Besilato de atracúrio

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
O Besilato de atracúrio é um agente bloqueador neuromuscular não-despolarizante com curta duração de acção.

A ausência de efeitos cardiovasculares significativos e sua falta de dependência de uma boa função renal para a eliminação, proporcionam vantagem clínica sobre os agentes bloqueadores neuromusculares alternativos não-despolarizantes.
Usos comuns
O Besilato de Atracúrio é um bloqueador neuromuscular altamente selectivo, competitivo e não despolarizante.

É utilizado como coadjuvante na anestesia geral com o objectivo de permitir a intubação traqueal e o relaxamento dos músculos esqueléticos durante a cirurgia ou durante a ventilação controlada, e para facilitar a ventilação mecânica de doentes em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).
Tipo
Molécula pequena.
História
Besilato de atracúrio foi sintetizado pela primeira vez em 1974 por George H. Dewar, um farmacêutico e um estudante de doutoramento em química médica John B. Stenlake, num grupo de investigação de química medicinal do Departamento de Farmácia da Universidade de Strathclyde, na Escócia.

Dewar foi o primeiro nome atribuído ao composto " 33A74 " antes de sua eventual emergência na clínica como atracúrio.

Atracúrio foi o culminar de uma abordagem racional para desenho de fármacos para produzir o primeiro relaxante muscular não-esteróide não despolarizante que sofre degradação química in vivo. O termo degradação química foi criado por Roger D.Waigh, também ele farmacêutico e um pesquisador de pós-doutorado do grupo de investigadores de Stenlake.

O Atracúrio foi licenciada pela Universidade de Strathclyde à The Wellcome Foundation Ltd.

Reino Unido, que desenvolveu o fármaco (então conhecido como BW 33A ) e sua introdução nos primeiros testes em humanos em 1979, e depois, eventualmente, para a sua primeira apresentação (como uma mistura de todas as dez estereoisómeros) na prática anestésica clínica no Reino Unido, em 1983, sob a designação comercial de atracúrio.
Indicações
O besilato de atracúrio é um bloqueador neuromuscular competitivo altamente selectivo e não despolarizante que se utiliza por administração I.V. (injecção ou perfusão), para produzir relaxamento da musculatura esquelética, como adjuvante da anestesia geral, na realização da intubação endotraqueal, durante a ventilação assistida e para facilitar a ventilação mecânica em pacientes da UCI.
Classificação CFT

02.03.02 : acção periférica

Mecanismo De Acção
O besilato de atracúrio é um agente bloqueador neuromuscular competitivo (i.e., que actua por competição com a acetilcolina para os receptores localizados na placa neuromuscular e a sua acção pode sofrer oposição por um aumento da concentração local de acetilcolina, por exemplo através da administração de um anticolinesterásico como a neostigmina), não despolarizante altamente selectivo (grupo farmacoterapêutico II.3) com propriedades únicas que o diferenciam de outros agentes não despolarizantes disponíveis, como sejam a tubocurarina, o pancurónio e a metocurarina.
O besilato de atracúrio apresenta propriedades bloqueadoras neuromusculares potentes com efeitos cardiovasculares mínimos nas doses que permitem um bloqueio neuromuscular completo.
Doses de 0,3 a 0,6 mg/kg não têm produzido efeitos cardiovasculares prejudiciais.
O besilato de atracúrio provoca uma menor libertação de histamina do que a tubocurarina ou a metocurarina; a libertação de histamina é mínima em doses até 0,5 mg/kg.
No entanto, têm sido descritas reacções à libertação de histamina nalguns casos o que torna aconselhável que se evite a administração de besilato de atracúrio a pacientes com uma história clínica de reacções alérgicas.

