Caspofungina

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
A caspofungina é um medicamento antifúngico, sendo o primeiro de uma nova classe denominada equinocandinas.

Revela atividade contra infeções por Aspergillus e Candida, e funciona através da inibição β(1,3)-D-glucano da parede celular dos fungos.

A caspofungina é administrada por via intravenosa.
Usos comuns
A caspofungina é utilizada para tratar infeções por fungos, que envolvem o estômago, pulmão, esófago, ou outras áreas internas do corpo.
Tipo
Molécula pequena.
História
Sem informação.
Indicações
Para o tratamento da candidíase esofágica e aspergilose invasiva em pacientes que são refratários ou intolerantes a outras terapias.
Classificação CFT

01.02 : Antifúngicos

Mecanismo De Ação
A caspofungina inibe a síntese de beta-(1,3)-D-glucana, um componente essencial da parede celular das espécies de Aspergillus e espécies de Candida.

O beta-(1,3)-D-glucano não está presente nas células de mamíferos.

O alvo principal é o beta-(1,3)-glucana sintase.
Posologia Orientativa
Dose adulta usual para aspergilose - invasiva:
Em pacientes refratários ou intolerantes de outras terapias:
Dose: 70 mg IV no dia 1;
Dose de manutenção: 50 mg uma vez por dia IV;
A duração do tratamento deve basear-se na subjacente gravidade da doença do paciente, a recuperação a partir de imunossupressão e resposta clínica.

Dose adulta usual para Candidemia:
Candidemia e as seguintes infeções por Candida - abscessos intra-abdominais, peritonite e infeções espaço pleural:
Dose: 70 mg IV no dia 1;
Dose de manutenção: 50 mg uma vez por dia IV;
A duração do tratamento deve ser ditada pela resposta clínica e microbiológica do paciente.

Em geral, a terapia antifúngica deve continuar por pelo menos 14 dias após a última cultura positiva.

Os pacientes que permanecem neutropénicos persistentemente podem justificar um ciclo mais longo de resolução da terapia, pendente da neutropenia.

Dose adulta usual para esofágica Candidíase:
Administrar 50 mg IV, uma vez por dia, durante 7 a 14 dias após a resolução dos sintomas; Uma dose de 70 mg de carga não foi estudada para esta indicação.

Devido ao risco de recidiva de candidíase orofaríngea em doentes com infeções por HIV, a terapia oral supressora pode ser considerada.

Dose adulta usual para Neutropenia Febril:
Terapêutica empírica de presumíveis infeções fúngicas:
Dose: 70 mg IV no dia 1;
Dose de manutenção: 50 mg uma vez por dia IV;
A duração do tratamento deve ser baseada na resposta clínica do paciente.

A terapêutica empírica deve continuar até resolução da neutropenia.

Os pacientes em risco de infeção fúngica devem ser tratados por um mínimo de 14 dias, o tratamento deve continuar por pelo menos 7 dias após tanto neutropenia e sintomas clínicos são resolvidos.

Se a dose de 50 mg for bem tolerada, mas não fornecer uma resposta clínica adequada, a dose diária pode ser aumentada para 70 mg.

Dose pediátrica Usual para Candidemia:
Candidemia e as seguintes infeções por Candida – abscessos intra-abdominais, peritonite e infeções espaço pleural:
3 meses ou mais:
Dose: 70 mg/m2 IV no dia 1;
A dose de manutenção: 50 mg/m2 IV, uma vez por dia;
A dose máxima e a dose de manutenção diária não deve exceder 70 mg, independentemente da dose calculada para o paciente.

Se a dose diária de 50 mg/m2, for bem tolerada, mas não fornecer uma resposta clínica adequada, a dose diária pode ser aumentada para 70 mg/m2 por dia (a não exceder 70 mg).

A duração do tratamento deve ser ditada pela resposta clínica e microbiológica do paciente.

Em geral, a terapia antifúngica deve continuar por pelo menos 14 dias após a última cultura positiva.

Os pacientes que permanecem persistentemente neutropénicos podem justificar um ciclo mais longo de resolução da terapia, pendente da neutropenia.

Usual Dose pediátrica para aspergilose - invasiva:
Em pacientes refratários ou intolerantes de outras terapias:
3 meses ou mais:
Dose: 70 mg/m2 IV no dia 1;
A dose de manutenção: 50 mg/m2 IV, uma vez por dia;
A dose máxima e a dose de manutenção diária não deve exceder 70 mg, independentemente da dose calculada para o paciente.

