Certolizumab pegol

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
A substância ativa certolizumab pegol, um fragmento de anticorpo humano.

Anticorpos são proteínas que reconhecem especificamente e liga-sem a outras proteínas.

Liga-se a uma proteína específica chamada fator de necrose tumoral α (TNFα).

Desta forma, o TNFα é bloqueado, o que diminui a inflamação na artrite reumatoide, espondiloartrite axial e artrite psoriática.

Os medicamentos que liga-sem ao TNFα são também chamados bloqueadores do TNFα.

Usos comuns
Este medicamento é utilizado no tratamento da artrite reumatoide moderada a grave, espondiloartrite axial ativa (incluindo espondilite anquilosante [AS] e espondiloartrite axial sem evidência radiográfica de AS) e artrite psoriática em doentes adultos, quando os outros medicamentos falham no controle dos sintomas.

É geralmente utilizado em conjunto com outro medicamento chamado metotrexato.

Se o seu médico decidir que o metotrexato é inadequado, este medicamento pode ser administrado sozinho.


Tipo
biotecnologia
História
Sem informação.
Indicações
Artrite reumatoide
Este medicamento, em associação com metotrexato (MTX), é indicado para o tratamento da artrite reumatoide (AR) ativa, moderada a grave, em doentes adultos, quando a resposta a fármacos modificadores da evolução da doença reumatismal (DMARD), incluindo o metotrexato, foi inadequada.


Este medicamento pode ser utilizado em monoterapia no caso de intolerância ao metotrexato ou quando o tratamento continuado com metotrexato é inadequado.


Foi demonstrado que Certolizumab pegol reduz a taxa de progressão das lesões nas articulações, medida através de radiografia e leva também a uma melhoria da função física, quando administrado em associação com metotrexato.


Espondiloartrite axial
É indicado no tratamento de doentes adultos com espondiloartrite axial ativa grave compreendendo:

Espondilite anquilosante (AS)
Adultos com espondilite anquilosante ativa grave que tenham tido uma resposta inadequada ou são intolerantes aos fármacos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs).


Espondiloartrite axial sem evidência radiográfica de AS
Adultos com espondiloartrite axial ativa grave sem evidência radiográfica de AS mas com sinais objetivos de inflamação através de proteína C-reativa (PCR) aumentada e/ou imagiologia de ressonância magnética (MRI), que tenham tido uma resposta inadequada ou sejam intolerantes aos AINEs.


Artrite psoriática
Em combinação com MTX, é indicado no tratamento da artrite psoriática ativa em adultos quando a resposta a terapêutica prévia com DMARD foi inadequada.

Certolizumab pegol pode ser utilizado em monoterapia no caso de intolerância ao metotrexato ou quando o tratamento continuado com metotrexato é inadequado.



Classificação CFT

16.03 : IMUNOMODULADORES

Mecanismo De Ação
Certolizumab pegol tem uma elevada afinidade para o TNFα humano e liga-se com uma constante de dissociação (KD) de 90 pM.

O TNFα é uma citoquina pró-inflamatória chave com um papel central em processos inflamatórios.

Certolizumab pegol neutraliza seletivamente o TNFα (IC90 de 4 ng/ml para a inibição do TNFα humano no ensaio de citotoxicidade in vitro em fibrossarcoma murino L929) mas não neutraliza a linfotoxina α (TNFβ).


Certolizumab pegol demonstrou neutralizar tanto o TNFα humano associado à membrana como o solúvel de modo dependente da dose.

A incubação de monócitos com Certolizumab pegol resultou numa inibição -dependente da dose de TNFα induzido por lipopolissacáridos (LPS) e na produção de IL1β em monócitos humanos.


Certolizumab pegol não contém a região do fragmento cristalizável (Fc) que se encontra normalmente presente num anticorpo completo e, como tal, não se fixa ao complemento nem causa citotoxicidade dependente de anticorpos por mediação celular in vitro.

Não induz a apoptose in vitro em monócitos ou linfócitos derivados do sangue periférico humano, nem a desgranulação dos neutrófilos.