A duração de acção do besilato de atracúrio é 1/3 a 1/2 da de outros agentes bloqueadores neuromusculares não despolarizantes, como sejam o pancurónio, a tubocurarina e a metocurarina (30 a 45 minutos após a administração de doses de 0,4 a 0,6 mg/kg).
O aumento da dose de besilato de atracúrio leva a um prolongamento da duração da acção.
O fármaco tem um rápido começo de acção, permitindo efectuar-se uma entubação em 2 a 3 minutos ou menos.
O besilato de atracúrio é 2,5 vezes mais potente do que a tubocurarina, 1,5 vezes mais potente do que a metocurarina e apresenta 1/4 a 1/3 da potência do pancurónio.
Em doses até aproximadamente a DE95 e a DE99 (0,2 e 0,3 mg/kg, respectivamente), o começo de acção do besilato de atracúrio é comparável ao de outros agentes não despolarizantes e é dose-dependente.
A paralesia é acentuada com a adição de halotano ou outros anestésicos voláteis.
Bebés e crianças pequenas são mais resistentes aos efeitos do fármaco.
Não foram observadas diferenças no índice de recuperação ou no tempo de recuperação em pacientes obesos em relação a pacientes com peso normal.
Posologia Orientativa
A dose habitual é:
Injecção em adultos:
Doses entre 0,3 e 0,6 mg/kg (dependendo da duração do bloqueio requerida) que proporcionam um relaxamento adequado durante 15 a 35 minutos.
A intubação endotraqueal pode estar completa geralmente 90 segundos após a injecção I.V. de 0,5 a 0,6 mg/kg.
O bloqueio completo pode ser prolongado com doses suplementares de 0,1 a 0,2 mg/kg sem que se produza um aumento da acumulação do bloqueio neuromuscular.
A recuperação espontânea desde o final do bloqueio completo dá-se em cerca de 35 minutos. O bloqueio neuromuscular produzido pelo besilato de atracúrio pode ser rapidamente revertido através da administração de doses standard de agentes anticolinesterásicos.

Perfusão em adultos:
Após uma dose inicial de 0,3 a 0,6 mg/kg, o besilato de atracúrio pode ser utilizado na manutenção do bloqueio neuromuscular durante procedimentos cirúrgicos prolongados através da perfusão contínua a taxas de 0,3 a 0,6 mg/kg/h.
Pode ser administrado por perfusão durante a cirurgia de bypass cardiovascular nas taxas de perfusão recomendadas. A hipotermia induzida a uma temperatura corporal de 25º a 26ºC reduz a velocidade de inactivacção do besilato de atracúrio, o que faz com que se possa manter um bloqueio neuromuscular completo com aproximadamente metade da velocidade de perfusão original.

Pacientes da UCI:
Após uma dose inicial por bólus de 0,3 a 0,6 mg/kg, o besilato de atracúrio pode ser utilizado na manutenção do bloqueio neuromuscular através da perfusão contínua a taxas de 11 a 13 microgramas/kg/min (0,65 – 0,78 mg/kg/h). Existe uma ampla variabilidade interindividual em termos de dose requerida. Nalguns pacientes são necessárias taxas de perfusão desde 4,5 microgramas/kg/min (0,27 mg/kg/h) a 29,5 microgramas/kg/min (1,77 mg/kg/h).
A velocidade de recuperação espontânea do bloqueio neuromuscular depois de uma perfusão de besilato de atracúrio em pacientes da UCI depende da duração da administração. Pode-se esperar uma recuperação espontânea numa média de aproximadamente 60 minutos.

Utilização em crianças
A dose para crianças com mais de 1 mês de idade é a mesma dos adultos com base no peso corporal.
Administração
Via intravenosa.
Contra-Indicações
Hipersensibilidade ao Besilato de atracúrio Besilato de atracúrio ou ao ácido benzenosulfónico.
O fármaco não deve ser administrado por via I.M. (excessiva irritação tecidular).
O besilato de atracúrio não deve ser utilizado na indução rápida da anestesia ("crash intubation") em lugar da succinilcolina, devido à sua duração de acção intermédia.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Dados de ensaios clínicos
Vasculopatias
Eventos que foram atribuídos à libertação de histamina estão indicados com um asterisco (*).
Frequentes: Hipotensão (ligeira, transitória)*, rubor cutâneo*
Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino
Eventos que foram atribuídos à libertação de histamina estão indicados com um asterisco (*).
Pouco frequentes: Broncospasmos*

Dados de pós-comercializacção

Doenças do sistema imunitário
Muito raros: reacção anafiláctica, reacção anafilactóide.
Foram relatadas, muito raramente, reacções anafilactóides ou anafilácticas graves em doentes a receber besilato de atracúrio em associação com um ou mais anestésicos.

Doenças do sistema nervoso
Desconhecido: Convulsões
Foram relatados casos de convulsões em doentes na UCI que receberam besilato de atracúrio concomitantemente com vários outros fármacos. Estes doentes, tinham usualmente uma ou mais situações clínicas predisponentes a convulsões (por exemplo traumatismo craniano, edema cerebral, encefalite viral, encefalopatia hipóxica, uremia). Não foi estabelecida uma relação causal com a laudanosina. Em ensaios clínicos, parece não haver correlação entre a concentração plasmática de laudanosina e a ocorrência de convulsões.

