Cladribina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
É um agente antineoplásico utilizado no tratamento de doenças linfoproliferativas incluindo leucemia das células pilosas.
Usos comuns
A cladribina é usada para tratar a leucemia das células pilosas (um tipo de cancro no sangue).

Utilizado para o tratamento de adultos com esclerose múltipla com surtos, uma doença em que a inflamação provoca lesões na bainha protectora que envolve as células nervosas do cérebro e da medula espinal. «Com surtos» significa que o doente tem repetidas exacerbações dos sintomas.
Tipo
Molécula pequena.
História
A Cladribina foi concebida por Dennis A. Carson como um composto antilinfócito.
Foi sintetizada pela primeira vez na Universidade Brigham Young.
Em 2008, Ernest Beutler ganhou o Wallace H. Coulter Award devido ao Lifetime Achievement em Hematologia da Fundação Coulter e da Sociedade Americana de Hematologia, em parte devido aos ensaios clínicos que realizou, que estabeleciam a cladribina como o tratamento mais eficaz para a leucemia de células pilosas (HCL).
Indicações
Para o tratamento da leucemia activa das células pilosas (reticuloendoteliose leucémica), tal como definido pela anemia clinicamente significativa, neutropenia, trombocitopenia, ou sintomas relacionados com a doença.

Também é usado como um agente alternativo para o tratamento de leucemia linfocítica crónica (CLL), linfoma de baixo grau de não-Hodgkin e linfoma de células T cutâneo.
Classificação CFT

16.01.03 : Antimetabólitos

Mecanismo De Acção
A cladribina é estruturalmente relacionada à fludarabina e pentostatin mas tem um mecanismo de acção diferente.

Embora o mecanismo exacto de acção ainda não tenha sido completamente determinado, as evidências mostram que a cladribina é fosforilada por desoxicitidina quinase ao trifosfato nucleotidecladribine (CdATP; 2-cloro-2'-deoxyadenosine 5'-trifosfato), que se acumula e é incorporada no DNA em células tais como linfócitos que contêm níveis elevados de desoxicitidina-quinase e os baixos níveis de deoxinucleotidase, resultando na quebra de cadeia de ADN e inibição da síntese de ADN e de reparação.

Altos níveis de CdATP também parecem inibir a ribonucleótido-redutase, o que leva a um desequilíbrio um desequilíbrio na desoxinucleotídicas trifosforilado (dNTP) e subsequentes quebras no DNA, a inibição da síntese de ADN e de reparação, dinucleótido adenina nicotinamida (NAD) e depleção de ATP, e morte celular.

Ao contrário de outras substâncias antimetabólito, a cladribina tem efeitos citotóxicos no descanso assim como na proliferação de linfócitos.

No entanto, isso faz com que as células se acumulem na junção de fase G1/S, o que sugere que a citotoxicidade esteja associada a eventos críticos para a entrada das células em fase S.

Também se liga a purina nucleosídeo fosforilase (PNP), porém nenhuma relação entre esta ligação e o mecanismo de acção foi estabelecida.
Posologia Orientativa
Dose adulta usual para leucemia de células pilosas: 0,09 mg/kg/dia por infusão intravenosa contínua durante 7 dias.
Administração
Via IV, Oral.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade conhecida à cladribina.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Deve obter ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reacção alérgica: urticária; dificuldade de respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Deve informar imediatamente os cuidadores se tiver um efeito colateral grave, tais como:
- Dormência, formigueiro, fraqueza ou dor que queima nos dedos dos pés ou mãos;
- Dormência ou sensação de formigueiro em torno da boca;
- Sensação de tontura, como se fosse desmaiar;
- Vermelhidão, inchaço, ou comichão sob a pele;
- Dor lombar, sangue na urina, urinar menos que o habitual ou não urinar de todo;
- Fraqueza muscular, sensação de aperto ou contração, reflexos hiperactivos;
- Ritmo cardíaco lento ou rápido, pulso fraco, sensação de falta de ar;
- Pele pálida ou amarelada, urina de cor escura, febre, confusão;
- Nódoas negras fáceis, hemorragias fora de normal (nariz, boca, vagina ou recto), manchas puntiformes roxas ou vermelhas sob a pele, ou
- Sinais de infecção, tais como febre, calafrios, dor de garganta, sintomas de gripe, tosse com muco amarelo ou verde, perda de apetite, feridas na boca, fraqueza incomum.

