Ácido fólico (Vitamina B9)

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O Ácido fólico, folacina ou ácido pteroil-L-glutâmico, também conhecido como vitamina B9 ou vitamina M, é uma vitamina hidrossolúvel pertencente ao complexo B, necessária para a formação de proteínas estruturais e hemoglobina.
Usos comuns
Tratamento de certos tipos de anemia. Também podem ser utilizados para tratar outras condições, tal como determinado pelo médico.

O ácido fólico é uma vitamina. Funciona ao ajudar o organismo a produzir glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.

Fontes Alimentares de Vitamina B9
- Vegetais de folha verde
- Levedura de cerveja
- Cenoura
- Feijão
- Carne
- Gema de ovo
- Peixe gordo
- Alperce
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
É utilizado no tratamento da anemia megaloblástica por deficiência em folatos devido a malnutrição, a síndromas de má absorção e ao aumento da sua utilização em situações de gravidez e estados hemolíticos crónicos.

É utilizado na profilaxia da deficiência em folatos induzida por medicamentos, por exemplo causada pela administração de fenobarbital, fenitoína e primidona.

Para a prevenção de defeitos do tubo neural do feto em mulheres que planeiam engravidar e que se sabe estarem em risco.
Classificação CFT
04.01.02     Outros medicamentos para tratamento das anemias
Mecanismo De Ação
O Ácido fólico, como é bioquimicamente inativo, é convertido em ácido tetrahidrofólico e metiltetraidrofolato por dihidrofolato redutase.

Esses compostos afins de Ácido fólico são transportados através células por endocitose mediada pelo recetor em que são necessários para manter a eritropoiese normal, sintetizar purinas e ácidos nucleicos timidilato, interconverter aminoácidos, metilato de ARNt, e gerar e utilizar o formiato.

Usando a vitamina B12 como cofator, o ácido fólico pode normalizar os níveis elevados de homocisteína por remetilação de homocisteína em metionina via metionina sintetase.
Posologia Orientativa
Adultos (incluindo os idosos)
Na anemia megaloblástica por deficiência de folatos 5 mg diários durante 4 meses, nos casos de má absorção pode ser necessário aumentar a posologia até aos 15 mg diários.

Na deficiência em folatos induzida por medicamentos 5 mg diários durante 4 meses, nos casos de má absorção pode ser necessário aumentar a posologia até aos 15 mg diários.

Na prevenção de defeitos do tubo neural do feto para mulheres que planeiam engravidar e conhecidas por ser de risco 5 mg diários iniciados pelo menos 3 meses antes da conceção e mantidos durante todo o primeiro trimestre.

Gravidez
Nos casos de deficiência em folatos estabelecida 5 mg diários mantidos até ao termo da gravidez.

População pediátrica
Ácido fólico não deve ser utilizado em crianças menores que 6 anos de idade, dado que os comprimidos nesta dosagem não são apropriados para crianças menores que 6 anos de idade.

Na anemia megaloblástica por deficiência em folatos
Crianças e adolescentes: 6 – 18 anos de idade: 5 mg diários por 4 meses, a manutenção são 5 mg cada 1 – 7 dias.

Na anemia hemolítica
Crianças dos 6 – 12 anos de idade: 5 mg uma vez ao dia.

Crianças e adolescentes 12 – 18 anos de idade: 5 – 10 mg uma vez ao dia.
Administração
Os comprimidos devem ser tomados com um pouco de água, às refeições e fora delas.
Contraindicações
Hipersensibilidade à substância ativa.

Anemia megaloblástica não diagnosticada incluindo na infância, anemia perniciosa ou anemia macrocítica de etiologia desconhecida, a não ser que seja administrado com as quantidades adequadas de hidroxocobalamina.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Doenças do sistema imunitário
Raros: Reações alérgicas.

