ais

Amlodipina + Candesartan

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Amlodipina + Candesartan são duas substâncias que ajudam a controlar a pressão arterial elevada.
A amlodipina pertence a um grupo das substâncias denominadas “bloqueadores dos canais de cálcio”.

A amlodipina impede o cálcio de se deslocar para dentro da parede do vaso sanguíneo, o que impede que os vasos sanguíneos se estreitem.

O candesartan pertence a um grupo de substâncias denominadas “antagonistas dos recetores da angiotensina II”. A angiotensina II é produzida pelo organismo e faz com que os vasos sanguíneos se estreitem, aumentando assim a pressão arterial. Candesartan atua bloqueando o efeito da angiotensina II.

Isto significa que ambas as substâncias ajudam a impedir o estreitamento dos vasos sanguíneos. Com resultado, os vasos sanguíneos relaxam e a pressão arterial diminuí.
Usos comuns
Amlodipina + Candesartan é utilizado para tratar a pressão arterial elevada em doentes cuja pressão arterial já está controlada com a associação da amlodipina e candesartan tomados separadamente nas mesmas doses que Amlodipina + Candesartan.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
A associação Amlodipina + Candesartan está indicada como terapêutica de substituição em doentes adultos com hipertensão essencial, adequadamente controlada com amlodipina e candesartan administrados em simultâneo e com os mesmos valores de dose.
Classificação CFT

3.6 : Venotrópicos

Mecanismo De Ação
Amlodipina + Candesartan dois compostos anti-hipertensores com mecanismos complementares no controlo a pressão arterial em doentes com hipertensão essencial: a amlodipina pertence à classe dos medicamentos antagonistas do cálcio e o candesartan à classe dos medicamentos antagonistas da angiotensina II.

A associação destas substâncias tem um efeito anti-hipertensor aditivo, reduzindo a pressão arterial em maior grau do que cada componente isolado.


Amlodipina
A amlodipina é um inibidor do fluxo iónico do cálcio do grupo dihidropiridina (bloqueador dos canais lentos ou antagonista do ião cálcio) e inibe o influxo transmembranar dos iões cálcio para o músculo liso vascular e músculo cardíaco.

O mecanismo de ação anti-hipertensor da amlodipina é devido a um efeito relaxante direto sobre o músculo liso vascular. Não está completamente esclarecido o mecanismo segundo o qual a amlodipina alivia a angina mas sabe-se que a amlodipina reduz a carga isquémica total pelas duas ações seguintes:
A amlodipina dilata as arteríolas periféricas e assim, reduz a resistência periférica total (pós-carga) contra a qual se processa o trabalho cardíaco. Uma vez que a frequência cardíaca permanece estável, esta diminuição da carga cardíaca reduz o consumo energético e as necessidades de oxigénio do miocárdio.
O mecanismo de ação da amlodipina provavelmente envolve também a dilatação das principais artérias e arteríolas coronárias, tanto nas regiões normal e isquémica. Esta dilatação aumenta a quantidade de oxigénio dispensada ao miocárdio nos doentes com espasmo da artéria coronária (angina de Prinzmetal ou angina variante).

Nos doentes com hipertensão, a toma única diária proporciona reduções clinicamente significativas da pressão arterial tanto na posição de decúbito como na de pé, ao longo das 24 horas. Devido ao lento início de ação, a hipotensão aguda não é uma característica da administração da amlodipina.

A amlodipina não tem sido associada a efeitos metabólicos adversos ou a alterações nos lípidos plasmáticos, sendo adequado para utilizar em doentes com asma, diabetes e gota.


Candesartan
A angiotensina II é a principal hormona vasoativa do sistema renina-angiotensina-aldosterona e desempenha um papel na fisiopatologia da hipertensão, da insuficiência cardíaca e de outras perturbações cardiovasculares.

Desempenha ainda um papel na patogénese da hipertrofia e lesão de órgãos alvo. Os principais efeitos fisiológicos da angiotensina II, tais como vasoconstrição, estimulação da aldosterona, regulação da homeostase salina e hídrica e estimulação do desenvolvimento celular, são mediados pelo recetor de tipo 1 (AT1).

