Bisoprolol + Hidroclorotiazida

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
A Hidroclorotiazida é um diurético tiazídico que ajuda a prevenir que o corpo humano absorva demasiado sal, o que pode causar retenção de líquidos.

O Bisoprolol é um beta-bloqueador.
Os beta-bloqueadores afetam o coração e a circulação (fluxo sanguíneo através das artérias e veias).

A combinação de Hidroclorotiazida e Bisoprolol é utilizada para tratar a pressão arterial elevada (hipertensão).

A associação Hidroclorotiazida e Bisoprolol também pode ser usada para fins aqui não mencionados.
Usos comuns
Tratamento da hipertensão essencial.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratamento da hipertensão essencial.
As combinações fixas de dose (fumarato de bisoprolol 10 mg/hidroclorotiazida 25 mg) estão indicadas em doentes cuja tensão arterial não seja controlada adequadamente com fumarato de bisoprolol ou hidroclorotiazida, em monoterapia.
Classificação CFT

03.04.04.02.01 : Seletivos cardíacos

Mecanismo De Ação
Bisoprolol: O bisoprolol é um bloqueador dos recetores adrenérgicos beta que ocupa uma posição intermédia no que diz respeito à lipofilia/hidrofilia.
O bisoprolol é altamente seletivo do recetor adrenérgico beta-1 ("cardioseletivo"), destituído de atividade simpaticomimética intrínseca e que não apresenta uma atividade relevante de estabilização da membrana.
Através do bloqueio dos recetores beta cardíacos, o bisoprolol diminui a resposta à atividade simpaticoadrenérgica.
Isto provoca uma diminuição na frequência cardíaca e na contratilidade, reduzindo o consumo de oxigénio pelo miocárdio.

Hidroclorotiazida: A hidroclorotiazida é um derivado benzotiadizínico que, como ação primária, aumenta a excreção de eletrólitos e secundariamente aumenta o fluxo urinário por retenção osmótica de água.
A hidroclorotiazida inibe, predominantemente, a absorção de sódio no túbulo distal, de modo que um máximo de 15% de sódio que sofre filtração glomerular pode ser excretado.
A quantidade de cloretos excretados corresponde, aproximadamente, à do sódio excretado.
A hidroclorotiazida também provoca um aumento na excreção de potássio, que é essencialmente determinada pela excreção de potássio no túbulo distal e no tubo coletor (troca aumentada entre os iões sódio e potássio).
O efeito saluriético e diurético da hidroclorotiazida não é influenciado, de um modo apreciável, pela acidose ou alcalose.
A taxa de filtração glomerular é inicialmente diminuída a uma ligeira quantidade.
Durante a terapêutica a longo prazo com hidroclorotiazida, a excreção renal de cálcio é reduzida, pelo que pode originar hipercalcemia.
A hidroclorotiazida reduz a resistência periférica devido ao relaxamento do músculo liso vascular.
Em doentes com insuficiência renal crónica (depuração da creatinina inferior a 30 ml/min e/ou creatinina sérica acima de 1,8 mg/100 ml) a hidroclorotiazida é praticamente ineficaz.
Em doentes com diabetes insípida renal e diabetes insípida sensível à vasopressina (ADH), a hidroclorotiazida tem um efeito antidiurético.
Posologia Orientativa
Administrar 1 comprimido (10 mg de bisoprolol + 25 mg de hidroclorotiazida)/dia.
Administração
Via oral.
Os comprimidos devem ser engolidos inteiros com um pouco de líquido, durante o pequeno almoço.
Contraindicações
Este medicamento é contraindicado em doentes com:
- hipersensibilidade ao bisoprolol, hidroclorotiazida, a outras tiazidas, sulfonamidas;
- insuficiência cardíaca aguda ou durante episódios de descompensação da insuficiência cardíaca, que requerem uma terapêutica inotrópica intravenosa;
- choque cardiogénico;
- bloqueio AV de segundo ou terceiro grau (sem pacemaker);
- doença do nódulo sinusal;
- bloqueio sinoauricular;
- bradicardia sintomática;
- asma brônquica grave;
- formas graves de doença arterial oclusiva periférica e formas graves de síndrome de Raynaud;
- feocromocitoma não tratado;
- acidose metabólica;
- insuficiência renal grave (depuração de creatinina inferior a 30 ml/min);
- insuficiência hepática grave;
- hipocaliemia refractária;
- hiponatremia grave;
- hipercalcemia;
- gota.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Neoplasias benignas, malignas e não especificadas (incluindo quistos e pólipos): Desconhecido: Cancro da pele não-melanoma (carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular).

