado em conjunto com os benzodiazepínicos, avaliação da dependência da nicotina, uso tópico para reduzir a pressão intra-ocular no tratamento de ângulo aberto e glaucoma secundário e glaucoma hemorrágico associado à hipertensão, e no tratamento do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

A Clonidina também exibe alguma atividade periférica.
Usos comuns
Tratar a dor severa, juntamente com opiáceos (narcóticos) para a dor em certos pacientes com cancro.
Pode também pode ser usado para outras situações, tal como determinado pelo médico.
Tipo
Pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
Prevenção da hipertensão ocular no pós-operatório e redução da pressão ocular em situações refratárias a outros tratamentos.
Classificação CFT
03.04.04.03     Agonistas alfa 2 centrais 15.04.02     Simpaticomiméticos
Mecanismo De Ação
A Clonidina é um agente adrenérgico - α que actua especificamente sobre os receptores α2, que regulam uma série de vias de sinalização mediadas por múltiplas proteínas Gi, Gαi1, Gαi2 e G & alphai3.

A estimulação dos receptores medeia os efeitos, tais como a inibição da adenilil ciclase, a estimulação fo fosfolipase D, a estimulação de proteína-quinases activadas por mitogénios, a estimulação de correntes de K + e inibição de correntes de Ca2 +.

Três subtipos de receptores α2 acoplados à proteína G foram identificados: α2A, α2B e α2C. Cada subtipo tem um padrão único de distribuição nos tecidos do sistema nervoso central e nos tecidos periféricos. O receptor α2A está amplamente distribuído por todo o sistema nervoso central, e é encontrado no locus coeruleus, núcleo do tronco cerebral, o córtex cerebral, septo, hipotálamo e hipocampo. Receptores α2a também estão expressos nos rins, baço, timo, pulmão e glândulas salivares.

O receptor α2C é expresso principalmente no sistema nervoso central, incluindo o estriado, tubérculo olfactivo, hipocampo e córtex cerebral.

Os baixos níveis do subtipo α2C, também são encontradas nos rins. O receptor α2B está localizado principalmente na periferia (rim, fígado, pulmão e coração) com baixos níveis de expressão nos núcleos talâmicos do sistema nervoso central.

Os receptores α2a - e α2C estão localizados no pré-sináptico e inibem a noradrenalina dos nervos simpáticos. A estimulação desses receptores diminui o tónus simpático, resultando ena redução da pressão arterial e frequência cardíaca.

A sedação e analgesia é mediada por receptores α2A localizados centralmente, enquanto os receptores α2B periféricos medeiam a constrição do músculo liso vascular. Os recetores α2A - receptores medeiam também componentes essenciais do efeito analgésico do óxido nitroso na medula espinal.

A Clonidina estimula todos os três subtipos de receptores α2 com potência similar. As suas ações no sistema nervoso diminuem a pressão arterial em pacientes com hipertensão arterial e diminuem a hiperatividade simpática em doentes submetidos ao desmame de opiáceos.

A Clonidina é também um potente sedativo e analgésico e pode evitar tremores pós-operatório na UTI e pós- operatório.

O seu uso em diagnóstico diferencial de feocromocitoma deve-se ao fato de que a hipertensão em pacientes com feocromocitoma é refratária ao tratamento anti-hipertensivo com Clonidina.
Posologia Orientativa
Instilar 1 gota de colírio (0,125 a 0,25%) no olho afectado 4 vezes/dia.
Administração
Oral. Sem informação da relação com os alimentos.
Contraindicações
Usar com precaução em doentes com angina, IC, enfarte do miocárdio recente, doença cerebrovascular, IR crónica e depressão. Contra-indicado em caso de doenças cardiovasculares graves ou mal controladas.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Boca seca, astenia, hipotensão moderada, alterações do paladar; hiperemia, desconforto e prurido ocular; cefaleias, secura da mucosa nasal, retracção palpebral e midríase. A utilização de Clonidina pode causar sonolência.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Tem sido usada em todos os trimestres, com experiência limitada relativamente ao 1º. Pode baixar a frequência cardíaca fetal mas o risco deve ser avaliado contra o risco de hipertensão materna não controlada; evitar o uso intravenoso. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento:Presente no leite; o produtor recomenda evitar.
Conducao
Conducao:Risco de hipotensão; pode alterar a capacidade de condução.
Conducao
Conducao:Pode alterar a capacidade de condução.
Precauções Gerais
A Clonidina pode causar sonolência, tonturas ou sensação de desmaio. Estes efeitos podem ser piores se for utilizada com álcool ou certos medicamentos.

Usar Clonidina com cautela. Não conduzir ou realizar outras tarefas possivelmente inseguras até que o doente saiba como reage a ela.

Verifique com o seu médico antes de beber álcool ou usar medicamentos que podem causar sonolência (por exemplo, soníferos, relaxantes musculares), enquanto estiver a usar Clonidina, pois podem incrementar os efeitos.

Pergunte ao seu farmacêutico, se tiver dúvidas, sobre quais os medicamentos que podem causar sonolência.

A Clonidina pode causar tonturas ou desmaios; álcool, calor, exercício, ou febre podem aumentar esses efeitos. Para evitá-los, sentar-se ou levantar -se lentamente, especialmente na parte da manhã. Sente-se ou deite-se ao primeiro sinal de qualquer um destes efeitos.

Não parar de repente de tomar Clonidina. Isso pode causar sintomas de abstinência, como nervosismo, irritabilidade, ou tremores.

Também pode surgir dor de cabeça e pressão arterial elevada. O risco desses efeitos pode ser maior se o doente tiver estado a tomar doses elevadas de Clonidina. O risco também pode ser maior se estiver a tomar beta-bloqueadores (por exemplo, atenolol).

Raramente, efeitos muito graves, como aumento da pressão arterial no cérebro, derrame e morte ocorreram em pacientes que, de repente, pararam de usar Clonidina. Discuta quaisquer questões ou preocupações com o seu médico.