O candesartan cilexetil é um pró-fármaco adequado para administração oral. É rapidamente convertido na substância ativa, candesartan, por hidrólise do éster durante a absorção ao nível do trato gastrointestinal. O candesartan é um antagonista do recetor da angiotensina II, seletivo para os recetores AT1 que apresenta uma forte ligação ao recetor e uma lenta dissociação do mesmo. Esta substância não possui atividade agonista.

O candesartan não inibe a ECA, que converte a angiotensina I em angiotensina II e degrada a bradiquinina. Não há qualquer efeito sobre a ECA nem potenciação da bradiquinina ou da substância P. Em ensaios clínicos controlados, onde se comparou candesartan com os inibidores da ECA, a incidência de tosse foi menor nos doentes tratados com candesartan cilexetil. O candesartan não se liga, nem bloqueia outros recetores das hormonas ou os canais de iões que se sabe serem importantes na regulação cardiovascular. O antagonismo dos recetores de angiotensina II (AT1) resulta em aumentos, dependentes da dose, dos níveis da renina plasmática e dos níveis da angiotensina I e angiotensina II e a uma descida da concentração plasmática de aldosterona.

Hipertensão
Na hipertensão, o candesartan provoca uma redução da pressão arterial de longa duração e dependente da dose. A ação anti-hipertensora deve-se à diminuição da resistência sistémica periférica, sem que se verifique um aumento reflexo da frequência cardíaca.

Não há indicação de hipotensão com a primeira dose, grave ou exagerada, ou de qualquer efeito “rebound” após a suspensão do tratamento.
Após administração de uma dose única de candesartan cilexetil, o início do efeito anti-hipertensor ocorre geralmente no período de 2 horas. Com o tratamento contínuo, a maior parte da redução da pressão arterial com qualquer dose, é geralmente atingida num período de quatro semanas, mantendo-se com o tratamento de longa duração. De acordo com uma meta-análise, o efeito adicional médio resultante do aumento da dose de 16 mg para 32 mg uma vez por dia foi reduzido. Tendo em consideração a variabilidade interindividual, em alguns doentes pode-se esperar um efeito superior ao médio. Candesartan cilexetil uma vez por dia proporciona uma redução eficaz e regular da pressão arterial ao longo de 24 horas, registando-se uma pequena diferença entre os efeitos máximos e o vale no intervalo entre as administrações. O efeito anti-hipertensor e a tolerabilidade de candesartan e losartan foram comparados em dois estudos clínicos aleatorizados, em dupla ocultação, num total de 1268 doentes com hipertensão ligeira a moderada. A redução da pressão arterial no vale (sistólica/diastólica) foi de 13,1/10,5 mmHg com candesartan cilexetil 32 mg, administrado uma vez ao dia e de 10,0/8,7 mmHg com losartan potássio 100 mg, administrado uma vez ao dia (a diferença na redução da pressão arterial foi de 3,1/1,8 mmHg, p < 0,0001/p < 0,0001).

Os medicamentos que bloqueiam o sistema da renina-angiotensina-aldosterona têm um efeito anti-hipertensor menos pronunciado nos doentes de raça negra (geralmente uma população com nível de renina reduzido) do que nos doentes de outras raças. Esta situação aplica-se também ao candesartan. Num ensaio clínico aberto realizado em 5156 doentes com hipertensão diastólica, a redução da pressão arterial durante o tratamento com candesartan foi significativamente menor em doentes de raça negra do que em doentes de outras raças (14,4/10,3 mmHg vs. 19,0/12,7 mmHg, p <0,0001/p <0,0001).

O candesartan aumenta o fluxo sanguíneo renal e, ou não tem efeito ou aumenta a taxa de filtração glomerular, induzindo uma redução da resistência vascular renal e da fração de filtração. Num estudo clínico de 3 meses, realizado em doentes hipertensos com diabetes mellitus do tipo 2 e microalbuminúria, o tratamento anti-hipertensor com candesartan cilexetil, reduziu a excreção urinária de albumina (relação albumina/creatinina, média de 30%, IC 95%, 15-42%). Atualmente não há dados sobre o efeito de candesartan na progressão para nefropatia diabética.

