Boceprevir

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Boceprevir é um inibidor de protease usado para tratar a hepatite causada pelo vírus da hepatite C (HCV) genótipo 1. Liga-se ao sítio activo da proteína 3 não estrutural do HCV.
Usos comuns
Boceprevir é indicado para o tratamento da infecção crónica pelo vírus da hepatite C (HCC), genótipo 1, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, em doentes adultos, com doença hepática compensada, não tratados previamente ou com falência do tratamento prévio.
Tipo
Molécula pequena.
História
Foi inicialmente desenvolvido pela Schering-Plough, em seguida pela Merck após adquirir a Schering em 2009.
Foi aprovado pelo FDA em maio de 2011.
Foi aprovado no Brasil pela Anvisa em 25 de julho de 2011, sendo o primeiro inibidor de protease a receber aprovação do órgão regulador no país.
Em janeiro de 2015, a Merck anunciou que retiraria voluntariamente o Victrelis do mercado devido à esmagadora superioridade dos novos agentes antivirais de acção directa, como o ledipasvir / sofosbuvir.
Indicações
O tratamento da hepatite C crónica genótipo 1 em Pacientes que têm um fígado compensado (como resultado de doenças hepáticas, como a cirrose) e não tratados previamente ou cuja terapia com alfa interferão peguilado e ribavirina falhou.
Classificação CFT

01.03.01.01 : Inibidores da protease

Mecanismo De Acção
Boceprevir é um inibidor da protease NS3 do VHC.
Boceprevir liga-se de forma covalente, contudoreversível, à serina do local ativo da protease NS3 (Ser139) através de um grupo funcional (alfa)-cetoamida, de forma a inibir a replicação vírica nas células hospedeiras infetadaspelo VHC
Posologia Orientativa
Boceprevir deve ser administrado em associação com peginterferão alfa e ribavirina.

A dose recomendada de Boceprevir é 800mg administrados por via oral, três vezes ao dia (TID) com alimentos (uma refeição ou umlanche ligeiro).
A dose máxima diária de Boceprevir é 2.400mg.
A administração sem alimentos pode estar associada a uma perda de eficácia devido a uma exposição inferior ao recomendado.
Administração
Via oral.
O tratamento com Boceprevir deve ser iniciado e monitorizado por um médico com experiência no tratamento da hepatite C crónica.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade ao Boceprevir.
- Doentes com hepatite autoimune.
- Administração concomitante com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lurasidona,lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosina cinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina).
- Gravidez
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reacção alérgica: urticária; dificuldade em respirar, inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Suspenda o uso de Boceprevir e contacte o Médico imediatamente se tem:
– pele pálida, sensação de tontura ou falta de ar, aumento da frequência cardíaca, dificuldade de concentração, ou
– febre, calafrios, dores no corpo, sintomas de gripe, feridas na boca e na garganta.

Efeitos colaterais comuns incluem:
– sensação de cansaço;
– dor de cabeça;
– sensação de alteração do paladar, ou
– náuseas.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Boceprevir, em associação com ribavirina e peginterferão alfa, é contra-indicado em mulheres grávidas.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Deve ser tomada a decisão de descontinuar a amamentação ou descontinuar/suspender o tratamento com Boceprevir tendo em consideração o benefício da amamentação para a criança e o benefício do tratamento para a mulher.
Condução
Condução
Condução:Os doentes devem ser informados que foram notificados casos de fadiga, tonturas, síncope, flutuação da pressão arterial e visão turva.
Precauções Gerais
É muito importante que o médico verifique o seu progresso em visitas regulares para certificar-se de que o Boceprevir está funcionando correctamente. Podem ser necessários exames de sangue para verificar se há efeitos indesejáveis.

O uso de Boceprevir associado com peginterferão alfa e ribavirina durante a gravidez pode prejudicar o feto. Estes medicamentos também podem causar defeitos de nascimento, se o pai está a usá-lo quando a sua parceira sexual engravida. Se uma gravidez ocorre enquanto estiver a usar estes medicamentos, informe o médico imediatamente.

Para se certificar de que não está grávida, o médico pode pedir-lhe para fazer um teste de gravidez antes de começar a utilizar o Boceprevir. Deve ter um teste de gravidez negativo antes de ser permitido o uso de Boceprevir com ribavirina. Duas formas de controle de natalidade devem ser utilizadas durante o tratamento e até 6 meses após o seu término.

Deve testar a gravidez em cada mês, enquanto estiver a usar o Boceprevir, e até 6 meses após o tratamento terminar. As pílulas anticoncepcionais podem não funcionar enquanto estiver a usar o Boceprevir. Para não ficar grávida, use duas outras formas de controle de natalidade.

Outras formas de controle de natalidade incluem preservativos, diafragmas, ou espumas contraceptivas ou geleias.

Não usar o Boceprevir juntamente com os seguintes medicamentos: alfuzosina, cisaprida, drospirenona, midazolam, pimozida, rifampicina), sildenafil, hipericão, tadalafil, triazolam, alguns medicamentos para reduzir o colesterol (como lovastatina, simvastatina), medicamentos para o tratamento de convulsões (tais como carbamazepina, fenobarbital, fenitoína), ou medicamentos ergot (por exemplo, di-hidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). O uso de Boceprevir com qualquer um destes medicamentos pode causar sérios problemas de saúde.

Fale com o médico imediatamente se tem dores nas costas, perna, ou de estômago; sangramento nas gengivas; calafrios; urina escura, dificuldade em respirar, febre, inchaço geral do corpo, cefaleia, perda de apetite, náuseas ou vómitos, hemorragias nasais, pele pálida; dor de garganta; cansaço invulgar ou fraqueza, ou amarelecimento dos olhos ou da pele. Estes podem ser sintomas de uma doença do sangue chamada anemia.

O uso de Boceprevir pode reduzir temporariamente o número de glóbulos brancos no sangue, aumentando a probabilidade de contrair uma infecção. Também pode reduzir o número de plaquetas no sangue, que são necessárias para a coagulação sanguínea adequada. Se isso ocorrer, existem algumas precauções que pode tomar, especialmente quando a sua contagem de sangue está baixo, para reduzir o risco de infecção ou hemorragia:
– Se for possível, evitar contacto com pessoas com infecções. Fale com o médico imediatamente se acha que está a ficar infectado ou se tiver febre ou calafrios, tosse ou rouquidão, dor na parte inferior das costas ou de lado, ou dor ao urinar ou dificuldade em fazê-lo.

– Fale com o médico imediatamente se notar qualquer sangramento incomum ou contusão; fezes pretas, sangue na urina ou nas fezes, ou manchas vermelhas na pele.

– Tenha cuidado ao usar uma escova normal, fio dental, ou palito. o médico, Dentista ou Enfermeiro pode recomendar outras maneiras de limpar os dentes e gengivas. Fale com o Médico antes de ter qualquer tratamento dentário.

– Não toque nos seus olhos ou o no interior do nariz, a menos que tenha acabado de lavar as mãos e não tenha tocado em mais nada nesse meio tempo.