A Clonidina pode causar pressão arterial baixa. Este efeito ocorreu mais frequentemente dentro dos primeiros 4 dias após o início da terapêutica, embora possa ocorrer em qualquer momento durante a utilização da Clonidina.

O risco pode ser maior em mulheres e em pacientes com baixo peso. Contatar o médico imediatamente se tiver sintomas de pressão arterial baixa (por exemplo, desmaios, tonturas, vertigens graves ou persistentes).

Pergunte ao médico assistente ou dentista se pode tomar Clonidina antes de receber qualquer assistência médica ou odontológica, atendimento de emergência, ou cirurgia.

Exames laboratoriais, incluindo pressão arterial, pode ser executada enquanto usa Clonidina. Estes testes podem ser usados ​​para monitorizar a sua condição ou a verificação de efeitos secundários. Certifique-se de que não pode faltar a nenhuma consulta médica ou laboratorial.

A Clonidina deve ser usada com extrema cautela em crianças, o uso é limitado a crianças com idade suficiente para tolerar a colocação e gestão de um cateter epidural.

Gravidez e Aleitamento: Se ficar grávida, contacte o médico assistente. Vai ter de avaliar os benefícios e riscos do uso de Clonidina enquanto estiver grávida. A Clonidina é encontrada no leite materno.

Não pode amamentar enquanto usar Clonidina.
Se parar de tomar Clonidina, de repente, pode ter sintomas de abstinência. Estes podem incluir nervosismo, agitação, dor de cabeça, tremores e rápido aumento na pressão sanguínea.
Cuidados com a Dieta
Evitar o álcool.
Tomar, independentemente das refeições.
Terapêutica Interrompida
Quando se esquecer de tomar uma dose de Clonidina, contacte o seu médico imediatamente.
Cuidados no Armazenamento
A Clonidina é geralmente manipulada e armazenada por um prestador de cuidados de saúde.

Se estiver a usar Clonidina em casa, guarde-a como indicado pelo seu farmacêutico ou profissional de saúde.

Mantenha a Clonidina fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Ziconotida + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos clínicos específicos de interação medicamentosa com ziconotida. No entanto, as baixas concentrações plasmáticas da ziconotida, o metabolismo por peptidases ubíquas e a ligação relativamente baixa às proteínas plasmáticas tornam pouco prováveis as interações metabólicas ou as interações do tipo de deslocação de proteínas plasmáticas entre a ziconotida e outros medicamentos.
Interações: Observou-se um aumento da incidência de sonolência quando a ziconotida é administrada concomitantemente com baclofeno, clonidina, bupivacaína ou propofol sistémicos. Portanto, de momento, não é encorajada a sua utilização simultânea.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Insulina glulisina + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos sobre interações farmacocinéticas. Baseado num conhecimento empírico de medicamentos semelhantes, as interações farmacocinéticas clinicamente relevantes são improváveis. Um número variado de substâncias afetam o metabolismo da glucose e pode haver necessidade de um ajuste da posologia da insulina glulisina e em particular de uma monitorização apertada.
Interações: Os bloqueadores beta, clonidina, sais de lítio ou o álcool podem tanto potenciar como diminuir o efeito hipoglicemiante da insulina. Para além disso, sob a influência de fármacos simpaticolíticos tais como os bloqueadores beta, clonidina, guanetidina e reserpina, os sinais de contrarregulação adrenégica poderão estar reduzidos ou ausentes.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clomipramina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Interações relacionadas com a farmacodinâmica: Bloqueadores adrenérgicos neurais: Clomipramina pode diminuir ou abolir os efeitos anti-hipertensivos da guanetidina, betanidina, reserpina, clonidina ou alfa-metildopa. Os doentes requerendo co-medicação para a hipertensão devem ser, consequentemente, submetidos a tratamento com um tipo diferente de agentes antihipertensores (por exemplo, vasodilatadores ou bloqueadores beta).
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Glimepirida + Rosiglitazona + Clonidina

Observações: Não existem estudos formais de interacção para este medicamento, no entanto o uso concomitante das substâncias activas em doentes em estudos clínicos e na sua vasta utilização clínica não originou interações inesperadas. Anformação disponível é acerca das substâncias activas individualmente (rosiglitazona e glimepirida).
Interações: GLIMEPIRIDA: Com base na experiência com glimepirida e outras sulfonilureias, deverão ser mencionadas as seguintes interações. Os antagonistas H2, bloqueadores beta, clonidina e reserpina poderão originar potenciação ou diminuição do efeito de redução de glucose no sangue. Sob a influência de fármacos simpaticolíticos como bloqueadores beta, clonidina, guanetidina e reserpina, os sinais da contra-regulação adrenérgica para a hipoglicemia poderão estar reduzidos ou ausentes.

Buprenorfina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A buprenorfina deverá ser utilizada com precaução em associação com: Outros depressores do sistema nervoso central; outros derivados opiáceos (analgésicos e antitússicos (tais como metadona, dextropropoxifeno, codeína, dextrometorfano e noscapina)); certos antidepressivos, recetores H1 sedativos, barbitúricos, outros ansiolíticos que não as benzodiazepinas, neurolépticos, clonidina e substâncias relacionadas. Estas associações aumentam a depressão do sistema nervoso central e podem afetar a capacidade de conduzir e operar máquinas.

Glibenclamida + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A atenuação do efeito hipoglicemiante da Glibenclamida com a consequente deterioração do controlo da diabetes pode resultar do uso concomitante de: Acetazolamida, ácido nicotínico (doses elevadas), clonidina, corticosteróides, derivados da fenotiazina, diazóxido, estrogéneos, gestagéneos, fenitoína, glucagom, hormonas da tiróide, saluréticos, simpaticomiméticos. Sob tratamento com bloqueadores beta assim como com clonidina, guanetidina ou reserpina, a percepção dos sinais do alarme de uma crise hipoglicémica pode estar diminuída.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Alizaprida + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Os depressores do sistema nervoso central (neurolépticos, derivados da morfina, hipnóticos, ansiolíticos, antihistamínicos sedativos H1, antidepressores sedativos, barbitúricos, clonidina e relacionados) usados concomitantemente a alizaprida potencializam os efeitos sedativos depressores do sistema nervoso central.

