Atropina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
A Atropina é um alcaloide tropano natural extraído da beladona (Atropa belladonna), zabumba (Datura stramonium), Mandrake (Mandragora officinarum) e outras plantas da família das Solanaceae.

É um metabólito secundário destas plantas e serve como um fármaco com uma ampla variedade de efeitos.

Em geral, a Atropina contraria a atividade "descansar e digerir" das glândulas reguladas pelo sistema nervoso parassimpático.

Isto ocorre porque a Atropina é um antagonista competitivo dos recetores de acetilcolina muscarínicos (acetilcolina é o principal neurotransmissor utilizado pelo sistema nervoso parassimpático).

Atropina dilata as pupilas, aumenta a frequência cardíaca e reduz a salivação e outras secreções.
Usos comuns
A Atropina atua bloqueando o efeito do nódulo sinoatrial, o que aumenta a condução através do nódulo atrioventricular e consequentemente o batimento cardíaco.

No estômago e intestino pode ser usado como agente antiespasmódico para os distúrbios gastrintestinais e tratamento da úlcera péptica.

A Atropina reduz sua função secretória.

Em doses mínimas, a Atropina inibe a atividade das glândulas sudoríparas e a pele torna-se seca e quente.

A transpiração pode ser inibida a ponto de aumentar a temperatura corpórea, porém este efeito é notável apenas depois da utilização de doses altas, ou sob temperaturas ambientes elevadas.

Nos lactentes e nas crianças, doses moderadas podem causar febre atropínica.
Tipo
Molécula pequena.
História
Mandrágora (mandrake officinarum) foi descrita por Teofrasto, no século IV aC para o tratamento de feridas, gota e insónias, e como poção de amor.

No primeiro século dC, Pedânio Dioscórides utilizou o vinho de mandrágora como anestésico para o tratamento da dor ou da insónia, dando-o a tomar antes da cirurgia ou cauterização.

O uso das soláceas contendo alcaloides tropano para anestesia, muitas vezes em combinação com o ópio, persistiu durante os Impérios romano e islâmico e continuou na Europa até ser substituído pelo uso de éter, clorofórmio e outros anestésicos modernos.

Extratos de Atropina do meimendro egípcio foram usados ​​por Cleópatra, no século anterior à era cristã para dilatar as pupilas, na esperança de que isso a tornaria mais sedutora.

No Renascimento, as mulheres usavam o sumo das bagas de atropa Beladona para ampliar as pupilas dos seus olhos, por razões estéticas. Esta prática foi retomada por breve período no início do século XX e final do século XIX em Paris.

Foram estudados os efeitos midriáticos da Atropina, entre outros, pelo químico alemão Ferdinand Runge Friedlieb (1795-1867).

Em 1831, o Farmacêutico alemão Heinrich FG Mein (1.799-1.864) conseguiu preparar Atropina em forma cristalina pura.

A substância foi sintetizada pela primeira vez pelo químico alemão Richard Willstätter em 1901.
Indicações
Midríase e cicloplegia prolongada; uveítes e irites.
Classificação CFT

03.02.05 : Outros antiarrítmicos

15.03.02 : Anticolinérgicos

Mecanismo De Ação
A Atropina liga-se e inibe os recetores de acetilcolina muscarínicos, para produzir uma ampla gama de efeitos anticolinérgicos.
Posologia Orientativa
Adultos – Instilar 1 gota de colírio a 1%, 2 vezes/dia durante 1 ou 2 dias, ou a quantidade equivalente nas 2 horas que precedem o exame.

Crianças – mais de 5 anos: 1 a 2 gotas de colírio a 0,5% (ou 1 gota a 1%), 2 vezes/dia, durante 1 a 3 dias que precedem o exame; menos de 5 anos: recomendável a pomada a 1%.
Administração
Via intramuscular; Via intravenosa; Via subcutânea.
Contraindicações
Há recomendações para não ser instilado sulfato de atropina nos olhos de crianças com menos de 3 meses de idade, devido à possível associação entre a cicloplegia e o desenvolvimento de ambliopia.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Irritação local, hiperemia, edema e conjuntivites, aumento da pressão intraocular (principalmente em doentes com glaucoma).
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Desconhece-se se é perigoso; recomenda-se precaução. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Usar com precaução; podem verificar-se efeitos antimuscarínicos no lactente.
Condução
Condução
Condução:Pode alterar a capacidade de condução.
Precauções Gerais
Depois de aplicar este medicamento para os olhos:
– A pupilas ficarão extraordinariamente grandes e terá embaçamento da visão, especialmente para os objetos próximos.