Doenças gastrointestinais
Raros: Anorexia, náuseas, distensão abdominal e flatulência.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Compatível com a gravidez. Sem risco fetal; seguro para utilizar na grávida (risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados, se usado em doses superiores às contidas na dieta diária, 0,5g/dia).
Aleitamento
Aleitamento:Pode ser usado como profiláctico durante o aleitamento.
Precauções Gerais
Os doentes com deficiência em Vitamina B12 não deverão ser tratados com Ácido fólico a não ser que seja administrado com as quantidades adequadas de hidroxocobalamina, dado que poderá mascarar a situação mas as lesões que são irreversíveis e subagudas no sistema nervoso mantêm-se.

A deficiência pode ser devida a uma anemia megaloblástica não diagnosticada incluindo na infância, anemia perniciosa, ou anemia macrocítica de etiologia desconhecida ou outra causa de deficiência em cobalamina, incluindo vegetarianos.

O Ácido fólico não deve ser utilizado na doença maligna a menos que a anemia megaloblástica devida à deficiência em ácido fólico seja uma complicação importante.

Recomenda-se precaução ao administrar Ácido fólico em doentes que podem ter tumores dependentes de folatos.

Este medicamento não se destina a mulheres grávidas saudáveis em que se recomendam doses mais baixas, mas para gestantes com deficiência em Ácido fólico ou mulheres em risco de recorrência de defeitos do tubo neural.

Este medicamento contém lactose mono-hidratada.

Doentes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de lactase ou malabsorção de glucose - galactose não devem tomar este medicamento.
Cuidados com a Dieta
Pode ser administrado independentemente das refeições.

O chá preto e o chá verde podem diminuir a absorção de ácido fólico, pelo que o uso concomitante do medicamento com estes chás deve ser evitado.
Terapêutica Interrompida
Se esqueceu de tomar medicamento, tome-o assim que se lembrar, a não ser que esteja perto da hora de tomar a dose seguinte.

Nunca tome duas doses juntas. Tome a dose seguinte na altura correta.

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Conservar a temperatura inferior a 25ºC.
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido fólico (Vitamina B9) + Antiepilépticos (AEs)

Observações: N.D.
Interações: Se os suplementos de ácido fólico são indicados para tratar a deficiência de folatos, que pode ser causada pelo uso de medicamentos antiepiléticos (fenitoína, fenobarbital e primidona), os níveis séricos de antiepiléticos podem diminuir, levando à diminuição do controle das crises em alguns doentes.

Ácido fólico (Vitamina B9) + Cloranfenicol

Observações: N.D.
Interações: Cloranfenicol e cotrimoxazol podem interferir com o metabolismo do ácido fólico.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido fólico (Vitamina B9) + Sulfassalazina

Observações: N.D.
Interações: Pode reduzir a absorção do ácido fólico.

Ácido fólico (Vitamina B9) + Trimetoprim

Observações: N.D.
Interações: Cloranfenicol e cotrimoxazol podem interferir com o metabolismo do ácido fólico.

Ácido fólico (Vitamina B9) + Antibacterianos

Observações: N.D.
Interações: Cloranfenicol e cotrimoxazol podem interferir com o metabolismo do ácido fólico.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido fólico (Vitamina B9) + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: Se os suplementos de ácido fólico são indicados para tratar a deficiência de folatos, que pode ser causada pelo uso de medicamentos antiepiléticos (fenitoína, fenobarbital e primidona), os níveis séricos de antiepiléticos podem diminuir, levando à diminuição do controle das crises em alguns doentes.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido fólico (Vitamina B9) + Fenobarbital

Observações: N.D.
Interações: Se os suplementos de ácido fólico são indicados para tratar a deficiência de folatos, que pode ser causada pelo uso de medicamentos antiepiléticos (fenitoína, fenobarbital e primidona), os níveis séricos de antiepiléticos podem diminuir, levando à diminuição do controle das crises em alguns doentes.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácido fólico (Vitamina B9) + Primidona

Observações: N.D.
Interações: Se os suplementos de ácido fólico são indicados para tratar a deficiência de folatos, que pode ser causada pelo uso de medicamentos antiepiléticos (fenitoína, fenobarbital e primidona), os níveis séricos de antiepiléticos podem diminuir, levando à diminuição do controle das crises em alguns doentes.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Neomicina + Ácido fólico (Vitamina B9)

