Carbonato de cálcio

DCI com Advertência na Gravidez DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O carbonato de cálcio é um sal inorgânico utilizado como um antiácido.

É um composto de base que actua através da neutralização do ácido clorídrico na secreção gástrica.

Os aumentos subsequentes no pH podem inibir a ação da pepsina.

Um aumento de iões de bicarbonato e prostaglandinas também pode conferir efeitos citoprotetores.

O carbonato de cálcio também pode ser utilizado como um suplemento nutricional, ou para o tratamento de hipocalcemia.
Usos comuns
O carbonato de cálcio é utilizado para a prevenção e para o tratamento de deficiências de cálcio.
Tipo
pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
Para alívio da azia e indigestão ácida.

Também pode ser utilizado como um suplemento nutricional ou para tratar a hipocalcemia.
Classificação CFT
11.03.02.01.01     Cálcio
Mecanismo De Ação
O carbonato de cálcio é um sal inorgânico básico, que actua através da neutralização do ácido clorídrico na secreção gástrica.

Também inibe a acção de pepsina por aumento do pH e através da adsorção.

Pode ocorrer um efeito citoprotetor através de aumentos de íon bicarbonato (HCO3-) e prostaglandinas.

A neutralização de ácido clorídrico origina a formação de cloreto de cálcio, dióxido de carbono e água.

Cerca de 90% de cloreto de cálcio é convertido em sais de cálcio insolúveis (por exemplo, carbonato de cálcio e fosfato de cálcio).
Posologia Orientativa
Dose habitual para a Osteoporose:
Administrar 2500 – 7500 mg/dia oralmente em 2 a 4 doses divididas.

Dose adulta usual para hipocalcemia:
Administrar 900 – 2500 mg/dia oralmente em 2 a 4 doses divididas.
Esta dose pode ser ajustada como necessário para atingir um nível normal de cálcio no soro.

Dose habitual para Dispepsia:
Administrar 300 – 8000 mg/dia oralmente em 2 a 4 doses divididas.
Esta dose pode ser aumentada se necessário para reduzir a tolerância e o desconforto abdominal.

Dose máxima: 5500 a 7980 mg (dependendo do produto utilizado).
Não exceder a dose máxima diária por um período superior a duas semanas a menos que prescrito por um médico.

Dose adulta usual para úlcera duodenal:
Administrar 1250 – 3750 mg/dia em 2 a 4 doses divididas.
Esta dose pode ser aumentada se necessário para reduzir a tolerância e o desconforto abdominal.
O principal fator limitante para o uso crónico de carbonato de cálcio é hipersecreção gástrica e rebote ácido.

Dose adulta usual para úlcera gástrica:
Administrar 1250 – 3750 mg/dia em 2 a 4 doses divididas.
Esta dose pode ser aumentada se necessário para reduzir a tolerância e o desconforto abdominal.
O principal fator limitante para o uso crónico de carbonato de cálcio é hipersecreção gástrica e rebote ácido.

Dose adulta usual para erosivos esofagite:
Administrar 1250 – 3750 mg/dia oralmente em 2 a 4 doses divididas.
O potencial para a rebote ácido pode ser prejudicial.

No entanto, os antiácidos têm sido frequentemente usados no tratamento da esofagite erosiva e podem ser benéficos na redução da acidez do conteúdo gástrico.

Dose máxima: 5500 a 7980 mg (dependendo do produto utilizado).
Não exceder a dose máxima diária por um período superior a duas semanas a menos que prescrito por um médico.

Dose adulta usual para Doença do Refluxo Gastroesofágico:
Administrar 1250 – 750 mg/dia oralmente em 2 a 4 doses divididas.
O potencial para rebote ácido pode ser prejudicial.

No entanto, os antiácidos têm sido frequentemente usados no tratamento da esofagite erosiva e podem ser benéficos na redução da acidez do conteúdo gástrico.

Dose máxima: 5500 a 7980 mg (dependendo do produto utilizado).
Não exceder a dose máxima diária por um período superior a duas semanas a menos que prescrito por um médico.

Dose pediátrica usual para hipocalcemia:
Neonatal:
Hipocalcemia (dose depende da condição clínica e nível de cálcio sérico): Dose expressa em mg de cálcio elementar: 50 a 150 mg/kg/dia em 4 a 6 doses divididas, para não exceder 1 g/dia.