Certifique-se de que a sua visão está clara antes de conduzir, utilizar máquinas, ou executar tarefas que possam ser perigosas se não tiver boa visão.

– Os olhos vão tornar-se mais sensíveis à luz do que são habitualmente. Usar óculos escuros para proteger os olhos da luz solar e outras luzes brilhantes.

Estes efeitos podem permanecer por vários dias depois de parar de usar este medicamento.

No entanto, fale com seu Médico se persistirem por mais de:
– 14 dias se estiver usando Atropina.
– 3 dias, se estiver a usar homatropina.
– 7 dias se estiver a usar escopolamina.
Cuidados com a Dieta
Não aplicável.
Terapêutica Interrompida
Se falhar uma dose deste medicamento, tome-a assim que possível.
No entanto, se estiver quase na hora da sua próxima dose, salte a dose e volte ao seu esquema posológico regular. Não duplique doses.

Se falhar uma dose deste medicamento e seu esquema de administração é:
– Uma dose de um dia
Aplicar a dose esquecida assim que possível. No entanto, se não se lembrar da dose até o dia seguinte, salte a dose em falta e volte ao seu esquema posológico regular.
Não duplique doses.

– Mais do que uma dose por dia
Aplicar a dose esquecida assim que possível. No entanto, se estiver quase na hora da sua próxima dose, salte a dose e volte ao seu esquema posológico regular.
Não duplique doses.
Cuidados no Armazenamento
Sofre eflorescência quando exposto na exposição ao ar e seca-se lentamente afectada pela luz.

Oral
Comprimidos, recipientes bem fechados.

Parenteral
Injeção, 25 ° C (pode ser exposto a 15-30 ° C).
Proteger do congelamento e da luz.

Manter fora do alcance das crianças.

Guarde o medicamento num recipiente fechado à temperatura ambiente, longe do calor, humidade e luz direta.
Evite congelamento.
Não guarde medicamentos desatualizados ou medicamento desnecessários.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenilefrina + Cetorolac + Atropina

Observações: Não foram realizados estudos de interação. As interações metabólicas intraoculares são improváveis porque a fenilefrina e o cetorolac são removidos da câmara anterior por irrigação durante a intervenção cirúrgica e pela circulação normal de humor aquoso no pós-operatório.
Interações: A utilização concomitante de fenilefrina e atropina pode reforçar o efeito hipertensor e induzir taquicardia em alguns doentes. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Antidepressores (Tricíclicos)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Meclozina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Os inibidores da MAO podem potenciar os efeitos anti-muscarínicos dos bloqueadores H1. Estes, têm por sua vez, um efeito aditivo em presença de outros fármacos anti-muscarínicos, tais como a atropina e os antidepressivos tricíclicos. - Atropina
Contraindicado

Dexclorofeniramina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Contraindicações da utilização concomitante: Atropina e outras substâncias atropínicas (antidepressores do tipo da imipramina, antiparkinsonianos, anticolinérgicos, antiespasmódicos atropínicos, disopiramida, neuroléticos fenotiazínicos). Adição dos efeitos secundários atropínicos como retenção urinária, obstipação e secura da boca. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cinarizina + Dimenidrinato + Atropina

Observações: Não foram realizados estudos de interação.
Interações: A Cinarizina/Dimenidrinato também pode aumentar os efeitos de antihipertensores, efedrina e anticolinérgicos como, por exemplo, a atropina e antidepressivos tricíclicos. - Atropina
Usar com precaução

Paracetamol + Feniramina + Ácido ascórbico + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Associações em que devem ser tomadas precauções: Outros medicamentos derivados da atropina (devido à presença de feniramina) antidepressivos tricíclicos, a maior parte dos anti-histamínicos atropinícos H1, agentes anticolinérgicos antiparkinsónicos, atropina antiespasmódica, disopiramida, neurolépticos fenotiazínicos, bem como clozapina. Podem ocorrer outros efeitos indesejáveis da atropina como retenção de urina, obstipação e boca seca. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Antihistamínicos