Doenças do sangue e do sistema linfático:
Raros: leucopenia, trombocitopenia.
Muito raros: agranulocitose.

Doenças do metabolismo e da nutrição:
Frequentes: hiperglicemia, hiperuricemia, alterações dos fluidos e hemostase eletrolítica (principalmente hipocaliemia e hiponatremia, hipomagnesiemia e hipocloremia, assim como hipercalcemia).
Pouco frequentes: perda de apetite.
Muito raros: alcalose metabólica.

Pertubações do foro psiquiátrico:
Pouco frequentes: depressão, perturbações do sono.
Raros: pesadelos, alucinações.

Doenças do sistema nervoso:
Frequentes: vertigens*, cefaleias*.

Afeções oculares:
Raros: redução do fluxo lacrimal (a ter em consideração no caso de o doente usar lentes de contacto), perturbações visuais.
Muito raros: conjuntivite.
Frequência desconhecida: efusão coroidal.

Afeções do ouvido e do labirinto:
Raros: perturbações da audição.

Cardiopatias:
Pouco frequentes: bradicardia, alterações da condução auriculo-ventricular, agravamento da insuficiência cardíaca.

Vasculopatias:
Frequentes: sensação de frio ou adormecimento das extremidades.
Pouco frequentes: hipotensão ortostática.
Raros: síncope.

Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino:
Pouco frequentes: broncospasmo em doentes com asma brônquica ou antecedentes de patologia obstrutiva das vias respiratórias.
Raros: rinite alérgica.
Desconhecido: Doença pulmonar intersticial.

Doenças gastrointestinais:
Frequentes: queixas gastrointestinais tais como náuseas, vómitos, diarreia, obstipação.
Pouco frequentes: dores abdominais, pancreatite.

Afeções hepatobiliares:
Raros: hepatite, icterícia.

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
Raros: reações de hipersensibilidade tais como prurido, rubor, erupção cutânea, exantema fotoalérgico, púrpura, urticária.
Muito raros: alopecia, lúpus eritematoso cutâneo.

Os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta podem provocar ou agravar a psoríase ou induzir um rash idêntico à psoríase.

Afeções musculoesqueléticas e dos tecidos conjuntivos:
Pouco frequentes: fraqueza muscular, cãibras.

Doenças dos órgãos genitais e da mama:
Raros: disfunção erétil.

Perturbações gerais e alterações no local de administração:
Frequentes: fadiga*.
Pouco frequentes: astenia.
Muito raros: dor no peito.

Exames complementares de diagnóstico:
Frequentes: aumento dos triglicéridos e do colesterol, glicosúria.
Pouco frequentes: aumento da amilase, aumento reversível da creatinina sérica e da ureia.
Raros: aumento das enzimas hepáticas (AST e ALT).

* Estes sintomas aparecem, normalmente, no início do tratamento.
Geralmente são moderados e costumam desaparecer ao fim de 1-2 semanas.

Cancro da pele não-melanoma: Com base nos dados disponíveis de estudos epidemiológicos observou-se uma associação entre a HCTZ e o NMSC, dependente da dose cumulativa.
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
Este medicamento deve ser utilizado com precaução em doentes com:
- insuficiência cardíaca concomitante;
- diabetes mellitus, com grandes flutuações nos valores de glicose sanguínea; os sintomas de hipoglicemia (por exemplo, taquicardia, palpitações ou sudação) podem ser mascarados;
- jejum prolongado;
- bloqueio AV de 1º grau;
- angina de Prinzmetal; Foram observados casos de vasoespasmo coronário.

Apesar da sua elevada seletividade beta-1, as crises de angina não podem ser completamente excluídas quando o bisoprolol é administrado em doentes com angina de Prinzmetal.
- doença arterial oclusiva periférica.

O agravamento dos sintomas pode ocorrer especialmente, durante o início da terapêutica;
- hipovolemia;
- insuficiência da função hepática.

Embora os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta cardioseletivos (beta-1) possam ter um efeito menor na função pulmonar do que os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos, como acontece com todos os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta, estes devem ser evitados em doentes com doenças obstrutivas das vias aéreas, a menos que existam razões clínicas imperiosas para a sua utilização.