Dosagem usual:
Antiácidos:
Crianças de 2 a 5 anos: Pepto Crianças, Mylanta Crianças: 1 comprimido (400 mg de carbonato de cálcio), quando os sintomas ocorrerem, não excedendo 3 comprimidos/dia.

Crianças de 6 a 11 anos: Pepto Crianças, Mylanta Crianças: 2 comprimidos (800 mg de carbonato de cálcio) quando os sintomas ocorrerem, não excedendo 3 comprimidos/dia.

Crianças de 11 anos ou mais:
Por exemplo Antiácidos Tums: 2 a 4 comprimidos mastigados, com a ocorrência de sintomas, não excedendo 15 comprimidos ou 10 comprimidos por dia, respetivamente.

Tums Ultra: 2 a 3 comprimidos mastigados com a ocorrência de sintomas, não excedendo 7 comprimidos por dia.

A hipocalcemia (dose depende da condição clínica e nível sérico de cálcio): Dose expressa em mg de cálcio elementar:

Crianças: 45 a 65 mg/kg/dia, em quatro doses divididas
Tratamento da hiperfosfatemia em fase final da insuficiência renal:
Crianças e Adultos: Dose expressa em mg de carbonato de cálcio: 1 g a cada refeição; aumentando, conforme necessário intervalado com 4-7 g/dia.

Ácido fluorídrico (HF) queimaduras (concentração de HF menor do que 20%):
Tópica: Várias preparações tópicas de cálcio têm sido usados ​​informalmente para o tratamento da exposição cutânea a soluções de IC; tem sido utilizado carbonato de cálcio, em concentrações que variam de 2,5% a 33%; deve ser utilizada uma preparação tópica de carbonato de cálcio.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Não usar o carbonato de cálcio se:
– for alérgico a qualquer ingrediente de carbonato de cálcio
– tiver níveis elevados de cálcio no sangue.

Deve contactar o médico ou profissional de saúde imediatamente se algum destes casos se aplicar a si.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Deve obter ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reacção alérgica: urticária, dificuldade em respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Os efeitos secundários menos graves podem incluir:
- Náusea ou vómito;
- Diminuição do apetite;
- Prisão de ventre;
- Boca seca ou aumento da sede, ou
- Urinar mais do que o habitual.

Esta não é a lista completa dos efeitos secundários, podendo ocorrer outros.

Peça aconselhamento médico sobre os efeitos secundários.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Durante a gravidez a ingestão diária não deve ser superior a 1.500 mg de cálcio. Sem risco fetal; seguro para utilizar na grávida. Trimestre: 1º
Precauções Gerais
Não tomar grandes doses de vitaminas enquanto tomar carbonato de cálcio, a menos que o médico lhe indique.

Alguns destes produtos podem conter soja.

Se for alérgico à soja, pergunte ao seu farmacêutico se o produto tem soja.

Deve informar o médico ou dentista que está a tomar carbonato de cálcio antes de receber qualquer assistência médica ou odontológica, atendimento de emergência, ou cirurgia.

Podem ser realizados exames laboratoriais, incluindo os níveis séricos de cálcio, enquanto estiver a tomar carbonato de cálcio.

Estes testes podem ser usados ​​para monitorizar a sua condição ou para verificação de efeitos secundários.

Certifique-se que vai a todas as consultas médicas e laboratoriais.

O carbonato de cálcio deve ser usado com extrema cautela em crianças, pois a segurança e eficácia não foram confirmadas em crianças.

Gravidez e Aleitamento: Se engravidar, deve contactar o médico.

Vai ser necessário falar sobre os benefícios e riscos da utilização de carbonato de cálcio durante a gravidez.

Não se sabe se o carbonato de cálcio está presente no leite materno.

Se vai ou está a amamentar enquanto utiliza carbonato de cálcio, deve consultar o médico.

Discuta os possíveis riscos para o bebé.
Cuidados com a Dieta
A alimentação aumenta a absorção de carbonato de cálcio.
Terapêutica Interrompida
Tomar a dose assim que se lembrar.

Não tomar a dose esquecida se for quase hora da próxima dose.

Não tomar medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Guardar o carbonato de cálcio à temperatura ambiente, entre 59 e 86 graus F (15 e 30 graus C).

Armazenar longe do calor, humidade e luz.

Não armazenar na casa de banho.