– Tenha cuidado para não se cortar quando estiver a usar objectos pontiagudos, como um aparelho de barbear ou corta-unhas.

– Evite desportos de contacto ou outras situações em que podem ocorrer contusões ou lesões. Certifique-se de que qualquer Médico ou Dentista que o trata sabe que está a usar Boceprevir.

O Boceprevir pode afectar os resultados de certos exames médicos.

O Boceprevir não vai impedir a transmissão da hepatite C a outras pessoas.

Siga as instruções do médico sobre como evitar a propagação da infecção.

Não tome outros medicamentos que não tenham sido discutidas com o médico, incluindo medicamentos de prescrição ou sem receita (OTC), fitoterapêuticos ou suplementos vitamínicos.
Cuidados com a Dieta
Os alimentos aumentam a exposição do Boceprevir até 65%.
No entanto, a biodisponibilidade não é afectada e, assim, pode ser tomado sem preocupacção quanto às refeições.
Terapêutica Interrompida
Se falhar uma dose de Boceprevir, tome-a assim que possível.
No entanto, se estiver quase na hora da próxima dose, salte a dose e volte ao seu esquema posológico regular. Não duplique doses.
Se esquecer uma dose e está a menos de 2 horas da próxima, salte essa, e espere até à próxima para tomar o medicamento. Se falhar uma dose, e está a mais de 2 horas de tomar a próxima dose regular, vá em frente e tome a dose esquecida na próxima dose regular, como previsto.
Cuidados no Armazenamento
Guarde o Boceprevir no frigorífico, entre 2 e 8 graus C.
Boceprevir também pode ser armazenado em temperatura ambiente até 25 graus C durante 3 meses.
Mantenha o Boceprevir, na embalagem original.
Evitar a exposição ao calor excessivo. Guarde longe do calor, humidade e luz. Não gurade na casa de banho.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Boceprevir Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir é um inibidor potente do CYP3A4/5. Medicamentos metabolizados primariamente pelo CYP3A4/5 podem ter uma exposição aumentada quando administrados com Boceprevir, o que pode aumentar ou prolongar as suas reacções terapêuticas e adversas. Boceprevir não inibe nem induz as outras enzimas do CYP450. Boceprevir demonstrou ser um substrato in vitro da p-glicoproteína (P-gp) e da proteína de resistência ao cancro da mama (BCRP). Os inibidores destes transportadores têm potencial para aumentar a concentração de boceprevir; as implicações clínicas destas interacções são desconhecidas. - Inibidores da glicoproteína-P (Gp-P)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Imatinib Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Substâncias activas que podem aumentar as concentrações plasmáticas de imatinib: As substâncias que inibem a actividade da isoenzima CYP3A4 do citocromo P450 (por ex. inibidores da protease tais como indinavir, lopinavir/ritonavir, ritonavir, saquinavir, telaprevir, nelfinavir, boceprevir; antifúngicos azois incluindo cetoconazol, itraconazol, posaconazol, voriconazol; alguns macrólidos tais como eritromicina, claritromicina e telitromicina ) podem diminuir o metabolismo e aumentar as concentrações de imatinib. Houve um aumento significativo na exposição ao imatinib (a Cmax e a AUC médias do imatinib aumentaram em 26% e 40%, respectivamente) em indivíduos saudáveis quando ele foi co-administrado com uma dose única de cetoconazole (um inibidor da CYP3A4). Devem ser tomadas precauções quando se administra imatinib com inibidores da família da CYP3A4. - Boceprevir
Usar com precaução

Ruxolitinib Boceprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos. Ruxolitinib é eliminado através de metabolismo catalisado por CYP3A4 e CYP2C9. Assim, os medicamentos que inibem estas enzimas podem dar origem a um aumento da exposição a ruxolitinib.
Interacções: Inibidores da CYP3A4: Inibidores potentes da CYP3A4 (tais como, mas não limitados a, boceprevir, claritromicina, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir/ritonavir, ritonavir, mibefradil, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol). Em indivíduos saudáveis a administração concomitante de Ruxolitinib (dose única 10 mg) com um inibidor potente da CYP3A4, cetoconazol, resultou em Cmax e AUC de ruxolitinib mais elevadas em 33% e 91%, respectivamente, do que de ruxolitinib isoladamente. A semivida foi prolongada de 3,7 para 6,0 horas com administração concomitante de cetoconazol. Quando Ruxolitinib é administrado com inibidores potentes da CYP3A4 a dose unitária de Ruxolitinib deve ser reduzida em aproximadamente 50%, para administração duas vezes por dia. Os doentes devem ser cuidadosamente monitorizados (p. ex. duas vezes por semana) para identificação de citopenias e a dose ajustada com base na segurança e eficácia. - Boceprevir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Boceprevir Inibidores do BCRP (proteína de resistência do cancro da mama)

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir é um inibidor potente do CYP3A4/5. Medicamentos metabolizados primariamente pelo CYP3A4/5 podem ter uma exposição aumentada quando administrados com Boceprevir, o que pode aumentar ou prolongar as suas reacções terapêuticas e adversas. Boceprevir não inibe nem induz as outras enzimas do CYP450. Boceprevir demonstrou ser um substrato in vitro da p-glicoproteína (P-gp) e da proteína de resistência ao cancro da mama (BCRP). Os inibidores destes transportadores têm potencial para aumentar a concentração de boceprevir; as implicações clínicas destas interacções são desconhecidas. - Inibidores do BCRP (proteína de resistência do cancro da mama)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Boceprevir Digoxina

Observações: n.d.
Interacções: Um estudo clínico de interacção medicamentosa com digoxina demonstrou que o boceprevir é um inibidor in vivo ligeiro da P-gp, aumentando a exposição à digoxina em 19%. Deve antecipar-se um aumento nas concentrações plasmáticas dos substratos do transportador de efluxo da P-gp, tais como a digoxina ou o dabigatran. - Digoxina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Boceprevir Dabigatrano etexilato

Observações: n.d.
Interacções: Um estudo clínico de interacção medicamentosa com digoxina demonstrou que o boceprevir é um inibidor in vivo ligeiro da P-gp, aumentando a exposição à digoxina em 19%. Deve antecipar-se um aumento nas concentrações plasmáticas dos substratos do transportador de efluxo da P-gp, tais como a digoxina ou o dabigatran. - Dabigatrano etexilato
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Boceprevir Inibidores do CYP3A4

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir é parcialmente metabolizado pelo CYP3A4/5. A administração concomitante de Boceprevir com medicamentos que induzam ou inibam o CYP3A4/5 pode diminuir ou aumentar a exposição ao Boceprevir. - Inibidores do CYP3A4
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Boceprevir Inibidores do CYP3A5

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir é parcialmente metabolizado pelo CYP3A4/5. A administração concomitante de Boceprevir com medicamentos que induzam ou inibam o CYP3A4/5 pode diminuir ou aumentar a exposição ao Boceprevir. - Inibidores do CYP3A5
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Boceprevir Indutores do CYP3A5