Observações: N.D.
Interações: A Neomicina diminui a absorção e, por vezes, aumenta a excreção de diversos nutrientes, a exemplo de hidratos de carbono (sobretudo lactose, sacarose), gorduras (por lesão da mucosa do intestino delgado, com diarreia e, se for prolongada, com menor absorção de vitaminas lipossolúveis), cálcio, ferro, magnésio, potássio, sódio, azoto, ácido fólico e vitaminas A, B6, B12, D, E e K. A Neomicina destrói parte da flora bacteriana normal, levando a diarreia, micoses oportunistas, inclusive vaginais. A suplementação com flora bacteriana normal (Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium bifidus, Bifidobacterium longum, e Lactobacillus casei, Saccharomyces boulardi, Saccharomyces cerevesiae), na dose de um bilião de organismos por dia, bem como a vitamina K são aconselhadas.

Cobamamida + Cocarboxilase + Piridoxina + Riboflavina + Ácido fólico (Vitamina B9)

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos que interferem com a vitamina B12: Colchicina, epoetina e ácido fólico.

Raltitrexedo + Ácido fólico (Vitamina B9)

Observações: A leucovorina (ácido folínico), o ácido fólico ou as preparações vitamínicas contendo estes agentes não deverão ser dados imediatamente antes ou durante a administração de Raltitrexedo, dado que poderão interferir com a sua acção. Os estudos clínicos não encontraram evidência significativa de interações farmacocineticas entre o Raltitrexedo e a Oxaliplatina. Oxaliplatina liga-se às proteínas em 93% e, apesar de existir uma potencial interacção com fármacos que se liguem de forma semelhante às proteínas, não se observaram interações in vitro com a varfarina. Os dados sugerem que a secreção tubular activa poderá contribuir para a excreção renal de raltitrexedo, indicando a potencial interacção com outros fármacos secretados activamente, tais como fármacos anti-inflamatórios não esteroides (AINE’s). No entanto, uma revisão da base de dados do estudo clínico sobre a segurança não revelou nenhuma evidência de interacção clinicamente significativa em doentes tratados com Raltitrexedo que também receberam concomitantemente AINEs, varfarina e outros fármacos normalmente prescritos.
Interações: A leucovorina (ácido folínico), o ácido fólico ou as preparações vitamínicas contendo estes agentes não deverão ser dados imediatamente antes ou durante a administração de Raltitrexedo, dado que poderão interferir com a sua acção.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Cloreto de potássio + Cloreto de sódio + Glucose + Ácido fólico (Vitamina B9)

Observações: N.D.
Interações: Interações relacionadas com a presença de potássio: Doentes que recebem administração concomitante de soluções contendo potássio e um dos seguintes medicamentos, que reduzem os níveis séricos de potássio, podem necessitar de doses mais elevadas de potássio: - Corticosteroides - Diuréticos (diuréticos da ansa, tiazidas e análogos, diuréticos osmóticos, inibidores da anidrase carbónica) - Elevadas doses de penicilinas - Aminoglicosídeos - Cisplatina - Foscarnet - Anfotericina B - Teofilina - Insulina - Ácido fólico e vitamina B12 - Agonistas β 2 -adrenérgicos
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenitoína + Ácido fólico (Vitamina B9)

Observações: N.D.
Interações: Fármacos que podem diminuir os níveis séricos de fenitoína incluem: carbamazepina e abuso crónico de álcool; ácido fólico.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Metotrexato + Ácido fólico (Vitamina B9)

Observações: N.D.
Interações: Preparações vitaminicas contendo Ácido Fólico ou seus derivados pode diminuir a eficácia do Metotrexato.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

A acumulação de Ácido fólico no leite tem precedência sobre as necessidades de folatos materno.

Os níveis de Ácido fólico são relativamente baixas no colostro, mas com a continuação da amamentação as concentrações da vitamina aumentam.

Não foram observados efeitos adversos em crianças amamentadas cujas mães recebiam ácido fólico.


Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 16 de Março de 2018