Amantadina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Amantadina ou amantidina.

A Amantadina é um fármaco que tem a aprovação do Food and Drug Administration (FDA) para uso, tanto como medicamento antiviral como anti-parkinsoniano.

Trata-se do composto orgânico 1-adamantilamina 1-aminoadamantano, o que significa que consiste de um esqueleto de adamantano que tem um grupo amino substituído em uma das quatro posições metino.

A Rimantadina é um derivado de adamantano intimamente relacionado com propriedades biológicas semelhantes.
Usos comuns
Para a quimioprofilaxia, profilaxia e tratamento de sinais e sintomas de infeção causada por várias estirpes de vírus A da gripe.

Além disso para o tratamento de parkinsonismo e reacções extrapiramidais induzidas por fármacos.
Tipo
pequena molécula
História
A Amantadina foi aprovada pela Food and Drug Administration (FDA), EUA, em outubro de 1966 como um agente profilático contra a gripe asiática e, eventualmente, recebeu aprovação para o tratamento da Influenza A [2] [3] [4] [5] em adultos.

Em 1969, o fármaco também foi descoberto por acaso para ajudar a reduzir os sintomas da doença de Parkinson, síndromas extrapiramidais induzidas por drogas, e acatisia.
Indicações
A Amantadina é usada na profilaxia e tratamento sintomático das doenças do trato respiratório provocadas pelo vírus do tipo A.

A quimoprofilaxia com a Amantadina não deve ser considerada como um substituto da vacinação.

A Amantadina é igualmente usada no tratamento sintomático de todas as formas do Síndrome Parkinsónico, incluindo os tipos postencefálico, idiopático, e arterioesclerótico.

Segundo o AHFS Drug Information 96, a Amantadina tem sido usada no tratamento da pseudoesclerose espástica (doença de Creutzfeldt-Jakob) com algum sucesso, no entanto, a exacerbação da doença tem ocorrido em alguns Pacientes.
Classificação CFT
02.05.02     Dopaminomiméticos
Mecanismo De Ação
O mecanismo de acção da Amantadina consiste num efeito libertador da dopamina dos terminais neuroniais e inibição da captação neuronial da amina; inibe igualmente a captação neuronial da noradrenalina à periferia.

Tal como para a levadopa, para que se observe efeito terapêutico com a Amantadina, é necessário a integridade funcional de alguns neurónios dopaminérgicos nigrostriados.
Posologia Orientativa
Na profilaxia e tratamento sintomático da infeção devida a vírus influenza tipo A a dose habitual é de 4,4 a 8,8 mg/Kg/dia para crianças de 1 a 9 anos, em frações a cada 8-12 horas (até um máximo de 150 mg/dia); 200 mg/dia, uma cápsula a cada 12 horas, para crianças dos 9 aos 12 anos; 200 mg/dia, de toma única ou uma cápsula a cada 12 horas, para adultos.

No tratamento da síndrome de Parkinson a dose habitual é de 100 mg (uma cápsula) duas vezes ao dia.

O Paciente deverá ser alvo de vigilância médica quando as doses diárias forem superiores a 200 mg.

A dose máxima poderá ser de 400 mg/dia (quatro cápsulas).

Em casos de Doentes com administração concomitante de outros fármacos antiparkinsonianos ou com doenças graves, deverá iniciar-se o tratamento com 100 mg/dia; após 1-2 semanas, pode passar-se a 200 mg/dia, se necessário.
Administração
É administrada por via oral ingerindo a cápsula com água.
Contraindicações
A Amantadina deve ser administrada com cuidado em Pacientes com doença hepática ou com uma história de dermatite eczematóide recorrente, psicose incontrolada ou psiconeurose grave, epilepsia e nos que estiverem a receber fármacos estimulantes do SNC.

A Amantadina deve ser usada com cuidado e a sua dosagem deve ser devidamente ajustada em Doentes com insuficiência renal, edema periferal, hipotensão ortostática ou insuficiência cardíaca congestiva.

Pacientes a receber doses diárias superiores a 200 mg, devem ser devidamente acompanhados pelo seu Médico assistente.

A Amantadina está contra-indicada em doentes com hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
A Amantadina é normalmente bem tolerada.

Alguns efeitos adversos são semelhantes aos produzidos pelos fármacos anticolinérgicos: alterações de humor, vertigens, nervosismo incapacidade de concentração, ataxia, insónia, letargia, visão turva, retenção urinária, secura da boca, hipomotilidade gastrointestinal.