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir é parcialmente metabolizado pelo CYP3A4/5. A administração concomitante de Boceprevir com medicamentos que induzam ou inibam o CYP3A4/5 pode diminuir ou aumentar a exposição ao Boceprevir. - Indutores do CYP3A5
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Boceprevir Indutores do CYP3A4

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir é parcialmente metabolizado pelo CYP3A4/5. A administração concomitante de Boceprevir com medicamentos que induzam ou inibam o CYP3A4/5 pode diminuir ou aumentar a exposição ao Boceprevir. - Indutores do CYP3A4
Contraindicado

Boceprevir Midazolam

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Midazolam
Contraindicado

Boceprevir Triazolam

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Triazolam
Contraindicado

Boceprevir Bepridilo

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Bepridilo
Contraindicado

Boceprevir Pimozida

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Pimozida
Contraindicado

Boceprevir Lumefantrina (benflumetol)

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Lumefantrina (benflumetol)
Contraindicado

Boceprevir Halofantrina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Halofantrina
Contraindicado

Boceprevir Inibidores das tirosinacinases

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Inibidores das tirosinacinases
Contraindicado

Boceprevir Sinvastatina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Sinvastatina
Contraindicado

Boceprevir Lovastatina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Lovastatina
Contraindicado

Boceprevir Quetiapina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Quetiapina
Contraindicado

Boceprevir Alfuzosina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Alfuzosina
Contraindicado

Boceprevir Silodosina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Silodosina
Contraindicado

Boceprevir Mesilato de di-hidroergotamina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Mesilato de di-hidroergotamina
Contraindicado

Boceprevir Ergonovina (ergometrina)

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Ergonovina (ergometrina)
Contraindicado

Boceprevir Ergotamina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Ergotamina
Contraindicado

Boceprevir Metilergometrina

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir, em associação com peginterferão alfa e ribavirina, é contra-indicado quando administrado concomitantemente com medicamentos cuja depuração depende do CYP3A4/5, e para os quais as concentrações plasmáticas elevadas estejam associadas a acontecimentos adversos graves e/ou potencialmente fatais, tais como a administração oral de midazolam e triazolam, bepridilo, pimozida, lumefantrina, halofantrina, inibidores da tirosinacinase, sinvastatina, lovastatina, quetiapina, alfuzosina, silodosina e derivados da ergotamina (dihidroergotamina, ergonovina, ergotamina, metilergonovina). - Metilergometrina
Sem efeito descrito

Boceprevir Inibidores da AKR (Aldo-keto reductase)

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir é primariamente metabolizado pela aldoceto redutase (AKR). Em ensaios de interacção medicamentosa realizados com os inibidores da AKR diflunisal e ibuprofeno, a exposição de boceprevir não aumentou de forma clinicamente relevante. Boceprevir pode ser administrado concomitantemente com inibidores da AKR. - Inibidores da AKR (Aldo-keto reductase)
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Rifampicina (rifampina)

Observações: n.d.
Interacções: A administração concomitante de Boceprevir com rifampicina e anticonvulsivantes (tais como fenitoína, fenobarbital ou carbamazepina) pode reduzir, de forma significativa, a exposição plasmática ao Boceprevir. Não existe m dados disponíveis, pelo que não é recomendada a combinação destes medicamentos com boceprevir. - Rifampicina (rifampina)
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Anticonvulsivantes

Observações: n.d.
Interacções: A administração concomitante de Boceprevir com rifampicina e anticonvulsivantes (tais como fenitoína, fenobarbital ou carbamazepina) pode reduzir, de forma significativa, a exposição plasmática ao Boceprevir. Não existe m dados disponíveis, pelo que não é recomendada a combinação destes medicamentos com boceprevir. - Anticonvulsivantes
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Fenitoína

Observações: n.d.
Interacções: A administração concomitante de Boceprevir com rifampicina e anticonvulsivantes (tais como fenitoína, fenobarbital ou carbamazepina) pode reduzir, de forma significativa, a exposição plasmática ao Boceprevir. Não existe m dados disponíveis, pelo que não é recomendada a combinação destes medicamentos com boceprevir. - Fenitoína
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Fenobarbital

Observações: n.d.
Interacções: A administração concomitante de Boceprevir com rifampicina e anticonvulsivantes (tais como fenitoína, fenobarbital ou carbamazepina) pode reduzir, de forma significativa, a exposição plasmática ao Boceprevir. Não existe m dados disponíveis, pelo que não é recomendada a combinação destes medicamentos com boceprevir. - Fenobarbital
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Carbamazepina

Observações: n.d.
Interacções: A administração concomitante de Boceprevir com rifampicina e anticonvulsivantes (tais como fenitoína, fenobarbital ou carbamazepina) pode reduzir, de forma significativa, a exposição plasmática ao Boceprevir. Não existe m dados disponíveis, pelo que não é recomendada a combinação destes medicamentos com boceprevir. - Carbamazepina
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: A utilização concomitante de Boceprevir com doxazosina ou tansulosina pode aumentar as concentrações plasmáticas destes medicamentos. Não é recomendada a associação de boceprevir com estes medicamentos. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Doxazosina

Observações: n.d.
Interacções: A utilização concomitante de Boceprevir com doxazosina ou tansulosina pode aumentar as concentrações plasmáticas destes medicamentos. Não é recomendada a associação de boceprevir com estes medicamentos. - Doxazosina
Não recomendado/Evitar

Boceprevir Tansulosina

Observações: n.d.
Interacções: A utilização concomitante de Boceprevir com doxazosina ou tansulosina pode aumentar as concentrações plasmáticas destes medicamentos. Não é recomendada a associação de boceprevir com estes medicamentos. - Tansulosina
Usar com precaução

Boceprevir Amiodarona

Observações: n.d.
Interacções: Deve ter-se precaução na prescrição de medicamentos conhecidos por prolongar o intervalo QT tais como a amiodarona, quinidina, metadona, pentamidina e alguns neurolépticos. - Amiodarona
Usar com precaução

Boceprevir Quinidina

Observações: n.d.
Interacções: Deve ter-se precaução na prescrição de medicamentos conhecidos por prolongar o intervalo QT tais como a amiodarona, quinidina, metadona, pentamidina e alguns neurolépticos. - Quinidina
Usar com precaução

Boceprevir Metadona

Observações: n.d.
Interacções: Deve ter-se precaução na prescrição de medicamentos conhecidos por prolongar o intervalo QT tais como a amiodarona, quinidina, metadona, pentamidina e alguns neurolépticos. - Metadona
Usar com precaução

Boceprevir Neurolépticos

Observações: n.d.
Interacções: Deve ter-se precaução na prescrição de medicamentos conhecidos por prolongar o intervalo QT tais como a amiodarona, quinidina, metadona, pentamidina e alguns neurolépticos. - Neurolépticos
Não recomendado/Evitar