Quando existem tais razões, este medicamento pode ser utilizado com precaução.
Na asma brônquica ou outras patologias pulmonares obstrutivas crónicas, as quais podem originar sintomas específicos, deve ser administrada, concomitantemente, terapêutica broncodilatadora.

Ocasionalmente, pode ocorrer um aumento da resistência aérea das vias respiratórias em doentes asmáticos, por conseguinte, pode ser necessário aumentar a dose dos agonistas dos recetores adrenérgicos beta-2.

Devido à hidroclorotiazida, a administração contínua, a longo prazo, deste medicamento, pode originar alterações no equilíbrio eletrolítico e de fluidos, especialmente hipocaliemia e hiponatremia, seguido de hipomagnesiemia e hipocloremia, bem como hipercalcemia.

A hipocaliemia facilita o desenvolvimento de arritmias graves, principalmente torsade de pointes, que pode ser fatal.

Durante a terapêutica a longo prazo com este medicamento recomenda-se a monitorização dos eletrólitos séricos (especialmente, potássio, sódio, cálcio), creatinina e ureia, lípidos séricos (colesterol e triglicéridos), ácido úrico e glicemia.

Tal como outros bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta, o bisoprolol pode aumentar tanto a sensibilidade aos alergenos como a gravidade das reações anafiláticas.

Esta situação também se aplica à terapêutica dessensibilizadora.

O tratamento com adrenalina nem sempre origina o efeito terapêutico esperado.

Doentes com psoríase ou com uma história de psoríase devem ser tratados com bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta (como por exemplo bisoprolol) somente após se ter efetuado uma cuidadosa avaliação da relação benefício/risco.

Em doentes com feocromocitoma, o bisoprolol não deve ser administrado até que tenha ocorrido o bloqueio dos recetores adrenérgicos alfa.

Os sintomas de tireotoxicose podem ser mascarados devido ao tratamento com bisoprolol.

Em situações de anestesia geral, o bloqueio beta reduz a incidência de arritmias e isquemia do miocárdio durante a indução e intubação, bem como no período pós-operatório.

Normalmente recomenda-se a continuação do bloqueio beta no período peri-operatório.

O anestesista deve ter em atenção o bloqueio beta uma vez que podem ocorrer eventuais interações com outros medicamentos, resultando em bradiarritmias, taquicardia reflexa atenuada e diminuição da capacidade reflexa para compensar a perda de sangue.

Caso seja necessário interromper a terapêutica com o bloqueador dos recetores adrenérgicos beta antes da cirurgia, tal deve ser feito de forma gradual e até cerca de 48 horas antes da anestesia.

Reações de fotossensibilidade podem ocorrer com os diuréticos tiazídicos.

Se ocorrerem reações de fotossensibilidade, recomenda-se a proteção das áreas expostas ao sol ou a luz UVA artificial.

Em casos graves pode ser necessário interromper o tratamento.

Em doentes com hiperuricemia o risco de episódios de gota pode estar aumentado.

Efusão coroidal, miopia aguda e glaucoma secundário de ângulo fechado:
A hidroclorotiazida, uma sulfonamida, pode causar uma reação idiossincrática, resultando em efusão coroidal com perda do campo visual, miopia aguda transitória e glaucoma agudo de ângulo fechado.

Os sintomas incluem uma diminuição aguda da acuidade visual ou dor ocular e tipicamente ocorrem dentro de horas ou semanas após o início do tratamento.

O glaucoma agudo de ângulo fechado não tratado pode levar a perda de visão permanente.

O tratamento primário consiste em descontinuar a hidroclorotiazida o mais rapidamente possível.

Pode ser necessário tratamento médico ou cirúrgico imediato se a pressão intraocular permanecer descontrolada.

Os fatores de risco para o desenvolvimento de glaucoma agudo de ângulo fechado podem incluir história de alergia às sulfonamidas ou à penicilina.

Cancro da pele não-melanoma
Em dois estudos epidemiológicos baseados no registo nacional de cancro da Dinamarca foi observado um aumento do risco de cancro da pele não-melanoma (NMSC) [carcinoma basocelular (BCC) e carcinoma espinocelular (SCC)] com uma dose cumulativa crescente de exposição a hidroclorotiazida (HCTZ).