Os efeitos colaterais comuns incluem:
- Dor de cabeça, sensação de cansaço;
- Náuseas, diarreia, prisão de ventre;
- Leve comichão ou erupção cutânea;
- Tosse, ou
- Dor, inchaço, ou irritação ao redor da agulha IV.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Cladribina não deve ser administrado durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Desconhece-se se este fármaco é excretado no leite materno. A mulher não deve amamentar durante o tratamento com Cladribina e até 6 meses após a última dose de Cladribina.
Condução
Condução
Condução:Tendo em conta a situação clínica subjacente do doente, e o perfil de acontecimentos adversos de Cladribina (que inclui por exemplo, tonturas, confusão (incluindo desorientação) e nível reduzido de consciência), recomenda-se precaução no desempenho de actividades que requeiram bem-estar físico significativo enquanto estiver a ser usado Cladribina. Os efeitos de Cladribina sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são moderados.
Precauções Gerais
Fale com o médico, farmacêutico ou enfermeiro antes de utilizar Cladribina:
- se está a ter uma infecção ou tem febre
- se sofre de problemas de rins ou fígado
- se já alguma vez teve problemas de medula óssea ou de sangue
- se for idoso

O médico irá pedir análises ao seu sangue antes e durante o tratamento com Cladribina, especialmente durante as primeiras semanas de tratamento.

Se for a outro hospital ou médico para fazer análise ao sangue, avise que está a utilizar Cladribina pois este medicamento pode alterar os resultados das análises.

Poderá ter febre durante o tratamento com Cladribina que pode ou não estar associada a uma infecção.
O médico irá monitorizar esta situação, principalmente durante o primeiro mês de tratamento.
Se surgir febre, deve manter-se bem hidratado.

Não se pode excluir o potencial carcinogénico de Cladribina, dadas as suas características particulares.

Em qualquer momento durante ou após o seu tratamento, informe imediatamente o médico ou enfermeiro caso: ocorra visão turva, perda de visão ou visão dupla, sinta dificuldade em falar, fraqueza num braço ou perna, alteração na forma de andar ou problemas de equilíbrio, dormência persistente, diminuição ou perda da sensibilidade, perda de memória ou confusão.
Estes podem ser sintomas de uma doença cerebral grave e potencialmente fatal, conhecida como leucoencefalopatia multifocal progressiva (LMP).
Se tinha estes sintomas antes do tratamento com cladribina, informe o médico de qualquer alteração nestes sintomas.

Cladribina não foi completamente testado em crianças.

Informe o médico ou farmacêutico se estiver a utilizar, ou tiver utilizado recentemente, ou se vier a utilizar outros medicamentos.
Informe especialmente o médico se:
- Cladribina for utilizado após ou ao mesmo tempo que outros fármacos conhecidos como supressores da medula óssea.
- receber vacinas vivas atenuadas durante o tratamento com Cladribina, devido ao risco aumentado de infecção
- estiver a tomar outros análogos de nucleótidos, tais como a fludarabina ou 2’-deoxicoformicina. Não se recomenda a sua utilização com Cladribina.
- tomar medicamentos submetidos a fosforilação, tais com agentes antivirais, ou inibidores da absorção da adenosina (p.ex. didanosina, tenofovir, adefovir). Não se recomenda a sua utilização com Cladribina.
Cuidados com a Dieta
Se tiver de ser, a Echinacea deve ser usada com cautela, em pacientes a receber agentes imunossupressores terapêuticos.
Monitorizar para investigar uma redução da eficácia do imunossupressor durante o uso concomitante.
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
A cladribina é geralmente manipulada e armazenada por um profissional de saúde.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Cladribina Mielossupressores

Observações: n.d.
Interacções: Devido ao possível aumento da toxicidade hematológica e da supressão medular óssea, a cladribina não deve ser usada concomitantemente com outros medicamentos mielossupressores. - Mielossupressores
Sem efeito descrito

Cladribina Antineoplásicos

Observações: n.d.
Interacções: Não se observou nenhuma influência da cladribina sobre a actividade de outros antineoplásicos nem in vitro (por ex., doxorrubicina, vincristina, citarabina, ciclofosfamida) nem in vivo. - Antineoplásicos
Sem efeito descrito

Cladribina Doxorrubicina

Observações: n.d.
Interacções: Não se observou nenhuma influência da cladribina sobre a actividade de outros antineoplásicos nem in vitro (por ex., doxorrubicina, vincristina, citarabina, ciclofosfamida) nem in vivo. - Doxorrubicina
Sem efeito descrito

Cladribina Vincristina

Observações: n.d.
Interacções: Não se observou nenhuma influência da cladribina sobre a actividade de outros antineoplásicos nem in vitro (por ex., doxorrubicina, vincristina, citarabina, ciclofosfamida) nem in vivo. - Vincristina
Sem efeito descrito

Cladribina Citarabina

Observações: n.d.
Interacções: Não se observou nenhuma influência da cladribina sobre a actividade de outros antineoplásicos nem in vitro (por ex., doxorrubicina, vincristina, citarabina, ciclofosfamida) nem in vivo. Contudo, um estudo in vitro revelou resistência cruzada entre a cladribina e a mostarda nitrogenada (clormetina); para a citarabina um autor descreveu uma reacção cruzada in vivo sem perda de actividade. - Citarabina
Sem efeito descrito