Se a dose diária de 50 mg/m2, for bem tolerada, mas não fornecer resposta clínica adequada, a dose diária pode ser aumentada para 70 mg/m2 por dia (não exceder 70 mg).

A duração do tratamento deve basear-se na subjacente gravidade da doença do paciente, a recuperação a partir de imunossupressão e resposta clínica.

Usual Dose pediátrica para esofágica Candidíase:
3 meses ou mais:
Dose: 70 mg/m2 IV no dia 1;
Dose de manutenção: 50 mg/m2 IV, uma vez por dia, durante 7 a 14 dias após a resolução dos sintomas;
A dose de carga máxima e a dose de manutenção diária não deve exceder 70 mg, independentemente da dose calculada para o paciente.

Se a dose diária de 50 mg/m2, for bem tolerada, mas não fornecer resposta clínica adequada, a dose diária pode ser aumentada para 70 mg/m2 por dia (não exceder 70 mg).

Devido ao risco de recidiva de candidíase orofaríngea em doentes com infeções por HIV, a terapia oral supressora pode ser considerada.

Dose pediátrica Usual para Neutropenia Febril:
Terapêutica empírica de presumíveis infeções fúngicas:
3 meses ou mais:
Dose: 70 mg/m2 IV no dia 1;
A dose de manutenção: 50 mg/m2 IV, uma vez por dia;
A dose máxima e a dose de manutenção diária não deve exceder 70 mg, independentemente da dose calculada para o paciente.

Se a dose diária de 50 mg/m2, for bem tolerada, mas não fornecer resposta clínica adequada, a dose diária pode ser aumentada para 70 mg/m2 por dia (não exceder 70 mg).

A duração do tratamento deve ser baseada na resposta clínica do paciente.

Terapêutica empírica deve continuar até a resolução da neutropenia.

Os pacientes com uma infeção fúngica devem ser tratados por um mínimo de 14 dias, e o tratamento deve continuar por pelo menos 7 dias após a neutropenia e os sintomas clínicos estejam resolvidos.
Administração
Via intravenosa.
Contraindicações
Não tomar caspofungina se: for alérgico a qualquer ingrediente da caspofungina.

Contactar o médico ou profissional de saúde imediatamente se algum destes casos se aplicar a si.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obter ajuda médica de emergência se sentir algum destes sinais de reacção alérgica: urticária, dificuldade em respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Deve informar imediatamente o médico se tiver um efeito colateral grave, tais como:
- Dor, inchaço, ou irritação da veia ao redor da agulha IV;
- Febre, calafrios, dores no corpo, sintomas de gripe;
- Inchaço das mãos ou pés;
- Fraqueza, cãibras musculares, batimentos cardíacos fortes ou irregulares, ou
- Náuseas, dor de estômago, perda de apetite, comichão, urina escura, fezes cor de barro, icterícia (amarelamento da pele ou olhos).

Os efeitos secundários menos graves incluem:
- Vómitos, diarreia;
- Erupções cutâneas ou prurido leve;
- Dor de cabeça;
- Tonturas, sensação de cabeça leve, ou
- Rubor (calor, vermelhidão, sensação de formigueiro ou).

Esta não é a lista completa dos efeitos secundários, podendo ocorrer outros.

Pedir aconselhamento médico sobre os efeitos secundários.
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
É muito importante que o médico verifique a sua evolução ou do seu filho enquanto estiver a tomar caspofungina para garantir que o medicamento atuou corretamente.

Podem ser necessários exames de sangue para verificar a existência de efeitos indesejáveis.

Deve entrar imediatamente em contacto com o médico se você, ou o seu filho, tiver quaisquer sintomas de problemas de fígado, incluindo urina de cor escura ou fezes claras, náuseas, vómitos, perda de apetite, dor na parte superior do estômago, ou amarelecimento da pele ou da parte branca dos olhos.

A caspofungina pode causar um tipo grave de reação alérgica chamada de anafilaxia.

A anafilaxia pode ser fatal e exige atenção médica imediata.

Deve entrar imediatamente em contacto com o médico se você, ou o seu filho, tiver uma erupção cutânea, comichão, rouquidão, dificuldade em respirar, dificuldade em engolir, ou qualquer inchaço das mãos, rosto ou boca após receber caspofungina.