Posologia Orientativa
Dose de carga
A dose inicial recomendada para doentes adultos é 400 mg (administrado com 2 injeções subcutâneas de 200 mg cada) nas semanas 0, 2 e 4.

Na artrite reumatoide e artrite psoriática, o metotrexato deve ser administrado continuamente durante o tratamento com este medicamento quando seja apropriado.


Dose de manutenção Artrite reumatoide
Após a dose inicial, a dose de manutenção recomendada para doentes adultos com artrite reumatoide é 200 mg cada 2 semanas.

Quando a resposta clínica é confirmada, pode ser considerada uma dose de manutenção alternativa de 400 mg cada 4 semanas.

O metotrexato deve ser administrado continuamente durante o tratamento com este medicamento quando seja apropriado.


Espondiloartrite axial
Após a dose inicial, a dose de manutenção recomendada para doentes adultos com espondiloartrite axial é 200 mg cada 2 semanas ou 400 mg cada 4 semanas.


Artrite psoriática
Após a dose inicial, a dose de manutenção recomendada para doentes adultos com artrite psoriática é 200 mg cada 2 semanas.

Quando a resposta clínica é confirmada, pode ser considerada uma dose de manutenção alternativa de 400 mg cada 4 semanas.

O metotrexato deve ser administrado continuamente durante o tratamento com este medicamento quando seja apropriado.



Administração
O tratamento deve ser iniciado e seguido por médicos especialistas com experiência no diagnóstico e tratamento das patologias para as quais este medicamento tem indicação.

Os doentes devem receber o cartão de alerta especial.


O conteúdo total (1 ml) da seringa pré-cheia deve ser administrado como injeção subcutânea única. Os locais apropriados para a injeção incluem a coxa e o abdómen.

Os doentes podem autoadministrar o medicamento utilizando a seringa pré-cheia caso o médico determine que tal é apropriado, após treino adequado da técnica de injeção e com seguimento médico, se necessário. A seringa pré-cheia com proteção de agulha apenas deve ser utilizada por um profissional de saúde.

Contraindicações
Hipersensibilidade ao Certolizumab pegol.

A tuberculose ativa ou outras infeções graves tais como sepsia ou infeções oportunistas.

Insuficiência cardíaca moderada a grave (classes III/IV NYHA)

Efeitos Indesejáveis/Adversos
Informe o seu médico IMEDIATAMENTE se sentir algum dos seguintes efeitos secundários:
- erupção na pele grave, erupção na pele com placas avermelhadas que causam comichão ou outros sinais de reação alérgica (urticária)
- inchaço da cara, mãos, pés (angiedema)
- dificuldade em respirar, engolir (múltiplas causas para estes sintomas)
- falta de ar com o esforço ou quando deitado ou inchaço dos pés (insuficiência cardíaca)
- sintomas de doenças do sangue como febre persistente, nódoas negras, hemorragias, palidez (pancitopenia, anemia, baixa contagem de plaquetas, baixa contagem de glóbulos brancos)

Informe o seu médico O MAIS CEDO POSSÍVEL se sentir algum dos seguintes efeitos secundários:
- sinais de infeção tais como febre, mal-estar geral, feridas, problemas dentários, ardor ao urinar
- sensação de estar fraco ou cansado
- tosse
- zumbidos
- entorpecimento
- visão dupla
- fraqueza nos braços ou nas pernas
- inchaço ou ferida aberta que não cicatriza

Os sintomas acima descritos podem ter origem nos efeitos secundários presentes na lista seguinte, que foram observados com este medicamento:

Frequentes (podem afetar até 1 doente em 10):
- infeções bacterianas em qualquer sítio (acumulação de pus)
- infeções virais (incluindo herpes labial, herpes zóster e gripe)
- febre
- pressão arterial elevada
- erupção na pele ou comichão
- dor de cabeça (incluindo enxaqueca)
- alterações sensoriais tais como entorpecimento, zumbidos e sensação de ardor
- sentir-se doente ou com mal-estar geral
- dor
- doenças do sangue
- doenças do fígado
- reações no local da injeção
- náuseas