Bosutinib Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores da CYP3A: A utilização concomitante de bosutinib com inibidores potentes (por exemplo, ritonavir, indinavir, nelfinavir, saquinavir, cetoconazol, itraconazol, voriconazol, posaconazol, troleandomicina, claritromicina, telitromicina, boceprevir, telaprevir, mibefradil, nefazodona, conivaptan, produtos à base de toranja incluindo sumo de toranja) ou moderados (por exemplo, fluconazol, darunavir, eritromicina, diltiazem, dronedarona, atazanavir, aprepitant, amprenavir, fosamprenavir, imatinib, verapamil, tofisopam, ciprofloxacina) da CYP3A deve ser evitada, devido à ocorrência de um aumento na concentração plasmática do bosutinib. Deve-se ter cuidado no caso de uma utilização concomitante de inibidores ligeiros da CYP3A com bosutinib. Se possível, recomenda-se um medicamento concomitante alternativo sem ou com um mínimo de potencial de inibição da enzima CYP3A. Se for necessário administrar um inibidor potente ou moderado da CYP3A durante o tratamento com Bosutinib, deve-se considerar a interrupção da terapêutica com Bosutinib ou uma redução da dose de Bosutinib. Num estudo realizado com 24 indivíduos saudáveis a quem foram administradas cinco doses diárias de 400 mg de cetoconazol concomitantemente com uma única dose de 100 mg de bosutinib em jejum, o cetoconazol aumentou a Cmax do bosutinib em 5,2 vezes e a AUC do bosutinib no plasma em 8,6 vezes, em comparação com a administração isolada de bosutinib. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Vorapaxar Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos no vorapaxar: Inibidores potentes do CYP3A: A administração concomitante de cetoconazol (400 mg uma vez por dia) com vorapaxar aumentou significativamente a Cmax média e a AUC de vorapaxar em 93% e 96%, respectivamente. A utilização concomitante de Vorapaxar com inibidores potentes do CYP3A (p.ex., cetoconazol, itraconazol, posaconazol, claritromicina, nefazodona, ritonavir, saquinavir, nelfinavir, indinavir, boceprevir, telaprevir, telitromicina e conivaptan) deve ser evitada. Dados de Fase 3 sugerem que a administração concomitante de inibidores fracos ou moderados do CYP3A com vorapaxar não aumenta o risco hemorrágico ou altera a eficácia de vorapaxar. Não é necessário ajuste da dose de vorapaxar em doentes que estejam a tomar inibidores fracos ou moderados do CYP3A. - Boceprevir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Vismodegib Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de medicamentos concomitantes no vismodegib: Os estudos in vitro indicam que o vismodegib é um substrato do transportador de efluxo da glicoproteína-P (gp-P) e das enzimas metabolizadoras de fármacos CYP2C9 e CYP3A4. A exposição sistémica de vismodegib e a incidência de reacções adversas com vismodegib podem ser maiores quando vismodegib é co-administrado com medicamentos que inibem a gp-P (por exemplo, claritromicina, eritromicina, azitromicina, verapamil, ciclosporina), CYP2C9 (amiodarona, fluconazol ou miconazol), ou CYP3A4 (bocepravir, claritromicina, conivaptan, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir/ritonavir, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina ou voriconazol). - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Atazanavir + Cobicistate Boceprevir

Observações: Ensaios de interações de fármacos não foram realizados para o Atazanavir / Cobicistate. Os mecanismos complexos ou não conhecidos de interações de fármacos opõem-se à extrapolação de interações medicamentosas com ritonavir a certas interações medicametosas com o cobicistate. As recomendações dadas mediante o uso concomitante de atazanavir e de outros medicamentos podem diferir consoante o atazanavir é potenciado com o ritonavir ou com o cobicistate. Em particular, o atazanavir potenciado com o cobicistate é mais sensível na indução da CYP3A. É também necessária precaução durante a primeira vez em que é efetuado o tratamento se for alternado o potenciador farmacológico do ritonavir para o cobicistate.
Interacções: Medicamentos que afectam a exposição ao atazanavir/cobicistate: O atazanavir é metabolizado no fígado através da CYP3A4. O cobicistate é um substrato da CYP3A e é metabolizado com menor extensão pela CYP2D6. Uso concomitante não recomendado: A co-administração de Atazanavir / Cobicistate com medicamentos que são potenciadores moderados a fracos da CYP3A podem levar a uma diminuição das concentrações plasmáticas de atazanavir e/ou cobicistate, levando a uma perda do efeito terapêutico e possível desenvolvimento de resistência ao atazanavir. Alguns exemplos incluem, mas não estão limitados à etravirina, à nevirapina, ao efavirenz, ao boceprevir, à fluticasona e ao bosentan. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Darunavir Boceprevir

Observações: O perfil de interacção do darunavir pode variar dependendo se é utilizado o ritonavir ou o cobicistate como fármacos potenciadores. As recomendações dadas para a utilização concomitante de darunavir e outros medicamentos podem por isso variar dependendo se darunavir é potenciado com ritonavir ou com cobicistate, e é também necessária precaução durante o primeiro tempo de tratamento, se se substituir o fármaco potenciador de ritonavir para cobicistate.
Interacções: Medicamentos que afectam a exposição a darunavir (cobicistate como fármaco potenciador): O darunavir e o cobicistate são metabolizados pelo CYP3A, e a administração concomitante com indutores do CYP3A pode resultar em exposições plasmáticas subterapêuticas ao darunavir. O darunavir potenciado com cobicistate é mais sensível à indução do CYP3A, do que darunavir potenciado com ritonavir: A administração concomitante de darunavir/cobicistate com indutores fracos a moderados do CYP3A (ex.: efavirenz, etravirina, nevirapina, boceprevir, telaprevir, fluticasona e bosentano) não é recomendada. À administração concomitante com inibidores fortes do CYP3A4, aplicam-se as mesmas recomendações independentemente de darunavir ser potenciado com ritonavir ou com cobicistate. ANTIVÍRICOS DE acção directa SOBRE O VÍRUS DA HEPATITE C (VHC): Inibidores da protease NS3-4ª: Boceprevir 800 mg, três vezes por dia: Não é recomendado o uso concomitante de Darunavir com doses baixas de ritonavir e boceprevir. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Cobicistate Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Utilização concomitante não recomendada: A co-administração de Cobicistate com medicamentos que são indutores moderados a fracos do CYP3A pode resultar na diminuição da concentração plasmática de cobicistate e, consequentemente, da potenciação de atazanavir ou darunavir, levando a perda do efeito terapêutico e a possível desenvolvimento de resistência. Alguns exemplos incluem, mas não se limitam à etravirina, efavirenz, nevirapina, boceprevir, telaprevir, fluticasona e bosentano. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Darunavir + Cobicistate Boceprevir

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica com Darunavir / Cobicistate. Uma vez que Darunavir / Cobicistate contém darunavir e cobicistate, as interações que foram identificadas com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir) e com cobicistate determinam as interações que podem ocorrer com Darunavir / Cobicistate. Os ensaios de interacção com darunavir/ritonavir e com cobicistate apenas foram realizados em adultos.
Interacções: ANTIVIRAIS QUE ATUAM DIRETAMENTE NO VÍRUS DA HEPATITE C (VHC): Inibidores da NS3-4A: Boceprevir, Telaprevir: Tendo por base considerações teóricas, estes antivirais podem diminuir as concentrações plasmáticas de darunavir e/ou cobicistate. Darunavir / Cobicistate pode reduzir as concentrações plasmáticas destes antivirais. A administração concomitante de Darunavir / Cobicistate com boceprevir ou telaprevir não é recomendada. - Boceprevir
Contraindicado

