Cefixima

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Cefixima é um antibiótico cefalosporínico de terceira geração como a ceftriaxona e cefotaxima.

A Cefixima é altamente estável na presença de enzimas beta-lactamase.

Como resultado, muitos organismos resistentes à penicilina e algumas cefalosporinas, devido à presença de beta-lactamase, podem ser susceptíveis a cefixima.

O efeito anti-bacteriano da Cefixima resulta da inibição da síntese de mucopeptídeos na parede celular bacteriana.
Usos comuns
As indicações terapêuticas são:
- Infeções brônquicas e pulmonares;
- Sinusite e otite aguda;
- Pielonefrite aguda sem uropatia;
- Infeções urinárias baixas, complicadas ou não, à exceção das prostatites;
- Uretrite gonocócica masculina.
Tipo
pequena molécula
História
Foi comercializado sob o nome Suprax 125 nos EUA até 2003, tendo sido retirado do mercado pela Wyeth, fabricante da substância, após a sua patente ter expirado.

A forma de suspensão oral de Suprax 125 foi relançada posteriormente pela Lupin nos EUA.
Indicações
A Cefixima está indicada no tratamento das seguintes infeções por agentes sensíveis:
– Otite média aguda
– Infeções do trato respiratório superior (faringites, amigdalites, sinusites agudas)
– Infeções do trato respiratório inferior (exacerbações agudas da bronquite crónica e pneumonia adquirida na comunidade)
– Infeções do trato urinário (cistite aguda e pielonefrite aguda não complicada)
– Uretrite e cervicite gonocócica não complicada.

Devem ser levadas em consideração as orientações nacionais e/ou locais sobre o uso apropriado de antibióticos.
Classificação CFT
01.01.02.03     Cefalosporinas de 3ª geração
Mecanismo De Ação
A Cefixima, única substância ativa de Cefixima, é um agente antibacteriano, da classe das cefalosporinas de 3ª geração.

Como antibiótico beta-lactâmico que é, atua por inibição da síntese da parede bacteriana. É pois, um antibiótico bactericida.

Graças à introdução de um radical carboximetoximino na posição 7 do núcleo cefémico, a Cefixima apresenta uma elevada resistência à inativação pela generalidade das beta-lactamases produzidas por bactérias gram-positivas ou gram-negativas.

Esta característica traduz-se por uma atividade praticamente sobreponível sobre as bactérias sensíveis, quer estas sejam ou não produtoras de beta-lactamases.
Posologia Orientativa
Comprimidos:

A posologia habitualmente recomendada é a seguinte:
Adultos e adolescentes com mais de 12 anos (ou mais de 30 kg de peso)
A dose recomendada para os adultos é de 200 mg de cada vez, de 12 em 12 horas ou 400 mg por dia, administrados de uma só vez.
Para as infeções não complicadas do trato urinário a dose de 200 mg por dia é eficaz.

Suspensão oral:
A posologia habitualmente recomendada é a seguinte: 8 mg/kg, diariamente, de 24 em 24 horas.

Em termos de forma farmacêutica, a posologia é geralmente, a seguinte:
Crianças dos 2 aos 4 anos: de 24 em 24 horas, 1 colher-medida; de 12 em 12 horas, ½ colher-medida.

Crianças dos 5 aos 8 anos: de 24 em 24 horas, 2 colheres-medida; de 12 em 12 horas, 1 colher-medida.

Crianças dos 9 aos 12 anos: de 24 em 24 horas, 3 colheres-medida; de 12 em 12 horas, 1½ colheres-medida.
Administração
Os comprimidos de Cefixima podem ser tomados com ou sem alimentos.

Os comprimidos devem ser engolidos inteiros, sem mastigar e acompanhados de um pouco de líquido.
Contraindicações
Hipersensibilidade à substância ativa e, de uma maneira geral, aos antibióticos beta-lactâmicos.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Efeitos secundários raros (afetam menos de 1 em 1000 doentes) incluem:
– Inchaço da face, língua e dificuldade em respirar.

Efeitos secundários muito raros (afetam menos de 1 em 10000 doentes) incluem:
– Diarreia intensa que pode conter sangue;
– Inesperada reação alérgica acompanhada de falta de ar, erupção cutânea, dificuldade em respirar, descida da pressão arterial;
– Erupção cutânea eritematosa, grave e extensa.

Os seguintes efeitos secundários foram também notificados:
Efeitos secundários frequentes (afetam menos de 1 em 10 doentes):
– Diarreia.

Efeitos secundários pouco frequentes (afetam menos de 1 em 100 doentes):
– Cefaleia;
– Dor de estômago (abdominal);
– Náusea;
– Vómitos;
– Erupção cutânea;
– Aumento das enzimas hepáticas no soro (transaminases, alcalinofosfatases).

Efeitos secundários raros (afetam menos de 1 em 1000 doentes):
– Sobreinfeção bacteriana;
– Sobreinfeção fúngica;
– Eosinofilia;
– Hipersensibilidade;
– Tonturas;
– Flatulência;
– Hepatite;
– Icterícia;
– Edema angioneurótico;
– Prurido;
– Inflamação das mucosas;
– Febre;
– Aumento da ureia no soro.