Estes sintomas são, normalmente moderados e ocorrem no início da terapêutica, sendo reversível com a paragem da mesma.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Evitar; toxicidade em estudos animais. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento:Foi referida toxicidade no lactente; evitar.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Reduzir dose; evitar na IR grave e no idoso com Cl cr < 60 ml/minuto.
Conducao
Conducao:Altera a capacidade de condução.
Precauções Gerais
Doentes com 65 anos ou mais, devem ser medicados com uma dosagem mais baixa.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Caso se tenha esquecido de tomar uma dose de amantadina tome-a assim que se lembrar, contudo se a altura da próxima toma estiver próxima não tome a dose esquecida.

Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Deve ser conservada na embalagem de origem, dentro da embalagem exterior para proteger da luz e humidade, a uma temperatura inferior a 30ºC.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Aliscireno + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Amantadina: As tiazidas, incluindo a hidroclorotiazida, podem aumentar o risco de reacções adversas causadas pela amantadina.

Memantina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: A utilização concomitante de memantina e amantadina deverá ser evitada, devido ao risco de psicose farmacotóxica. Ambas as substâncias são antagonistas do NMDA, quimicamente relacionados. A mesma recomendação poderá aplicar-se para a cetamina e o dextrometorfano.

Ciamemazina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: Risco de torsade de pointes: Dopaminérgicos em pacientes não parkinsónicos (amantadina, apomorfina, bromocriptina, cabergolina, entacapona, lisurida, pergolida, piribedilo, pramipexol, quinagolida, ropinirol). Associações desaconselhadas: Dopaminérgicos (amantadina, apomorfina, bromocriptina, cabergolina, entacapona, lisurida, pergolida, piribedil, pramipexol, quinagolida, ropinirol) em doentes parkinsónicos.

Clorodiazepóxido + Brometo de clidínio + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Interações com BROMETO DE CLIDÍNIO: As substâncias do tipo atropina, podem adicionar os seus efeitos adversos e podem mais facilmente induzir retenção urinária, avanço do glaucoma, obstipação, secura da boca, etc. Fármacos considerados tipo atropina são as substâncias com ação anticolinérgica, pertencentes aos grupos terapêuticos: Antidepressivos, antihistamínicos (agonistas H1), agentes antiparkinsónicos, anticolinérgicos, outros antiespasmódicos atropínicos, disopiramida, neuroléticos fenotiazinas, clozapina e amantadina.

Mepiramina (Pirilamina) + Amantadina

Observações: N:D:
Interações: Álcool, antidepressivos cíclicos, anti-hipertensivos com efeitos depressores sobre o sistema nervoso cental, outros depressores do sistema nervoso central, sulfato de magnésio parenteral, maprotilina, trazodona, amantadina, antimuscarínicos ou outros medicamentos com ação antimuscarínica, haloperidol, ipratrópio, fenotiazinas, procainamida, apomorfina, IMAO, medicamentos ototóxicos (cisplatino, paromomicina, salicilatos, vancomicina), medicamentos fotossensibilizadores.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Sulfametoxazol + Trimetoprim + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Na administração simultânea de fármacos que são igualmente excretados por secreção renal activa (por ex. procainamida, amantadina), existe a possibilidade de uma inibição competitiva, a qual poderá conduzir a um aumento da concentração plasmática de um ou de ambos os fármacos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Azilsartan medoxomil + Clorotalidona + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Amantadina: A clorotalidona pode aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina.

Olmesartan medoxomilo + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: n.d.
Interações: Interações potenciais relacionadas com HIDROCLOROTIAZIDA: Uso concomitante com precaução: Amantadina: As tiazidas podem aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidroclorotiazida + Triamtereno + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Foi descrito um caso em que a associação hidroclorotiazida potenciou a toxicidade da amantadina.

Valsartan + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: n.d.
Interações: Interações relacionadas com HIDROCLOROTIAZIDA: Utilização concomitante com precaução: Amantadina: As tiazidas, incluindo a hidroclorotiazida, podem aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cilazapril + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Interações relacionadas principalmente com a HIDROCLOROTIAZIDA: Amantadina: A administração simultânea de amantadina e hidroclorotiazida pode aumentar as reações adversas possíveis da amantadina.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Quinina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: A quinina reduz a clearance renal da amantidina em cerca de 36%, somente em pacientes do sexo masculino.

Ioflupano (123I) + Amantadina

Observações: Não foram realizados estudos de interacção em seres humanos.
Interações: Nos ensaios clínicos os fármacos que revelaram ausência de interferências, na imagiologia com Ioflupano (123I) incluiram amantidina, benzhexol, budipina, levodopa, metoprolol, primidona, propanolol e selegilina.

Veraliprida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Associação contraindicada: Levodopa e agonistas dopaminérgicos: (amantadina, apomorfina, bromocriptina, cabergolina, entacapona, lisurida, pergolida, piribedil, pramipexol, quinagolida, ropinirol) Antagonismo mútuo de efeitos entre agonistas da dopamina e neurolépticos. - Neurolépticos antipsicóticos - Neurolépticos antieméticos Aumento dos efeitos indesejáveis neurológicos e psicóticos.