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Antihistamínicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Antiparkinsónicos

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Antiparkinsónicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Disopiramida

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Disopiramida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Mequitazina

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Mequitazina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Fenotiazidas (fenotiazinas)

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Fenotiazidas (fenotiazinas)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Neurolépticos

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Neurolépticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Antiespasmódicos (espasmolítico, antiespástico)

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Antiespasmódicos (espasmolítico, antiespástico)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Clozapina

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Clozapina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Atropina + Quinidina

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos com atividade anticolinérgica, como antidepressivos tricíclicos, alguns anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos, disopiramida, mequitazina, fenotiazinas, medicamentos neurolépticos, antiespasmódicos atropínicos, clozapina e quinidina, devido ao risco de potenciação dos efeitos adversos atropínicos (retenção urinária, obstipação, boca seca). - Quinidina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Butilescopolamina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: O efeito anticolinérgico de antidepressivos tricíclicos e tetracíclicos, amantadina, antipsicóticos, quinidina, antihistamínicos ou disopiramida e outros anticolinérgicos (por exemplo, tiotrópio, ipratrópio, compostos atropínicos) pode ser potenciado pela toma concomitante de Butilescopolamina. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Maprotilina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Maprotilina pode potenciar os efeitos de agentes anticolinérgicos (por exemplo, fenotiazinas, agentes antiparkinsónicos, atropina, biperideno, antihistamínicos) na pupila ocular, sistema nervoso central (SNC), intestino e bexiga. - Atropina
Usar com precaução

Neostigmina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: A atropina contraria os efeitos colinérgicos devidos à neostigmina, principalmente a bradicardia e a hipersecreção. A atropina contraria os efeitos muscarínicos da neostigmina. - Atropina
Usar com precaução

Tecnécio (99mTc) pertecnetato + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Na recolha de imagens abdominais, fármacos tais como a atropina, isoprenalina e os analgésicos podem provocar um atraso do esvaziamento gástrico e redistribuição de pertecnetato de sódio [ 99m Tc]. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Dexametasona + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Anticolinérgicos, em particular a atropina e compostos afins – o risco de hipertensão intraocular poderá aumentar com a aplicação prolongada de corticoides oftálmicos; este aumento poderá ocorrer com maior probabilidade durante o uso simultâneo de agentes cicloplégicos/midriáticos em doentes predispostos a glaucoma agudo de ângulo fechado. - Atropina
Usar com precaução

Aliscireno + Amlodipina + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: A análise farmacocinética populacional de doentes com hipertensão não revelou quaisquer alterações clinicamente relevantes durante a exposição no estado de equilíbrio (AUC) e Cmax de aliscireno, amlodipina e hidroclorotiazida comparativamente com as terapêuticas duplas correspondentes.
Interações: Precauções com utilização concomitante: Fármacos anticolinérgicos e outros medicamentos que afetem a motilidade gástrica: A biodisponibilidade dos diuréticos de tipo tiazídico pode ser aumentada por fármacos anticolinérgicos (p. ex. atropina, biperideno) aparentemente devido a uma redução da motilidade gastrointestinal e da taxa de esvaziamento gástrico. Por outro lado, prevê-se que substâncias procinéticas tais como cisaprida podem diminuir a biodisponibilidade de diuréticos tiazídicos. - Atropina
Usar com precaução

Aliscireno + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Fármacos anticolinérgicos e outros medicamentos que afectem a motilidade gástrica: A biodisponibilidade dos diuréticos de tipo tiazídico pode ser aumentada por fármacos anticolinérgicos (p. ex. atropina, biperideno) aparentemente devido a uma redução da motilidade gastrointestinal e da taxa de esvaziamento gástrico. Por outro lado, prevê-se que substâncias procinéticas tais como cisaprida podem diminuir a biodisponibilidade de diuréticos tiazídicos. - Atropina
Usar com precaução