Os efeitos de candesartan cilexetil 8-16 mg (dose média 12 mg), uma vez por dia, na morbilidade e mortalidade cardiovasculares foram avaliados num estudo clínico aleatorizado, realizado em 4937 doentes idosos (idade compreendida entre 70-89 anos; 21% com idade igual ou superior a 80 anos), com hipertensão ligeira a moderada, por um período médio de acompanhamento de 3,7 anos (Study on Cognition and Prognosis in the Elderly). Os doentes foram tratados com o candesartan cilexetil ou placebo acompanhados de outro tratamento anti-hipertensor conforme necessário. No grupo de candesartan houve uma redução de 166/90 para 145/80 mmHg na pressão arterial e no grupo de controlo houve uma redução de 167/90 para 149/82 mmHg na pressão arterial.

Não há uma diferença estatisticamente significativa no objetivo primário – eventos cardiovasculares major (mortalidade cardiovascular, acidente vascular cerebral não-fatal e enfarte do miocárdio não-fatal). Registaram-se 26,7 eventos por 1000 doentes/ano no grupo tratado com candesartan versus 30,0 eventos por 1000 doentes/ano no grupo de controlo (risco relativo 0,89, para IC 95% 0,75 a 1,06, p=0,19).
Posologia Orientativa
A dose habitual de Amlodipina + Candesartan é de 1 a 2 comprimidos por dia.
Administração
Via oral.
Os comprimidos podem ser tomados com ou sem alimentos.
Contraindicações
- Hipersensibilidade à Amlodipina e ao Candesartan, e aos derivados da di-hidropiridina
- Hipotensão grave
- Choque, incluindo choque cardiogénico
- Obstrução do trajeto de saída do ventrículo esquerdo (p. ex. elevado grau de estenose da aorta)
- Insuficiência cardíaca hemodinamicamente instável após enfarte agudo do miocárdio
- Segundo e terceiro trimestre de gravidez
- Compromisso hepático grave e/ou colestase
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Consulte o seu médico imediatamente se sentir algum dos seguintes efeitos secundários depois de tomar este medicamento:
- pieira súbita, dor no peito, falta de ar ou dificuldade em respirar
- inchaço das pálpebras, face ou lábios
- inchaço da língua e garganta, que causa grandes dificuldades para respirar
- reações na pele graves, incluindo erupção na pele intensa, urticária, vermelhidão da pele ao longo de todo o seu corpo, comichão intensa, bolhas, descamação e inchaço da pele, inflamação das membranas mucosas (Síndrome de Stevens-Johnson) ou outras reações alérgicas.
- ataque cardíaco, batimentos cardíacos alterados
- inflamação do pâncreas que pode causar dor grave abdominal e nas costas acompanhada de sensação de mal-estar

Candesartan pode causar uma redução no número de glóbulos brancos. A sua resistência à infeção pode estar diminuída e poderá sentir cansaço, sintomas de infeção ou febre. Se isto lhe acontecer informe o seu médico. O seu médico poderá pedir ocasionalmente análises ao sangue para verificar se Amlodipina + Candesartan tem algum efeito no seu sangue (agranulocitose).

Outros efeitos secundários possíveis:
Uma vez que Amlodipina + Candesartan é uma associação de duas substâncias ativas, os efeitos secundários que foram notificados tanto estão ligados à utilização de amlodipina como de candesartan.