Bupropiom (Bupropiona) + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Recomenda-se precaução na administração de Bupropiom a doentes em tratamento concomitante com levodopa ou amantadina. Dados clínicos limitados sugerem uma maior incidência de efeitos indesejáveis (por ex.: náuseas, vómitos e efeitos do foro neuropsiquiátrico) nos doentes em tratamento com bupropiom concomitantemente com levodopa ou amantadina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Telmisartan + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: n.d.
Interações: Amantadina: Os tiazídicos podem aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantidina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Propiverina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Aumento dos efeitos devido a medicação concomitante com antidepressivos tricíclicos (por exemplo, imipramina), tranquilizantes (por exemplo, benzodiazepinas), anticolinérgicos, amantadina, neurolépticos (por exemplo, fenotiazinas) e agonistas beta-adrenoreceptores (beta-simpaticomiméticos).

Amlodipina + Valsartan + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Requerida PRECAUÇÃO com a utilização concomitante: HIDROCLOROTIAZIDA: Amantadina: As tiazidas, incluindo a hidroclorotiazida, podem aumentar o risco de reações adversas causadas pela amantadina.

Fesoterodina + Amantadina

Observações: Dados in vitro demonstram que o metabolito ativo da fesoterodina não inibe o CYP 1A2, 2B6, 2C8, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1, ou 3A4, ou induz o CYP 1A2, 2B6, 2C9, 2C19 ou 3A4 em concentrações plasmáticas clinicamente relevantes. Assim, é pouco provável que a fesoterodina altere a depuração dos medicamentos que são metabolizados por estas enzimas. Não são recomendados ajustes de dose na presença de inibidores moderados do CYP3A4 (p.ex.sumo de toranja).
Interações: Deve ter-se cuidado na co-administração de fesoterodina com outros antimuscarínicos e medicamentos com propriedades anticolinérgicas (p.ex., amantadina, antidepressivos tricíclicos, alguns neurolépticos), uma vez que podem acentuar os efeitos terapêuticos e adversos (p.ex., obstipação, secura da boca, sonolência, retenção urinária).

Eprosartan + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Interações potenciais relacionadas com a HIDROCLOROTIAZIDA: Administração concomitante requerendo precaução: Amantadina: Os diuréticos tiazídicos podem aumentar o risco de efeitos indesejáveis causados pela amantadina.

Levodopa + Benserazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Não se verificam interações farmacocinéticas entre a levodopa e os seguintes fármacos: bromocriptina, amantadina, selegilina e domperidona. A associação a outros fármacos tais como anticolinérgicos, amantadina e agonistas da dopamina é permitida, porém pode intensificar tanto os efeitos desejados como os efeitos indesejados do tratamento. Poderá ser necessário reduzir a dose de Levodopa / Benserazida ou do outro fármaco.

Bupropiom + Naltrexona + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: A administração da associação naltrexona/bupropiom a doentes tratados concomitantemente com levodopa ou amantadina deve ser feita com precaução. Dados clínicos limitados sugerem uma incidência mais elevada de reações adversas em doentes tratados concomitantemente com bupropiom e levodopa ou amantadina.

Aliscireno + Amlodipina + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: A análise farmacocinética populacional de doentes com hipertensão não revelou quaisquer alterações clinicamente relevantes durante a exposição no estado de equilíbrio (AUC) e Cmax de aliscireno, amlodipina e hidroclorotiazida comparativamente com as terapêuticas duplas correspondentes.
Interações: Precauções com utilização concomitante: Amantadina: As tiazidas, incluindo a hidroclorotiazida, podem aumentar o risco de reações adversas provocadas por amantadina.