Apraclonidina + Clonidina

Observações: O risco de interações clinicamente relevantes é reduzido considerando os níveis plasmáticos de apraclonidina originados pela via ocular. Deve proceder-se à monitorização frequente do pulso e da pressão arterial nos doentes que utilizam fármacos cardiovasculares concomitantemente com Apraclonidina. Devem tomar-se precauções na utilização simultânea de Apraclonidina e outros agentes farmacológicos semelhantes.
Interações: A clonidina sistémica pode inibir a produção de catecolaminas em resposta à hipoglicémia induzida pela insulina, mascarando os sinais e sintomas de hipoglicémia.

Histamina + Clonidina

Observações: A administração concomitante de medicamentos com efeitos de toxicidade cardíaca ou de depressão da pressão sanguínea podem aumentar a toxicidade do Histamina.
Interações: Os antagonistas do receptor H2 com estruturas imidazol semelhantes à histamina, p.ex. cimetidina, esteróides sistémicos e clonidina, não devem ser utilizados durante o tratamento com histamina.

Nebivolol + Clonidina

Observações: n.d.
Interações: Interações farmacodinâmicas: As interações seguintes são as geralmente aplicáveis aos antagonistas beta-adrenérgicos. Associações não recomendadas: Antihipertensores de acção central (clonidina, guanfacina, moxonidina, metildopa, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores de acção central pode agravar a insuficiência cardíaca devido a uma diminuição do tónus simpático central (redução da frequência cardíaca e débito cardíaco, vasodilatação). A suspensão abrupta, principalmente se for anterior à descontinuação do beta-bloqueador, pode aumentar o risco de hipertensão reactiva.

Buprenorfina + Naloxona + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Outras substâncias depressoras do sistema nervoso central, outros derivados dos opiáceos (por ex., metadona, analgésicos e antitússicos), alguns antidepressivos, antagonistas dos recetores H1 sedativos, barbitúricos, ansiolíticos, com exceção das benzodiazepinas, neurolépticos, clonidina e outras substâncias relacionadas: estas combinações aumentam a depressão do sistema nervoso central. A redução do nível de alerta pode tornar perigosa a condução de veículos e a utilização de máquinas.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atenolol + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Os bloqueadores-beta podem provocar uma exacerbação da hipertensão de "rebound" após suspensão da terapêutica com clonidina. Se se administrarem simultaneamente os dois fármacos, o bloqueador beta-adrenérgico não deve ser suprimido senão passados alguns dias após a suspensão da terapêutica com clonidina. Quando se substituir a terapêutica com clonidina por um bloqueador beta-adrenérgico, a sua administração só deve iniciar-se vários dias após ter sido interrompida a administração de clonidina.

Ciamemazina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações a vigiar: Outros depressores do SNC: - derivados morfínicos (analgésicos a antitússicos), a maioria dos anti-histamínicos H1, barbitúricos, benzodiazepinas, outros tranquilizantes, clonidina e afins: potenciação da depressão central, podendo ter consequências importantes, nomeadamente em casos de condução automóvel ou utilização de máquinas. Associações a vigiar: Bradicardia: antagonistas do cálcio com risco de bradicardia (diltiazem, verapamil), bloqueadores-beta, clonidina, guanfacina, glicosídeos cardíacos.

Maprotilina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de beta-bloqueantes, que sejam inibidores da CYP2D6, tais como o propranolol, podem causar um aumento dos níveis plasmáticos de maprotilina. Em tais casos, os níveis plasmáticos devem ser monitorizados e a posologia deverá ser ajustada em conformidadade. Maprotilina pode diminuir ou abolir os efeitos antihipertensivos dos fármacos neuronais adrenérgicos, nomeadamente da guanetidina, betanidina, reserpina, clonidina e alfa-metildopa. Os doentes que requerem terapêutica concomitante da hipertensão deverão ser tratados com antihipertensivos de tipo diferente (por exemplo, diuréticos, vasodilatadores ou beta-bloqueantes que não sofram uma biotransformação acentuada). A interrupção súbita do tratamento com Maprotilina pode também provocar hipotensão grave.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Antagonistas dos Receptores da Angiotensina II (ARA II) + Clonidina

Observações: Por aumento do risco de hipercaliemia
Interações: Aumentam o efeito hipotensor quando associados a ARA II - Clonidina
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Nortriptilina + Clonidina

Observações: N.d.
Interações: O efeito antihipertensivo da betanidina, clonidina, debrisoquina e guanina pode ser reduzido.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Latanoprost + Timolol + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção medicamentosa específicos com Latanoprost + Timolol. Têm sido notificadas elevações paradoxais da pressão intraocular após a administração oftálmica concomitante de dois análogos de prostaglandinas. Como tal, não está recomendada a utilização de duas ou mais prostaglandinas, análogos de prostaglandinas ou derivados de prostaglandinas. O efeito na pressão intraocular ou os efeitos conhecidos do bloqueio beta sistémico podem ser potenciados quando o Latanoprost + Timolol é administrado a doentes que já estão a receber um bloqueante beta-adrenérgico oral e a utilização de dois ou mais agentes bloqueantes beta-adrenérgicos tópicos não está recomendada. Tem sido ocasionalmente notificada midríase, quando o timolol é administrado com epinefrina. Existe um potencial para efeitos aditivos resultando em hipotensão e/ou bradicardia acentuada quando são administrados colírios contendo timolol concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio orais, guanetidina ou fármacos beta-bloqueantes, antiarrítmicos, glicosídeos digitálicos ou parassimpaticomiméticos. As reacções de hipertensão devido à interrupção repentina de clonidina podem ser potenciadas quando se administram beta-bloqueantes. Os beta-bloqueantes podem aumentar o efeito hipoglicemiante dos fármacos antidiabéticos. Os beta-bloqueantes podem mascarar os sinais e sintomas da hipoglicémia.
Interações: As reacções de hipertensão devido à interrupção repentina de clonidina podem ser potenciadas quando se administram beta-bloqueantes.

