Aztreonam

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Aztreonam é um fármaco pertencente ao grupo dos antibióticos beta-lactâmicos.

Tem sua ação caracterizada pela inibição das bactérias gram negativas.

É utilizado em casos de bacteremia, osteomielite e infeções da pele.

Não pode ser utilizado no tratamento das bactérias Klebsiella oxytoca, Xanthomonas malthopilia.
Usos comuns
O Aztreonam tem uma forte atividade contra batérias gram-negativas sensíveis, incluindo Pseudomonas aeruginosa.

Não tem nenhuma atividade útil contra batérias gram-positivas ou anaeróbios.

Sabe-se que seja eficaz contra uma ampla gama de batérias incluindo Citrobater, Enterobater, E.coli, Haemophilus, Klebsiella, Proteus, e espécies Serratia.

O sinergismo entre o Aztreonam e Arbecacina ou Tobramicina contra Pseudomonas aeruginosa tem sido sugerido.

O Aztreonam é frequentemente usado em doentes com alergia à penicilina ou que não toleram aminoglicosídeos.
Tipo
Antibacteriano de uso sistémico.
História
Foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) em 1986.
Indicações
O Aztreonam está indicado no tratamento de infeções provocadas por microrganismos Gram-negativos suscetíveis, nomeadamente a:

– infeções do trato urinário complicadas e não complicadas (incluindo pielonefrite, cistite inicial e recorrente, bacteriúria assintomática); infeções do trato respiratório inferior (incluindo pneumonia, bronquite); bacteremia, septicemia, meningite (por Haemophilus influenzae e Neisseria meningitidis); infeções dos ossos e articulações, da pele e estruturas cutâneas (incluindo as associadas a feridas pós-operatórias, úlceras, queimaduras); infeções intra-abdominais (incluindo peritonite), infeções ginecológicas (incluindo doença inflamatórica pélvica, endometrite e celulite pélvica), gonorreia (infeções urogenitais ou anoretais não complicadas agudas, devidas a estirpes de N. gonorrhoeae produtoras ou não produtoras de beta-lactamase).


O Aztreonam está indicado como terapêutica adjuvante da cirurgia no tratamento de infeções provocadas por microrganismos sensíveis (incluindo abcessos, infeções complicadas por perfurações viscerais, infeções cutâneas e infeções em superfícies serosas) e como terapêutica concomitante em infeções em que haja suspeita ou evidência de microrganismos Gram-positivos ou anaeróbicos (o Aztreonam tem que ser associado a outros antibióticos para fornecer uma cobertura antibiótica adequada).
Classificação CFT
01.01.03     Monobactamos
Mecanismo De Ação
A acção bactericida dos resultados de Aztreonam é a inibição da síntese da parede celular bacteriana, devido a uma elevada afinidade do Aztreonam com a proteína de ligação à penicilina 3 (PBP3).

Ao ligar-se a PBP3, Aztreonam inibe a terceira e última fase da síntese da parede celular bacteriana. A lise celular é, então, mediada por enzimas autoliticas na parede celular bacteriana, tais como autolisinas.

É possível que o Aztreonam interfira com um inibidor da autolisina.
Posologia Orientativa
Adultos:
Infeções do trato urinário 500 mg ou 1 g: em 8h ou 12h
Infeções sistémicas moderadamente graves 1 g ou 2 g: em 8h ou 12h
Infeções sistémicas graves ou de risco de vida 2 g: em 6 ou 8h.
Dose máxima: 8 g por dia.

Infeções graves por Pseudomonas aeruginosa: devido à natureza grave das infeções causadas por este organismo, recomenda-se a dose de 2 g de 6 em 6 horas ou de 8 em 8 horas, pelo menos como terapêutica inicial nas infeções sistémicas.

Gonorreia aguda / Cistite aguda não complicadas: uma dose única de 1 g de aztreonam por via intramuscular é eficaz no tratamento da gonorreia aguda não complicada e da cistite aguda não complicada.