Manter o carbonato de cálcio fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Carbonato de cálcio + Alimentos/Bebidas (Soja, fitinas, fitatos, oxalatos, taninos, pectinas)

Observações: N.D.
Interações: Também poderão ocorrer interações com alguns alimentos (e.g. alimentos que contêm ácido oxálico, fosfatos ou ácido fítico ou que possuam um alto teor de fibras).

Sofosbuvir + Velpatasvir + Voxilaprevir + Carbonato de cálcio

Observações: n.d.
Interações: Interações entre Sofosbuvir / Velpatasvir / Voxilaprevir e outros medicamentos: AGENTES REDUTORES DE ÁCIDO Antiácidos p. ex., Hidróxido de alumínio ou hidróxido de magnésio; carbonato de cálcio (Aumento do pH gástrico diminui a solubilidade de velpatasvir) Recomenda-se separar a administração do antiácido e de Sofosbuvir / Velpatasvir / Voxilaprevir em pelo menos 4 horas.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Electrólitos + Carbonato de cálcio

Observações: Ao prescrever Electrólitos, devem ser consideradas as potenciais interações entre este tratamento e outras terapêuticas concomitantes associadas a condições pré-existentes. A concentração sanguínea de outros medicamentos pode ser alterada durante a hemodiálise, hemofiltração e hemodiafiltração.
Interações: A vitamina D e os medicamentos que contêm cálcio podem aumentar o risco de hipercalcemia (por exemplo, carbonato de cálcio actuando como um quelante do potássio).
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Carbonato de cálcio

Observações: n.d.
Interações: Os agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio, medicamentos que contêm ferro, carbonato de cálcio: A absorção de levotiroxina pode ser reduzida através da toma concomitante de agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio (antiácidos, sucralfato), medicamentos que contêm ferro e carbonato de cálcio. A levotiroxina sódica deve ser tomada pelo menos duas horas antes destas medicações.

Ácido gadoxético + Carbonato de cálcio

Observações: N.D.
Interações: Usar com precaução: Laxantes e antiácidos dadores de catiões não adsorvíveis: Foram reportados casos de alcalose sistémica depois da administração de resinas permutadoras de catiões e laxantes e antiácidos dadores de catiões não adsorvíveis como o hidróxido de magnésio, o hidróxido de alumínio e o carbonato de cálcio. Deve haver um determinado intervalo relativamente a estes medicamentos quando é administrado o Polistireno sulfonato de cálcio. Hidróxido de alumínio: Foi descrita obstruçao intestinal devido à solidificação do hidróxido de alumínio quando combinado com a resina (formada por sódio).

Darunavir + Cobicistate + Carbonato de cálcio

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interação com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interações: ANTIÁCIDOS: Hidróxido de alumínio/magnésio, Carbonato de cálcio: Não são esperadas interações mecanísticas tendo por base considerações teóricas. Darunavir / Cobicistate e antiácidos podem ser utilizados concomitantemente sem ajuste da dose.

Oseltamivir + Carbonato de cálcio

Observações: As propriedades farmacocinéticas do oseltamivir, tais como a reduzida ligação às proteínas e o metabolismo independente dos sistemas de metabolização com intervenção do CYP450 e da glucuronidase, sugerem que é improvável a ocorrência de interações medicamentosas clinicamente relevantes, por estes mecanismos. É improvável a ocorrência de interações medicamentosas clinicamente importantes que envolvam a competição para a secreção tubular renal, devido às margens de segurança conhecidas para a maior parte destas substâncias, às características de eliminação do metabolito ativo (filtração glomerular e secreção tubular aniónica) e à capacidade de excreção destas vias.
Interações: Não se observaram interações farmacocinéticas entre o oseltamivir ou os seus principais metabolitos ao coadministrar oseltamivir e paracetamol, ácido acetilsalicílico, cimetidina, antiácidos (hidróxidos de magnésio e alumínio e carbonatos de cálcio), rimantadina ou varfarina (em indivíduos estáveis a tomar varfarina e sem gripe).

Polistireno sulfonato de cálcio + Carbonato de cálcio

Observações: N.D.
Interações: Usar com precaução: Laxantes e antiácidos dadores de catiões não adsorvíveis: Foram reportados casos de alcalose sistémica depois da administração de resinas permutadoras de catiões e laxantes e antiácidos dadores de catiões não adsorvíveis como o hidróxido de magnésio, o hidróxido de alumínio e o carbonato de cálcio. Deve haver um determinado intervalo relativamente a estes medicamentos quando é administrado o Polistireno sulfonato de cálcio.