Eliglustato Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores da CYP3A: Em metabolizadores intermédios (MI) e extensivos (ME): Após doses repetidas de 84 mg de eliglustato duas vezes por dia em doentes não-MF, a administração concomitante de doses repetidas de 400 mg de cetoconazol, um inibidor potente da CYP3A, uma vez por dia, resultou num aumento da Cmax e da AUC0-12 do eliglustato, de 3,8 e 4,3 vezes, respectivamente; Serão de esperar efeitos semelhantes com outros inibidores potentes da CYP3A (p.ex., claritromicina, cetoconazol, itraconazol, cobicistat, indinavir, lopinavir, ritonavir, saquinavir, telaprevir, tipranavir, posaconazol, voriconazol, telitromicina, conivaptan, boceprevir). Em MI e ME, deve proceder-se com cuidado relativamente aos inibidores potentes da CYP3A. Para uma dosagem de 84 mg duas vezes por dia com eliglustato em doentes não-MFs, é de prever que a utilização concomitante de inibidores moderados da CYP3A (p.ex., eritromicina, ciprofloxacina, fluconazol, diltiazem, verapamilo, aprepitant, atazanavir, darunavir, fosamprenavir, imatinib, cimetidina) iria aumentar aproximadamente até 3 vezes a exposição ao eliglustato. Em MIs e MEs, deve proceder-se com cuidado relativamente aos inibidores moderados da CYP3A. Em metabolizadores fracos (MF): Para uma dosagem de 84 mg uma vez por dia com eliglustato em MF, é de prever que a utilização concomitante de inibidores potentes da CYP3A (p.ex., cetoconazol, claritromicina, itraconazol, cobicistat, indinavir, lopinavir, ritonavir, saquinavir, telaprevir, tipranavir, posaconazol, voriconazol, telitromicina, conivaptan, boceprevir) iria aumentar a Cmax e a AUC0-24 do eliglustato, em 4,3 e 6,2 vezes, respectivamente. É contra-indicada a utilização de inibidores potentes da CYP3A em MF. - Boceprevir
Usar com precaução

Olaparib Boceprevir

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica formais.
Interacções: interacções farmacocinéticas: Efeito de outros fármacos sobre olaparib: Os CYP3A4/5 são as isoenzimas predominantemente responsáveis pela eliminação metabólica de olaparib. Não foram realizados estudos clínicos para avaliar o impacto dos inibidores e indutores do CYP3A conhecidos e portanto recomenda-se evitar a utilização dos inibidores potentes conhecidos (p.ex., itraconazol, telitromicina, claritromicina, inibidores da protease potenciados, indinavir, saquinavir, nelfinavir, boceprevir, telaprevir) ou indutores (p.ex., fenobarbital, fenitoína, rifampicina, rifabutina, rifapentina, carbamazepina, nevirapina e hipericão) destas isoenzimas com olaparib. O olaparib in vitro é um substrato para o transportador de efluxo P-gp. Não foram realizados estudos clínicos para avaliar o impacto dos inibidores e indutores conhecidos do P-gp. - Boceprevir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atorvastatina + Ezetimiba Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos: ATORVASTATINA: Boceprevir: A exposição à atorvastatina foi aumentada quando administrada com boceprevir. Quando é requerida a administração concomitante com este medicamento, deve considerar-se iniciar o tratamento com a dose mais baixa possível deste medicamento, com a titulação da dose até ao efeito clínico desejado e monitorizando simultaneamente a segurança, sem exceder a dose diária de 10/20 mg. Para os doentes que já estejam a tomar este medicamento, a dose de desta associação não deve exceder a dose diária de 10/20 mg durante a administração concomitante com boceprevir. - Boceprevir
Contraindicado

Lurasidona Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: interacções farmacocinéticas: Outros potenciais medicamentos que podem afectar a lurasidona: Tanto a lurasidona como o seu metabólito activo ID-14283 contribuem para o efeito farmacodinâmico nos receptores dopaminérgicos e serotoninérgicos. A lurasidona e seu metabólitoativo ID-14283 são principalmente metabolizados pelo CYP3A4. Inibidores do CYP3A4: A lurasidona é contra-indicada em concomitância com inibidores fortes do CYP3A4 (por exemplo, boceprevir, claritromicina, cobicistate, indinavir, itraconazol, cetoconazol, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol). A administração concomitante de lurasidona com o inibidor forte do CYP3A4 cetoconazol resultou num aumento de 9 e 6 vezes na exposição da lurasidona e do seu metabólito activo ID-14283, respectivamente. A administração concomitante de lurasidona com medicamentos que inibem moderadamente o CYP3A4 (por exemplo, diltiazem, eritromicina, fluconazol, verapamil) pode aumentar a exposição à lurasidona. Estima-se que os inibidores moderados do CYP3A4 resultam num aumento de 2-5 vezes na exposição dos substratos do CYP3A4. A administração concomitante de lurasidona com diltiazem (formulação de libertação lenta), um inibidor moderado do CYP3A4, resultou num aumento de 2,2 e 2,4 vezes na exposição da lurasidona e do ID-14283, respectivamente. A utilização de uma formulação de libertação imediata do diltiazem pode resultar num maior aumento da exposição à lurasidona. - Boceprevir
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Efavirenz Boceprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTI-INFECCIOSOS: Antivíricos para a hepatite C Boceprevir/Efavirenz (800 mg 3 vezes por dia/600 mg uma vez por dia) As concentrações plasmáticas mínimas de boceprevir diminuíram quando foi administrado com efavirenz. O resultado clínico desta redução nas concentrações mínimas de boceprevir não foi diretamente avaliado. - Boceprevir
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Efavirenz + Emtricitabina + Tenofovir Boceprevir

Observações: As interações que foram identificadas com Efavirenz, Emtricitabina e Tenofovir individualmente podem ocorrer com esta associação. Os estudos de interacção com estes medicamentos só foram realizados em adultos.
Interacções: ANTI-INFECCIOSOS: Antivirais para a hepatite C: Boceprevir/Efavirenz: (800 mg q8h/600 mg q.d.). As concentrações plasmáticas mínimas de boceprevir diminuíram quando administrado com efavirenz, um componente deste medicamento. O resultado clínico desta redução nas concentrações mínimas de boceprevir observada não foi diretamente avaliada. - Boceprevir
Usar com precaução

Eltrombopag Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeito de outros medicamentos no eltrombopag: Inibidores da protease do VHC: Os resultados de um estudo de interacção farmacocinética (PK) fármaco-fármaco mostram que a co-administração de doses repetidas de 800 mg de boceprevir a cada 8 horas (Q8h) ou 750 mg de telaprevir Q8h com uma dose única de 200 mg de eltrombopag não alterou a exposição plasmática do eltrombopag numa extensão clinicamente significativa. A co-administração de uma dose única de 200 mg de eltrombopag com 750 mg de telaprevir Q8h não alterou a exposição plasmática do telaprevir. Ainda não está disponível informação sobre o efeito na exposição do boceprevir. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Fosamprenavir Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Boceprevir: Não recomendado. - Boceprevir
Usar com precaução