Efeitos secundários ligados à utilização da amlodipina
Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas):
- dor de cabeça, tonturas, sonolência (especialmente no início do tratamento)
- palpitações (consciência do seu batimento cardíaco), rubor
- dor abdominal, sensação de mal-estar (náusea)
- inchaço dos tornozelos (edema), cansaço

Pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas):
- alterações do humor, ansiedade, depressão, insónias
- tremores, alterações do paladar, desmaio, fraqueza
- sensação de formigueiro ou adormecimento nos membros, diminuição da sensação de dor
- distúrbios da visão, visão dupla, zumbidos nos ouvidos
- pressão arterial baixa
- espirros/corrimento nasal provocado por uma inflamação no revestimento do nariz (rinite)
- alteração dos hábitos intestinais, diarreia, prisão de ventre, indigestão, boca seca, vómitos (sentir-se mal)
- queda de cabelo, aumento transpiração, comichão na pele, manchas vermelhas na pele, descoloração da pele
- alterações na passagem da urina, aumento da necessidade de urinar à noite, aumento do número de vezes que urina
- incapacidade de obter uma ereção; desconforto ou aumento das mamas nos homens
- fraqueza, dor, má disposição
- dor nos músculos ou articulações, cãibras, dor de costas
- aumento ou diminuição de peso

Raros (podem afetar até 1 em 1.000 pessoas):
- confusão

Muito raros (podem afetar até 1 em 10.000 pessoas):
- diminuição do número de glóbulos brancos do sangue, diminuição de plaquetas no sangue o que pode resultar em nódoas negras ou hemorragias fáceis (lesões nas células vermelhas do sangue)
- excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia)
- alteração dos nervos que pode provocar fraqueza, formigueiro e dormência
- tosse, inchaço das gengivas
- inchaço abdominal (gastrite)
- alteração da função do fígado, inflamação do fígado (hepatite), amarelecimento da pele (icterícia), aumento das enzimas do fígado que poderão ter efeito sobre alguns exames médicos
- aumento da tensão muscular
- inflamação dos vasos sanguíneos, geralmente com erupções cutâneas
- sensibilidade à luz
- disfunções que combinam rigidez, tremor e/ou alterações no movimento

Efeitos secundários ligados à utilização de candesartan

Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas):
- tonturas/ sensação de cabeça à roda
- dor de cabeça
- infeção respiratória
- pressão arterial baixa, o que pode provocar sensação de desmaio ou tonturas
- alterações nos resultados das análises ao sangue: aumento da quantidade de potássio no seu sangue, especialmente se já tiver problemas renais ou insuficiência cardíaca. Se for grave poderá sentir cansaço, fraqueza, batimento cardíaco irregular ou formigueiro e picadas.
- efeitos no funcionamento dos seus rins, especialmente se já tiver problemas renais ou insuficiência cardíaca. Em casos muito raros, pode ocorrer insuficiência renal.

Muito raros (podem afetar até 1 em 10.000 pessoas):
- inchaço da face, lábios, língua e/ou garganta
- redução do número de glóbulos vermelhos ou glóbulos brancos. Poderá aperceber-se de uma sensação de fadiga, sintomas de infeção ou febre.
- erupção cutânea, erupção irregular da pele (urticária)
- comichão
- dores nas costas, dores nas articulações e nos músculos
- alterações no funcionamento do seu fígado, incluindo inflamação do fígado (hepatite).

Poderá sentir cansaço, aperceber-se de uma coloração amarela da pele e do branca dos olhos e sintomas semelhantes aos da gripe.
- tosse
- náuseas
- alterações nos resultados das análises ao sangue: redução da quantidade de sódio no seu sangue. Se tal for grave, poderá sentir fraqueza, falta de energia ou cãibras musculares.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Aleitamento
Aleitamento:Amlodipina + Candesartan não está recomendado em mães que estão a amamentar.
Condução
Condução:Amlodipina + Candesartan pode influenciar moderadamente a capacidade de conduzir.
Precauções Gerais
Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Amlodipina + Candesartan se tiver ou tiver tido qualquer das seguintes condições:
- ataque cardíaco recente
- insuficiência cardíaca
- pressão arterial elevada grave (crise hipertensiva)
- pressão arterial baixa (hipotensão)
- se é idoso e a sua dose necessita de ser aumentada
- problemas no fígado ou rim, ou faz diálise
- se tiver sido recentemente submetido a um transplante de rim
- se tem vómitos, teve recentemente vómitos graves ou se tiver diarreia
- se tem uma doença da glândula adrenal denominada síndroma de Conn (também designada hiperaldosteronismo primário)
- se já tiver tido acidente vascular cerebral
O seu médico poderá querer observá-lo com mais frequência e realizar alguns testes se alguma destas situações se aplica a si.
Deve informar o seu médico se pensa que está (ou poderá vir a estar) grávida.
Amlodipina + Candesartan não é recomendado no início da gravidez, e não deve ser tomado se estiver grávidas de mais de 3 meses, uma vez que pode ser gravemente prejudicial para o seu bebé se utilizado a partir dessa altura.

