Albumina humana

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Dopping Uso Hospitalar DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
A Albumina do soro humano é a proteína mais abundante no plasma de sangue humano.

É produzida no fígado.

A Albumina constitui cerca de metade da proteína do soro do sangue.

É solúvel e monomérica.

Transporta as hormonas de albumina, ácidos gordos e outros compostos, soluções tampão de pH, e mantém a pressão osmótica, entre outras funções.

A Albumina é sintetizada no fígado como preproalbumina, que possui um peptídeo N-terminal que é removido antes de a proteína nascente ser libertada do retículo endoplasmático rugoso.

O produto, proalbumina, por sua vez, é clivada no Golgi de vesículas, para produzir a albumina segregada.

Para administração intravenosa. Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Usos comuns
Tratamento de uma variedade de condições, incluindo choque devido a perda de sangue no corpo, queimaduras, baixos níveis de proteína devido à cirurgia ou de insuficiência hepática, e como um medicamento adicional na cirurgia de bypass. Pode ser usada para certas situações, tal como determinado pelo Médico.

A Albumina (humana) é um concentrado de proteínas de plasma a partir de sangue humano. Funciona através do aumento do volume plasmático ou níveis séricos de albumina.
Tipo
biotecnologia
História
Sem informação.
Indicações
É indicada nas síndromes aproteinémicas e hipoproteinémicas; nos estados de choque cirúrgico e traumático; no tratamento de edema cerebral; também na cirrose hepática e síndromes nefrotóxicas; nos casos de queimaduras; na hipoalbuminemia crónica; e como coadjuvante em procedimentos de hemodiálise.
Classificação CFT
12.06     Substitutos do plasma e das frações proteicas do plasma
Mecanismo De Ação
A Albumina é responsável por 75-80% da pressão osmótica colóide do plasma normal.

A Albumina estabiliza o volume de sangue circulante e é uma transportadora de hormonas, enzimas, medicamentos e toxinas.

A Albumina é uma proteína com uma massa total extravascular de aproximadamente 160 g, e uma massa intravascular de cerca de 120 g.
Posologia Orientativa
A dose é variável; individualizar com base em indicação específica, concentração da solução de Albumina humana usada, eo estado clínico do Paciente e da resposta.

Consultar informação de prescrição dos fabricantes para recomendações de dose específicas.
Administração
Via intravenosa.
Contraindicações
– se é alérgico a qualquer ingrediente em albumina (humana);
– se tem ou já teve insuficiência cardíaca, insuficiência renal ou anemia crônica estável, ou está em risco de sobrecarga de líquidos.

Contacte o seu Médico ou Profissional de Saúde imediatamente se alguma destas condições se aplicar ao seu caso.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Apesar de todos os medicamentos poderem causar efeitos colaterais, muitas pessoas não os têm, ou são leves.

Quando usado em pequenas doses, não foram relatados efeitos colaterais comuns com a Albumina (humana).

Deve procurar-se ajuda médica imediata se algum dos seguintes efeitos secundários graves ocorrer:
Reações alérgicas graves (rash, urticária, comichão, dificuldade em respirar; aperto no peito, inchaço da boca, face, lábios ou língua), mudança na frequência cardíaca ou respiração; calafrios, confusão; excesso de saliva; desmaios, febre, dor de cabeça, náuseas, vómitos, fraqueza.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Dopping
Dopping:Para administração intravenosa. Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Precauções Gerais
Antes de usar a Albumina (humana):
Algumas condições médicas podem interagir com Albumina (humana).

Informe o seu Médico ou Farmacêutico se tiver quaisquer condições médicas, especialmente se qualquer uma das seguintes situações se aplicar a si:
– se estiver grávida, a planear engravidar ou a amamentar;
– se estiver a tomar qualquer medicamento com ou sem receita médica, preparação à base de plantas, ou suplemento dietético;
– se tem alergia a medicamentos, alimentos, ou outras substâncias;
Alguns medicamentos podem interagir com a Albumina (humana).

No entanto, não houve interações específicas com Albumina (humana) conhecidas até este momento. Esta pode não ser uma lista completa de todas as interações que podem ocorrer. Pergunte ao seu Médico se a Albumina (humana) pode interagir com outros medicamentos que esteja a tomar.

Converse com seu Médico antes de iniciar, parar ou mudar a dosagem de qualquer medicamento.

Como utilizar a Albumina (humana):
Use a Albumina (humana) como indicado pelo seu Médico. Verifique o rótulo do medicamento para instruções de dosagem exatas.

A Albumina (humana) é geralmente administrada como uma injeção no consultório do seu Médico, Hospital ou Clínica. Se estiver a usar Albumina (humana) em casa, siga cuidadosamente os procedimentos de injeção indicados pelo seu Prestador de Cuidados de Saúde.

