Vitamina D pode diminuir risco de aborto recorrente

100


Vitamina D pode diminuir risco de aborto recorrente

  Tupam Editores

As mulheres que já tiveram um aborto espontâneo têm maior probabilidade de engravidar novamente e ter um bebé se tiverem níveis adequados de vitamina D, indicam novas pesquisas.

“As nossas descobertas sugerem que a vitamina D pode ter um papel protetor na gravidez”, disse o investigador principal Sunni Mumford, do Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano dos Estados Unidos.

Estudos anteriores mostraram que a fertilização in vitro é mais bem-sucedida entre as mulheres com níveis mais elevados de vitamina D, explicaram os autores do estudo.

Mas os investigadores notaram que há pouca evidência sobre a ligação entre a vitamina D e as taxas de gravidez/aborto entre as mulheres que não usam tratamentos reprodutivos.

Para o estudo, os pesquisadores examinaram os níveis de vitamina D de 1 200 mulheres com histórico de aborto antes de engravidar novamente. Os seus níveis de vitamina D também foram testados quando estavam com oito semanas de gravidez.

Mulher tomar comprimido

Embora não prove uma relação de causa e efeito, o estudo mostrou que as mulheres que tinham níveis suficientes de vitamina D, ou concentrações de 30 nanogramas por mililitro (ng/ml) ou mais, tinham dez por cento mais probabilidade de engravidar e 15 por cento mais probabilidade de ter um nado vivo do que aquelas com níveis mais baixos de vitamina D.

Entre as mulheres que engravidaram, cada aumento de 10 ng/ml de vitamina D antes da conceção foi associado a um risco 12 por cento menor de aborto espontâneo.

Os pesquisadores relataram que, na oitava semana de gravidez, os níveis de vitamina D não estavam mais ligados à perda de gravidez.

Os autores do estudo sublinharam, contudo, que mais pesquisas são necessárias para determinar se os suplementos de vitamina D poderão, de facto, reduzir o risco de perda do bebé entre mulheres com alto risco de aborto espontâneo.

O estudo foi publicado na revista The Lancet Diabetes & Endocrinology.

ARTIGO

Relacionados

BEBÉS PREMATUROS - A pressa de viver!

Chegam antes da hora, sem dar tempo para o Chá de Fraldas ou para a decoração do quarto. Os pais nem têm hipótese de os abraçar ou tocar antes de irem para a incubadora. Delicados e vulneráveis, convi...

RECÉM-NASCIDOS: Bolçar! - É normal?

Cuidar de uma criança no seu primeiro ano de vida é um verdadeiro desafio. É um novo elemento na família. É o ano da vida em que ocorrem maiores aquisições, em que todos os dias surgem mudanças e por...

Destaques

GRAVIDEZ E MEDICAMENTOS

A gravidez é um momento único na vida de uma mulher e o nascimento de uma criança saudável é a expectativa maior dos pais. Durante o período gestacional ocorrem profundas alterações fisiológicas no co...

MAGNÉSIO - O mineral chave da saúde e longevidade!

Sofre de dores de cabeça, fadiga, insónias e indisposição? Já acordou abruptamente, a meio da noite, com uma dor excruciante numa perna, vulgarmente conhecida por cãibra? Nesse caso, é grande a probab...
0 Comentários