Trissilicato de magnésio + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Anfetaminas ou quinidina, esteróides anabolizantes, anticoagulantes orais derivados da cumarina ou da indandiona, antidiscinéticos, antimuscarínicos (especialmente a atropina e seus derivados), benzodiazepinas, fosfato sódico de celulose, cimetidina ou ranitidina, diflunisal, glicosídeos digitálicos, efedrina, preparações orais de ferro, cetoconazol, levodopa, loxapina oral, mecamilamina, metenamina, lipase pancreática, fenotiazinas, fosfatos orais, salicilatos, resina de poliestirensulfonato de sódio, sucralfato, tetraciclinas orais, tioxantenos orais, vitamina D. O Trissilicato de magnésio pode diminuir a absorção destes medicamentos. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amitriptilina + Perfenazina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de fenotiazina pode potenciar os efeitos anticolinérgicos da atropina, dos fármacos antidepressivos tricíclicos e dos anti-histamínicos. Quando se utilizam fenotiazinas concomitantemente com estes medicamentos, devem ser tomadas as devidas precauções para evitar situações de sobredosagem. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Etilefrina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: A atropina pode potenciar o efeito de Etilefrina e conduzir a um aumento da frequência cardíaca. - Atropina
Usar com precaução

Amlodipina + Olmesartan medoxomilo + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Interações potenciais relacionadas com HIDROCLOROTIAZIDA: Uso concomitante que requer precaução: Agentes anticolinérgicos (por exemplo, atropina, biperideno): Aumento da biodisponibilidade dos diuréticos tiazídicos pela diminuição da motilidade gastrointestinal e do ritmo de esvaziamento do estômago. - Atropina
Usar com precaução

Amlodipina + Valsartan + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Requerida PRECAUÇÃO com a utilização concomitante: HIDROCLOROTIAZIDA: Fármacos anticolinérgicos e outros medicamentos que afetem a motilidade gástrica: A biodisponibilidade dos diuréticos de tipo tiazídico pode ser aumentada por fármacos anticolinérgicos (p.ex. atropina, biperideno) aparentemente devido a uma redução da motilidade gastrointestinal e da taxa de esvaziamento gástrico. Por outro lado, prevê-se que substâncias procinéticas tais como cisaprida podem diminuir a biodisponibilidade de diuréticos tiazídicos. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Benazepril + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Agentes anticolinérgicos (como atropina, biperideno): Aumento da biodisponibilidade da hidroclorotiazida. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Candesartan + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Os agentes anticolinérgicos (exemplo, atropina, biperideno) podem aumentar a biodisponibilidade dos diuréticos tiazídicos, reduzindo a motilidade gastrointestinal e a velocidade de esvaziamento gástrico. - Atropina
Usar com precaução

Ciamemazina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Associações a vigiar: Atropina e outras substâncias atropínicas: - os antidepressores imipramínicos, a maioria dos anti-histamínicos H1, antiparkinsónicos anticolinérgicos, antiespasmódicos atropínicos, disopiramida: adição dos efeitos indesejáveis atropínicos do tipo retenção urinária, obstipação, secura da boca. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cilazapril + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Interações relacionadas principalmente com a HIDROCLOROTIAZIDA: Anticolinérgicos: A utilização concomitante de anticolinérgicos (por exemplo atropina, biperideno) pode aumentar a biodisponibilidade da hidroclorotiazida devido à redução da mobilidade gastrointestinal e diminuição do esvaziamento gástrico. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clomipramina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Interações relacionadas com a farmacodinâmica: Agentes anticolinérgicos: Os antidepressivos tricíclicos podem potenciar os efeitos destes fármacos (por exemplo, fenotiazina, agentes anti-parkinsónicos, anti-histamínicos, atropina, biperideno) sobre o olho, sistema nervoso central, intestinos e bexiga. - Atropina
Não recomendado/Evitar

Galantamina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Interações farmacodinâmicas: Devido ao seu mecanismo de ação, a galantamina não deve ser administrada simultaneamente com outros colinomiméticos (tais como ambenónio, donepezilo, neostigmina, piridostigmina, rivastigmina ou pilocarpina, administrada sistemicamente). A galantamina tem o potencial de antagonizar o efeito da medicação anticolinérgica. Caso a terapêutica anticolinergica, como a atropina, seja interrompida abruptamente, existe um potencial risco de exacerbação dos efeitos da galantamina. Tal como acontece com os colinomiméticos, é possível que ocorra uma interação farmacodinâmica com medicamentos que reduzam de modo significativo a frequência cardíaca, como por exemplo a digoxina, bloqueadores beta, alguns bloqueadores dos canais de cálcio e a amiodarona. Deve ter-se especial precaução com os medicamentos que têm potencial para causar torsades de pointes. Nestes casos deve considerar-se a realização de um eletrocardiograma. - Atropina
Usar com precaução