Tiaprida + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em atenção: Depressores do Sistema Nervoso Central: Derivados morfínicos (analgésicos e antitússicos), a maior parte dos anti-histamínicos H1, barbitúricos, benzodiazepinas, ansiolíticos que não benzodiazepinas, clonidina e derivados.

Atenolol + Clorotalidona + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Devidas ao ATENOLOL: Os bloqueadores beta-adrenérgicos podem provocar hipertensão de supressão resultante da suspensão da terapêutica com clonidina. Se se administrarem simultaneamente os dois fármacos, o bloqueador beta-adrenérgico deve ser suprimido alguns dias antes da suspensão da terapêutica com clonidina. Quando se substituir a terapêutica com clonidina por um bloqueador beta-adrenérgico, a sua administração só deve iniciar-se alguns dias após ter terminado a administração de clonidina.

Flufenazina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Antihipertensores: Pode ser bloqueada a ação anti-hipertensora da guanetidina, clonidina, e, possivelmente, de outros fármacos antihipertensores bloqueadores adrenérgicos. A clonidina pode diminuir a atividade antipsicótica das fenotiazinas.

Mianserina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Mianserina não tem interação com a betanidina, clonidina, metildopa, guanetidina ou propanolol (quer isolado quer em associação com a hidralazina). No entanto, é aconselhável vigiar a pressão arterial dos doentes que se encontram a fazer tratamento concomitante com antihipertensores.

Carvedilol + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Em caso de interrupção da terapêutica de ambos, carvedilol e clonidina, o carvedilol deve ser interrompido vários dias antes da retirada gradual da clonidina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Antihipertensores

Observações: N.D.
Interações: A redução da pressão arterial, induzida pela clonidina, pode ser potenciada pela administração simultânea com outros fármacos antihipertensores. Isto poderá ser de utilidade terapêutica no caso de outros agentes antihipertensores, tais como, diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores-β, antagonistas do cálcio e inibidores da ECA, mas não no caso dos bloqueadores-α1.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Diuréticos

Observações: N.D.
Interações: A redução da pressão arterial, induzida pela clonidina, pode ser potenciada pela administração simultânea com outros fármacos antihipertensores. Isto poderá ser de utilidade terapêutica no caso de outros agentes antihipertensores, tais como, diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores-β, antagonistas do cálcio e inibidores da ECA, mas não no caso dos bloqueadores-α1.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Vasodilatadores

Observações: N.D.
Interações: A redução da pressão arterial, induzida pela clonidina, pode ser potenciada pela administração simultânea com outros fármacos antihipertensores. Isto poderá ser de utilidade terapêutica no caso de outros agentes antihipertensores, tais como, diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores-β, antagonistas do cálcio e inibidores da ECA, mas não no caso dos bloqueadores-α1.
 Potencialmente Grave

Metilfenidato + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Utilizar com agonistas alfa-2 de ação central (por exemplo, clonidina): Foram notificados acontecimentos adversos graves, incluindo morte súbita, na utiliz ação concomitante com clonidina. A segurança de utilização do metilfenidato em associação com a clonidina ou outros agonistas alfa-2 de ação central não foi avaliada sistematicamente.

Nebivolol + Hidroclorotiazida + Clonidina

Observações: n.d.
Interações: Interações farmacodinâmicas: NEBIVOLOL: As seguintes interações são as geralmente aplicáveis aos antagonistas beta-adrenérgicos. Associações não recomendadas: Antihipertensores de ação central (clonidina, guanfacina, moxonidina, metildopa, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores de ação central pode agravar a insuficiência cardíaca devido a uma diminuição do tónus simpático central (redução da frequência cardíaca e débito cardíaco, vasodilatação). A suspensão abrupta, principalmente se for anterior à descontinuação do β-bloqueador, pode aumentar o risco de hipertensão recidiva.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Bloqueadores beta-adrenérgicos

Observações: N.D.
Interações: A redução da pressão arterial, induzida pela clonidina, pode ser potenciada pela administração simultânea com outros fármacos antihipertensores. Isto poderá ser de utilidade terapêutica no caso de outros agentes antihipertensores, tais como, diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores-β, antagonistas do cálcio e inibidores da ECA, mas não no caso dos bloqueadores-α1. A administração simultânea de substâncias com efeito cronotrópico ou dromotrópico negativo, tais como os bloqueadores-β ou os glicosidos digitálicos, podem causar ou potenciar distúrbio do ritmo bradicárdico. Não é de excluir que a administração simultânea de um bloqueador-β possa causar ou potenciar perturbações vasculares periféricas.