Pouco frequentes (podem afetar até 1 doente em 100):
- situações alérgicas incluindo rinite alérgica e reações alérgicas ao medicamento (incluindo choque anafilático)
- anticorpos dirigidos aos tecidos normais
- cancros do sangue e sistema linfático como linfoma e leucemia
- cancros de órgãos sólidos
- cancros da pele, lesões da pele pré-cancerosas
- tumores benignos (não-cancerosos) e quistos (incluindo os da pele)
- problemas cardíacos incluindo fraqueza do músculo do coração, insuficiência cardíaca, ataque de coração, desconforto ou opressão no peito, ritmo cardíaco anormal incluindo batimentos cardíacos irregulares
- edema (inchaço da cara ou pernas)
- sintomas de lúpus (doença autoimune do tecido conjuntivo), nomeadamente, dor nas articulações, erupções na pele, fotossensibilidade e febre
- inflamação dos vasos sanguíneos
- sepsia (infeção grave que pode resultar na falência dos órgãos, choque ou morte)
- tuberculose
- infeções fúngicas (ocorrem quando a capacidade de defesa contra a infeção é menor)
- doenças respiratórias e inflamatórias (incluindo asma, falta de ar, tosse, sinusite, pleurisia ou dificuldade em respirar)
- doenças do estômago incluindo acumulação de líquido abdominal, úlceras (incluindo úlceras orais), perfuração, distensão, azia inflamatória, indisposição, boca seca
- problemas da bílis
- problemas musculares incluindo aumento das enzimas musculares
- alterações dos níveis de diversos sais no sangue
- alterações dos níveis de colesterol e de gorduras no sangue
- coágulos sanguíneos nas veias ou pulmões
- hemorragias ou nódoas negras
- alteração do número das células sanguíneas, incluindo diminuição dos glóbulos vermelhos (anemia), redução ou aumento do número de plaquetas
- inchaço dos nódulos linfáticos
- sintomas gripais, arrepios, alterações da perceção da temperatura, suores noturnos, afrontamentos
- ansiedade e alterações de humor tais como depressão, alterações do apetite, alteração do peso
- zumbido nos ouvidos
- vertigem (tonturas)
- sensação de desmaio, incluindo perda de consciência
- alterações nervosas nas extremidades incluindo sintomas de entorpecimento, zumbido, sensação de ardor, tonturas, tremor
- doenças da pele tais como aparecimento ou agravamento de psoríase, inflamação da pele (tal como eczema), doenças das glândulas sudoríparas, úlceras, fotossensibilidade, acne, perda de cabelo, descoloração, separação das unhas, pele seca e lesões
- dificuldade em cicatrizar feridas
- problemas renais e urinários incluindo alterações da função renal, sangue na urina e perturbações urinárias
- alterações do ciclo menstrual (período mensal) incluindo ausência de hemorragia ou hemorragia abundante ou irregular
- alterações da mama
- inflamação dos olhos e pálpebras, alterações da visão, problemas das lágrimas
- aumento de alguns parâmetros sanguíneos (aumento da fosfatase alcalina sanguínea)
- prolongamento dos tempos dos testes de coagulação

Raros (podem afetar até 1 doente em 1.000):
- cancro gastrointestinal, melanoma
- inflamação do pulmão (doença pulmonar intersticial,pneumonite)