Guanfacina Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Inibidores das CYP3A4 e CYP3A5: Devem tomar-se precauções quando Guanfacina é administrado a doentes que estão a tomar cetoconazol e outros inibidores moderados e potentes das CYP3A4/5, sendo proposta uma diminuição da dose de Guanfacina no intervalo de doses recomendado. A co-administração de Guanfacina com inibidores moderados e potentes das CYP3A4/5 eleva as concentrações plasmáticas de guanfacina e aumenta o risco de reacções adversas como hipotensão, bradicardia e sedação. Verificou-se um aumento considerável da taxa e extensão da exposição da guanfacina quando administrada com cetoconazol; as concentrações plasmáticas máximas (Cmax) e a exposição (AUC) da guanfacina aumentaram respectivamente 2 e 3 vezes. Outros inibidores das CYP3A4/5 podem ter um efeito comparável; ver a seguir para uma lista de exemplos de inibidores moderados e potentes das CYP3A4/5, embora esta lista não seja definitiva. Inibidores moderados das CYP3A4/5: Aprepitant, Atazanavir, Ciprofloxacina, Crizotinib, Diltiazem, Eritromicina, Fluconazol, Fosamprenavir, Imatinib, Verapamil, Sumo de toranja. Inibidores potentes das CYP3A4/5: Boceprevir, Cloranfenicol, Claritromicina, Indinavir, Itraconazol, Cetoconazol, Posaconazol, Ritonavir, Saquinavir, Telaprevir, Telitromicina. - Boceprevir
Sem efeito descrito

Maraviroc Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: ANTI-INFECCIOSOS: Antirretrovirais: Inibidores da Protease do VHC: Boceprevir 800 mg TID: (maraviroc 150 mg BID) Não é provável que as concentrações de boceprevir sejam afetadas pela co-administração de maraviroc (com base em dados históricos e na via de eliminação do boceprevir). Maraviroc 150 mg duas vezes por dia quando co-administrado com boceprevir. - Boceprevir
Sem significado Clínico

Raltegravir Boceprevir

Observações: Todos os ensaios de interacção foram realizados em adultos.
Interacções: Efeito do raltegravir na farmacocinética de outros medicamentos: Nos ensaios de interacção, o raltegravir não teve um efeito clinicamente significativo na farmacocinética da etravirina, maraviroc, tenofovir, Contraceptivos hormonais, metadona, midazolam ou do boceprevir. Dados de interacções Farmacocinéticas: ANTIVÍRICOS VHC: Inibidores da protease (PIs) NS3/4A: Boceprevir (Dose Única de raltegravir 400 mg) Não é necessário ajuste posológico para o Raltegravir ou para o boceprevir. - Boceprevir
Contraindicado

Sinvastatina + Ezetimiba Boceprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: interacções farmacocinéticas: interacções Medicamentosas Associadas com o Risco Aumentado de Miopatia/Rabdomiólise: Inibidores potentes do CYP3A4 por ex. Itraconazol, Cetoconazol, Posaconazol, Voriconazol, Eritromicina, Claritromicina, Telitromicina, Inibidores da protease do VIH (ex: nelfinavir), Boceprevir, Telaprevir, Nefazodona, Cobicistato, Ciclosporina, Danazol, Gemfibrozil: contra-indicados com Sinvastatina / Ezetimiba. SINVASTATINA: A sinvastatina é um substrato do citocromo P450 3A4. Os inibidores potentes do citocromo P450 3A4 aumentam o risco de miopatia e de rabdomiólise através do aumento da concentração de actividade inibidora da redutase da HMG-CoA no plasma durante a terapêutica com sinvastatina. Estes inibidores incluem: Itraconazol, cetoconazol, posaconazol, voriconazol, eritromicina, claritromicina, telitromicina, inibidores da protease do VIH (p. ex: nelfinavir), boceprevir, telaprevir, nefazodona e medicamentos contendo cobicistato. A administração concomitante de itraconazol resultou num aumento de mais de 10 vezes na exposição ao ácido da sinvastatina (o metabólito betahidroxiácido ativo). A telitromicina causou um aumento de 11 vezes na exposição ao ácido da sinvastatina. Está contra-indicada a utilização concomitante de sinvastatina com itraconazol, cetoconazol, posaconazol, voriconazol, inibidores da protease do VIH (p. ex: nelfinavir), boceprevir, telaprevir, eritromicina, claritromicina, telitromicina, nefazodona e medicamentos contendo cobicistato, assim como com gemfibrozil, ciclosporina e danazol. Se o tratamento com inibidores potentes do CYP3A4 (fármacos que aumentam a AUC em aproximadamente 5 vezes ou mais) for inevitável, a terapêutica com Sinvastatina / Ezetimiba deverá ser interrompida (e considerada a utilização de uma estatina alternativa) durante o tratamento. - Boceprevir
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Sirolímus Boceprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Os inibidores da CYP3A4 podem diminuir o metabolismo do sirolímus e aumentar os seus níveis sanguíneos. Estes inibidores incluem alguns antifúngicos (por exemplo, clotrimazol, fluconazol, itraconazol, voriconazol), alguns antibióticos (por exemplo, troleandomicina, telitromicina, claritromicina), alguns inibidores da protease (por exemplo, ritonavir, indinavir, boceprevir, telaprevir), nicardipina, bromocriptina, cimetidina e danazol. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Tipranavir Boceprevir

Observações: Os estudos de interacção apenas foram realizados em adultos.
Interacções: MEDICAMENTOS ANTI-INFECCIOSOS: Agentes anti-VHC: Boceprevir Não foi realizado qualquer estudo de interacção: Num estudo farmacocinético em voluntários saudáveis, o boceprevir diminuiu a exposição de ritonavir, e de alguns inibidores da protease potenciados pelo ritonavir. A exposição de boceprevir diminuiu quando coaministrado com lopinavir ou darunavir potenciados por ritonavir. Estas interacções medicamentosas podem reduzir a eficácia dos inibidores da protease do VIH e/ou do boceprevir quando co-administrados. A co-administração de boceprevir com Tipranavir/ritonavir não é recomendada. - Boceprevir
Contraindicado

Cariprazina Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Potencial de outros medicamentos para afectar a cariprazina: O metabolismo da cariprazina e dos seus principais metabólitos ativos, a desmetil cariprazina (DCAR) e a didesmetil cariprazina (DDCAR), é maioritariamente mediado pela CYP3A4 com um contributo menor da CYP2D6. Inibidores da CYP3A4: O cetoconazol, um forte inibidor da CYP3A4, provocou um aumento duas vezes superior na exposição plasmática à cariprazina total (soma da cariprazina e dos seus metabólitos ativos) durante uma co-administração de curta duração (4 dias), considerando-se tanto as frações não ligadas ou não ligadas+ligadas. Devido à longa semivida das frações activas da cariprazina, pode esperar-se um aumento adicional da exposição plasmática à cariprazina total durante uma co-administração mais longa. Assim, a co-administração de cariprazina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (p. ex., boceprevir, claritromicina, cobicistate, indinavir, itraconazol, cetoconazol, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol, diltiazem, eritromicina, fluconazol, verapamilo) é contra-indicada. O consumo de sumo de toranja deve ser evitado. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida Boceprevir