Este medicamento não deve ser administrado a crianças e adolescentes.
Cuidados com a Dieta
Os comprimidos podem ser tomados com ou sem alimentos.
Sumo de toranja e toranja não devem ser consumidos enquanto estiver a tomar Amlodipina + Candesartan.
Terapêutica Interrompida
Se se esqueceu de tomar um comprimido, esqueça essa dose. Tome a próxima dose à hora correta. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Conservar abaixo dos 30ºC.
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Inibidores do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Inibidores da Protease (IP)

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Antifúngicos (Azol)

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Macrólidos

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Eritromicina

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Claritromicina

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Verapamilo

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Diltiazem

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante de amlodipina com inibidores fortes ou moderados da CYP3A4 (inibidores da protease, antifúngicos azóis, macrólidos como a eritromicina ou a claritromicina, verapamil ou diltiazem) podem originar a um aumento significativo na exposição à amlodipina. A tradução clínica destas variações farmacocinéticas pode ser mais pronunciada nos idosos. Como tal, pode ser necessária monitorização clínica e ajustes de dose.

Amlodipina + Candesartan + Indutores do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores do CYP3A4 sobre a amlodipina. O uso concomitante de indutores de CYP3A4 (i.e. rifampicina, hypericum perforatum) pode diminuir as concentrações plasmáticas de amlodipina. Deve utilizar-se com precaução a associação da amlodipina com indutores de CYP3A4. A administração de amlodipina com toranja ou com sumo de toranja não é recomendada uma vez que a biodisponibilidade pode aumentar em alguns doentes resultando no aumento dos efeitos redutores da pressão sanguínea.

Amlodipina + Candesartan + Hipericão (Erva de S. João)

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores do CYP3A4 sobre a amlodipina. O uso concomitante de indutores de CYP3A4 (i.e. rifampicina, hypericum perforatum) pode diminuir as concentrações plasmáticas de amlodipina. Deve utilizar-se com precaução a associação da amlodipina com indutores de CYP3A4.

Amlodipina + Candesartan + Rifampicina

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores do CYP3A4 sobre a amlodipina. O uso concomitante de indutores de CYP3A4 (i.e. rifampicina, hypericum perforatum) pode diminuir as concentrações plasmáticas de amlodipina. Deve utilizar-se com precaução a associação da amlodipina com indutores de CYP3A4.

Amlodipina + Candesartan + Toranja

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores do CYP3A4 sobre a amlodipina. O uso concomitante de indutores de CYP3A4 (i.e. rifampicina, hypericum perforatum) pode diminuir as concentrações plasmáticas de amlodipina. Deve utilizar-se com precaução a associação da amlodipina com indutores de CYP3A4. A administração de amlodipina com toranja ou com sumo de toranja não é recomendada uma vez que a biodisponibilidade pode aumentar em alguns doentes resultando no aumento dos efeitos redutores da pressão sanguínea.

Amlodipina + Candesartan + Sumo de toranja

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores do CYP3A4 sobre a amlodipina. O uso concomitante de indutores de CYP3A4 (i.e. rifampicina, hypericum perforatum) pode diminuir as concentrações plasmáticas de amlodipina. Deve utilizar-se com precaução a associação da amlodipina com indutores de CYP3A4. A administração de amlodipina com toranja ou com sumo de toranja não é recomendada uma vez que a biodisponibilidade pode aumentar em alguns doentes resultando no aumento dos efeitos redutores da pressão sanguínea.