Afecções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos
Desconhecido: Miopatia, fraqueza muscular
Foram relatados alguns casos de fraqueza muscular e/ou miopatia após utilização prolongada de relaxantes musculares em doentes gravemente doentes na UCI. À maioria dos doentes eram administrados corticosteróides concomitantemente. Estes efeitos foram observados com pouca frequência em associação com besilato de atracúrio, não estando estabelecida uma relação causal.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Tal como outros agentes de bloqueio neuromuscular, o Besilato de Atracúrio deverá utilizar-se durante a gravidez unicamente se o potencial benefício para a mãe se sobrepor aos potenciais riscos no feto.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Não existem dados que indiquem a sua excreção no leite materno.
Precauções Gerais
Tal como outros agentes de bloqueio neuromuscular, o Besilato de Atracúrio Solução injectável paralisa os músculos respiratórios assim como outros músculos esqueléticos, não apresentando efeitos sobre a consciência.

Deve administrar-se unicamente com anestesia geral adequada e mediante ou sob supervisão de um anestesista experiente, nas condições adequadas para intubação endotraqueal e ventilação artificial.

À semelhança de outros agentes de bloqueio neuromuscular, durante a administração do Besilato de Atracúrio existe a possibilidade de libertação de histamina em doentes susceptíveis.

Deverá administrar-se com precaução em doentes com história clínica sugestiva de sensibilidade aumentada aos efeitos da histamina.

No intervalo de doses recomendado, o Besilato de Atracúrio não apresenta propriedades de bloqueio vagal ou ganglionar significativas.

Consequentemente, não mostra efeitos significativos na frequência cardíaca nas doses recomendadas, não contrariando a bradicardia produzida por muitos agentes anestésicos ou por estimulação vagal durante a cirurgia.

Tal como outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, poderá prever-se um aumento da sensibilidade ao besilato de atracúrio em alguns doentes com miastenia gravis ou com outras doenças neuromusculares, bem como doentes com desequilíbrio electrolítico grave.

O Besilato de Atracúrio deve administrar-se durante um período de 60 segundos em doentes anormalmente sensíveis às descidas de pressão sanguínea, como por exemplo, os hipovolémicos.

O Besilato de Atracúrio é inactivado a pH elevado, pelo que, não deverá misturar-se na mesma seringa com tiopental ou qualquer agente alcalino.
Ao selecionar uma pequena veia como local de injecção, o Besilato de Atracúrio deve ser eliminado da mesma após a injecção, através de soro fisiológico.

Quando outros anestésicos são administrados através da mesma agulha ou cânula que o Besilato de Atracúrio, é importante que após utilização de cada fármaco se proceda à lavagem da veia com um volume adequado de soro fisiológico.

O Besilato de Atracúrio é hipotónico, pelo que não deve ser administrado no mesmo tubo de perfusão de uma transfusão sanguínea.
Estudos de hipertermia maligna em animais susceptíveis (suínos) e estudos clínicos em doentes susceptíveis a esta patologia indicam que esta especialidade não desencadeia este síndroma.

Tal como em outros agentes bloqueadores neuromusculares não despolarizastes, poderá desenvolver-se resistência em doentes com queimaduras. Tais doentes poderão requerer um aumento da dose dependendo do tempo decorrido desde a queimadura e da sua extensão.

A administração de doses elevadas em animais de laboratório provocou hipotensão transitória e, em algumas espécies, efeitos excitatórios cerebrais associados à laudanosina, metabolito do besilato de atracúrio. Embora tenham sido observadas convulsões em doentes internados em UCI sujeitos a terapêutica com besilato de atracúrio, estas não foram atribuídas em nenhum dos casos à laudanosina.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Não utilizar uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Conservar no frigorífico (2ºC - 8ºC).
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Anestésicos inalatórios

Observações: n.d.
Interacções: O bloqueio neuromuscular produzido pelo Besilato de Atracúrio pode aumentar devido ao uso concomitante de anestésicos inalatórios tais como o halotano, isoflurano e enflurano. - Anestésicos inalatórios
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Desflurano Besilato de atracúrio