Crianças: nas crianças com mais de uma semana de vida, a posologia usual é de 30 mg/kg cada 6 a 8 horas. Em infeções graves em crianças com dois anos ou mais de idade, recomenda-se a administração de 50 mg/kg cada 6 a 8 horas.

No tratamento de infeções provocadas por P.aeruginosa a dose recomendada para todos os doentes é de 50 mg/kg cada 6 a 8 horas.
A dose máxima diária pediátrica não deve exceder a dose máxima recomendada para o adulto.
Administração
Via intramuscular (I.M.) ou intravenosa (I.V.).
A via intravenosa é recomendada para os doentes que necessitam de doses únicas superiores a 1 g ou para doentes com septicemia bacteriana, abcesso parenquimatoso localizado (por exemplo abcesso intra-abdominal), peritonite ou outras infeções sistémicas graves ou ameaçadoras para a vida.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao aztreonam.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Hipersensibilidade: anafilaxia, angioedema, broncospasmo.

Dermatológicos: eritema, prurido, púrpura, eritema multiforme, petéquias, urticária, dermatite exfoliativa, diaforese, rubor, necrose epidermica tóxica.

Hematológicos: eosinofilia, aumentos nos tempos de protrombina e tromboplastina parcial, neutropenia, teste de Coombs positivo, pancitopenia, trombocitopenia, anemia, leucocitose, trombocitose.

Hepatobiliares: aumento das transaminases hepáticas e fosfatase alcalina (habitualmente são reversíveis durante o tratamento e não apresentam sinais ou sintomas declarados de disfunção hepatobiliar).
Raramente foram referidos icterícia e hepatite.

Gastrintestinais: diarreia, naúseas e vómitos, cãibras abdominais, úlceras na boca e alterações do gosto.
Ocorreram casos raros de diarreia associada a C.
difficile, incluindo colite pseudomembranosa ou hemorragia gastrintestinal.

Reações locais: flebite, tromboflebite, desconforto no local da injeção.

Diversos: os eventos referidos raramente foram vaginite, candidiase vaginal, hipotensão, convulsão, diplopia, fraqueza, parestesia, confusão, tonturas, vertigem, insónias, alterações no ECG, zumbidos, cefaleias, sensibilidade anormal no peito, halitose, alteração do paladar, dor muscular, febre, mal-estar, espirros, congestão nasal, sibilos, dispneia, dor torácica e aumento na creatinina sérica.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não existem dados disponíveis; evitar. Ausência de risco fetal, demonstrada em experimentação animal ou em estudos humanos.
Aleitamento
Aleitamento:Não há informação útil; a ser usado, vigiar o lactente.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Usar com precaução na IR moderada a grave.
Precauções Gerais
Reações alérgicas
Antes de iniciar o tratamento com Aztreonam deve averiguar-se da ocorrência de reações de hipersensibilidade.
Os antibióticos, tal como outros medicamentos, devem ser administrados com precaução nos doentes com antecedentes de reações alérgicas a compostos relacionados.
Se ocorrer uma reação alérgica, interromper o tratamento e instituir medidas de suporte adequadas.
As reações de hipersensibilidade graves podem exigir a administração de epinefrina ou outras medidas de emergência.

Compromisso renal/hepático
Em doentes com funções hepática ou renal diminuídas recomenda-se uma monitorização adequada durante a terapêutica.

Doenças do sangue graves/Afeções dos tecidos cutâneos graves
Foram notificadas doenças do sangue graves (incluindo pancitopenia) e afeções dos tecidos cutâneos graves (incluindo necrólise epidérmica tóxica) com a utilização de aztreonam.
Em caso de alterações graves do hemograma e dos tecidos cutâneos, recomenda-se a interrupção de aztreonam.

Convulsões
Foram raramente notificadas convulsões durante o tratamento com beta-lactâmicos, incluindo o aztreonam.