Não tomar outros medicamentos que não tenham sido falados com o médico.

Isso inclui medicamentos com ou sem receita [OTC], e ervas ou suplementos vitamínicos.
Cuidados com a Dieta
Como é administrado por via intravenosa (numa veia), não são necessárias restrições relativas à comida ou bebidas.
Terapêutica Interrompida
Uma vez que a caspofungina é geralmente administrada por um profissional de saúde, é pouco propvável que esqueça uma dose.

Se estiver a administrar as injeções em casa e se esquecer de uma dose, tomar a dose esquecida assim que se lembrar.

Salte a dose esquecida se for quase hora da próxima dose.

Não administrar medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Guardar o pó de caspofungina no frigorífico.
Não congelar.
Tirar o pó do frigorífico e deixá-lo atingir a temperatura ambiente antes de misturar o medicamento.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Ciclosporina

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Em dois estudos clínicos realizados em indivíduos adultos saudáveis, a ciclosporina A (uma dose de 4 mg/kg ou duas doses de 3 mg/kg administradas com um intervalo de 12 horas) aumentou a AUC da caspofungina aproximadamente em 35%. Estes aumentos na AUC devem-se provavelmente à redução da captação da caspofungina pelo fígado. A caspofungina não aumentou os níveis plasmáticos da ciclosporina. Quando se administraram concomitantemente caspofungina e ciclosporina, verificaram-se aumentos transitórios nas ALT e AST hepáticas inferiores ou iguais ao triplo do limite superior da normalidade (ULN), que desapareceram com a interrupção da administração dos medicamentos. Não foram observadas reações adversas hepáticas graves num estudo retrospetivo pós-comercialização em 40 doentes tratados com caspofungina e ciclosporina num período de 1 a 290 dias (mediana de 17,5 dias). Deverá considerar-se uma estreita monitorização das enzimas hepáticas se estes dois medicamentos forem utilizados concomitantemente. - Ciclosporina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Tacrolímus

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: A caspofungina reduziu a concentração de vale do tacrolímus em cerca de 26% em voluntários adultos saudáveis. Em doentes que estejam a receber ambas as terapêuticas, é exigida a monitorização de rotina das concentrações sanguíneas do tacrolímus e instituídos ajustamentos posológicos adequados do tacrolímus. Os estudos clínicos em voluntários adultos saudáveis mostram que a farmacocinética da caspofungina não é alterada de modo clinicamente relevante pelo tacrolímus. - Tacrolímus
Sem efeito descrito

Caspofungina + Anfotericina B

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os estudos clínicos em voluntários adultos saudáveis mostram que a farmacocinética da caspofungina não é alterada de modo clinicamente relevante pela anfotericina B. A caspofungina não influenciou a farmacocinética da anfotericina B. Apesar dos dados de segurança serem limitados, parece não serem necessárias precauções especiais quando a anfotericina B é coadministrados com a caspofungina. - Anfotericina B
Sem efeito descrito

Caspofungina + Itraconazol

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os estudos clínicos em voluntários adultos saudáveis mostram que a farmacocinética da caspofungina não é alterada de modo clinicamente relevante pelo itraconazol. A caspofungina não influenciou a farmacocinética do itraconazol. Apesar dos dados de segurança serem limitados, parece não serem necessárias precauções especiais quando o itraconazol é coadministrado com a caspofungina. - Itraconazol
Sem efeito descrito

Caspofungina + Micofenolato de mofetil

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os estudos clínicos em voluntários adultos saudáveis mostram que a farmacocinética da caspofungina não é alterada de modo clinicamente relevante pelo micofenolato. A caspofungina não influenciou a farmacocinética do micofenolato de mofetil. Apesar dos dados de segurança serem limitados, parece não serem necessárias precauções especiais quando o micofenolato de mofetil é coadministrado com a caspofungina. - Micofenolato de mofetil
Sem efeito descrito

Caspofungina + Nelfinavir

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os estudos clínicos em voluntários adultos saudáveis mostram que a farmacocinética da caspofungina não é alterada de modo clinicamente relevante pelo nelfinavir. Apesar dos dados de segurança serem limitados, parece não serem necessárias precauções especiais quando o nelfinavir é coadministrado com a caspofungina. - Nelfinavir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Rifampicina

