Citicolina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Psicoestimulantes e psicanalépticos.

A citicolina é um produto biológico, que aumenta a síntese dos fosfolípidos.

A citicolina atua na regeneração das membranas celulares com efeito benéfico e em casos de edema e hipóxia (fornecimento reduzido de oxigénio aos tecidos).

Atua também ao nível dos neurotransmissores com um aumento de produção da dopamina e como um ativador do estado de alerta com um efeito importante na resposta cortical direta.

A citicolina atravessa a barreira hematoencefálica alterada, ou seja, consegue atravessar a barreira que seleciona a passagem dos medicamentos do sangue para o cérebro, onde a citicolina vai atuar.
Usos comuns
A Citicolina é usada no tratamento de:
- distúrbios neurológicos e cognitivos (memória e comportamento) associados a acidentes vasculares cerebrais em fase aguda e subaguda;
- transtornos neurológicos e cognitivos (memória e comportamento) associados a traumatismos cranianos.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Acidente vascular cerebral e traumatismos cranianos.
Classificação CFT
02.13.01     Medicamentos utilizados no tratamento sintomático das alterações das funções cognitivas
Mecanismo De Ação
A Citicolina (Citidina-5'-difosfocolina ou CDP-Colina) é um composto endógeno, intermediário da biossíntese lpídica da fosfatidilcolina, um dos principais componentes da membrana celular e organelos.

Após administração, a citicolina é fraccionada em colina e citidina a nível periférico.

No Homem a citidina sofre posterior transformação em uridina.

A colina e a uridina atingem o Sistema nervoso central.

Uma parte da colina é convertida em acetilcolina (neurotransmissor) que desempenha um papel central num grande número de funções cognitivas, sobretudo a nível da memória e linguagem.

Outra parte da colina é transformada em fosfocolina.

Esta combina-se com a CTP, formada a partir da uridina via UTP, dando origem à CDP-colina endógena que, por sua vez, se combina com o diacilglicerol endógeno para formar a fosfatidilcolina.

Esta desempenha um papel importante no processo de recuperação das funções de neurónios afectados ou cujos axónios estejam mais vulneráveis em resultado de processos de hipóxia.

Finalmente, o ácido araquidónico livre, que é libertado como consequência de AVC ou de lesão tecidular traumática, é incorporado nas novas moléculas de fosfatidilcolina como parte integrante do diacilglicerol, evitando assim a oxidação do ácido araquidónico e consequente produção de neurotóxinas que podem contribuir para o agravamento das lesões.
Posologia Orientativa
Solução oral:
Adultos: 100 a 200 mg (1-2 ml) 2 a 3 vezes ao dia.

Crianças: 100 mg (1 ml) 2 a 3 vezes ao dia.

Cada ml contém 100 mg de Citicolina.

Estas doses podem ser modificadas segundo critério médico.

Recomenda-se como dose de manutenção normal 1 ml, 3 vezes ao dia.

Solução injetável:
Adultos
A dose da solução injectável é de 500 a 2000 mg por dia dependendo do quadro clínico.

Em caso de hemorragia persistente no cérebro, não se deve administrar mais de 1000 mg por dia e a administração intravenosa deve ser muito lenta.
Administração
Sem Informação.
Contraindicações
Deverá informar o médico se tem antecedentes de alergia ou hipersensibilidade à Citicolina.

Não deve igualmente ser administrado a doentes com hipertonia do parassimpático, dado que no processo metabólico da citicolina se forma acetilcolina.

Se sofrer de pressão arterial muito baixa com sudação, taquicardia e desmaios, que ocorre em casos de hipertonia do sistema nervoso parassimpático.

Gravidez e aleitamento.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Poderá provocar uma ligeira diminuição da pressão arterial, durante o início do tratamento.

Foram descritos alguns efeitos secundários (incluindo comunicações isoladas) classificados como muito raros (<1/10.000, ou seja, ocorre em menos de 1 em cada 10.000 doentes tratados):
- Perturbações do foro psiquiátrico: alucinações, insónias;
- Doenças do sistema nervoso: cefaleias (dores de cabeça), vertigens;
- Alterações cardiocirculatórias: Hipertensão arterial, hipotensão arterial;
- Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino: dispneia (falta de ar);
- Doenças gastrointestinais e do fígado: náuseas, vómitos, diarreia, problemas de fígado;
- Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos: rubor (vermelhidão), urticária, exantema (erupção da pele), púrpura (manchas vermelhas na pele);
- Perturbações gerais e alterações no local de administração: alergia, arrepios, edema (inchaço).
Advertências
Gravidez
Gravidez:Contra-indicada na gravidez. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco.
Aleitamento
Aleitamento:Não existem dados de segurança sobre a sua utilização.
Conducao
Conducao:Pode alterar a capacidade de condução.
Precauções Gerais
Não deve administrar-se com medicamentos que contenham Meclofenoxato, por possível potenciação do seu efeito.

Em caso de hemorragia intracraniana persistente, recomenda-se não ultrapassar a dose de 1000 mg/dia em administração endovenosa muito lenta (30 gotas /min).
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Se for omitida a administração de uma ou mais doses, o tratamento deve continuar de acordo com a posologia previamente recomendada.

Não tomar uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter sempre os medicamentos fora do alcance e da vista das crianças.

Não guardar acima de 25ºC.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Citicolina + Levodopa

Observações: N.D.
Interações: A citicolina potencia os efeitos dos medicamentos que contêm L-Dopa.

Citicolina + Meclofenoxato

Observações: N.D.
Interações: A citicolina não deve ser administrada conjuntamente com medicamentos que contenham meclofenoxato.
Deve informar o médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Este medicamento não deve ser administrado conjuntamente com medicamentos que contenham centrofenoxina ou meclofenoxato (medicamento estimulante cerebral).
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017