Nebivolol + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: n.d.
Interações: Interações farmacodinâmicas: HIDROCLOROTIAZIDA: Potenciais interações relacionadas com a hidroclorotiazida: Precauções necessárias em caso de uso concomitante com: Amantadina: As tiazidas podem aumentar o risco de efeitos indesejáveis causados pela amantadina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ciclopentolato + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Em caso de absorção sistémica, os efeitos do Ciclopentolato e outros antimuscarínicos pode ser potenciado com o uso concomitante de outros fármacos com propriedades antimuscarínicas, tais como a amantadina, alguns anti-histamínicos, antipsicóticos fenotiazidicos (fenotiazidas), e de anti-depressivos tricíclicos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clorotalidona + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de diuréticos tiazídicos pode aumentar a incidência de reacções de hipersensibilidade ao alopurinol, aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina, aumentar o efeito hiperglicémico do diazóxido e reduzir a excreção renal de agentes citotóxicos (por exemplo, ciclofosfamida, metotrexato) e potenciar os seus efeitos mielossupressores.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Candesartan + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: As tiazidas podem aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Butilescopolamina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: O efeito anticolinérgico de antidepressivos tricíclicos e tetracíclicos, amantadina, antipsicóticos, quinidina, antihistamínicos ou disopiramida e outros anticolinérgicos (por exemplo, tiotrópio, ipratrópio, compostos atropínicos) pode ser potenciado pela toma concomitante de Butilescopolamina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Irbesartan + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: As tiazidas podem aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pramipexol + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Inibidores/competidores da via de eliminação renal activa: A cimetidina reduziu a depuração renal do pramipexol em cerca de 34%, presumivelmente por inibição do sistema de transporte por excreção catiónica dos túbulos renais. Portanto, medicamentos que são inibidores desta via de eliminação renal activa ou são eliminados por esta via, tais como cimetidina e amantidina, poderão interagir com o pramipexol, tendo como resultado uma redução da depuração de um ou dos dois medicamentos. Quando estes medicamentos são administrados concomitantemente, deve considerar-se a possibilidade de redução da dose de pramipexol.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amantadina + Anticolinérgicos

Observações: N.D.
Interações: Os efeitos adversos periféricos e centrais dos fármacos anticolinérgicos são potenciados pela Amantadina. A terapêutica combinada tem provocado reacções psicóticas agudas e nestes casos as doses do anticolinérgico devem ser reduzidas.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Amantadina + Levodopa

Observações: N.D.
Interações: A Amantadina pode aumentar a discinésia provocada pela Levodopa.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Benazepril + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Alopurinol ou amantadina: Aumento da reacção de hipersensibilidade ou do risco de efeitos adversos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Amantadina: As tiazidas, incluindo a hidroclorotiazida, podem aumentar o risco de reações adversas causadas pela amantadina.

Amlodipina + Olmesartan medoxomilo + Hidroclorotiazida + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Interações potenciais relacionadas com HIDROCLOROTIAZIDA: Uso concomitante que requer precaução: Amantadina: As tiazidas podem aumentar o risco de efeitos adversos causados pela amantadina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Butilescopolamina + Paracetamol + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: O efeito anticolinérgico de fármacos tais como antidepressivos tricíclicos, antihistamínicos, quinidina, Amantadina, disopiramida e outros anticolinérgicos (por exemplo, tiotrópio, ipratrópio) pode ser intensificado pelo Butilescopolamina/Paracetamol.

Feniramina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Álcool, depressores do sistema nervoso central, amantadina, outros anti-histamínicos, antimuscarínicos e outros medicamentos com ação antimuscarínica, haloperidol, fenotiazinas, procainamida, ipratrópio, medicamentos ototóxicos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Clortalidona + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Em consequência da administração concomitante dos seguintes medicamentos podem ocorrer interações com Clortalidona: Amantadina: A administração concomitante pode aumentar o risco de reação adversa causada por amantadina.

Oxibutinina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: A potenciação dos efeitos da oxibutinina, com bloqueio colinérgico excessivo, pode sobrevir em caso de associação com alcaloide de beladona, anticolinérgicos de síntese ou de semi síntese (por exemplo, antiespasmódicos ou antiparkinsónicos), fenotiazinas, amantadina, butirofenonas, levodopa, antidepressivos tricíclicos, quinidina, antihistamínicos, disopiramida, procaínamida ou cetoconazol (potente inibidor do CYP3A4); a associação de oxibutinina com estes fármacos deve ser feita com prudência.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloreto de tróspio + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Potenciação dos efeitos de fármacos com acção anticolinérgica, tais como a amantadina, antidepressivos tricíclicos, quinidina, anti-histamínicos e disopiramida, aumento da acção taquicárdica dos beta-simpaticomiméticos; diminuição da eficácia dos agentes pró-cinéticos (metoclopramida, cisaprida). Uma vez que o cloreto de tróspio pode influenciar a secreção e motilidade gastrointestinal, não se pode excluir a possibilidade de alteração de absorção de fármacos administrados concomitantemente.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Só deverá ser usado durante a gravidez quando o benefício para a mãe for superior ao do risco para o feto.

Sendo o Cloridrato de Amantadina excretado pelo leite, não deverá ser instituído durante a amamantação.

Devido aos possíveis efeitos sobre o SNC ou a distúrbios visuais, os Pacientes a tomar Amantadina, devem ser avisados de que o fármaco pode diminuir a capacidade para realizar actividades perigosas que requeiram alerta mental ou coordenação física, tais como operar com máquinas ou a condução de veículos motorizados.




Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017