Observações: Não foi determinado o efeito do desflurano no metabolismo de outros medicamentos.
Interacções: Comparado com a anestesia de N2O/ opiáceo as concentrações anestésicas do desflurano em equilíbrio reduzem o DE95 do suxametónio em aproximadamente 30% e o do atracúrio e do pancurónio em aproximadamente 50%. - Besilato de atracúrio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Enflurano

Observações: n.d.
Interacções: O bloqueio neuromuscular produzido pelo Besilato de Atracúrio pode aumentar devido ao uso concomitante de anestésicos inalatórios tais como o halotano, isoflurano e enflurano. - Enflurano
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Halotano

Observações: n.d.
Interacções: O bloqueio neuromuscular produzido pelo Besilato de Atracúrio pode aumentar devido ao uso concomitante de anestésicos inalatórios tais como o halotano, isoflurano e enflurano. - Halotano
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Isoflurano

Observações: n.d.
Interacções: O bloqueio neuromuscular produzido pelo Besilato de Atracúrio pode aumentar devido ao uso concomitante de anestésicos inalatórios tais como o halotano, isoflurano e enflurano. - Isoflurano
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Antibióticos

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Antibióticos, incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclina, lincomicina e clindamicina. Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos anti-reumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Antibióticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Aminoglicosídeos

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Antibióticos, incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclina, lincomicina e clindamicina. - Aminoglicosídeos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Polimixinas (Antibióticos)

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Antibióticos, incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclina, lincomicina e clindamicina. - Polimixinas (Antibióticos)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Espectinomicina

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Antibióticos, incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclina, lincomicina e clindamicina. - Espectinomicina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Tetraciclina

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Antibióticos, incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclina, lincomicina e clindamicina. - Tetraciclina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Clindamicina

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Antibióticos, incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclina, lincomicina e clindamicina. - Clindamicina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Lincomicina

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Antibióticos, incluindo aminoglicosidos, polimixinas, espectinomicina, tetraciclina, lincomicina e clindamicina. - Lincomicina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Antiarrítmicos

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Fármacos antiarrítmicos: Propranolol, bloqueadores dos canais de cálcio, lidocaína, procaínamida e quinidina. Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos anti-reumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Antiarrítmicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Propranolol (propanolol)

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Fármacos antiarrítmicos: Propranolol, bloqueadores dos canais de cálcio, lidocaína, procaínamida e quinidina. Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos anti-reumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Propranolol (propanolol)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Fármacos antiarrítmicos: Propranolol, bloqueadores dos canais de cálcio, lidocaína, procaínamida e quinidina. - Bloqueadores da entrada de cálcio (antagonistas de cálcio)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Lidocaína

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Fármacos antiarrítmicos: Propranolol, bloqueadores dos canais de cálcio, lidocaína, procaínamida e quinidina. - Lidocaína
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Quinidina

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Fármacos antiarrítmicos: Propranolol, bloqueadores dos canais de cálcio, lidocaína, procaínamida e quinidina. Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos anti-reumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Quinidina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Procainamida

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Fármacos antiarrítmicos: Propranolol, bloqueadores dos canais de cálcio, lidocaína, procainamida e quinidina. Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos anti-reumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Procainamida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Diuréticos

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Diuréticos: Furosemida e possivelmente manitol, diuréticos tiazídicos e acetazolamida. - Diuréticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Furosemida

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Diuréticos: Furosemida e possivelmente manitol, diuréticos tiazídicos e acetazolamida. - Furosemida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Manitol

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Diuréticos: Furosemida e possivelmente manitol, diuréticos tiazídicos e acetazolamida. - Manitol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Diuréticos tiazídicos (Tiazidas)

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Diuréticos: Furosemida e possivelmente manitol, diuréticos tiazídicos e acetazolamida. - Diuréticos tiazídicos (Tiazidas)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Acetazolamida

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Diuréticos: Furosemida e possivelmente manitol, diuréticos tiazídicos e acetazolamida. - Acetazolamida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Sulfato de magnésio

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Sulfato de magnésio. - Sulfato de magnésio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Cetamina

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Cetamina. - Cetamina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Lítio

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Sais de lítio. Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Lítio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Bloqueadores ganglionares

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Bloqueadores ganglionares: Trimetafano e hexametónio. - Bloqueadores ganglionares
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Trimetafano

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Bloqueadores ganglionares: Trimetafano e hexametónio. Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Trimetafano
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Hexametónio