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: A caspofungina não influenciou a farmacocinética da rifampicina. A rifampicina causou um aumento de 60% na AUC e um aumento de 170% na concentração de vale da caspofungina no primeiro dia de coadministração, quando a administração de ambos os medicamentos foi iniciada em conjunto em voluntários adultos saudáveis. Os níveis da concentração de vale da caspofungina diminuíram gradualmente com a administração repetida. Após duas semanas de administração, o efeito da rifampicina na AUC foi limitado, mas os níveis de vale eram 30% inferiores aos dos indivíduos adultos que receberam somente caspofungina. O mecanismo da interação pode possivelmente dever-se a uma inibição inicial e indução subsequente das proteínas transportadoras. Poderia esperar-se um efeito semelhante para os outros medicamentos que induzem as enzimas metabólicas. Os dados limitados sobre os estudos farmacocinéticos na população indicam que a utilização concomitante de caspofungina com os indutores efavirenz, nevirapina, rifampicina, dexametasona, fenitoína ou carbamazepina, podem resultar numa diminuição da AUC da caspofungina. Quando se coadministram indutores das enzimas metabólicas em doentes adultos, deve considerar-se um aumento da dose diária de caspofungina para 70 mg, a seguir à dose de carga de 70 mg. Quando a caspofungina é coadministrada a doentes pediátricos (12 meses a 17 anos de idade) com indutores da depuração de fármacos como a rifampicina, efavirenz, nevirapina, fenitoína, dexametasona ou carbamazepina, deve ser considerada uma dose diária de 70 mg/m2 de caspofungina (não excedendo uma dose real diária de 70 mg). - Rifampicina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Efavirenz

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os dados limitados sobre os estudos farmacocinéticos na população indicam que a utilização concomitante de caspofungina com os indutores efavirenz, nevirapina, rifampicina, dexametasona, fenitoína ou carbamazepina, podem resultar numa diminuição da AUC da caspofungina. Quando se coadministram indutores das enzimas metabólicas em doentes adultos, deve considerar-se um aumento da dose diária de caspofungina para 70 mg, a seguir à dose de carga de 70 mg. Quando a caspofungina é coadministrada a doentes pediátricos (12 meses a 17 anos de idade) com indutores da depuração de fármacos como a rifampicina, efavirenz, nevirapina, fenitoína, dexametasona ou carbamazepina, deve ser considerada uma dose diária de 70 mg/m2 de caspofungina (não excedendo uma dose real diária de 70 mg). - Efavirenz
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Nevirapina

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os dados limitados sobre os estudos farmacocinéticos na população indicam que a utilização concomitante de caspofungina com os indutores efavirenz, nevirapina, rifampicina, dexametasona, fenitoína ou carbamazepina, podem resultar numa diminuição da AUC da caspofungina. Quando se coadministram indutores das enzimas metabólicas em doentes adultos, deve considerar-se um aumento da dose diária de caspofungina para 70 mg, a seguir à dose de carga de 70 mg. Quando a caspofungina é coadministrada a doentes pediátricos (12 meses a 17 anos de idade) com indutores da depuração de fármacos como a rifampicina, efavirenz, nevirapina, fenitoína, dexametasona ou carbamazepina, deve ser considerada uma dose diária de 70 mg/m2 de caspofungina (não excedendo uma dose real diária de 70 mg). - Nevirapina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Dexametasona

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os dados limitados sobre os estudos farmacocinéticos na população indicam que a utilização concomitante de caspofungina com os indutores efavirenz, nevirapina, rifampicina, dexametasona, fenitoína ou carbamazepina, podem resultar numa diminuição da AUC da caspofungina. Quando se coadministram indutores das enzimas metabólicas em doentes adultos, deve considerar-se um aumento da dose diária de caspofungina para 70 mg, a seguir à dose de carga de 70 mg. Em doentes pediátricos, os resultados da análise de regressão dos dados farmacocinéticos sugerem que a coadministração de dexametasona com caspofungina pode resultar em reduções clinicamente significativas das concentrações de vale da caspofungina. Este resultado pode indicar que as reduções com indutores apresentadas pelos doentes pediátricos serão semelhantes às dos adultos. Quando a caspofungina é coadministrada a doentes pediátricos (12 meses a 17 anos de idade) com indutores da depuração de fármacos como a rifampicina, efavirenz, nevirapina, fenitoína, dexametasona ou carbamazepina, deve ser considerada uma dose diária de 70 mg/m2 de caspofungina (não excedendo uma dose real diária de 70 mg). - Dexametasona
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Fenitoína