Flupirtina + Clonidina

Observações: A utilização concomitante de flupirtina com outros fármacos conhecidos por causar lesões hepáticas induzidas por fármacos deve ser evitada.
Interações: Devido à grande ligação da flupirtina às proteínas, é de esperar que na administração concomitante de outro fármaco também com grande ligação às proteínas, ocorra deslocação da ligação às proteínas. Foram realizados testes correspondentes in-vitro, com diazepam, varfarina, ácido acetilsalicílico, benzilpenicilina, digitoxina, glibenclamida, propranolol e clonidina. Apenas com varfarina e diazepam, o deslocamento da ligação à albumina atingiu um valor em que a intensificação destes medicamentos não pode ser desprezada no caso de administração concomitante com maleato de flupirtina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Mequitazina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em conta: Outros depressores do sistema nervoso central (antidepressivos imipramínicos, sedativos barbitúricos, benzodiazepinas, clonidina e substâncias relacionadas, hipnóticos, derivados da morfina [analgésicos, antitússicos, tratamentos de substituição], neurolépticos, ansiolíticos): Aumento da depressão central. A alteração do estado de vigília pode tornar-se perigosa no caso de condução de veículos e utilização de máquinas.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)

Observações: N.D.
Interações: A redução da pressão arterial, induzida pela clonidina, pode ser potenciada pela administração simultânea com outros fármacos antihipertensores. Isto poderá ser de utilidade terapêutica no caso de outros agentes antihipertensores, tais como, diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores-β, antagonistas do cálcio e inibidores da ECA, mas não no caso dos bloqueadores-α1.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)

Observações: N.D.
Interações: A redução da pressão arterial, induzida pela clonidina, pode ser potenciada pela administração simultânea com outros fármacos antihipertensores. Isto poderá ser de utilidade terapêutica no caso de outros agentes antihipertensores, tais como, diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores-β, antagonistas do cálcio e inibidores da ECA, mas não no caso dos bloqueadores-α1.

Clonidina + Bloqueadores adrenérgicos alfa

Observações: N.D.
Interações: A redução da pressão arterial, induzida pela clonidina, pode ser potenciada pela administração simultânea com outros fármacos antihipertensores. Isto poderá ser de utilidade terapêutica no caso de outros agentes antihipertensores, tais como, diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores-β, antagonistas do cálcio e inibidores da ECA, mas não no caso dos bloqueadores-α1. As substâncias com propriedades bloqueadoras-α 2, tais como a fentolamina ou a tolazolina, podem eliminar os efeitos da clonidina mediados no recetor α 2 de uma forma dose dependente.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: Substâncias passíveis de aumentar a pressão arterial ou induzir a retenção de Na+ e água, tais como os agentes anti-inflamatórios não esteroides, podem diminuir o efeito terapêutico da clonidina.

Clonidina + Fentolamina

Observações: N.D.
Interações: As substâncias com propriedades bloqueadoras-α 2, tais como a fentolamina ou a tolazolina, podem eliminar os efeitos da clonidina mediados no recetor α 2 de uma forma dose dependente.

Clonidina + Tolazolina

Observações: N.D.
Interações: As substâncias com propriedades bloqueadoras-α 2, tais como a fentolamina ou a tolazolina, podem eliminar os efeitos da clonidina mediados no recetor α 2 de uma forma dose dependente.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levobunolol + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o levobunolol.
Interações: A reação hipertensiva devido à interrupção súbita de clonidina pode ser potenciada se o doente estiver a tomar bloqueadores beta.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Terazosina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A terazosina pode diminuir o efeito antihipertensor da clonidina administrada por via intravenosa.

Clonidina + Glicósideos digitálicos

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de substâncias com efeito cronotrópico ou dromotrópico negativo, tais como os bloqueadores-β ou os glicosidos digitálicos, podem causar ou potenciar distúrbio do ritmo bradicárdico.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de antidepressivos tricíclicos ou neurolépticos com propriedades bloqueadoras α pode diminuir ou anular o efeito anti-hipertensor da clonidina e pode provocar ou agravar distúrbios da regulação ortostática.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Neurolépticos

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea de antidepressivos tricíclicos ou neurolépticos com propriedades bloqueadoras α pode diminuir ou anular o efeito anti-hipertensor da clonidina e pode provocar ou agravar distúrbios da regulação ortostática.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tafluprost + Timolol + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos de interação.
Interações: Os agentes bloqueadores β-adrenérgicos orais podem exacerbar a hipertensão arterial de ressalto que pode ocorrer após a suspensão da clonidina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Álcool

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos das substâncias depressoras centrais ou do álcool podem ser potenciados pela clonidina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Depressores do SNC

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos das substâncias depressoras centrais ou do álcool podem ser potenciados pela clonidina.

Crizotinib + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Foi notificada bradicardia durante os estudos clínicos; portanto, deve utilizar-se crizotinib com precaução devido ao risco de bradicardia excessiva quando utilizado em associação com outros agentes bradicardizantes (por exemplo, bloqueadores dos canais de cálcio não-di-hidropiridina tais como verapamilo e diltiazem, bloqueadores beta, clonidina, guanfacina, digoxina, mefloquina, anticolinesterases, pilocarpina).

Trimipramina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Trimipramina pode bloquear o efeito de alguns antihipertensores como a clonidina, guanetidina e os compostos de acção análoga. Inversamente, a hipotensão ortostática, caso se verifique, pode ser mais grave se estiver em curso um tratamento antihipertensor.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clonidina + Estimulantes inespecíficos do SNC

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos das substâncias depressoras centrais ou do álcool podem ser potenciados pela clonidina.
 Risco Moderado

Bloqueadores beta-adrenérgicos + Clonidina

Observações: Os bloqueadores adrenérgicos beta (em especial os não selectivos como o propranolol) alteram a resposta aos simpaticomiméticos com actividade agonista-beta (ex.: adrenalina). Os bloqueadores que sofrem um metabolismo de primeira passagem extenso, podem ser afectados por fármacos capazes de alterar este processo. Estes bloqueadores podem reduzir o fluxo sanguíneo hepático.
Interações: Efeitos dos bloqueadores beta noutros fármacos: Clonidina: reacção hipertensiva se a clonidina é retirada quando o doente está a tomar propranolol - Clonidina
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Insulina humana + Insulina isofânica + Clonidina

Observações: Algumas substâncias afetam o metabolismo da glucose e podem requerer um ajuste da dose da insulina humana.
Interações: Além disso, sob o efeito de medicamentos simpaticolíticos, tais como beta-bloqueadores, clonidina, guanetidina e reserpina, os sinais da contrarregulação adrenérgica podem estar reduzidos ou ausentes.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Brimonidina + Timolol + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interações com a associação fixa brimonidina timolol.
Interações: A reação hipertensiva devido à interrupção súbita de clonidina pode ser potenciada quando se tomam bloqueadores beta.