Amlodipina + Candesartan + Dantroleno

Observações: N.D.
Interações: Em animais observou-se fibrilhação ventricular fatal e colapso cardiovascular em associação com hipercaliemia após a administração de verapamilo e dantroleno por via intravenosa. Devido ao risco de hipercaliemia recomenda-se que seja evitada a coadministração de bloqueadores dos canais de cálcio tais como a amlodipina em doentes suscetíveis a hipertermia maligna e durante a abordagem da hipertermia maligna.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amlodipina + Candesartan + Antihipertensores

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos de diminuição da pressão arterial da amlodipina aumentam os efeitos redutores da pressão arterial de outros medicamentos com propriedades anti-hipertensoras. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não afetou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.

Amlodipina + Candesartan + Atorvastatina

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos de diminuição da pressão arterial da amlodipina aumentam os efeitos redutores da pressão arterial de outros medicamentos com propriedades anti-hipertensoras. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não afetou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Digoxina

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos de diminuição da pressão arterial da amlodipina aumentam os efeitos redutores da pressão arterial de outros medicamentos com propriedades anti-hipertensoras. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não afetou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina. A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.

Amlodipina + Candesartan + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos de diminuição da pressão arterial da amlodipina aumentam os efeitos redutores da pressão arterial de outros medicamentos com propriedades anti-hipertensoras. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não afetou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina. A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.

Amlodipina + Candesartan + Ciclosporina

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos de diminuição da pressão arterial da amlodipina aumentam os efeitos redutores da pressão arterial de outros medicamentos com propriedades anti-hipertensoras. Em estudos de interação clínica, a amlodipina não afetou a farmacocinética da atorvastatina, digoxina, varfarina ou ciclosporina.

Amlodipina + Candesartan + Sinvastatina

Observações: N.D.
Interações: A coadministração de doses de amlodipina múltiplas de 10 mg com doses de 80 mg de sinvastatina resultou num aumento de 77% na exposição da sinvastatina quando comparada com a sinvastatina em monoterapia. A dose de sinvastatina em doentes a fazer amlodipina deve ser limitada a 20 mg por dia.

Amlodipina + Candesartan + Lítio

Observações: N.D.
Interações: Foram notificados aumentos reversíveis das concentrações séricas de lítio e da toxicidade durante a administração concomitante de lítio com inibidores da ECA. Pode ocorrer um efeito semelhante com os ARAIIs. Não é recomendada a utilização de candesartan com lítio. Caso a associação seja necessária, é recomendada monitorização cuidadosa dos níveis séricos do lítio.

Amlodipina + Candesartan + Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Observações: N.D.
Interações: Quando os ARAIIs são administrados simultaneamente com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) (por ex., inibidores seletivos da COX-2; ácido acetilsalicílico (> 3 g/dia) e AINEs não-seletivos) pode ocorrer uma atenuação do efeito anti-hipertensor. Tal como com os inibidores da ECAs, o uso concomitante dos ARAIIs e AINEs pode levar a um aumento do risco de agravamento da função renal, incluindo uma possível insuficiência renal aguda, e um aumento do potássio sérico, principalmente em doentes com função renal diminuída preexistente. A associação deverá ser administrada com precaução, especialmente nos idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deve ser considerada a monitorização da função renal após o início da terapêutica concomitante, e posteriormente de uma forma periódica.

Amlodipina + Candesartan + Ácido Acetilsalicílico

Observações: N.D.
Interações: Quando os ARAIIs são administrados simultaneamente com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) (por ex., inibidores seletivos da COX-2; ácido acetilsalicílico (> 3 g/dia) e AINEs não-seletivos) pode ocorrer uma atenuação do efeito anti-hipertensor. Tal como com os inibidores da ECAs, o uso concomitante dos ARAIIs e AINEs pode levar a um aumento do risco de agravamento da função renal, incluindo uma possível insuficiência renal aguda, e um aumento do potássio sérico, principalmente em doentes com função renal diminuída preexistente. A associação deverá ser administrada com precaução, especialmente nos idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deve ser considerada a monitorização da função renal após o início da terapêutica concomitante, e posteriormente de uma forma periódica.