Clorodiazepóxido + Brometo de clidínio + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Interações com BROMETO DE CLIDÍNIO: As substâncias do tipo atropina, podem adicionar os seus efeitos adversos e podem mais facilmente induzir retenção urinária, avanço do glaucoma, obstipação, secura da boca, etc. Fármacos considerados tipo atropina são as substâncias com ação anticolinérgica, pertencentes aos grupos terapêuticos: Antidepressivos, antihistamínicos (agonistas H1), agentes antiparkinsónicos, anticolinérgicos, outros antiespasmódicos atropínicos, disopiramida, neuroléticos fenotiazinas, clozapina e amantadina. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorotalidona + Atropina

Observações: N.D.
Interações: A biodisponibilidade dos diuréticos tipo tiazídico pode ser aumentada pelos agentes anticolinérgicos (por exemplo, atropina, biperideno), aparentemente devido a uma redução da motilidade gastrintestinal e da velocidade de esvaziamento gástrico. - Atropina
Usar com precaução

Perfenazina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de fenotiazina pode potenciar os efeitos anticolinérgicos da atropina, dos fármacos antidepressivos tricíclicos e dos anti-histamínicos. Quando se utilizam fenotiazinas concomitantemente com estes medicamentos, devem ser tomadas as devidas precauções para evitar situações de sobredosagem. - Atropina
Usar com precaução

Pilocarpina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: A pilocarpina pode antagonizar os efeitos anticolinérgicos de outros fármacos utilizados concomitantemente (i.e. atropina, ipratrópio inalado). - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Mequitazina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Atropina e substâncias relacionadas (antidepressivos imipramínicos, antiparkinsónicos anticolinérgicos, antiespasmódicos atropínicos, disopiramida, neurolépticos fenotiazídicos): Adição dos efeitos indesejáveis atropínicos tais como retenção urinária, obstipação e xerostomia. - Atropina
Usar com precaução

Dobutamina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Ecocardiografia de stress com dobutamina: No caso da terapêutica antianginosa, em particular com fármacos para a redução da frequência cardíaca como os bloqueadores beta, a reacção isquémica ao stress é menos pronunciada ou pode mesmo ser inexistente. Portanto, pode ser necessário cessar a terapêutica antianginosa 12 horas antes da ecocardiografia de stress com dobutamina. Quando se adiciona atropina a níveis elevados de dobutamina, pode observar-se o seguinte: devido à duração prolongada do protocolo da ecocardiografia de stress, com a dose mais elevada de dobutamina e com administração simultânea de atropina, existe um risco aumentado de reacções adversas. A adição de sulfato de atropina melhora o aumento da frequência cardíaca induzido pela dobutamina podendo contrariar a desaceleração da frequência cardíaca observada ocasionalmente em testes de esforço cardíaco com dobutamina. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clortalidona + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Em consequência da administração concomitante dos seguintes medicamentos podem ocorrer interações com Clortalidona: Agentes anticolinérgicos: A biodisponibilidade de diuréticos tiazídicos pode ser aumentada por agentes anticolinérgicos (atropina, biperideno), aparentemente em função de uma diminuição da motilidade gastrintestinal e da taxa de esvaziamento gástrico. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Azilsartan medoxomil + Clorotalidona + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Agentes anticolinérgicos (ex. atropina, biperideno) podem aumentar a biodisponibilidade da clorotalidona ao diminuir a motilidade gastrointestinal e a taxa de esvaziamento do estômago. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisona + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Atropina e outros anticolinérgicos: a utilização simultânea de Prednisona pode resultar em aumentos adicionais da pressão intraocular. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Irbesartan + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Os fármacos anticolinérgicos (ex. atropina, biperideno) podem aumentar a biodisponibilidade dos diuréticos tipo-tiazídicos, por dimuição da motilidade gastrintestinal e a velocidade de esvaziamento gástrico. - Atropina
Usar com precaução