Observações: Não foram realizados estudos de interacção farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interacção com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interacções: ANTIVIRAIS QUE ATUAM DIRETAMENTE NO VÍRUS DA HEPATITE C (VHC) Inibidores da NS3-4A Boceprevir Telaprevir Tendo por base considerações teóricas, estes antivirais podem diminuir as concentrações plasmáticas de darunavir e/ou cobicistate e prejudicar a activação intracelular e a eficácia antiviral clínica de tenofovir alafenamida. este medicamento pode reduzir as concentrações plasmáticas destes antivirais. A administração concomitante de este medicamento com boceprevir ou telaprevir não é recomendada. - Boceprevir
Sem efeito descrito

Dolutegravir + Rilpivirina Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Substâncias activas antivíricas Boceprevir/Dolutegravir: Não é necessário ajuste de dose. Boceprevir/Rilpivirina: Não é necessário ajuste de dose. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Bictegravir + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida Boceprevir

Observações: Os estudos de interacção só foram realizados em adultos.
Interacções: Boceprevir interacção não estudada com nenhum dos componentes deste medicamento. A co-administração com boceprevir tem o potencial para afectar de forma adversa a activação intracelular e a eficácia clínica antiviral do tenofovir alafenamida com base em dados in vitro. A co-administração não é recomendada. - Boceprevir
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Lorlatinib Boceprevir

Observações: Dados in vitro indicam que lorlatinib é principalmente metabolizado pelo CYP3A4 e pela uridina difosfato-glucuronosiltransferase (UGT)1A4, com pequenas contribuições do CYP2C8, CYP2C19, CYP3A5 e UGT1A3.
Interacções: Inibidores do CYP3A4/5 O itraconazol, um inibidor potente do CYP3A4/5, administrado em doses orais de 200 mg uma vez por dia durante 5 dias, aumentou a AUC média de lorlatinib em 42% e a Cmax em 24% de uma dose única oral de 100 mg de lorlatinib em voluntários saudáveis. A administração concomitante de lorlatinib com inibidores potentes do CYP3A4/5 (p. ex., boceprevir, cobicistate, itraconazol, cetoconazol, posaconazol, troleandomicina, voriconazol, ritonavir, paritaprevir em associação com ritonavir e ombitasvir e/ou dasabuvir, e ritonavir em associação com elvitegravir, indinavir, lopinavir ou tipranavir) pode aumentar as concentrações plasmáticas de lorlatinib. Os produtos à base de toranja podem igualmente aumentar as concentrações plasmáticas de lorlatinib e devem ser evitados. Deve ser considerado um medicamento concomitante alternativo com menos potencial para inibir o CYP3A4/5. Se tiver de ser administrado concomitantemente um inibidor potente do CYP3A4/5, recomenda-se uma redução da dose de lorlatinib. - Boceprevir
Usar com precaução

Polatuzumab vedotina Boceprevir

Observações: Não foram realizados estudos formais de interacção farmacológica com polatuzumab vedotina em humanos.
Interacções: Com base na simulação farmacocinética baseada em fisiologia (PBPK) de MMAE libertado de polatuzumab vedotina, inibidores potentes do CYP3A4 e gp-P (ex. cetoconazol) podem aumentar a área sob a curva da concentração-tempo (AUC) de MMAE não conjugado em 48%. É recomendada precaução no caso de tratamento concomitante com um inibidor do CYP3A4. Os doentes que recebam concomitantemente inibidores potentes do CYP3A4 (ex. boceprevir, claritromicina, cobicistate, indinavir, itraconazol, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol) devem ser alvo de vigilância mais apertada quanto ao aparecimento de sinais de toxicidade. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Avapritinib Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Substâncias activas que podem ter um efeito sobre Avapritinib Inibidores de CYP3A fortes e moderados A administração concomitante de Avapritinib com um inibidor do CYP3A forte aumentou as concentrações plasmáticas de avapritinib e podem resultar no aumento de reacções adversas. A administração concomitante de itraconazol (200 mg duas vezes por dia no Dia 1, seguido por 200 mg uma vez por dia durante 13 dias) com uma dose única de 200 mg de avapritinib no Dia 4 em participantes saudáveis aumentou o Cmax do avapritinib 1,4 vezes e AUC0-inf por 4,2 vezes, relativamente a uma dose de 200 mg de avapritinib administrada isoladamente. Deve ser evitada a utilização concomitante de avapritinib com inibidores de CYP3A fortes ou moderados (tais como antifúngicos, incluindo cetoconazol, itraconazol, posaconazol, voriconazol; alguns macrólidos, tais como a eritromicina, claritromicina e telitromicina; substâncias activas para tratar infecções pelo vírus da imunodeficiência humana/síndrome da imunodeficiência adquirida (VIH/SIDA) tais como cobicistate, indinavir, lopinavir, nelfinavir, ritonavir e saquinavir; bem como conivaptan para hiponatremia e boceprevir para tratar a hepatite) incluindo toranja ou de sumo de toranja. Se a utilização concomitante com um inibidor do CYP3A moderado não puder ser evitada, a dose inicial de Avapritinib deve ser reduzida de 300 mg por via oral uma vez por dia para 100 mg por via oral uma vez por dia. - Boceprevir
Usar com precaução

Glasdegib Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos na farmacocinética de glasdegib In vitro, o CYP3A4 é responsável pela maior parte da depleção de glasdegib e contribuiu para a formação de outros metabólitos oxidativos menores, com o CYP2C8 e a UGT1A9 a desempenharemuma função inferior no metabolismo de glasdegib. Substâncias que podem aumentar a concentração plasmática de glasdegib Inibidores do CYP3A4 O cetoconazol, um inibidor potente do CYP3A4, numa dose de 400 mg uma vez por dia durante 7 dias, aumentou a média da área sob a curva (AUCinf) em ~2,4-vezes e a concentração plasmática máxima (Cmax) em 40% de uma dose única oral de 200 mg de glasdegib em indivíduos saudáveis. Deve-se ter cuidado ao administrar concomitantemente com inibidores potentes do CYP3A4 (por ex., boceprevir, cobicistate, conivaptan, itraconazol, cetoconazol, posaconazol, telaprevir, troleandomicina, voriconazol, ritonavir, toranja ou sumo de toranja) uma vez que pode ocorrer um aumento da concentração plasmática de glasdegib. Se possível, recomenda-se um medicamento concomitante alternativo sem potencial de inibição ou com potencial de inibição mínimo do CYP3A4. - Boceprevir
Usar com precaução