Esmolol + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A utilização de beta-bloqueadores com moxonidina ou agonistas alfa-2 (tal como a clonidina), aumenta o risco de exacerbação da hipertensão da retirada. Se a clonidina e moxonidina são utilizadas em associação com um beta-bloqueador ou ambos os tratamentos têm de ser descontinuados, o beta-bloqueador deve ser descontinuado primeiro e depois a clonidina ou moxonidina após alguns dias.

Nalbufina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Medidas de precaução: Outros medicamentos com efeito supressor a nível do sistema nervoso central, como outros derivados de morfina (analgésicos e antitussícos), antidepressivos sedativos, anti-histamínicos H1 sedativos, barbitúricos, benzodiazepinas, ansiolíticos que não benzodiazepinas, neurolépticos, clonidina e substâncias relacionadas: Estas substâncias podem aumentar o risco de uma depressão respiratória, que pode ser fatal no caso de sobredosagem. Não existem dados disponíveis sobre o potencial de interações farmacocinéticas entre nalbufina e outros medicamentos. Há que ter especial cuidado na administração simultânea de nalbufina e fortes inibidores enzimáticos ou medicamentos com uma margem terapêutica reduzida.

Amissulprida + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações que requerem precaução: Medicamentos que aumentem o risco de torsades de pointes: - medicamentos indutores de bradicardia tais como beta-bloqueantes, bloqueadores dos canais de cálcio que induzem bradicardia tais como diltiazem e verapamil, clonidina, guanfacina; digitálicos. - medicamentos que provocam desequilíbrios electrólitos tais como, hipocaliémia: diuréticos hipocalémicos, laxantes estimulantes, anfotericina B IV, glucocorticóides, tetracosactidos. - o uso concomitante de neurolépticos, como pimozida, haloperidol e também antidepressivos e lítio deve ser evitado. Associações a serem consideradas: Depressores do SNC incluindo narcóticos, anestésicos, analgésicos, sedativos anti-histamínicos H1, barbiturícos, benzodiazepinas e outros ansiolíticos, clonidina e derivados. Medicamentos antihipertensores e outras medicações hipotensivas: Agonistas da dopamina (p.ex: levodopa), visto que pode atenuar a sua acção.

Pentamidina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações que exigem precaução: Medicamentos bradicardizantes (antagonistas do cálcio, beta-bloqueantes, clonidina, digitálicos): Risco aumentado de perturbações do ritmo ventricular.

Sulpirida + Clonidina

Observações: n.d.
Interações: Associações não recomendadas: Associação com os seguintes medicamentos que podem prolongar o intervalo QT ou induzir "torsades de pointes": Medicamentos indutores de bradicardia tais como beta-bloqueantes, bloqueadores dos canais de cálcio que induzem bradicardia tais como diltiazem e verapamil, clonidina, guanfacina; digitálicos. Associações a ter em atenção: Depressores do SNC: Incluindo narcóticos, analgésicos, antihistamínicos sedativos H1, barbitúricos, benzodiazepinas e outros ansiolíticos, clonidina e derivados.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levodopa + Clonidina

Observações: A levodopa é degradada no intestino antes de alcançar os locais de absorção. Os agentes que alteram a motilidade gastrintestinal podem alterar o grau de degradação intra-luminal. O efeito anti-parkinsoniano da levodopa é susceptível à inibição por outros fármacos.
Interações: Fármacos que inibem o efeito antiparkinsónico - Clonidina

Propranolol + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações a utilizar com precaução, com as quais pode ser necessário ajuste posológico: Antihipertensores de ação central (clonidina, moxonidina, metildopa): A utilização concomitante de antihipertensores com ação central pode agravar a insuficiência cardíaca através de uma diminuição do tónus simpático central (diminuição da frequência e débito cardíacos, vasodilatação). A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador beta, pode aumentar o risco de “hipertensão por reativação (rebound)”.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Lidocaína + Clonidina

Observações: n.d.
Interações: O efeito analgésico dos anestésicos locais pode ser potenciado por opiáceos e clonidina.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Glimepirida + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Os antagonistas dos recetores H2, bloqueadores beta, clonidina e reserpina podem levar quer a uma potenciação quer a uma diminuição do efeito hipoglicemiante. Sob a influência de medicamentos simpaticolíticos tais como bloqueadores beta, clonidina, guanetidina e reserpina, os sinais de contraregulação adrenérgica à hipoglicemia podem ser reduzidos ou estar ausentes.

Naloxona + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Nos casos de administração de cloridrato de naloxona no coma induzido por sobredosagem com clonidina, já foram relatados casos de hipertensão grave.

Amitriptilina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Clonidina e guanetidina: A amitriptilina pode antagonizar o efeito antihipertensor destes fármacos, pelo que a sua administração concomitante não é recomendada. Os antidepressivos tricíclicos bloqueiam a absorção da guanetidina e de outros compostos com acção semelhante, pelo que poderá ser necessário proceder ao ajustamento da dose destes fármacos. É aconselhável rever a terapêutica anti-hipertensiva durante o tratamento com antidepressivos tricíclicos.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Imipramina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Bloqueadores neuronais adrenérgicos: Imipramina pode diminuir ou anular os efeitos anti-hipertensivos da guanetidina, betanidina, reserpina, clonidina e α-metildopa. Aos doentes que necessitem de comedicação para a hipertensão devem, portanto, ser prescritos anti-hipertensivos de um tipo diferente (por ex. diuréticos, vasodilatadores ou β-bloqueantes).