Cladribina Ciclofosfamida

Observações: n.d.
Interacções: Não se observou nenhuma influência da cladribina sobre a actividade de outros antineoplásicos nem in vitro (por ex., doxorrubicina, vincristina, citarabina, ciclofosfamida) nem in vivo. - Ciclofosfamida
Sem efeito descrito

Cladribina Clorometina

Observações: n.d.
Interacções: Não se observou nenhuma influência da cladribina sobre a actividade de outros antineoplásicos nem in vitro (por ex., doxorrubicina, vincristina, citarabina, ciclofosfamida) nem in vivo. Contudo, um estudo in vitro revelou resistência cruzada entre a cladribina e a mostarda nitrogenada (clormetina); para a citarabina um autor descreveu uma reacção cruzada in vivo sem perda de actividade. - Clorometina
Não recomendado/Evitar

Cladribina Fludarabina

Observações: n.d.
Interacções: Devido à semelhança do metabolismo intracelular, pode ocorrer resistência cruzada com outros análogos de nucleósidos, tais como a fludarabina ou a 2’-desoxicoformicina. Por este motivo, não se recomenda a administração simultânea de análogos de nucleósidos com cladribina. - Fludarabina
Não recomendado/Evitar

Cladribina Corticosteróides

Observações: n.d.
Interacções: Foi demonstrado que os corticosteróides aumentam o risco de infecções graves quando usados em conjunto com cladribina, pelo que não devem ser administrados concomitantemente com cladribina. - Corticosteróides
Não recomendado/Evitar

Cladribina Antivíricos

Observações: n.d.
Interacções: Por serem esperadas interacções com medicamentos sujeitos a fosforilização intracelular, tais como os agentes antivirais, ou com os inibidores da absorção da adenosina, não se recomenda o seu uso concomitante com cladribina. - Antivíricos
Não recomendado/Evitar

Cladribina Inibidores da adenosina

Observações: n.d.
Interacções: Por serem esperadas interacções com medicamentos sujeitos a fosforilização intracelular, tais como os agentes antivirais, ou com os inibidores da absorção da adenosina, não se recomenda o seu uso concomitante com cladribina. - Inibidores da adenosina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorambucilo Cladribina

Observações: n.d.
Interacções: Os análogos nucleósidos da purina (fludarabina, pentostatina e cladribina) aumentaram a citotoxicidade do clorambucilo in vitro; no entanto, desconhece-se o significado clínico deste achado. - Cladribina
Usar com precaução

Lamivudina + Nevirapina + Zidovudina Cladribina

Observações: n.d.
Interacções: Cladribina: Pode aumentar o efeito mielossupressor dos agentes mielossupressores. Evitar combinação - Cladribina
Contraindicado

Lamivudina + Raltegravir Cladribina

Observações: Uma vez que este medicamento contém lamivudina e raltegravir, qualquer interacção que tenha sido identificada com estes agentes isolados pode ocorrer com Lamivudina / Raltegravir. Estudos de interacção com estes agentes só foram realizados em adultos.
Interacções: In vitro, a lamivudina inibe a fosforilação intracelular da cladribina conduzindo a um potencial risco de perda de eficácia da cladribina em caso de combinação em contexto clínico. Alguns resultados clínicos também suportam a possível interacção entre a lamivudina e a cladribina. Assim, não é recomendado o uso concomitante de Lamivudina / Raltegravir com cladribina. - Cladribina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções da Cladribina
Informe o Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Cladribina não deve ser administrado durante a gravidez.
Mulheres em idade fértil devem usar métodos contraceptivos eficazes durante o tratamento com Cladribina e nos 6 meses após a última dose de Cladribina.
Se Cladribina for administrado durante a gravidez ou se a doente engravidar enquanto estiver a ser tratada com este medicamento, a doente deve ser avisada do potencial risco para o feto.
Não existem estudos adequados nem bem controlados em mulheres grávidas.

Desconhece-se se este fármaco é excretado no leite materno. A mulher não deve amamentar durante o tratamento com Cladribina e até 6 meses após a última dose de Cladribina.

Homens em tratamento com Cladribina devem ser aconselhados a não procriarem até 6 meses após a última dose de Cladribina. Quando apropriado, o planeamento familiar deve ser discutido com os doentes.

Tendo em conta a situação clínica subjacente do doente, e o perfil de acontecimentos adversos de Cladribina (que inclui por exemplo, tonturas, confusão (incluindo desorientação) e nível reduzido de consciência), recomenda-se precaução no desempenho de actividades que requeiram bem-estar físico significativo enquanto estiver a ser usado Cladribina. Os efeitos de Cladribina sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são moderados.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021