- acidente vascular cerebral, obstrução dos vasos sanguíneos (arteriosclerose), circulação sanguínea debilitada que provoca dormência e palidez nos pés e mãos (fenómeno de Raynaud), descoloração da pele, manchas de cor púrpura, as veias de pequeno calibre próximas da superfície da pele podem tornar-se visíveis
- inflamação do pericárdio
- arritmia cardíaca
- aumento do tamanho do baço
- aumento da massa dos glóbulos vermelhos
- distúrbios morfológicos dos glóbulos brancos
- formação de cálculos (pedras) na vesícula biliar
- problemas renais (incluindo nefrite)
- doenças imunes tais como sarcoidose (erupção da pele, dor nas articulações, febre), doença do soro, inflamação do tecido gordo, edema angioneurótico (inchaço dos lábios, face, garganta)
- doenças da tiroide (bócio, cansaço, perda de peso)
- aumento dos níveis de ferro no organismo
- aumento dos níveis sanguíneos de ácido úrico
- tentativas de suicídio, problemas mentais, delírios
- inflamação dos nervos auditivo, visuais ou da face, alterações da coordenação motora ou desequilíbrio
- aumento do movimento gastrointestinal
- fístula (que se estende de um órgão para outro) (qualquer local)
- doenças orais incluindo dor ao engolir
- alterações da pele, bolhas, alteração da textura do cabelo
- disfunção sexual
- convulsão

Desconhecidos (a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis):
- esclerose múltipla*
- síndrome de Guillain-Barré*
- carcinoma de células Merkel (um tipo de cancro da pele)*

* Estes acontecimentos foram relacionados com esta classe de medicamentos mas a sua incidência com Certolizumab pegol é desconhecida.


Outros efeitos secundários
Quando este medicamento foi utilizado para tratar outras doenças, ocorreram com pouca frequência os seguintes efeitos secundários:
- estenose gastrointestinal (estreitamento de uma parte do tubo digestivo).

- obstruções gastrointestinais (bloqueios do tubo digestivo).

- deterioração do estado geral de saúde.

- aborto espontâneo.

- azoospermia (falta de produção de sémen).




Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: B - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiência em animais não foram encontrados riscos, mas foram encontrados efeitos colaterais que não foram confirmado nas mulheres, especialmente durante o último trimestre de gravidez.
Condução
Condução
Condução:Certolizumab pegol pode ter uma pequena influência na capacidade de conduzir e utilizar máquinas.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:A decisão em continuar/descontinuar a amamentação deve ser feita tendo em conta o benefício da amamentação para as crianças e o benefício da terapêutica com Certolizumab pegol para a mulher.
Precauções Gerais
Informe o médico antes do tratamento com Certolizumab pegol se algum dos casos se aplica a si:

Reações alérgicas
Se já teve REAÇÕES ALÉRGICAS tais como aperto no peito, pieira, tonturas, inchaço ou erupção na pele, pare de tomar este medicamento e contacte o médico IMEDIATAMENTE.

Algumas destas reações podem ocorrer após a primeira administração do medicamento.


Infeções
Se já teve INFEÇÕES RECORRENTES (REPETIDAS) ou OPORTUNISTAS ou outras situações que aumentem o risco de infeção (como tratamento com imunossupressores que são medicamentos que podem reduzir a sua capacidade para combater infeções).

Se tem uma infeção ou se desenvolveu sintomas tais como febre, feridas, cansaço ou problemas dentários.

Pode ter mais facilidade em contrair uma infeção enquanto está a ser tratado(a) com Certolizumab pegol, incluindo infeções graves ou, em casos raros, infeções com risco de vida associado.

Foram descritos casos de TUBERCULOSE (TB) em doentes tratados com este medicamento.

Se for diagnosticada tuberculose latente (inativa) pode ser necessário um tratamento antituberculose antes de iniciar Certolizumab pegol.

Em ocasiões raras pode desenvolver-se tuberculose durante a terapêutica, mesmo que o doente tenha recebido tratamento preventivo para a tuberculose.

É muito importante que informe o médico se já teve tuberculose ou se já esteve em contacto com alguém com tuberculose.

Se aparecerem sintomas da tuberculose (tosse persistente, perda de peso, apatia, febre ligeira) ou outra infeção durante ou após o tratamento com Certolizumab pegol deve informar o médico imediatamente.

Se estiver em risco, for portador ou tiver infeção ativa pelo VÍRUS DA HEPATITE B (VHB), Certolizumab pegol pode aumentar o risco de reativação em pessoas portadoras deste vírus.