Codeína + Erisimo officinalis + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Com outros depressores do S.N.C. (Analgésicos morfínicos, certos antidepressores, antihistamínicos H1 sedativos, barbitúricos, benzodiazepinas, clonidina e parentes químicos, hipnóticos, neurolépticos, tranquilizantes não benzodiazepínicos). O aumento da depressão central pode ter consequências importantes, concretamente na condução de automóveis ou utilização de máquinas.

Bupropiom + Naltrexona + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A associação naltrexona/bupropiom não foi estudada em conjunção com bloqueadores alfa- adrenérgicos ou com a clonidina.

Brinzolamida + Timolol + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com Brinzolamida/Timolol. As isozimas do citocromo P450 responsáveis pelo metabolismo da brinzolamida incluem o CYP3A4 (principal), o CYP2A6, o CYP2B6, o CYP2C8 e o CYP2C9. A brinzolamida não é um inibidor das isozimas do citocromo P-450.
Interações: A reação hipertensiva após a suspensão súbita da clonidina pode ser potenciada quando se administram bloqueadores beta. Recomenda-se precaução no uso concomitante deste medicamento com clonidina.

Dexclorofeniramina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Contraindicações da utilização concomitante: Associações com outros depressores do sistema nervoso central (clonidina). Aumento na depressão central. Deterioração do estado de alerta que poderia tornar perigosa a condução e operação de máquinas.

Metoclopramida + Clonidina

Observações: Devido ao efeito procinético da metoclopramida, a absorção de alguns medicamentos pode ser alterada.
Interações: Combinação a ter em consideração: Devido ao efeito procinético da metoclopramida, a absorção de alguns medicamentos pode ser alterada. Depressores do sistema nervoso central (derivados morfínicos, ansiolíticos, sedativos Antihistamínicos H1, sedativos antidepressivos, barbitúricos, clonidina e relacionados): Os efeitos sedativos dos depressores do Sistema Nervoso Central e da metoclopramida são potenciados.

Bisoprolol + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações não recomendadas: Aplica-se a todas as indicações: Medicamentos antihipertensores com ação central, como a clonidina e outros (p.ex., metildopa, moxonodina, rilmenidina): A utilização concomitante de antihipertensores com ação central pode agravar a insuficiência cardíaca pela diminuição do tónus simpático central (diminuição da frequência e débito cardíacos, vasodilatação). A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador beta, pode aumentar o risco de “hipertensão por reativação (rebound)”.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interação com o timolol.
Interações: Clonidina: Os agentes bloqueantes beta-adrenérgicos podem exacerbar a hipertensão «rebound» que se pode seguir à descontinuação da clonidina.

Carvedilol + Ivabradina + Clonidina

Observações: Não se observaram interações entre o carvedilol e a ivabradina num estudo de interações efetuado em voluntários saudáveis. Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Utilização concomitante com precauções de Carvedilol / Ivabradina: Clonidina. Carvedilol - Utilização concomitante comprecauções: A coadministração de clonidina e bloqueadores -beta (como o carvedilol) pode potenciar os efeitos de diminuição da pressão arterial e da frequência cardíaca. Em caso de interrupção do tratamento concomitante de bloqueadores-beta e clonidina, o bloqueador-beta deve ser o primeiro a ser descontinuado. O tratamento com clonidina poderá ser descontinuado alguns dias depois, diminuindo gradualmente a dose.

Trazodona + Clonidina

Observações: n.d.
Interações: Dado que a trazodona é apenas um inibidor muito fraco da recaptação da noradrenalina e não altera a resposta da tensão arterial à tiramina, é improvável a interferência com a ação hipotensiva de compostos do tipo da guanetidina. No entanto, estudos realizados em animais de laboratório sugerem que a trazodona pode inibir a maioria das ações agudas da clonidina. Apesar de não terem sido relatadas interações, deve ser considerada a possibilidade de potenciação no caso de outros tipos de fármacos antihipertensores.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Insulina glargina + Clonidina

Observações: Algumas substâncias afetam o metabolismo da glucose, o que pode implicar a necessidade de ajuste de dose da insulina glargina.
Interações: Os beta-bloqueadores, a clonidina, os sais de lítio ou o álcool tanto podem potenciar como atenuar o efeito hipoglicemiante da insulina. Além disso, sob o efeito de medicamentos simpaticolíticos, tais como beta-bloqueadores, clonidina, guanetidina e reserpina, os sinais da contrarregulação adrenérgica da hipoglicemia podem estar reduzidos ou ausentes.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tertatolol + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações que requerem precauções de utilização (Clonidina): Se descontinuar subitamente o tratamento com clonidina, a pressão arterial aumenta consideravelmente, com risco de hemorragia cerebral devido ao efeito simpatomimético. Descontinue a clonidina gradualmente.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Zotepina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Teoricamente os efeitos da alfa-metildopa, guanetidina e da clonidina podem ser reduzidos.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Antidepressores (tricíclicos) + Clonidina

Observações: Inibição da recaptação de aminas nos neurónios adrenérgicos pós-ganglionares. Efeitos antimuscarínicos aditivos com fármacos antimuscarínicos. Indução do metabolismo. Susceptíveis à inibição do metabolismo pelo CYP2D6 e outras enzimas CYP450.
Interações: Efeito anti-hipertensor da clonidina diminuído - Clonidina

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Fármacos antihipertensores com ação central (como por exemplo clonidina, metildopa, moxonodina, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores com ação central pode conduzir a uma redução da frequência e output cardíacos, bem como a vasodilatação. A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador dos recetores adrenérgicos beta, pode aumentar o risco de "hipertensão rebound".
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Metoprolol + Clonidina