A atividade fotossensibilizadora da HCTZ pode atuar como mecanismo para o NMSC.

Os doentes em tratamento com HCTZ devem ser informados do risco de NMSC e aconselhados a observar regularmente a sua pele.

Quaisquer novas lesões da pele suspeitas devem ser imediatamente comunicadas ao médico.

Os doentes devem ser aconselhados a tomar medidas preventivas tais como limitação da exposição à luz solar e à radiação ultravioleta e, em caso de exposição, a utilização de proteção adequada com vista a minimizar o risco de cancro da pele.

As lesões cutâneas suspeitas devem ser rapidamente examinadas, nomeadamente através de exames histológicos de biópsias.

A utilização de HCTZ também poderá ter que ser reavaliada em doentes com antecedentes de NMSC.
Cuidados com a Dieta
A ingestão de álcool pode diminuir ainda mais a sua pressão sanguínea e pode aumentar alguns efeitos colaterais de Hidroclorotiazida e Bisoprolol.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. Não tome a dose esquecida se for quase hora da sua próxima dose. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Armazenar a 20 ° a 25 °C.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Verapamilo

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Antagonistas do cálcio, tal como o verapamilo e, em menor grau, diltiazem: Influência negativa na contratilidade e na condução auriculo-ventricular. A administração intravenosa de verapamilo em doentes em tratamento com bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta pode levar a uma hipotensão profunda e a um bloqueio aurículo- ventricular. - Verapamilo
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Antagonistas do cálcio, tal como o verapamilo e, em menor grau, diltiazem: Influência negativa na contratilidade e na condução auriculo-ventricular. A administração intravenosa de verapamilo em doentes em tratamento com bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta pode levar a uma hipotensão profunda e a um bloqueio aurículo- ventricular. Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Os antagonistas dos canais de cálcio, tais como os derivados da dihidropiridina (ex. nifedipina, amlodipina): O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão e não se pode excluir, em doentes com insuficiência cardíaca, um aumento do risco de deterioração da função de bombeamento ventricular. - Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Diltiazem

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Antagonistas do cálcio, tal como o verapamilo e, em menor grau, diltiazem: Influência negativa na contratilidade e na condução auriculo-ventricular. A administração intravenosa de verapamilo em doentes em tratamento com bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta pode levar a uma hipotensão profunda e a um bloqueio aurículo- ventricular. - Diltiazem
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Antihipertensores

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Fármacos antihipertensores com ação central (como por exemplo clonidina, metildopa, moxonodina, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores com ação central pode conduzir a uma redução da frequência e output cardíacos, bem como a vasodilatação. A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador dos recetores adrenérgicos beta, pode aumentar o risco de "hipertensão rebound". - Antihipertensores
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Fármacos antihipertensores com ação central (como por exemplo clonidina, metildopa, moxonodina, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores com ação central pode conduzir a uma redução da frequência e output cardíacos, bem como a vasodilatação. A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador dos recetores adrenérgicos beta, pode aumentar o risco de "hipertensão rebound". - Clonidina
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Metildopa

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Fármacos antihipertensores com ação central (como por exemplo clonidina, metildopa, moxonodina, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores com ação central pode conduzir a uma redução da frequência e output cardíacos, bem como a vasodilatação. A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador dos recetores adrenérgicos beta, pode aumentar o risco de "hipertensão rebound". Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Metildopa: Em casos isolados, foi descrita hemólise devida à formação de anticorpos à hidroclorotiazida. - Metildopa
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Rilmenidina

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Fármacos antihipertensores com ação central (como por exemplo clonidina, metildopa, moxonodina, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores com ação central pode conduzir a uma redução da frequência e output cardíacos, bem como a vasodilatação. A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador dos recetores adrenérgicos beta, pode aumentar o risco de "hipertensão rebound". - Rilmenidina
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Moxonidina

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Fármacos antihipertensores com ação central (como por exemplo clonidina, metildopa, moxonodina, rilmenidina): O uso concomitante de medicamentos antihipertensores com ação central pode conduzir a uma redução da frequência e output cardíacos, bem como a vasodilatação. A interrupção abrupta, especialmente se anterior à descontinuação do bloqueador dos recetores adrenérgicos beta, pode aumentar o risco de "hipertensão rebound". - Moxonidina
Não recomendado/Evitar