Amlodipina + Candesartan + Inibidores da cicloxigenase (COX)

Observações: N.D.
Interações: Quando os ARAIIs são administrados simultaneamente com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) (por ex., inibidores seletivos da COX-2; ácido acetilsalicílico (> 3 g/dia) e AINEs não-seletivos) pode ocorrer uma atenuação do efeito anti-hipertensor. Tal como com os inibidores da ECAs, o uso concomitante dos ARAIIs e AINEs pode levar a um aumento do risco de agravamento da função renal, incluindo uma possível insuficiência renal aguda, e um aumento do potássio sérico, principalmente em doentes com função renal diminuída preexistente. A associação deverá ser administrada com precaução, especialmente nos idosos. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e deve ser considerada a monitorização da função renal após o início da terapêutica concomitante, e posteriormente de uma forma periódica.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Diuréticos poupadores de potássio

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Suplementos de potássio

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Potássio

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Heparina

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Hidroclorotiazida

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Contracetivos orais

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Etinilestradiol + Levonorgestrel

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Glibenclamida

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Nifedipina

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.
 Sem significado Clínico

Amlodipina + Candesartan + Enalapril

Observações: N.D.
Interações: A utilização concomitante de diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio, substitutos do sal contendo potássio ou outros medicamentos (por ex., heparina) pode aumentar os níveis de potássio. A monitorização do potássio deve ser realizada quando apropriado. As substâncias ativas investigadas nos estudos de farmacocinética clínica incluem a hidroclorotiazida, varfarina, digoxina, contracetivos orais (i.e., etinilestradiol/levonorgestrel), glibenclamida, nifedipina e enalapril. Não foram identificadas interações farmacocinéticas clinicamente significativas com estes medicamentos.

Toranja + Amlodipina + Candesartan

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores do CYP3A4 sobre a amlodipina. O uso concomitante de indutores de CYP3A4 (i.e. rifampicina, hypericum perforatum) pode diminuir as concentrações plasmáticas de amlodipina. Deve utilizar-se com precaução a associação da amlodipina com indutores de CYP3A4. A administração de amlodipina com toranja ou com sumo de toranja não é recomendada uma vez que a biodisponibilidade pode aumentar em alguns doentes resultando no aumento dos efeitos redutores da pressão sanguínea.

Sumo de toranja + Amlodipina + Candesartan

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados disponíveis sobre o efeito dos indutores do CYP3A4 sobre a amlodipina. O uso concomitante de indutores de CYP3A4 (i.e. rifampicina, hypericum perforatum) pode diminuir as concentrações plasmáticas de amlodipina. Deve utilizar-se com precaução a associação da amlodipina com indutores de CYP3A4. A administração de amlodipina com toranja ou com sumo de toranja não é recomendada uma vez que a biodisponibilidade pode aumentar em alguns doentes resultando no aumento dos efeitos redutores da pressão sanguínea.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Deve informar o seu médico se pensa que está (ou pode vir a estar) grávida.

O seu médico irá normalmente, aconselhá-la a interromper a toma de Amlodipina + Candesartan antes de engravidar ou assim que souber que está grávida e a tomar outro medicamento em vez de Amlodipina + Candesartan.

Amlodipina + Candesartan não está recomendado no início da gravidez e não deve ser tomado se estiver grávida há mais de 3 meses, uma vez que pode ser gravemente prejudicial para o bebé se utilizado depois do terceiro mês de gravidez.

Deverá informar o seu médico de que se encontra a amamentar ou que está prestes a iniciar a amamentação.

Amlodipina + Candesartan não está recomendado em mães que estão a amamentar, e o seu médico poderá indicar-lhe outro tratamento se deseja amamentar, especialmente se o bebé for recém-nascido ou prematuro.

Amlodipina + Candesartan pode influenciar moderadamente a capacidade de conduzir ou utilizar máquinas.

Se os comprimidos o fazem sentir doente, com tonturas ou cansado, ou fazem dor de cabeça, não conduza nem utilize máquinas e fale com o seu médico imediatamente.

Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019