Observações: n.d.
Interacções: Do mesmo modo que outros agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizantes, a magnitude e/ou duração do bloqueio neuromuscular despolarizante do Besilato de Atracúrio pode aumentar como resultado da interacção com: Bloqueadores ganglionares: Trimetafano e hexametónio. - Hexametónio
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos anti-reumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Oxprenolol

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos anti-reumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Oxprenolol
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Anti-reumáticos

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Anti-reumáticos
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Cloroquina

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Cloroquina
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Penicilamina

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Penicilamina
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Clorpromazina

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Clorpromazina
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Esteróides

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Esteróides
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Fenitoína

Observações: n.d.
Interacções: Raramente, certos fármacos podem agravar ou expor a miastenia gravis latente ou mesmo induzir um síndrome miasténico. O aumento da sensibilidade ao Besilato de Atracúrio pode ser uma consequência deste desenvolvimento. Estes fármacos incluem vários antibióticos, beta-bloqueadores (propranolol, oxprenolol), fármacos antiarrítmicos (procaínamida, quinidina), fármacos antirreumáticos (cloroquina, D-penicilamina), trimetafano, clorpromazina, esteróides, fenitoína e lítio. - Fenitoína
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Besilato de atracúrio Anticonvulsivantes

Observações: n.d.
Interacções: Em doentes sujeitos a terapêutica Anticonvulsivante crónica, o início do bloqueio neuromuscular não despolarizante poderá ser atrasado, sendo a sua duração mais reduzida. - Anticonvulsivantes
Usar com precaução

Besilato de atracúrio Bloqueadores neuromusculares

Observações: n.d.
Interacções: A administração de associações de agentes de bloqueio neuromuscular não despolarizante juntamente com o Besilato de Atracúrio pode produzir um grau de bloqueio neuromuscular excessivo, quando comparado com o obtido com a administração de uma dose total equipotente de Besilato de Atracúrio. Qualquer efeito sinérgico pode variar entre as diferentes associações de fármacos. - Bloqueadores neuromusculares
Não recomendado/Evitar

Besilato de atracúrio Cloreto de suxametónio

Observações: n.d.
Interacções: Não deve administrar-se um relaxante muscular despolarizante como o cloreto de suxametónio com o objectivo de prolongar os efeitos bloqueadores musculares dos agentes não despolarizantes, tais como o besilato de atracúrio, uma vez que pode ocorrer um bloqueio prolongado e complexo, difícil de reverter com fármacos anticolinérgicos. - Cloreto de suxametónio
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cetamina Besilato de atracúrio

Observações: n.d.
Interacções: A cetamina pode potenciar os efeitos dos bloqueadores neuromusculares atracúrio e tubocurarina, incluindo depressão respiratória com apneia. - Besilato de atracúrio
Usar com precaução

Sevoflurano Besilato de atracúrio

Observações: n.d.
Interacções: Bloqueadores Neuromusculares: Como acontece com outros anestésicos inalatórios, o sevoflurano afecta tanto a intensidade quanto a duração do bloqueio neuromuscular pelos relaxantes musculares não-despolarizantes. Quando usado para suplementar a anestesia com alfentanil-N2O, o Sevoflurano potencia o bloqueio neuromuscular induzido com pancurónio, vecurónio ou atracurium. Os ajustes da dose para estes relaxantes musculares, quando administrados com sevoflurano, são semelhantes aos necessários com isoflurano. Não foi estudado o efeito do sevoflurano na succinilcolina e a duração do bloqueio neuromuscular despolarizante. A redução da dose de bloqueadores neuromusculares durante a indução da anestesia pode resultar em atraso no início das condições adequadas para intubação endotraqueal ou relaxamento muscular inadequado porque a potenciação dos bloqueadores neuromusculares é observada alguns minutos após o início da administração de sevoflurano. Entre os fármacos não-despolarizantes, foram estudadas as interacções com vecurónio, pancurónio e atracurium. - Besilato de atracúrio
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interacções do Besilato de atracúrio
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Tal como outros agentes de bloqueio neuromuscular, o Besilato de Atracúrio deverá utilizar-se durante a gravidez unicamente se o potencial benefício para a mãe se sobrepor aos potenciais riscos no feto.

O Besilato de Atracúrio pode ser utilizado para a manutenção do relaxamento muscular durante a cesariana, pois após administração das doses recomendadas, não atravessa a placenta em quantidades clinicamente significativas.

Não existem dados que indiquem a sua excreção no leite materno.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Novembro de 2021