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Lítio

Observações: N.D.
Interações: Associações NÃO RECOMENDADAS: Lítio: O Bisoprolol / Hidroclorotiazida pode intensificar o efeito cardiotóxico e neurotóxico do lítio, causados pela diminuição da excreção de lítio. - Lítio
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Dihidropiridinas

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Os antagonistas dos canais de cálcio, tais como os derivados da dihidropiridina (ex. nifedipina, amlodipina): O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão e não se pode excluir, em doentes com insuficiência cardíaca, um aumento do risco de deterioração da função de bombeamento ventricular. - Dihidropiridinas
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Amlodipina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Os antagonistas dos canais de cálcio, tais como os derivados da dihidropiridina (ex. nifedipina, amlodipina): O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão e não se pode excluir, em doentes com insuficiência cardíaca, um aumento do risco de deterioração da função de bombeamento ventricular. - Amlodipina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Nifedipina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Os antagonistas dos canais de cálcio, tais como os derivados da dihidropiridina (ex. nifedipina, amlodipina): O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão e não se pode excluir, em doentes com insuficiência cardíaca, um aumento do risco de deterioração da função de bombeamento ventricular. - Nifedipina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ex. captopril, enalapril), antagonistas da angiotensina II: Risco de diminuição significativa da tensão arterial e/ou insuficiência renal aguda, no início do tratamento em doentes com depleção de sódio pré-existente (em particular doentes com estenose arterial renal). Se uma terapia diurética anterior levou a uma depleção de sódio, deve-se interromper o diurético 3 dias antes de se iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina, ou iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina em dose baixa. - Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECAS)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Captopril

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ex. captopril, enalapril), antagonistas da angiotensina II: Risco de diminuição significativa da tensão arterial e/ou insuficiência renal aguda, no início do tratamento em doentes com depleção de sódio pré-existente (em particular doentes com estenose arterial renal). Se uma terapia diurética anterior levou a uma depleção de sódio, deve-se interromper o diurético 3 dias antes de se iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina, ou iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina em dose baixa. - Captopril
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Enalapril

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ex. captopril, enalapril), antagonistas da angiotensina II: Risco de diminuição significativa da tensão arterial e/ou insuficiência renal aguda, no início do tratamento em doentes com depleção de sódio pré-existente (em particular doentes com estenose arterial renal). Se uma terapia diurética anterior levou a uma depleção de sódio, deve-se interromper o diurético 3 dias antes de se iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina, ou iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina em dose baixa. - Enalapril
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Antagonistas da angiotensina II (AAII)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ex. captopril, enalapril), antagonistas da angiotensina II: Risco de diminuição significativa da tensão arterial e/ou insuficiência renal aguda, no início do tratamento em doentes com depleção de sódio pré-existente (em particular doentes com estenose arterial renal). Se uma terapia diurética anterior levou a uma depleção de sódio, deve-se interromper o diurético 3 dias antes de se iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina, ou iniciar o tratamento com inibidores da enzima de conversão da angiotensina em dose baixa. - Antagonistas da angiotensina II (AAII)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Antiarrítmicos

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, lidocaína, fenitoína, flecainida, propafenona): O efeito sobre o tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado e o efeito inotrópico negativo pode ser aumentado. Antiarrítmicos de classe III (ex. amiodarona): O efeito no tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado. Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Antiarrítmicos
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Disopiramida

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, lidocaína, fenitoína, flecainida, propafenona): O efeito sobre o tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado e o efeito inotrópico negativo pode ser aumentado. Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Disopiramida
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Quinidina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, lidocaína, fenitoína, flecainida, propafenona): O efeito sobre o tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado e o efeito inotrópico negativo pode ser aumentado. Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Quinidina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Lidocaína

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, lidocaína, fenitoína, flecainida, propafenona): O efeito sobre o tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado e o efeito inotrópico negativo pode ser aumentado. - Lidocaína
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, lidocaína, fenitoína, flecainida, propafenona): O efeito sobre o tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado e o efeito inotrópico negativo pode ser aumentado. - Fenitoína
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Flecainida

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, lidocaína, fenitoína, flecainida, propafenona): O efeito sobre o tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado e o efeito inotrópico negativo pode ser aumentado. - Flecainida
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Propafenona

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, lidocaína, fenitoína, flecainida, propafenona): O efeito sobre o tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado e o efeito inotrópico negativo pode ser aumentado. - Propafenona
Potencialmente Fatal