Se a Albumina (humana) contiver partículas ou descoloração, ou se o frasco estiver rachado ou e alguma forma danificado, não o usar. Use Albumina (humana) com o conjunto de administração que o acompanha.

Verifique se o filtro é usado. Após a abertura, a administração deve ser iniciada dentro de 4 horas. Descarte quaisquer garrafas que foram abertas há mais de 4 horas. Não guarde frascos parcialmente usados ​​para uso posterior.

Não infundir Albumina (humana) mais rápido do que a taxa especificada pelo seu Médico. Mantenha este produto, bem como seringas e agulhas, fora do alcance das crianças. Não reutilize agulhas, seringas ou outros materiais. Descarte corretamente após o uso. Peça ao seu Médico, Enfermeiro ou Farmacêutico que lhe dê a conhecer os regulamentos para o descarte adequado.

Se for esquecida uma dose de Albumina (humana), tomá-la o mais breve possível. Se for quase altura da sua próxima dose, pule essa dose e volte ao seu esquema posológico regular. Não tome duas doses de uma só vez.

Se tomou mais de uma dose, contacte de imediato o seu Médico ou Farmacêutico. Esclareça com o seu Médico qualquer dúvida que possa ter sobre a forma de usar Albumina (humana).

Informações importantes sobre segurança:
A Albumina (humana) é produzida a partir de plasma humano. Os produtos produzidos a partir de plasma humano podem conter agentes infeciosos, tais como vírus, que podem causar doenças. Os sintomas de algumas infeções virais, especialmente da hepatite C, podem ocorrer em Pacientes que recebem os produtos de plasma do sangue ou infusões. Avise o seu Médico imediatamente se achar que uma infeção foi transmitida por este produto.

Exames laboratoriais, incluindo pressão arterial, podem ser realizados para acompanhar seu progresso ou a verificação de efeitos secundários. Certifique-se de que mantém todas as consultas médicas e laboratoriais.

Gravidez e Aleitamento: Se ficar grávida, discuta com seu Médico os benefícios e os riscos do uso de Albumina (humana) durante a gravidez.

Se está ou vier a estar a amamentar enquanto estiver a usar Albumina (humana), consulte o seu Médico ou Farmacêutico para discutir os riscos para o seu bebé.
Cuidados com a Dieta
Como é administrado por via intravenosa (numa veia), não são necessárias restrições relativas à comida ou bebidas
Terapêutica Interrompida
Não utilize uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Conserve a Albumina (humana) à temperatura ambiente em ou abaixo de 30º C.
Armazene longe do calor, humidade e luz.
Não congelar.
Descartar a porção não utilizada.
Não use após a data de validade.
Não armazene na casa de banho.
Mantenha Albumina (humana) fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Lacidipina + Albumina humana

Observações: N.D.
Interações: A lacidipina tem uma elevada taxa de ligação às proteínas (> 95%) albumina e α -1- glicoproteína.

Entacapona + Albumina humana

Observações: N.D.
Interações: A entacapona liga-se ao local de ligação II da albumina humana que também se liga a vários outros medicamentos, incluindo o diazepam e o ibuprofeno. Não foram realizados estudos de interação clínica com o diazepam e medicamentos anti-inflamatórios não esteroides. De acordo com estudos in vitro, não se prevê deslocação significativa com concentrações terapêuticas de medicamentos.

Levodopa + Carbidopa + Entacapona + Albumina humana

Observações: N.D.
Interações: Dados in vitro: A entacapona liga-se ao local de ligação II da albumina humana que também se liga a vários outros medicamentos, incluindo o diazepam e o ibuprofeno. De acordo com estudos in vitro, não se prevê deslocação significativa com concentrações terapêuticas de medicamentos. Deste modo, até à data não há indicações de tais interações.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Informar o Paciente e / ou cuidador dos benefícios e riscos da utilização da Albumina humana.

Informar o Doente e / ou prestador de cuidados do Paciente que a Albumina humana é preparada a partir de plasma humano reunido.

A melhoria da triagem de doadores e procedimentos inativadores virais utilizados no fabrico de preparações derivadas de plasma têm reduzido, mas não totalmente eliminado, o risco de transmissão de patogéneos.

Importância de relatar qualquer infeção que se acredita ter sido transmitida por albumina humana.

Importância da interrupção imediata se os sintomas alérgicos ou outras reações adversas graves ocorrerem (por exemplo, erupção cutânea, urticária, coceira, dificuldade em respirar, tosse, náuseas, vómitos, diminuição da pressão arterial, aumento da frequência cardíaca).

Importância de informar os Clínicos de terapia concomitante existente ou prevista, incluindo prescrição e medicamentos isentos de prescrição, bem como todas as doenças concomitantes.

Importância das mulheres informarem os Clínicos se estão ou se planeiam engravidar ou amamentar.

Importância de informar os Pacientes de outras informações de precaução importantes.

Para administração intravenosa. Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 10 de Março de 2016