Se tal acontecer, deve interromper a utilização deste medicamento.

Insuficiência cardíaca
Se tem INSUFICIÊNCIA CARDÍACA ligeira e está a ser tratado com este medicamento, o estado da sua doença cardíaca deve ser monitorizado com atenção pelo médico.

É importante que informe o médico se teve ou tem um problema cardíaco grave.

Se desenvolver novos sintomas de insuficiência cardíaca ou houver um agravamento dos sintomas já existentes (por exemplo, falta de ar ou inchaço dos pés), deve contatar o médico imediatamente.

Cancro
É pouco frequente mas já foram descritos casos de CANCRO em doentes tratados com Certolizumab pegol ou outros bloqueadores do TNF.

As pessoas com artrite reumatoide mais grave que já têm a doença há bastante tempo podem ter um risco maior de desenvolver um tipo de cancro que afeta o sistema linfático chamado linfoma.

Se está a usar Certolizumab pegol, o risco de vir a ter um linfoma ou outros cancros pode também aumentar.

Para além disso, foram observados casos pouco frequentes de cancro da pele não-melanoma em doentes a utilizar este medicamento.

Se aparecerem novas lesões na pele durante ou após o tratamento com Certolizumab pegol, ou se as lesões já existentes mudarem de aparência, informe o médico.

Têm existido casos de cancro, incluindo tipos de cancro menos comuns, em crianças e adolescentes tratados com agentes bloqueadores do TNF, os quais por vezes resultam em morte.

Outras doenças
Doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), ou que são grandes fumadores, podem ter um risco aumentado de cancro se estiverem a fazer tratamento com Certolizumab pegol.

Em alguns doentes, o corpo pode não conseguir produzir a quantidade suficiente de células sanguíneas que ajudam o corpo a combater as infeções ou que ajudam a parar hemorragias.

Se tiver febre que não desaparece, nódoas negras ou sangrar com facilidade ou parecer muito pálido, contacte o médico imediatamente.

É pouco frequente mas podem ocorrer sintomas de uma doença chamada lúpus (por exemplo, erupção da pele persistente, febre, dor nas articulações e cansaço).

Vacinações
Fale com o médico se recebeu ou está prestes a receber uma vacina.

Não lhe devem ser administradas certas vacinas (vivas) enquanto estiver em tratamento com Certolizumab pegol.

Algumas vacinações podem causar infeções.

Se recebeu este medicamento enquanto esteve grávida, o seu bebé pode estar sujeito a um risco mais elevado de contrair este tipo de infeções até aproximadamente cinco meses após a última dose lhe ter sido administrada durante a gravidez.

É importante que informe o pediatra do seu bebé e outros profissionais de saúde sobre a utilização de Certolizumab pegol, de modo que possam decidir quando é que o seu bebé deve receber alguma vacina.


Operações ou procedimentos dentários
Fale com o médico se vai fazer alguma operação ou procedimento dentário.

Este medicamento não é recomendado para utilização em crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos.


Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Os doentes que falhem uma dose devem ser avisados para efetuarem a injeção da próxima dose assim que se lembrarem e posteriormente procederem à injeção das doses seguintes como indicado inicialmente.


Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.


Conservar no frigorífico (2ºC - 8ºC).

Não congelar.

Manter a seringa pré-cheia dentro da embalagem exterior para proteger da luz.


Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Mulheres com potencial para engravidar devem adotar métodos de contraceção adequados para evitar uma gravidez e continuar a sua utilização durante pelo menos 5 meses após a última administração de Certolizumab pegol.

Não é recomendado durante a gravidez.

A decisão em continuar/descontinuar a amamentação deve ser feita tendo em conta o benefício da amamentação para as crianças e o benefício da terapêutica com Certolizumab pegol para a mulher.

Certolizumab pegol pode ter uma pequena influência na capacidade de conduzir e utilizar máquinas.

Podem ocorrer tonturas (incluindo sensação da divisão a rodar, visão turva e cansaço) após utilizar este medicamento.


Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020