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os dados limitados sobre os estudos farmacocinéticos na população indicam que a utilização concomitante de caspofungina com os indutores efavirenz, nevirapina, rifampicina, dexametasona, fenitoína ou carbamazepina, podem resultar numa diminuição da AUC da caspofungina. Quando se coadministram indutores das enzimas metabólicas em doentes adultos, deve considerar-se um aumento da dose diária de caspofungina para 70 mg, a seguir à dose de carga de 70 mg. Quando a caspofungina é coadministrada a doentes pediátricos (12 meses a 17 anos de idade) com indutores da depuração de fármacos como a rifampicina, efavirenz, nevirapina, fenitoína, dexametasona ou carbamazepina, deve ser considerada uma dose diária de 70 mg/m2 de caspofungina (não excedendo uma dose real diária de 70 mg). - Fenitoína
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Caspofungina + Carbamazepina

Observações: Estudos in vitro mostram que a caspofungina não é um inibidor de qualquer das enzimas do sistema do citocromo P450 (CYP). Em estudos clínicos, a caspofungina não induziu o metabolismo de outras substâncias pelo CYP3A4. A caspofungina não é um substrato para a glicoproteína - P e é um substrato pobre para as enzimas do citocromo P450. No entanto, em estudos farmacológicos e clínicos, foi demonstrado que a caspofungina interage com outros medicamentos. Todos os estudos de interação em adultos supracitados foram conduzidos com doses diárias de 50 ou 70 mg de caspofungina. A interação de doses mais elevadas de caspofungina com outros medicamentos não foi formalmente estudada.
Interações: Os dados limitados sobre os estudos farmacocinéticos na população indicam que a utilização concomitante de caspofungina com os indutores efavirenz, nevirapina, rifampicina, dexametasona, fenitoína ou carbamazepina, podem resultar numa diminuição da AUC da caspofungina. Quando se coadministram indutores das enzimas metabólicas em doentes adultos, deve considerar-se um aumento da dose diária de caspofungina para 70 mg, a seguir à dose de carga de 70 mg. Quando a caspofungina é coadministrada a doentes pediátricos (12 meses a 17 anos de idade) com indutores da depuração de fármacos como a rifampicina, efavirenz, nevirapina, fenitoína, dexametasona ou carbamazepina, deve ser considerada uma dose diária de 70 mg/m2 de caspofungina (não excedendo uma dose real diária de 70 mg). - Carbamazepina
Contraindicado

Lamivudina + Nevirapina + Zidovudina + Caspofungina

Observações: n.d.
Interações: Caspofungina: Os indutores da depuração da droga podem diminuir a concentração sérica de Caspofungina. Gerenciamento: Considere o uso de uma dose aumentada de caspofungina de 70 mg por dia em adultos (ou 70 mg / m2 , até um máximo de 70 mg por dia em pacientes pediátricos) quando administrada concomitantemente com indutores conhecidos da depuração do medicamento. Considere modificação da terapia - Caspofungina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fumarato de clemastina + Dexametasona + Caspofungina

Observações: n.d.
Interações: Interações Medicamento – Medicamento Este medicamento pode interagir com as seguintes substâncias: Reduzem o efeito da dexametasona: Praziquantel, caspofungina, barbitúricos, salicilatos, hidantoína, rifamicinas, anticolinesterase, vacinas. - Caspofungina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Caspofungina
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Utilizar a caspofungina como indicado pelo médico.
Verificar o rótulo do medicamento para instruções exatas de dosagem.
A caspofungina é geralmente administrada em injeção no consultório do médico, hospital ou clínica.
Se vai administrar a caspofungina em casa, um profissional de saúde irá ensiná-lo a usá-la.
Certifique-se de que entende como usar a caspofungina.
Seguir os procedimentos ensinados quando administrar uma dose.
Contactar o médico se tiver quaisquer dúvidas.
Não utilizar a caspofungina se esta contiver partículas, estiver nublada ou descolorida, ou se o frasco estiver rachado ou danificado.
Não reutilizar agulhas, seringas ou outros materiais.
Perguntar ao profissional de saúde como descartar esses materiais após o uso.
Deve seguir todas as normas locais para a eliminação.
Esclareça com o médico qualquer dúvida que possa ter sobre como usar caspofungina.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020