Ledipasvir + Sofosbuvir + Carbonato de cálcio

Observações: Quaisquer interações que tenham sido identificadas com cada uma destas substâncias ativas individualmente podem ocorrer com a associação de Ledipasvir/Sofosbuvir.
Interações: Interações entre Ledipasvir/sofosbuvir e outros medicamentos AGENTES REDUTORES DE ÁCIDO Antiácidos p. ex., Hidróxido de alumínio ou hidróxido de magnésio; carbonato de cálcio A solubilidade de ledipasvir diminui com o aumento do pH. Prevê-se que os medicamentos que aumentam o pH gástrico diminuam a concentração de ledipasvir. Recomenda-se separar a administração do antiácido e de Ledipasvir/sofosbuvir em pelo menos 4 horas.

Raloxifeno + Carbonato de cálcio

Observações: N.D.
Interações: A distribuição sistémica do raloxifeno não é afetada pela administração simultânea de carbonato de cálcio ou antiácidos que contenham hidróxido de alumínio e magnésio.

Rilpivirina + Carbonato de cálcio

Observações: A rilpivirina é um inibidor in vitro do transportador MATE-2K com um IC50 < 2,7 nM. As implicações clínicas deste achado são atualmente desconhecidas.
Interações: INTERAÇÕES E RECOMENDAÇÕES POSOLÓGICAS COM OUTROS MEDICAMENTOS ANTIÁCIDOS: Antiácidos (p.ex. hidróxido de alumínio ou de magnésio, carbonato de cálcio): Não foi estudado. São esperadas reduções significativas nas concentrações plasmáticas de rilpivirina. (reduzida absorção devido ao aumento do pH gástrico) A associação de Rilpivirina e antiácidos deve ser utilizada com particular precaução. Os antiácidos só devem ser administrados pelo menos 2 horas antes ou pelo menos 4 horas após a administração de Rilpivirina.

Bictegravir + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida + Carbonato de cálcio

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Carbonato de cálcio (dose única de 1.200 mg), Bictegravir (Quelação com catiões polivalentes) Este medicamento e suplementos contendo cálcio podem ser tomados simultaneamente, independentemente da ingestão de alimentos.

Dolutegravir + Rilpivirina + Carbonato de cálcio

Observações: n.d.
Interações: Antiácidos e suplementos Antiácidos (p. ex. hidróxido de alumínio e magnésio e/ou carbonato de cálcio)/Dolutegravir: A associação de Dolutegravir + Rilpivirina e antiácidos deve ser utilizada com particular precaução. Os antiácidos devem ser tomados bem separados no tempo da administração de Dolutegravir + Rilpivirina (no mínimo 6 horas antes ou 4 horas após). Suplementos de cálcio/Dolutegravir: A associação de Dolutegravir + Rilpivirina e suplementos deve ser utilizada com particular precaução. Os suplementos de cálcio, os suplementos de ferro ou as multivitaminas devem ser administrados ao mesmo tempo que Dolutegravir + Rilpivirina com uma refeição. Caso os suplementos de cálcio, os suplementos de ferro ou as multivitaminas não possam ser tomados ao mesmo tempo que Dolutegravir + Rilpivirina, estes suplementos devem ser tomados bem separados no tempo da administração de Dolutegravir + Rilpivirina (no mínimo 6 horas antes ou 4 horas após).

Carbonato de cálcio + Colecalciferol (ou Vitamina D3)

Observações: N.D.
Interações: Salvo outra indicação do médico, não associar produtos contendo vitamina D; em caso de associação, é necessário fazer regularmente o doseamento do cálcio no sangue e na urina.

Carbonato de cálcio + Ergocalciferol (vitamina D2)

Observações: N.D.
Interações: Salvo outra indicação do médico, não associar produtos contendo vitamina D; em caso de associação, é necessário fazer regularmente o doseamento do cálcio no sangue e na urina.

Carbonato de cálcio + Glicósideos digitálicos

Observações: N.D.
Interações: Em caso de tratamento concomitante com digitálicos, uma vez que devido ao sinergismo sobre o coração se podem verificar perturbações graves na funcionalidade cardíaca, a administração do cálcio (sobretudo se associada à vitamina D) requer uma vigilância regular e será o próprio médico a impor um calendário dos controlos.