Diarreia associada a Clostridium difficile
Foi notificada diarreia associada a Clostridium difficile com a utilização de praticamente todos os antibióticos, incluindo o aztreonam, podendo a gravidade variar de diarreia ligeira a colite fatal.

A diarreia associada a Clostridium difficile tem de ser considerada em todos os doentes com diarreia após a utilização de antibióticos.
É necessária a história clínica uma vez que foi notificado que a diarreia associada a Clostridium difficile ocorre durante 2 meses após a utilização de agentes antibacterianos.
Se se suspeitar, ou confirmar, de diarreia associada a Clostridium difficile poderá ter de ser interrompida a utilização de antibióticos a decorrer não direcionados contra o Clostridium difficile.
Não deve ser administrada medicação que iniba o peristaltismo intestinal.

Prolongamento do tempo de protrombina/atividade dos anticoagulantes orais aumentada
Em doentes a receber aztreonam foi raramente notificado prolongamento do tempo de protrombina.

Adicionalmente, em doentes a receber antibióticos, incluindo beta-lactâmicos, foram notificados inúmeros casos de atividade dos anticoagulantes orais aumentada.
A infeção ou inflamação graves e a idade e condição geral do doente parecem ser fatores de risco.
Quando forem prescritos concomitantemente anticoagulantes deve ser efetuada monitorização adequada.
Pode ser necessário ajustes na dose de anticoagulante oral para manter o nível desejado de anticoagulação.

Utilização concomitante com aminoglicosidos
No caso de se utilizar concomitantemente o aztreonam com um aminoglicosido, especialmente se forem utilizadas doses elevadas do aminoglicosido ou se a terapêutica for prolongada, a função renal deve ser monitorizada devido à nefrotoxicidade e ototoxicidade potenciais dos aminoglicosidos.

Sobrecrescimento de organismos não suscetíveis
O uso de antibióticos pode desencadear o desenvolvimento exagerado de microrganismos não suscetíveis, incluindo os Gram-positivos e fungos.
Se ocorrer uma superinfeção durante a terapêutica, devem ser tomadas medidas adequadas.

População pediátrica
Os dados sobre a eficácia e segurança são limitados em recém-nascidos com menos de 1 semana de idade, pelo que o uso nesta população necessita de ser cuidadosamente avaliado.

Arginina
O Aztreonam contém arginina.
Os estudos realizados em recém-nascidos de baixo peso demonstraram que a arginina administrada na formulação de Aztreonam pode aumentar as concentrações séricas de arginina, insulina e bilirrubina indireta.
Não estão completamente esclarecidas as consequências da exposição a este aminoácido durante o tratamento de recém-nascidos.

Interferência com testes serológicos
Durante o tratamento com aztreonam pode haver teste de Coombs direto ou indireto positivo.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Conservar a temperatura inferior a 30ºC.
Após a reconstituição: 24 horas, conservar a temperatura inferior a 30ºC ou 3 dias conservar no frigorífico (2 ºC - 8ºC).
Soluções com concentração superior a 2% p/v (1 g de aztreonam em 50 ml) devem ser usadas imediatamente após a preparação.
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Ativo contra Pseudomonas aeruginosa, Haemophilus sp., Neisseria sp. e Moraxella catarrhalis.
Inibe a maioria das cepas de Escherichia coli, Hafnia alvei, Klebsiella sp., Proteus sp., Providencia sp., Morganella sp., Salmonella sp. e Shigella sp.
Também ativo contra Aeromonas hydrophila e Plesiomonas shigelloides.

As Pseudomonas não aeruginosas são resistentes, bem como a maioria das cepas de Acinetobacter calcoaceticus, Achromobacter xylosoxidans, Alcaligenes sp. e Stenotrophomonas maltophilia.
Os Enterobacter sp. resistentes a cefalosporinas de terceira geração geralmente são resistentes ao aztreonam.

