Carvão activado

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
O carvão activado é um pó preto, inodoro e insípido previamente tratado por vários agentes para reforçar os seus poderes de adsorção.

O tratamento é conhecido por activação; os agentes eliminam as substâncias previamente adsorvidas sobre o carvão vegetal, e, em alguns casos, partem os grânulos de carbono em outros cada vez mais pequenos tendo uma maior área de superfície total; logo, um número maior de pontos de adsorção da molécula de carvão.

O carvão activado é um medicamento usado para tratar intoxicações orais.
Para ser eficaz, ele deve ser usado logo após a ocorrência do envenenamento, normalmente uma hora.
Não funciona para intoxicações por cianeto, agentes corrosivos, ferro, lítio, álcoois ou malatião.
Usos comuns
Tratamento de emergência de Intoxicação pela maioria dos medicamentos e produtos químicos.
Tratamento de diarreia, gases no estômago e flatulência excessiva.
Tipo
Molécula pequena.
História
Enquanto o carvão vegetal tem sido usado desde os tempos antigos para envenenamentos, o carvão activado tem sido usado desde 1900.
Está na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde.
Indicações
Tratamento de emergência de Intoxicação pela maioria dos medicamentos e produtos químicos.
Tratamento de diarreia, gases no estômago e flatulência excessiva.
Classificação CFT

06.03.02.02.02 : Adsorventes

Mecanismo De Ação
O carvão activado avidamente adsorve drogas e produtos químicos sobre as superfícies das partículas de carvão vegetal, evitando assim a absorção e toxicidade.

A eficácia do carvão está dependente do tempo desde a ingestão e da dose de carvão, deve-se tentar obter um carvão: rácio da substância de pelo menos 10:1.
Posologia Orientativa
Conforme prescrição médica.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Não usar carvão activado se: for alérgico a qualquer ingrediente do carvão activado.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Contactar o médico se qualquer destes efeitos secundários mais comuns persistirem ou se se tornarem incómodos:
Prisão de ventre, diarreia, escurecimento temporário das fezes, vómitos.

Procurar ajuda médica imediatamente se algum destes efeitos secundários graves ocorrerem:
reacções alérgicas graves (rash, urticária, dificuldade em respirar; aperto no peito, inchaço da boca, face, lábios ou língua).
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
Algumas condições médicas podem interagir com o carvão activado.

Deve informar o médico ou farmacêutico se tiver quaisquer condições médicas, especialmente se alguma das situações seguintes se aplicar a si:
- Se estiver grávida, a planear engravidar ou a amamentar
- Se estiver a tomar qualquer medicamento com ou sem receita médica, preparação à base de plantas, ou suplemento dietético
- Se tiver alergia a medicamentos, alimentos, ou outras substâncias.

Alguns medicamentos podem interagir com carvão activado.

No entanto, não se conhecem até ao momento interacções específicas com carvão activado.

Perguntar ao médico se o carvão activado interaje com outros medicamentos que esteja a tomar.

Deve falar com o médico antes de iniciar, parar ou alterar a dose de qualquer medicamento.
Cuidados com a Dieta
Tomar carvão activado após as refeições ou ao primeiro sinal de desconforto.
Terapêutica Interrompida
Se tiver esquecido uma dose de carvão activado, tome-a assim que se lembrar.
Continuar a tomá-lo como indicado pelo médico.
Cuidados no Armazenamento
Guardar o carvão activado à temperatura ambiente, entre 68 e 77 graus F (20 e 25 graus C).
Armazenar longe do calor, humidade e luz.
Não armazenar na casa de banho.
O armazenamento breve a temperaturas entre 59 e 86 graus F (15 e 30 graus C) é permitido.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Desogestrel + Carvão activado

Observações: As interações entre os contracetivos hormonais e outros medicamentos podem conduzir a hemorragias intracíclicas e/ou falência contracetiva. Os contracetivos hormonais podem interferir com o metabolismo de outros medicamentos. Por este motivo, as concentrações plasmáticas e tecidulares destes podem estar aumentadas ou diminuídas. Nota: A informação sobre a prescrição da medicação concomitante deve ser consultada de forma a identificar potenciais interações.
Interacções: Durante o tratamento com carvão ativado, a absorção do esteróide presente no comprimido pode ser reduzida e, consequentemente, a eficácia contracetiva pode estar comprometida. - Carvão activado
Consultar informação actualizada