Carbonato de cálcio + Tetraciclinas

Observações: N.D.
Interações: Em caso de tratamento concomitante com tetraciclinas por via oral, a administração dos dois fármacos deve ser afastada de pelo menos 3 horas.

Carbonato de cálcio + Fluoreto de sódio

Observações: N.D.
Interações: Em caso de tratamento com produtos à base de fluoreto de sódio é aconselhável tomar o cálcio separadamente do fluoreto de sódio.

Cinacalcet + Carbonato de cálcio

Observações: Cinacalcet é metabolizado em parte pela enzima CYP3A4. Dados in vitro indicam que o cinacalcet é em parte metabolizado pela CYP1A2. Cinacalcet é um potente inibidor da CYP2D6.
Interações: A administração concomitante de carbonato de cálcio (1500 mg em dose única) não alterou a farmacocinética de cinacalcet.
 Sem significado Clínico

Raltegravir + Carbonato de cálcio

Observações: Todos os ensaios de interação foram realizados em adultos.
Interações: Efeito de outros medicamentos na farmacocinética do raltegravir: A administração concomitante de Raltegravir com um antiácido que continha carbonato de cálcio diminuiu os níveis plasmáticos do raltegravir; no entanto, esta interação não é considerada clinicamente relevante. Consequentemente, quando Raltegravir é administrado concomitantemente com antiácidos que contenham carbonato de cálcio não é necessário qualquer ajuste posológico. Dados de Interações Farmacocinéticas: ANTIÁCIDOS DE CATIÕES METÁLICOS: Antiácido que contenha carbonato de cálcio (raltegravir 400 mg Duas Vezes por Dia) Não é necessário ajuste posológico para o Raltegravir.

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida + Carbonato de cálcio

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interação com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interações: ANTIÁCIDOS Hidróxido de alumínio/magnésio, Carbonato de cálcio Não são esperadas interações mecanísticas tendopor base considerações teóricas. Este medicamento e antiácidos podem ser utilizados concomitantemente sem ajuste da dose.

Levofloxacina + Carbonato de cálcio

Observações: N.D.
Interações: Efeito de outros medicamentos sobre a levofloxacina: Sais de ferro, antiácidos contendo magnésio ou alumínio: A absorção de levofloxacina diminui significativamente quando se administram em concomitância sais de ferro ou antiácidos contendo magnésio ou alumínio. Recomenda-se que as preparações que contêm catiões bivalentes ou trivalentes como os sais de ferro ou antiácidos que contêm magnésio ou alumínio não devem ser tomados no período de 2 horas que precede ou se segue à administração de Levofloxacina. Não foram observadas interações com o carbonato de cálcio. Outras informações relevantes: Estudos de farmacologia clínica demonstraram que a farmacocinética da levofloxacina não foi afectada de forma clinicamente relevante quando esta foi administrada juntamente com os seguintes medicamentos: Carbonato de cálcio. Digoxina. Glibenclamida. Ranitidina.
Usar o carbonato de cálcio como indicado pelo médico.

Verificar o rótulo do medicamento para instruções exatas de dosagem.

Tomar o carbonato de cálcio por via oral com ou sem alimentos.

Tomar o carbonato de cálcio com um copo cheio de água (8 oz/240 mL).

Não tomar um antiácido que tem alumínio no prazo de 1 hora antes ou 2 horas depois de tomar carbonato de cálcio.

Se tomar antifúngicos (por exemplo, cetoconazol), bisfosfonatos (por exemplo, etidronato), resinas de troca catiônica (por exemplo, poliestireno sulfonato de sódio), cefalosporinas (por exemplo, cefdinir), inibidores diretos da trombina (por exemplo, o dabigatrano), ferro, micofenolato, quinolonas (por exemplo, ciprofloxacina), tetraciclinas (por exemplo, minociclina) ou hormonas da tiróide (por exemplo, levotiroxina), deve perguntar ao médico como tomar o carbonato de cálcio.

Se se esquecer de uma dose de carbonato de cálcio, tome-a assim que se lembrar.

Continuar a tomar como indicado pelo médico ou no rótulo da embalagem.

Esclareça com o médico qualquer dúvida que possa ter sobre como usar o carbonato de cálcio.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017