Eprosartan + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Interações potenciais relacionadas com a HIDROCLOROTIAZIDA: Administração concomitante requerendo precaução: Agentes anticolinérgicos (por ex. atropina, biperideno): Podem aumentar a biodisponibilidade dos diuréticos tiazídicos, por redução da motilidade gastrointestinal e velocidade de esvaziamento gástrico. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Fármacos anticolinérgicos e outros medicamentos que afetem a motilidade gástrica: A biodisponibilidade dos diuréticos de tipo tiazídico pode ser aumentada por fármacos anticolinérgicos (p. ex. atropina, biperideno) aparentemente devido a uma redução da motilidade gastrointestinal e da taxa de esvaziamento gástrico. Por outro lado, prevê-se que substâncias procinéticas tais como cisaprida podem diminuir a biodisponibilidade de diuréticos tiazídicos. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Imipramina + Atropina

Observações: N.D.
Interações: Fármacos anticolinérgicos: Os antidepressivos tricíclicos podem potenciar os efeitos destes fármacos (por ex. fenotiazina, antiparkinsónicos, anti-histamínicos, atropina, biperideno) no olho, sistema nervoso central, intestino e bexiga. - Atropina
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Losartan + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: n.d.
Interações: HIDROCLOROTIAZIDA: Quando administrados concomitantemente, os seguintes fármacos podem interferir com os medicamentos diuréticos tiazídicos. Medicamentos anticolinérgicos (ex. atropina, biperideno): Aumento da biodisponibilidade dos diuréticos derivados das tiazidas devido a diminuição da motilidade gastrointestinal e da velocidade de esvaziamento do estômago. - Atropina
Usar com precaução

Olmesartan medoxomilo + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Interações potenciais relacionadas com HIDROCLOROTIAZIDA: Uso concomitante com precaução: Agentes anticolinérgicos (por exemplo, atropina, biperideno): Aumento da biodisponibilidade dos diuréticos tiazídicos pela diminuição da motilidade gastrointestinal e do ritmo de esvaziamento do estômago. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prednisona + Tetraciclina + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Interações da PREDNISONA: Atropina e outros anticolinérgicos: a utilização simultânea de Prednisona pode resultar em aumentos adicionais da pressão intraocular. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Triamcinolona + Atropina

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Anticolinérgicos (por exemplo, atropina): é possível o aumento adicional de pressão intraocular. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Telmisartan + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Agentes anticolinérgicos (por exemplo, atropina, biperideno) podem aumentar a biodisponibilidade dos diuréticos tiazídicos por diminuição da motilidade gastrointestinal e do ritmo de esvaziamento gástrico. - Atropina
Usar com precaução

Valsartan + Hidroclorotiazida + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Interações relacionadas com HIDROCLOROTIAZIDA: Utilização concomitante com precaução: Fármacos anticolinérgicos (ex. atropina, biperideno): A biodisponibilidade dos diuréticos de tipo tiazídico pode ser aumentada por fármacos anticolinérgicos, aparentemente devido a uma redução da motilidade gastrointestinal e da taxa de esvaziamento gástrico. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Paracetamol + Difenidramina + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Como a difenidramina tem alguma atividade anticolinérgica, os efeitos de alguns medicamentos anticolinérgicos (por ex., atropina, antidepressivos tricíclicos) pode ser potenciado. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Periciazina + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Associações a serem consideradas Atropina e outras substâncias atropínicas: antidepressivos imipramínicos, anti-histamínicos H1 sedativos, medicamentos para Síndrome de Parkinson anticolinérgicos, antiespasmódicos atropínicos, disopiramida: potencializam os efeitos indesejáveis atropínicos, como retenção da urina, prisão de ventre e secura da boca. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Maleato de tietilperazina + Atropina

Observações: n.d.
Interações: As fenotiazinas são capazes de potencializar depressores do SNC (por exemplo, barbitúricos, anestésicos, opiáceos, álcool, etc.), bem como inseticidas de atropina e fósforo. - Atropina
Usar com precaução

