Aceponato de metilprednisolona

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Aceponato de metilprednisolona é um medicamento anti-inflamatório (um corticosteróide) para utilização na pele.

Suprime reacções inflamatórias e reações alérgicas cutâneas, diminuindo assim os sintomas relacionados, como vermelhidão (eritema), espessamento da pele, endurecimento da superfície da pele, edema, comichão e outras queixas (sensação de calor ou dor).
Usos comuns
Aceponato de metilprednisolona é utilizado no tratamento da dermatite atópica (eczema endógeno, neurodermatite), eczema infantil, eczema de contacto ou degenerativo, desidrótico, ou eczema vulgar.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratamento da dermatite atópica (eczema endógeno, neurodermatite), eczema infantil, eczema de contacto ou degenerativo, desidrótico, ou eczema vulgar.
Classificação CFT
13.05     Corticosteroides de aplicação tópica
Mecanismo De Ação
Após aplicação tópica, o aceponato de metilprednisolona suprime reações cutâneas inflamatórias e alérgicas, assim como reações associadas a hiperproliferação, conduzindo a uma regressão dos sintomas objectivos (eritema, edema, infiltração, liquenificação) e das queixas subjectivas (prurido, ardor, dor).

Aplicando aceponato de metilprednisolona na dosagem topicamente eficaz, o efeito sistémico é mínimo tanto no ser humano como nos animais.

Após tratamento de áreas extensas de doentes com perturbações cutâneas, os valores de cortisol plasmático permanecem dentro dos níveis normais, o ritmo circadiano de cortisol é mantido e não se verificou qualquer redução do cortisol na urina de 24 horas.

Tal como acontece com todos os outros glucocorticóides, até agora, o mecanismo de acção do aceponato de metilprednisolona não está completamente compreendido.

Sabe-se que o aceponato de metilprednisolona se liga ao recetor glucocorticóide intracelular, sendo este facto especialmente relevante para o principal metabolito, 6-metilprednisolona-17-propionato, o qual é formado após clivagem na pele.

O complexo recetor esteróide liga-se a certas regiões de ADN e, deste modo, desencadeia uma série de efeitos biológicos.

A compreensão do mecanismo da acção anti-inflamatória é mais precisa.

A ligação do complexo receptor esteróide resulta na indução da síntese da macrocortina.

A macrocortina inibe a libertação do ácido araquidónico e, deste modo, a formação de mediadores de inflamação, tais como as prostaglandinas e leucotrienos.

A acção imunossupressora dos glucocorticóides pode ser explicada pela inibição da síntese de citoquina e por um efeito antimitótico, os quais não são bem compreendidos até ao momento.

A inibição da síntese de prostaglandinas vasodilatadoras ou a potenciação do efeito vasoconstritor da adrenalina resulta finalmente na actividade vasoconstritora dos glucocorticóides.
Posologia Orientativa
Uma vez por dia nas áreas afectadas da pele e em camada fina.

Em geral, a duração da utilização não deve exceder 12 semanas em adultos e 4 semanas em crianças.
Administração
Aplicar uma vez por dia, em camada fina sobre as áreas afectadas da pele.
Contraindicações
- Se tem alergia (hipersensibilidade) ao aceponato de metilprednisolona.

- Se apresenta tuberculose, ou sífilis na área a tratar, doenças virais (por exemplo, varicela, herpes zoster), rosácea, dermatite perioral ou reacções cutâneas após vacinação na área a tratar.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Em casos isolados sob tratamento com Aceponato de metilprednisolona, podem ocorrer sintomas como comichão, ardor, vermelhidão (eritema) ou formação de bolhas (vesiculação) na área da pele afetada.

As seguintes reações podem ocorrer quando forem aplicadas preparações tópicas contendo corticosteroides em áreas extensas do corpo (cerca de 10% ou mais) ou durante períodos de tempo prolongados (mais de 4 semanas): sintomas, tais como redução da pele (atrofia), telangiectasias, estrias, alterações acneiformes da pele e efeitos sistémicos do corticosteroide devido a absorção.

Durante a investigação clínica, nenhum destes efeitos secundários ocorreu com o tratamento de Aceponato de metilprednisolona até às 12 semanas (em adultos), ou às 4 semanas (em crianças).

Tal como outros corticosteroides para aplicação tópica, podem ocorrer, em casos raros, os seguintes efeitos secundários: inflamação do folículo piloso (foliculite), crescimento excessivo dos pêlos (hipertricose), dermatite perioral, descoloração da pele, reações alérgicas cutâneas a qualquer um dos componentes das formulações.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detetar quaisquer efeitos secundários não mencionados, deve informar-se o médico ou farmacêutico.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Como regra geral, não devem utilizar-se preparações tópicas contendo corticosteróides durante os primeiros três meses de gravidez.
Aleitamento
Aleitamento:As mulheres que estejam a amamentar, não devem aplicar o fármaco no peito.
Precauções Gerais
Tal como os corticosteróides sistémicos, pode também haver desenvolvimento de glaucoma pela utilização de corticosteróides locais (por exemplo, após aplicação em área extensa ou em dose elevada durante um período prolongado, utilização de vestuário com propriedades oclusivas, ou aplicação na pele que rodeia os olhos).

A aplicação extensiva de corticosteróides tópicos a áreas extensas do corpo ou por períodos de tempo prolongados, em particular sob oclusão, aumenta significativamente o risco de efeitos secundários.

Não se observou qualquer alteração da função adrenocortical, quer em adultos quer em crianças, no tratamento com Aceponato de metilprednisolona de áreas extensas (40 - 60% da superfície da pele) ou mesmo no tratamento oclusivo. No entanto, a duração da utilização deve ser tão breve quanto possível no tratamento de áreas extensas.
Cuidados com a Dieta
Não aplicável
Terapêutica Interrompida
Não utilizar quantidades mais elevadas de Aceponato de metilprednisolona para compensar uma dose que se esqueceu de aplicar.
Cuidados no Armazenamento
Não conservar acima de 25°C.
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Informar o médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Como regra geral, não devem aplicar-se preparações tópicas contendo corticóides no primeiro trimestre de gravidez. A indicação clínica para o tratamento deve ser cuidadosamente revista, e os benefícios avaliados em relação aos riscos em mulheres grávidas e a amamentar. Em particular, devem ser evitadas grandes extensões cutâneas ou a utilização prolongada.

As mulheres que estejam a amamentar, não devem aplicar o fármaco no peito.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017