Carvão activado + Outros medicamentos

Observações: N.D.
Interacções: O uso de carvão activado geralmente reduzirá o efeito de medicamentos administrados por via oral. - Outros medicamentos
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dapsona + Carvão activado

Observações: N.D.
Interacções: A administração simultânea de carvão activado, didanosina (ddl), antiácidos e bloqueadores H2, pode diminuir a absorção da dapsona pelo que a toma de dapsona e dos restantes medicamentos deve ser efectuada, no mínimo, com duas horas de intervalo. - Carvão activado
Usar com precaução

Etinilestradiol + Norgestimato + Carvão activado

Observações: Aconselha-se que os médicos consultem a rotulagem dos medicamentos utilizados concomitantemente, para obter mais informações acerca das interações com contracetivos hormonais e da possível necessidade de ajustar as dosagens.
Interacções: O tratamento com carvão ativado irá comprometer a absorção de hormonas esteroides. - Carvão activado
Usar com precaução

Ácido micofenólico + Carvão activado

Observações: N.D.
Interacções: Colestiramina e fármacos que se ligam aos ácidos biliares: Deve-se ter cuidado durante a administração concomitante de fármacos ou terapêuticas que se possam ligar aos ácidos biliares, por exemplo, sequestrantes dos ácidos biliares ou carvão ativado oral, dado o potencial para diminuir a exposição do AMF e assim reduzir a eficácia de Ácido micofenólico. - Carvão activado
Não recomendado/Evitar

Leflunomida + Carvão activado

Observações: Os estudos de interação só foram efetuados em adultos.
Interacções: Recomenda-se que os doentes medicados com leflunomida não sejam tratados com colestiramina ou carvão ativado em pó, uma vez que esta associação determina uma baixa rápida e significativa da concentração plasmática do A771726 (o metabolito activo da leflunomida). Supõe-se que este facto seja devido a um mecanismo de interrupção da reciclagem entero-hepática e/ou a uma diálise gastrointestinal do A771726. - Carvão activado
Contraindicado

Miglitol + Carvão activado

Observações: N.D.
Interacções: Os adsorventes intestinais (ex. carvão activado) e as preparações de enzimas digestivas contendo enzimas degradantes de hidratos de carbono (ex. amilase e pancreatina) podem reduzir o efeito do miglitol e portanto não devem ser usados concomitantemente. - Carvão activado
Sem efeito descrito

Apixabano + Carvão activado

Observações: N.D.
Interacções: Efeito do apixabano noutros medicamentos: Estudos in vitro com apixabano não mostraram efeito inibitório na actividade da CYP1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C9, CYP2D6 ou CYP3A4 (CI50 >45μM) e mostraram um efeito inibitório fraco na actividade da CYP2C19 (CI50 >20 μM) em concentrações que são significativamente maiores do que os picos das concentrações plasmáticas observadas nos doentes. O apixabano não induziu a CYP1A2, CYP2B6, CYP3A4/5 numa concentração até 20 μM. Consequentemente, não se espera que o apixabano altere a depuração metabólica de fármacos co-administrados que sejam metabolizados por estas enzimas. O apixabano não é um inibidor significativo da P-gp. Em estudos efetuados em indivíduos saudáveis, como descrito abaixo, o apixabano não alterou de modo significativo a farmacocinética da digoxina, naproxeno ou atenolol. Carvão ativado: A administração de carvão ativado reduz a exposição do apixabano. - Carvão activado
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorofenamina + Paracetamol + Carvão activado

Observações: N.D.
Interacções: O paracetamol tem interacções medicamentosas com: Carvão activado: Reduz a absorção do paracetamol quando se administra imediatamente após uma sobredosagem. - Carvão activado
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Olanzapina + Carvão activado

Observações: Só foram efectuados estudos de interacção em adultos. Interações potenciais que afectam a olanzapina: Dado que a olanzapina é metabolizada pela CYP1A2, as substâncias que podem induzir ou inibir dum modo específico esta isoenzima podem afectar a farmacocinética da olanzapina.
Interacções: Diminuição da biodisponibilidade: O carvão activado reduz a biodisponibilidade oral da olanzapina em 50 a 60% e deverá ser tomado pelo menos 2 horas antes ou depois da olanzapina. - Carvão activado
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloromadinona + Etinilestradiol + Carvão activado