Fostamatinib Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos no fostamatinib Outros medicamentos com forte potencial de inibição do CYP3A4 quando co-administrados com fostamatinib: boceprevir, cobicistate, conivaptan, danoprevir e ritonavir, elvitegravir e ritonavir, sumo de toranja, indinavir e ritonavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir e ritonavir, paritaprevir e ritonavir e (ombitasvir e/ou dasabuvir), posaconazol, ritonavir, saquinavir e ritonavir, telaprevir, tipranavir e ritonavir, troleandomicina, voriconazol, claritromicina, diltiazem, idelalisib, nefazodona, nelfinavir. - Boceprevir
Não recomendado/Evitar

Relugolix + Estradiol + Noretisterona Boceprevir

Observações: As recomendações relativas a interacções com este medicamento baseiam-se nas avaliações de interacções para os componentes individuais.
Interacções: Relugolix Indutores fortes do citocromo P450 3A4 (CYP3A4) e/ou da gp-P: A co-administração de este medicamento com indutores fortes do CYP3A4 e/ou da gp-P não é recomendada. Num estudo de interacção clínica com rifampicina, um indutor forte do CYP3A4 e da gp-P, a Cmax e a AUC de relugolix foram reduzidas em 23% e 55%, respectivamente. Medicamentos que causem uma indução forte do CYP3A4 e/ou da gp-P, como anticonvulsivantes (por ex., carbamazepina, topiramato, fenitoína, fenobarbital, primidona, oxcarbazepina, felbamato), medicamentos anti-infecciosos (por ex., rifampicina, rifabutina, griseofulvina); hipericão (Hypericum perforatum); bosentano e inibidores da protease do VIH ou do VHC (por ex., ritonavir, boceprevir, telaprevir) e inibidores não nucleosídeos da transcriptase reversa (por ex., efavirenz), podem reduzir as concentrações plasmáticas de relugolix e podem resultar numa diminuição dos efeitos terapêuticos. - Boceprevir
Usar com precaução

Drospirenona Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Foram descritas na literatura as seguintes interacções (principalmente com contraceptivos combinados, mas ocasionalmente também com pílulas só com progestagénio). Substâncias com efeito variável na depuração de hormonas contraceptivas: Quando administrados concomitantemente com hormonas sexuais, muitas associações de inibidores da protease do VIH (por exemplo, ritonavir, nelfinavir) e análogos não nucleosídeos inibidores da transcriptase reversa (por exemplo, nevirapina, efavirenz) e/ou associações com medicamentos para vírus da Hepatite C (VHC) (por exemplo, boceprevir, telaprevir), pode aumentar ou diminuir as concentrações plasmáticas de progestinas. O efeito total dessas alterações pode ser clinicamente relevante em alguns casos. As informações de prescrição de medicamentos VIH / VHC concomitantes devem portanto ser consultadas para identificar possíveis interacções e quaisquer recomendações relacionadas. Em caso de dúvida, deve ser utilizado um método contraceptivo de barreira adicional por mulheres em terapia com inibidor da protesae ou inibidor da transcriptase reversa não-nucleosídeo. - Boceprevir
Sem significado Clínico

Lamivudina + Raltegravir Boceprevir

Observações: Uma vez que este medicamento contém lamivudina e raltegravir, qualquer interacção que tenha sido identificada com estes agentes isolados pode ocorrer com Lamivudina / Raltegravir. Estudos de interacção com estes agentes só foram realizados em adultos.
Interacções: Nos ensaios de interacção, o raltegravir não teve um efeito clinicamente significativo na farmacocinética da etravirina, maraviroc, tenofovir, contraceptivos hormonais, metadona, midazolam ou boceprevir. - Boceprevir
Usar com precaução

Avacopano Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeito dos inibidores potentes de CYP3A4 sobre o avacopan: A co-administração do avacopan com o itraconazol, um potente inibidor enzimático de CYP3A4, resultou num aumento da AUC e da Cmax de avacopan em aproximadamente 2,2 vezes e 1,9 vezes, respectivamente. Por conseguinte, os inibidores enzimáticos potentes de CYP3A4 (por exemplo, boceprevir, claritromicina, conivaptan, indinavir, itraconazol, cetoconazol, lopinavir/ritonavir, mibefradil, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina e voriconazol) devem ser utilizados com precaução nos doentes que estão a ser tratados com avacopan. Os doentes têm de ser monitorizados quanto ao potencial aumento dos efeitos indesejáveis devido ao aumento da exposição ao avacopan. - Boceprevir
Usar com precaução

Enfortumab vedotina Boceprevir

Observações: n.d.
Interacções: Efeitos de outros medicamentos sobre enfortumab vedotina: Inibidores, substratos ou indutores do CYP3A4: Com base num modelo farmacocinético de base fisiológica (PBPK), a utilização concomitante de enfortumab vedotina com cetoconazol (uma gp-P combinada e um inibidor forte do CYP3A) está prevista aumentar a Cmáx de MMAE e a AUC exposta em menor grau, sem alteração da exposição ao conjugado anticorpo-fármaco (CAF). É recomendada precaução no caso de tratamento concomitante com inibidores do CYP3A4. Os doentes que estejam a receber inibidores fortes do CYP3A4 concomitantemente (p. ex., boceprevir, claritromicina, cobicistate, indinavir, itraconazol, nefazodona, nelfinavir, posaconazol, ritonavir, saquinavir, telaprevir, telitromicina, voriconazol) devem ser monitorizados mais cuidadosamente quanto a sinais de toxicidade. - Boceprevir
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Boceprevir
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Boceprevir, em associação com ribavirina e peginterferão alfa, é contra-indicado em mulheres grávidas.
Não foram observados efeitos no desenvolvimento fetal em ratos e coelhos.
Não existem dados sobre a utilização de Boceprevir em mulheres grávidas.
Devido ao tratamento combinado de peginterferão alfa e ribavirina, deve ser tomada elevada precaução para evitar uma gravidez em doentes do sexo feminino ou em parceiras do sexo feminino de doentes do sexo masculino.
Desta forma, doentes do sexo feminino com potencial para engravidas têm que utilizar um método contraceptivo eficaz no decurso do tratamento e durante o período de quatro meses após a conclusão do mesmo.
Doentes do sexo masculino ou as suas parceiras sexuais têm que utilizar um método contraceptivo eficaz no decurso do tratamento e no período de 7 meses após conclusão do mesmo.

Boceprevir/metabolitos são excretados no leite do rato fêmea.
Desconhece-se se boceprevir é excretado no leite materno.
Não pode ser excluído o risco para recém-nascidos/lactentes.
Deve ser tomada a decisão de descontinuar a amamentação ou descontinuar/suspender o tratamento com Boceprevir tendo em consideração o benefício da amamentação para a criança e o benefício do tratamento para a mulher.

O tratamento combinado de Boceprevir, peginterferão alfa e ribavirina pode influenciar a capacidade de conduzir e utilizar máquinas em alguns doentes.
Os doentes devem ser informados que foram notificados casos de fadiga, tonturas, síncope, flutuação da pressão arterial e visão turva.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021