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Amiodarona

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Antiarrítmicos de classe III (ex. amiodarona): O efeito no tempo de condução auriculo-ventricular pode ser potenciado. Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Amiodarona
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Hidroquinidina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Hidroquinidina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Sotalol

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Sotalol
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Dofetilida

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Dofetilida
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Ibutilida

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos antiarrítmicos que podem causar torsade de pointes (fármacos de classe IA, por exemplo, quinidina, hidroquinidina, disopiramida, e de classe III, por exemplo, amiodarona, sotalol, dofetilida, ibutilida): A hipocaliemia pode facilitar a ocorrência de torsade de pointes. - Ibutilida
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Parassimpatomiméticos (ou parassimpaticomiméticos) (PSNS)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos parassimpaticomiméticos (incluindo tacrina e galantimina): O uso concomitante pode aumentar o tempo de condução auriculo-ventricular e o risco de bradicardia. Bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta tópicos, incluindo gotas oftálmicas para o tratamento do glaucoma, têm efeitos aditivos sistémicos. - Parassimpatomiméticos (ou parassimpaticomiméticos) (PSNS)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Tacrina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos parassimpaticomiméticos (incluindo tacrina e galantimina): O uso concomitante pode aumentar o tempo de condução auriculo-ventricular e o risco de bradicardia. Bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta tópicos, incluindo gotas oftálmicas para o tratamento do glaucoma, têm efeitos aditivos sistémicos. - Tacrina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Galantamina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos parassimpaticomiméticos (incluindo tacrina e galantimina): O uso concomitante pode aumentar o tempo de condução auriculo-ventricular e o risco de bradicardia. Bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta tópicos, incluindo gotas oftálmicas para o tratamento do glaucoma, têm efeitos aditivos sistémicos. - Galantamina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta tópicos, incluindo gotas oftálmicas para o tratamento do glaucoma, têm efeitos aditivos sistémicos. Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Antidiabéticos Orais

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Insulina e antidiabéticos orais: Aumento do efeito hipoglicemiante. O bloqueio de beta-adrenorecetores pode mascarar os sintomas da hipoglicemia. - Antidiabéticos Orais
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Insulinas

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Insulina e antidiabéticos orais: Aumento do efeito hipoglicemiante. O bloqueio de beta-adrenorecetores pode mascarar os sintomas da hipoglicemia. - Insulinas
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Anestésicos

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Agentes anestésicos: Atenuação da taquicardia reflexa e aumento do risco de hipotensão. - Anestésicos
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Glicósideos digitálicos

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Glicosidos digitálicos: Prolongamento do tempo de condução auriculo-ventricular, diminuição da frequência cardíaca. Se se desenvolver hipocaliemia e/ou hipomagnesiemia durante o tratamento com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida, o miocárdio pode revelar sensibilidade aumentada aos glicosidos cardíacos, levando a um potenciamento dos seus efeitos e reações adversas. - Glicósideos digitálicos
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs): Os AINEs podem reduzir o efeito hipotensor do bisoprolol. Em doentes que desenvolvam hipovolemia, a administração concomitante com anti-inflamatórios não esteroides pode desencadear insuficiência renal aguda. - Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Simpaticomiméticos

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Simpaticomiméticos dos recetores adrenérgicos beta (isoprenalina, dobutamina): A associação com bisoprolol pode diminuir o efeito de ambos os fármacos. Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administr ação concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aume ntar as perdas de potássio. - Simpaticomiméticos
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Isoprenalina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Simpaticomiméticos dos recetores adrenérgicos beta (isoprenalina, dobutamina): A associação com bisoprolol pode diminuir o efeito de ambos os fármacos. - Isoprenalina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Dobutamina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Simpaticomiméticos dos recetores adrenérgicos beta (isoprenalina, dobutamina): A associação com bisoprolol pode diminuir o efeito de ambos os fármacos. - Dobutamina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Adrenalina (epinefrina)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Adrenalina (epinefrina)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Noradrenalina (Norepinefrina)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Noradrenalina (Norepinefrina)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Corticosteroides

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. Associações a considerar: Corticosteroides: Redução do efeito anti-hipertensivo (retenção de água e sódio induzida por corticosteroides). - Corticosteroides
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Hormona adrenocorticotrófica (ACTH)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Hormona adrenocorticotrófica (ACTH)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Carbenoxolona