Pipotiazina + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Associações a Serem Consideradas: Atropina e outras substâncias atropínicas: Antidepressivos imipramínicos, a maioria dos anti-histamínicos H1, medicamentos antiparkinsonianos anticolinérgicos, antiespasmódicos atropínicos, disopiramida: agravamento dos efeitos atropínicos indesejáveis (como retenção urinária, obstipação, secura da boca, etc). - Atropina
Usar com precaução

Tropatepina + Atropina

Observações: Na ausência de estudos de compatibilidade, este medicamento não deve ser misturado com outros medicamentos.
Interações: Associações a ter em conta: Atropina e outras substâncias atropinas (antidepressivos à imipramina, anti-histamínicos H1 sedativos, antiespasmódicos da atropina, outros medicamentos antiparkinsonianos anticolinérgicos, disopiramida, neurolépticos fenotiazínicos, clozapina). Adição de efeitos colaterais da atropina, como retenção urinária, obstipação, boca seca. Incompatibilidade. - Atropina
Usar com precaução

Difenidramina + Dextrometorfano + Atropina

Observações: n.d.
Interações: Também pode ter efeitos antimuscarínicos aditivos com drogas antimuscarínicas, como atropina e alguns antidepressivos. - Atropina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloridrato de Clobutinol + Succinato de Doxilamina + Atropina

Observações: n.d.
Interações: A atropina e outras substâncias atropínicas podem intensificar os efeitos adversos do tipo atropínico, como secura da boca, retenção urinária, obstipação, etc. - Atropina
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Atropina
– Procure um Médico imediatamente após uma injeção de Atropina com autoinjector.

– Aconselhar a relatar reações adversas graves rapidamente.

– Informar que pode ocorrer secura da boca.

– Avisar sobre o risco de hipertermia, calor e prostração; evitar a exposição a temperaturas ambientais elevadas e evitar o uso quando febril.

– Aconselhar os Pacientes que receberam a terapia prolongada de possível visão turva com a administração do fármaco; atividades que exijam boa acuidade visual devem ser evitadas.

– Risco de tonturas ou sonolência, evite conduzir ou operar máquinas até que os efeitos no indivíduo sejam conhecidos.

– Para auto-administração IM em gás de nervos e intoxicação por pesticidas, as técnicas apropriadas para o armazenamento, a atenção ao prazo de validade (substituindo antes do fim do prazo), uso e disposição da pré-carga do auto-injector (por exemplo, AtroPen) e para a administração do fármaco.

– Para auto-administração IM de gás de nervos e intoxicação por pesticidas, a importância de compreender as indicações para o seu uso e os sintomas de envenenamento.

– Para auto-administração IM de gás de nervos e intoxicação por pesticidas, a importância de garantir a compreensão adequada do reconhecimento e tratamento de tal intoxicação e quando a terapia concomitante com reativador de colinesterase (cloreto de pralidoxima) pode ser necessária.

– Para auto-administração IM de gás de nervos e intoxicação por pesticidas, a importância de não ultrapassar 3 doses a menos que sob supervisão médica.

– Para auto-administração IM de gás de nervos e intoxicação por pesticidas, a importância de procurar atendimento Médico imediato, uma vez que a dose inicial (s) é administrada porque pode ser necessário apoio respiratório e outros cuidados de suporte e atropinização prolongada.

– Para auto-administração IM de gás de nervos e intoxicação por pesticidas, a importância de reconhecer que a administração inadvertida quando tal envenenamento não está presente pode resultar em toxicidade de Atropina e incapacidade temporária (incapacidade de andar corretamente, ver claramente, ou pensar claramente por várias horas ou mais).

– Para auto-administração de gás de nervos e intoxicação por pesticidas, a importância de não contaminar outros indivíduos (pessoal, por exemplo, Médicos e pessoal de emergência) pela exposição vestuário; descontaminação agressiva e segura por pessoal treinado é altamente recomendável.

– Importância de informar os Clínicos de terapia concomitante existente ou prevista, incluindo de prescrição e medicamentos OTC.

– Importância das mulheres informarem os Médicos se elas estão ou se planeiam engravidar ou amamentar.

– Importância de informar os Pacientes sobre outras informações de precaução importantes.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020