Observações: Metoprolol é um substrato do CYP2D6. Os fármacos que inibem esta enzima podem aumentar a concentração plasmática de metoprolol.
Interações: Anti-hipertensivos de ação central (clonidina, guanfacina, moxonidina, metildopa, rilmenidina): A retirada abrupta, particularmente antes da interrupção de um beta-bloqueador, pode aumentar o risco de "hipertensão rebound". O uso concomitante de clonidina com um beta-bloqueador não seletivo e, eventualmente, também com um bloqueador beta seletivo, aumenta o risco de hipertensão reativa. Se a clonidina é administrada concomitantemente, a administração de clonidina necessita de ser continuada durante algum tempo depois de descontinuados os beta-bloqueadores.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Glimepirida + Pioglitazona + Clonidina

Observações: Não existem estudos formais de interação para o Glimepirida / Pioglitazona, contudo, a utilização concomitante das substâncias ativas em doentes em utilização clínica não teve como resultado interações inesperadas. As informações disponíveis são sobre as substâncias ativas individualmente (pioglitazona e glimepirida).
Interações: GLIMEPIRIDA: Antagonistas H2, betabloqueadores, clonidina e reserpina podem levar a uma potenciação ou enfraquecimento do efeito de diminuição da glicemia. Sob o efeito das substâncias ativas simpaticolíticas, tais como beta-bloqueadores, clonidina, guanetidina e a reserpina, pode manifestar-se uma redução ou ausência dos sintomas da contra-regulação adrenérgica da hipoglicemia.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Dorzolamida + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interações com Timolol / Dorzolamida.
Interações: Os bloqueadores β-adrenérgicos orais podem exacerbar a elevação da hipertensão, que possa surgir após a interrupção da administração de clonidina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Sotalol + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A pressão arterial pode subir de forma drástica na sequência da administração simultânea de cloridrato de sotalol e de noradrenalina ou de inibidores da MAO, bem como após a interrupção abrupta da administração concomitante de clonidina. O efeito cronotrópico negativo e o efeito dromotrópico do cloridrato de sotalol, podem ser potenciados pela administração concomitante com reserpina, clonidina, alfa-metildopa, guanfacina ou glicósidos cardíacos.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Insulina glargina + Lixisenatido + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos de interação com Insulina glargina + Lixisenatido. A informação fornecida a seguir baseia-se em estudos com os componentes individuais. Algumas substâncias afetam o metabolismo da glicose e podem exigir o ajuste posológico de Insulina glargina + Lixisenatido
Interações: Os bloqueadores beta, clonidina, sais de lítio ou álcool tanto podem potenciar como atenuar o efeito hipoglicemiante da insulina. A pentamidina pode causar hipoglicemia, que pode, em alguns casos, ser seguida de hiperglicemia. Além disso, sob a influência de medicamentos simpaticolíticos, tais como bloqueadores beta, clonidina, guanetidina e reserpina, os sinais da contrarregulação adrenérgica podem estar reduzidos ou ausentes.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Timolol + Travoprost + Clonidina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interacção com o travoprost ou com o timolol.
Interações: A reação hipertensiva após a suspensão súbita da clonidina pode ser potenciada quando se administram bloqueadores beta.

Cloxazolam + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de Cloxazolam com medicamentos anti-hipertensivos (por exemplo, clonidina, pindolol, dihidralazina, diuréticos e metoprolol) não apresentou alterações significantes na pressão arterial, nos efeitos indesejáveis e nos parâmetros do ECG.

Milnaciprano + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações desaconselhadas: Com clonidina e produtos relacionados (referido com desipramina e imipramina): Inibição do efeito antihipertensor da clonidina (antagonismo com receptores adrenérgicos).
 Potencialmente Grave

Bupivacaína + Clonidina

Observações: A Bupivacaína deverá ser utilizada com precaução em doentes que estão a receber outros anestésicos locais ou agentes estruturalmente relacionados com anestésicos locais do tipo amida, como, por exemplo, determinados Antiarrítmicos, como, a lidocaína, e a mexiletina, dado que os efeitos tóxicos sistémicos são aditivos. Não foram realizados estudos de interacção específicos com a bupivacaína e os fármacos Antiarrítmicos de classe III (como, por exemplo, a amiodarona) mas recomenda-se precaução. Foram reportados casos de hipotensão grave quando a clonidina foi misturada com anestésicos locais tais como a bupivacaína, em bloqueios. Combinações com cetamina podem causar neurotoxicidade.
Interações: Foram reportados casos de hipotensão grave quando a clonidina foi misturada com anestésicos locais tais como a bupivacaína, em bloqueios.
 Potencialmente Grave
Usar a Clonidina como indicado pelo Médico assistente. Verifique o rótulo do medicamento para instruções de dosagem exatas.

- A Clonidina é geralmente dada através de dispositivos contínuos de infusão peridural no escritório, hospital, clínica ou pelo Médico assitente.

Se usar Clonidina em casa, será necessário que um prestador de cuidados de saúde ensine a fazê-lo. Certifique-se de que entende como deve usar a Clonidina.

Siga os procedimentos indicados pelo profissional de saúde quando tomar uma dose.

Contactar o Médico assitente se tiver quaisquer dúvidas.

- Não utilizar a Clonidina se contiver partículas, estiver embaciada ou descolorida, ou se o frasco estiver rachado ou danificado.

- Não pare de tomar Clonidina repentinamente, pois pode ter risco acrescido de efeitos secundários.

Se precisar de parar a toma de Clonidina, o seu médico assistente irá diminuir gradualmente a dose prescrita.

Contactar o médico imediatamente se a infusão de medicamento for interrompida por qualquer motivo.

- Mantenha este produto, bem como seringas e agulhas, fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não reutilizar agulhas, seringas ou outros materiais.

Questionar o seu prestador de cuidados de saúde àcerca de como descartar esses materiais após o uso.

Seguir todas as normas locais para a sua eliminação.

- Se uma dose de Clonidina for esquecida, contactar o médico assistente de imediato.

Esclareça com o seu Médico qualquer dúvida que possa ter sobre a forma de utilizar a Clonidina.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017