Cetazolam

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Cetazolam ou Ketazolam é um fármaco derivado da benzodiazepina.

É um ansiolítico, anticonvulsivante com propriedades sedativas, e relaxante muscular.
Usos comuns
Ansiedade.
Espasmos musculares associados a acidente vascular cerebral, trauma espinal, síndrome cervical, encefalite, espasticidade.
Tipo
Molécula pequena.
História
Sem informação.
Indicações
Perturbações e sintomas de ansiedade.
Classificação CFT

02.09.01 : Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos

Mecanismo De Ação
Benzodiazepinas partilham uma estrutura química semelhante e seus efeitos em humanos são produzidos principalmente pela modificação alostérica de um tipo específico de recetor neurotransmissor, o recetor de GABAA, o que aumenta a condutibilidade do canal inibidor, daí resultando os diferentes efeitos terapêuticos, bem como os adversos das benzodiazepinas.
A ligação das benzodiazepinas a este complexo receptor promove a ligação de GABA, o que por sua vez aumenta a condução dos iões cloreto através da membrana neuronal.
Este aumento da condutibilidade aumenta o potencial da membrana do neurónio, resultando na inibição da ativação neuronal.
Além disso, os diferentes subtipos de recetores GABA têm diferentes distribuições dentro de diferentes regiões do cérebro e, portanto, controlam os circuitos neuronais distintos.
Assim, a ativação de diferentes subtipos de receptores GABAA pelas benzodiazepinas pode resultar em ações farmacológicas distintas.
Posologia Orientativa
Dose média diária 30 mg em 2 administrações; se necessário podem atingir-se os 60 mg.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Cetazolam.
As doses nos indivíduos idosos devem ser em geral menores do que no adulto jovem; nas crianças, tal como no idoso, podem desencadear-se reações paradoxais.
Ter atenção na miastenia gravis, na insuficiência respiratória grave e na síndrome de apneia do sono.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Sonolência e descordenação motora, alterações gastrintestinais, obstipação, diarreia, vómitos e alterações do apetite; alterações visuais e irregularidades cardiovasculares; alteração da memória a curto prazo, confusão, depressão, vertigem.
O uso prolongado pode causar dependência e síndrome de abstinência quando a medicação é interrompida.
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
- Insuficiência respiratória, Doença Pulmonar Obstrutiva: O uso de benzodiazepínicos pode potencialmente levar a depressão respiratória. Na insuficiência respiratória leve a moderada deve-se reduzir a dose.

- Insuficiência hepática: Tal como acontece com todos os benzodiazepínicos, pode piorar a encefalopatia hepática. Utilizar com precaução em doentes com insuficiência hepática grave e / ou encefalopatia. Pacientes com insuficiência hepática leve ou moderada podem responder a doses mais baixas.

- Histórico do medicamento: O uso prolongado ou altas doses de benzodiazepínicos pode produzir dependência física ou psicológica, mais comum em consumidores de drogas.

- Rim: É aconselhável começar com doses mais baixas.

- Porfiria: O metabolismo hepático pode potenciar a síntese de certas enzimas, tais como ALA-sintase, o que pode levar ao aumento de porfirinas, causando uma exacerbação da doença.

- O uso continuado (várias semanas) use pode gerar a perda de eficiência.

- Pode causar dependência física e psicológica. O risco aumenta com a dose, duração do tratamento e em pacientes com histórico de abuso de drogas ou álcool e pacientes com transtornos de personalidade significativos. Uma vez desenvolvida a dependência física, a interrupção abrupta do tratamento será acompanhada de sintomas de abstinência, como dores de cabeça, dores musculares, ansiedade acentuada, tensão, inquietação, confusão e irritabilidade. Em casos graves, despersonalização, hiperacusia, dormência e cãibras nas extremidades, intolerância à luz, barulho e contato físico, alucinações ou convulsões.

- Rebote, insónia e ansiedade : Síndrome transitória após a retirada do tratamento, caracterizada pelo reaparecimento dos sintomas mais pronunciados. O risco é maior após a interrupção do tratamento de forma abrupta, por isso, é aconselhável reduzir a dose gradualmente. Ao utilizar benzodiazepínicos de ação curta em algumas indicações, pode acontecer que surjam níveis plasmáticos de abstinência terapêutica, especialmente se a dose utilizada foi elavada.

- Amnésia: as benzodiazepinas podem induzir amnésia anterógrada. Isso ocorre mais frequentemente várias horas após a administração do fármaco, de modo a diminuir o risco associado, os pacientes devem garantir que serão capazes de dormir continuamente por 7-8 horas.

- Reações psiquiátricas e paradoxais: inquietação, agitação, irritabilidade, agressividade, delírio, fúrias, pesadelos, alucinações, psicoses, comportamento inapropriado e outros efeitos adversos comportamentais. Se isso ocorrer, interromper o tratamento. Estas reações são mais comuns em crianças e idosos.

- Psico: as benzodiazepinas não são recomendadas para o tratamento de primeira linha da doença psicótica.

- Ansiedade associada com depressão: as benzodiazepinas não devem ser utilizadas isoladas no tratamento da ansiedade associada com depressão, houve episódios de mania e hipomania com risco de suicídio.

- Glaucoma de ângulo fechado: o possível efeito anticolinérgico das benzodiazepinas pode aumentar a pressão intraocular e agravar a doença.
Cuidados com a Dieta
Evite o álcool
Evite quantidades excessivas de café ou chá (cafeína).
Evite tomar com toranja ou sumo de toranja pois pode aumentar significativamente os níveis séricos deste produto.
Tome com alimentos.
Terapêutica Interrompida
Não utilize uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Etcorvinol + Cetazolam

Observações: N.D.
Interações: Usando etclorvinol com qualquer um dos seguintes medicamentos normalmente não é recomendada, mas pode não ser necessária em alguns casos. Se ambos os medicamentos são prescritos em conjunto, o médico pode alterar a dose. - Adinazolam - Alfentanil - Alprazolam - Amobarbital - Anileridina - Aprobarbital - Brofaromina - Bromazepam - Brotizolam - Buprenorfina - Butabarbital - Butalbital - Carbinoxamina - Carisoprodol - Clorodiazepóxido - Clorzoxazona - Clobazam - Clonazepam - Clorazepato - Clorgilina - Codeína - Dantroleno - Diazepam - Estazolam - Fentanilo - Flunitrazepam - Flurazepam - Furazolidona - Halazepam - Hidrocodona - Hidromorfona - Iproniazida - Isocarboxazida - Cetazolam - Lazabemida - Levorfanol - Linezolida - lorazepam - lormetazepam - Meclizina - Medazepam - meperidina - mefenesina - meprobamato - metaxalone - metadona - Metocarbamol - Metoexital - Midazolam - Moclobemida - Morfina - Nialamida - Nitrazepam - Nordazepam - Oxazepam - Oxicodona - Oximorfona - Pargilina - Pentobarbital - Fenelzina - Fenobarbital - Prazepam - Primidona - Procarbazina - Propoxifeno - Quazepam - Rasagilina - Remifentanil - Secobarbital - Selegilina - Sufentanil - Suvorexanto - Tapentadol - Temazepam - Tiopental - Toloxatona - Tranilcipromina - Triazolam - Zolpidem - Cetazolam
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Cetazolam
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Informe o médico se estiver grávida ou a planear engravidar.

A capacidade de dirigir ou operar máquinas pode ser prejudicada.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 18 de Setembro de 2020