Observações: A interação do etinilestradiol, com outros medicamentos, pode aumentar ou reduzir as concentrações séricas de etinilestradiol. Em caso de necessidade de tratamento prolongado com essas subtâncias ativas, devem ser utilizados métodos Contraceptivos não hormonais. Concentrações séricas reduzidas de etinilestradiol podem aumentar as hemorragias intracíclicas e as perturbações dos ciclos, e reduzir a eficácia contracetiva de Cloromadinona / Etinilestradiol; concentrações séricas aumentadas de etinilestradiol podem aumentar a frequência e a gravidade dos efeitos indesejáveis.
Interacções: Os seguintes medicamentos/substâncias ativas podem resuzir as concentrações séricas de etinilestradiol: Todas as substâncias que aumentem a motilidade gastrointestinal (por exemplo metoclopramida) ou reduzem a absorção (por exemplo carvão ativado) Substâncias que indutoras de enzimas microssomais hepáticas, tais como rifampicina, rifabutina, barbitúricos, antiepiléticos (por exemplo carbamazepina, fenitoína e topiramato), griseofulvina, barbexalona, primidona, modafinil, alguns inibidores da protease (por exemplo ritonavir) e erva de São João. Certos antibióticos (por exemplo ampicilina, tetraciclina) em algumas mulheres, provavelmente devido à diminuição da circulação entero-hepática por acção dos estrogénios. No tratamento concomitante destes medicamentos/substâncias ativas com Cloromadinona / Etinilestradiol devem ser utilizados métodos Contraceptivos adicionais durante o tratamento e após os primeiros 7 dias. Com substâncias ativas que reduzam os níveis séricos de etinilestradiol por indução das enzimas microssomais hepáticas devem ser utilizados métodos Contraceptivos adicionais durante 28 dias após a suspensão da medicação. - Carvão activado
Não recomendado/Evitar

Teriflunomida + Carvão activado

Observações: N.D.
Interacções: interacções farmacocinéticas de outras substâncias sobre a teriflunomida: A hidrólise é a via de biotransformação principal da teriflunomida, podendo também sofrer oxidação numa via secundária. Colestiramina ou carvão ativado: Recomenda-se que os doentes a tomar teriflunomida não recebam tratamento com colestiramina ou carvão ativado, visto que isso resultaria numa diminuição rápida e significativa na concentração plasmática, a não ser que seja pretendida uma eliminação acelerada. Pensa-se que o mecanismo consista na interrupção da reciclagem enterohepática e/ou na diálise gastrointestinal da teriflunomida. - Carvão activado
Não recomendado/Evitar

Moxifloxacina + Carvão activado

Observações: n.d.
Interacções: interacções com medicamentos: A utilização de moxifloxacina deve ser feita com precaução em doentes que estejam a tomar medicação que possa reduzir os níveis de potássio (por exemplo diuréticos do tipo tiazidas e da ansa, laxantes e enemas (doses elevadas), corticosteróides, anfotericina B) ou medicamentos que estejam associados a bradicardia clinicamente significativa. Deve ser respeitado um intervalo de 6 horas entre a administração de agentes contendo catiões bivalentes ou trivalentes (ex.: antiácidos contendo magnésio ou alumínio, comprimidos de didanosina, sucralfato e agentes contendo ferro ou zinco) e a administração de moxifloxacina. A administração concomitante de carvão ativado com uma dose oral de 400 mg de moxifloxacina resulta numa acentuada prevenção da absorção e numa redução da disponibilidade sistémica do fármaco em mais de 80%. Desta forma, não se recomenda a administração concomitante destes dois fármacos (exceto em casos de sobredosagem). - Carvão activado
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Paracetamol + Tizanidina + Carvão activado

Observações: n.d.
Interacções: interacções para o paracetamol Carvão: Ativado, administrado imediatamente reduz a absorção de paracetamol. - Carvão activado
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Carvão activado
Informe o Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

O carvão activado pode interagir com contraceptivos orais.
Então, uma alternativa efectiva, segura e eficaz de contracepção deverá ser usada durante o tratamento.

Este medicamento pode ser usado como prescrito, durante a gravidez sem qualquer perigo para o feto.

O carvão activado pode ser usado como prescrito, durante a lactação sem qualquer perigo para a criança.

O uso deste medicamento não tem nenhuma influência na capacidade de conduzir e usar máquinas.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 30 de Abril de 2021