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Carbenoxolona
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Anfotericina B

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Anfotericina B
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Furosemida

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Furosemida
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Laxantes

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos simpaticomiméticos que ativam os alfa- e beta-adrenorecetores (por exemplo: norepinefrina e epinefrina): A associação com o bisoprolol pode desmascarar os efeitos vasoconstritores destes medicamentos, mediados pelo alfa-adrenorecetor, conduzindo a um aumento da tensão arterial e a uma exacerbação da claudicação intermitente. Considera-se que estas interações acontecem mais frequentemente com os bloqueadores dos recetores adrenérgicos beta não seletivos. O efeito de agentes que diminuem o ácido pode ser atenuado pela administração concomitante com o Bisoprolol / Hidroclorotiazida. O uso simultâneo de Bisoprolol / Hidroclorotiazida com medicamentos depletores de potássio (por exemplo, corticosteroides, corticotrofina (ACTH), carbenoxolona, anfotericina B, furosemida ou laxantes) pode aumentar as perdas de potássio. - Laxantes
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Colestipol

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Colestiramina, colestipol: Reduz a absorção da hidroclorotiazida. - Colestipol
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Colestiramina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Colestiramina, colestipol: Reduz a absorção da hidroclorotiazida. - Colestiramina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: A utilização concomitante com outros agentes hipertensores ou outros medicamentos com potencial para reduzir a tensão arterial (ex. antidepressivos tricíclicos, barbitúricos, fenotiazidas) pode aumentar o risco de hipotensão. - Antidepressores (Tricíclicos)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Barbitúricos

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: A utilização concomitante com outros agentes hipertensores ou outros medicamentos com potencial para reduzir a tensão arterial (ex. antidepressivos tricíclicos, barbitúricos, fenotiazidas) pode aumentar o risco de hipotensão. - Barbitúricos
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Fenotiazidas (fenotiazinas)

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: A utilização concomitante com outros agentes hipertensores ou outros medicamentos com potencial para reduzir a tensão arterial (ex. antidepressivos tricíclicos, barbitúricos, fenotiazidas) pode aumentar o risco de hipotensão. - Fenotiazidas (fenotiazinas)
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Medicamentos potenciadores de Torsades de Pointes

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Medicamentos potenciadores de Torsades de Pointes
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Astemizol

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Astemizol
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Eritromicina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Eritromicina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Halofantrina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Halofantrina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Pentamidina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Pentamidina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Esparfloxacina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Esparfloxacina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Terfenadina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Terfenadina
Usar com precaução

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Vincamina

Observações: N.D.
Interações: Associações a UTILIZAR COM CUIDADO: Fármacos não antiarrítmicos que podem induzir torsades de pointes (astemizol, eritromicina i.v., halofantrina, pentamidina, sparfloxacina, terfenadina, vincamina): A hipocaliémia pode facilitar a ocorrência de torsades de pointes. - Vincamina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Bisoprolol + Hidroclorotiazida + Mefloquina

Observações: N.D.
Interações: Associações a considerar: Mefloquina: Risco aumentado de bradicardia. - Mefloquina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Bisoprolol + Hidroclorotiazida
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Categoria C da FDA para a gravidez. Não se sabe se a Hidroclorotiazida e Bisoprolol irá prejudicar o feto. Informe o médico se estiver grávida ou se planeia engravidar durante o uso deste medicamento.

Não é recomendado em mulheres a amamentar, uma vez que o bisoprolol pode e a hidroclorotiazida é excretada no leite materno em quantidades mínimas. A hidroclorotiazida pode inibir a produção de leite.

A ingestão de álcool pode diminuir ainda mais a sua pressão sanguínea e pode aumentar alguns efeitos colaterais de Hidroclorotiazida e Bisoprolol.

Evitar tornar-se demasiado quente durante o exercício e em clima quente. Siga as instruções do Médico sobre o tipo e a quantidade de líquidos que deve beber. Em alguns casos, beber muito líquido pode ser tão perigoso quanto não beber o suficiente.

Evite movimentar-se rápido demais de uma posição de sentado ou deitado, ou pode sentir tonturas. Levante-se devagar e firme-se para evitar uma queda. Este medicamento pode provocar reações e prejudicar o raciocínio e reflexos.
Tenha cuidado se conduzir ou executar tarefas que necessitem de estar alerta.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 18 de Setembro de 2020