Efeitos secundários muito raros: (afetam menos de 1 em 10000 doentes):
– Colite associada ao antibiótico;
– Choque anafilático;
– Artrite reumatoide;
– Hiperatividade psicomotora;
– Nefrite intersticial;
– Aumento da creatinina no soro.
Advertências
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Reduzir dose (25 a 50%) e/ ou prolongar intervalo de administração na IR moderada a grave.
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: B - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiência em animais não foram encontrados riscos, mas foram encontrados efeitos colaterais que não foram confirmado nas mulheres, especialmente durante o último trimestre de gravidez.
Aleitamento
Aleitamento:Cefixima não deverá ser prescrita a mulheres durante a lactação.
Precauções Gerais
Além da prudência na utilização da Cefixima durante a gravidez e a lactação, do respeito pela contraindicação hipersensibilidade à Cefixima ou aos seus excipientes e, de uma maneira geral, aos antibióticos beta-lactâmicos e, ainda a observância da redução posológica nos insuficientes renais.

Cefalosporinas devem ser administradas com precaução a doentes com hipersensibilidade as penicilinas, uma vez que existe evidência parcial de alergia cruzada entre penicilinas e cefalosporinas.

Ocorram casos de doentes que sofreram de reações graves (inclusive anafiláticas) a ambas as classes terapêuticas.
É recomendado especial cuidado aos doentes que sofreram qualquer reação alérgica a penicilina ou a outro antibiótico beta-lactâmico, dado que reações cruzadas podem ocorrer.
O uso de Cefixima deve ser imediatamente descontinuado se uma reação de hipersensibilidade ou uma reação anafilática severa ocorrer e medidas de emergência apropriadas devem ser iniciadas.

O uso prolongado de Cefixima pode originar o sobre crescimento de agentes não sensíveis.

O tratamento com antibióticos de largo espectro altera a flora normal do cólon e pode conduzir à colonização pelo Clostridia. Estudos indicam que a toxina produzida pelo Clostridium difficile é a principal causa de diarreia associada ao antibiótico.

A colite pseudomembranosa está associada ao uso de antibióticos de largo espectro (macrólidos, penicilinas semissintéticas, lincosaminas e cefalosporinas inclusive a cefixima); é importante ter em consideração no diagnóstico desta patologia em doentes que desenvolvem diarreias associadas ao uso de antibióticos.

Doentes com colite pseudomembranosa, estiveram em risco de vida, devido ao desenvolvimento de diarreia severa durante ou após o uso de cefixima, pelo que dever-se-á tê-la em consideração.
A utilização de Cefixima deve ser descontinuada e medidas de tratamento apropriadas devem ser estabelecidas.

O tratamento da colitepseudo membranosa incluiu sigmoidoscopia, estudos bacteriológicos apropriados, fluidos, eletrólitos e suplementos proteicos.
Se a colite não melhorar após a descontinuação do fármaco ou se os sintomas agravarem o antibiótico de eleição para a colite pseudomembranosa originada pelo C.
difficile é a vancomicina por via oral.

Deverão ser excluídas outras causas para a colite pseudomembranosa.
Esta contraindicada a utilização de medicamentos que inibam os movimentos peristálticos intestinais.
Cuidados com a Dieta
A Cefixima poderá ser administrado durante a refeição.
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Se se esquecer de tomar a dose no tempo certo, tome-a assim que se lembrar.
Se for quase altura de tomar a próxima dose, espere até lá e proceda como antes.
Cuidados no Armazenamento
Conservar a temperatura inferior a 25ºC.
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Cefixima + Antiácidos

Observações: N.D.
Interações: Os antiácidos não interferem na absorção da cefixima.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cefixima + Probenecida

Observações: N.D.
Interações: Os inibidores da reabsorção tubular, como o probenecide, podem dificultar a excreção urinária da cefixima, aumentando os valores de Cmax e da AUC24.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cefixima + Salicilatos

Observações: N.D.
Interações: Os salicilatos e outros anti-inflamatórios não esteroides podem deslocar a cefixima da sua ligação às proteínas plasmáticas. Aumentando assim as concentrações da fração livre.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cefixima + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: Os salicilatos e outros anti-inflamatórios não esteroides podem deslocar a cefixima da sua ligação às proteínas plasmáticas. Aumentando assim as concentrações da fração livre.

Cefixima + Testes Laboratoriais/Diagnóstico

Observações: N.D.
Interações: Podem observar-se resultados positivos falsos no doseamento da glicose na urina por reagentes cúpricos, mas não pelos que utilizam a glicoxidase. O teste de Coombs pode também apresentar-se falsamente positivo, como sucede com a generalidade das cefalosporinas.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cefixima + Contracetivos orais

Observações: N.D.
Interações: A administração de cefixima pode reduzir a eficácia dos contracetivos orais. É assim recomendado que sejam tomadas medidas contracetivas adicionais não hormonais.

Cefixima + Anticoagulantes orais

Observações: N.D.
Interações: Em comum com a generalidade das cefalosporinas, foi observado um aumento no tempo de protombina em alguns doentes, assim dever-se-á ter algum cuidado com doentes a efetuar tratamento com anticoagulantes.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Não deve tomar este medicamento em conjunto com outros antibióticos sem indicação expressa do seu Médico.

Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar um medicamento anticoagulante, como a varfarina.

A administração de Cefixima pode reduzir a eficácia dos contracetivos orais.
É assim recomendado que sejam tomadas medidas contracetivas adicionais não hormonais, como o uso do preservativo.


É necessária precaução na prescrição de medicação a mulheres grávidas. Cefixima não deve prescrita a mulheres grávidas, salvo se o Médico considerar essencial essa utilização. Cefixima não deverá ser prescrita a mulheres durante a lactação.

Os efeitos indesejáveis podem ocorrer e influenciar a capacidade de conduzir e utilizar máquinas.


Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017