Não age sobre germes Gram-positivos e anaeróbios.
Sinérgico com ticarcilina-clavulanato contra S.maltophilia.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aztreonam + Probenecida

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de probenecide ou furosemida com aztreonam provoca aumentos clinicamente insignificantes nos níveis séricos de aztreonam.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aztreonam + Furosemida

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de probenecide ou furosemida com aztreonam provoca aumentos clinicamente insignificantes nos níveis séricos de aztreonam.

Aztreonam + Cefoxitina

Observações: N.D.
Interações: Devido à indução de beta-lactamases, descobriu-se que alguns antibióticos (por ex. cefoxitina, imipenem) causam antagonismo com muitos beta-lactâmicos, incluindo o aztreonam, para alguns aeróbios Gram negativos, tais como as espécies Enterobacter e Pseudomonas. Quando forem prescritos concomitantemente anticoagulantes deve ser efetuada monitorização adequada. Pode ser necessário ajustes na dose de anticoagulante oral para manter o nível desejado de anticoagulação.

Aztreonam + Imipenem

Observações: N.D.
Interações: Devido à indução de beta-lactamases, descobriu-se que alguns antibióticos (por ex. cefoxitina, imipenem) causam antagonismo com muitos beta-lactâmicos, incluindo o aztreonam, para alguns aeróbios Gram negativos, tais como as espécies Enterobacter e Pseudomonas. Quando forem prescritos concomitantemente anticoagulantes deve ser efetuada monitorização adequada. Pode ser necessário ajustes na dose de anticoagulante oral para manter o nível desejado de anticoagulação.

Aztreonam + Gentamicina

Observações: N.D.
Interações: Os estudos farmacocinéticos de dose única não mostraram qualquer interação significativa entre o aztreonam e gentamicina, nafcilina sódica, cefradina, clindamicina ou metronidazol.

Aztreonam + Nafcilina sódica

Observações: N.D.
Interações: Os estudos farmacocinéticos de dose única não mostraram qualquer interação significativa entre o aztreonam e gentamicina, nafcilina sódica, cefradina, clindamicina ou metronidazol.

Aztreonam + Cefradina

Observações: N.D.
Interações: Os estudos farmacocinéticos de dose única não mostraram qualquer interação significativa entre o aztreonam e gentamicina, nafcilina sódica, cefradina, clindamicina ou metronidazol.

Aztreonam + Clindamicina

Observações: N.D.
Interações: Os estudos farmacocinéticos de dose única não mostraram qualquer interação significativa entre o aztreonam e gentamicina, nafcilina sódica, cefradina, clindamicina ou metronidazol.

Aztreonam + Metronidazol

Observações: N.D.
Interações: Os estudos farmacocinéticos de dose única não mostraram qualquer interação significativa entre o aztreonam e gentamicina, nafcilina sódica, cefradina, clindamicina ou metronidazol.

Daptomicina + Aztreonam

Observações: A daptomicina sofre pouco a nenhum metabolismo mediado pelo Citocromo P450 (CYP450). É pouco provável que a daptomicina vá inibir ou induzir o metabolismo de medicamentos metabolizados pelo sistema P450.
Interações: Foram realizados estudos de interação para Daptomicina com aztreonam, tobramicina, varfarina e probenecida. A daptomicina não teve nenhum efeito na farmacocinética da varfarina ou probenecida, nem estes medicamentos alteraram a farmaco cinética da daptomicina. A farmacocinética da daptomicina não foi alterada significativamente pelo aztreonam.
 Sem significado Clínico

Telavancina + Aztreonam

Observações: N.D.
Interações: Nos estudos em indivíduos saudáveis, a farmacocinética da telavancina não foi significativamente alterada pela administração simultânea de aztreonam ou piperacilina-tazobactam. Do mesmo modo, a farmacocinética do aztreonam ou piperacilina-tazobactam não foi alterada pela telavancina.
 Sem significado Clínico
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

O Aztreonam apenas deverá ser administrado na gravidez se claramente necessário.
O Aztreonam é excretado no leite, pelo que se recomenda considerar a interrupção temporária da amamentação durante o tratamento.

Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017