Stress pode promover declínio cognitivo em mulheres

  Tupam Editores

Cientistas da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, associaram uma vida stressante ou com alguns eventos traumáticos a declínios cognitivos mais acentuados em mulheres numa fase mais avançada da vida. O estudo foi publicado no International Journal of Geriatric Psichiatry.

Para o estudo observacional, foram recolhidos dados de 909 residentes em Baltimore, nos Estados Unidos, dos quais 63 por cento eram mulheres. Depois da inscrição dos participantes, estes foram avaliados três vezes: uma em 1982, outra entre 1993 e 1996 e a terceira entre 2003 e 2004. Nos anos 90, a média de idades era de 47 anos.

Na terceira avaliação, foi-lhes pedido que dissessem se experienciaram algum evento traumático no ano anterior tais como violação, ataque físico, perseguição, ver alguém morrer ou viver um desastre natural: 22 por cento dos homens e 23 por cento das mulheres responderam positivamente.

Foram também questionados sobre eventos stressantes da vida, tais como divórcio, casamento, morte de ente-querido, perda de emprego, doença grave ou preocupação com filhos: 47 por cento dos homens e 50 por cento das mulheres reportou pelo menos um destes eventos na sua vida antes da avaliação.

Idosa-declínio-cognitivo

Para avaliar a memória dos participantes, na segunda e terceira avaliação foi-lhes pedido que reproduzissem 20 palavras que lhes foram ditas em voz alta, logo imediatamente a terem-nas ouvido e 20 minutos depois.

A equipa detetou um declínio na performance entre a segunda e a terceira visita e comparou os resultados com as respostas sobre os eventos stressantes da vida e os eventos traumáticos.

Os dados apurados mostraram que viver um ou mais eventos stressantes no ano anterior à avaliação tinha um impacto muito mais significativo do que viver eventos traumáticos. O stress contínuo de um divórcio ou perda de familiar tem um impacto muito mais negativo a nível cerebral.

A cientista Cynthia Munro afirma que isto faz sentido, pois “o que chamamos de stress crónico danifica a capacidade de o nosso corpo responder ao stress de maneira saudável”.

Nos homens não foi encontrada qualquer influência do stress sobre a capacidade cognitiva.

ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
12 de Dezembro de 2019

Referências Externas:

Relacionados

MEMÓRIA, BASE DO CONHECIMENTO - O que é e como funciona?

De forma razoavelmente simplificada, a memória humana pode ser definida como a capacidade inata do cérebro para obter, armazenar e evocar informações disponíveis no cérebro – a chamada memória biológi...

FILHO, OS PAIS VÃO SEPARAR-SE!

De repente tudo muda! A separação dos pais é, talvez, um dos mais difíceis momentos na vida de uma criança, pelo que minimizar a dor e as marcas que esta mudança lhe possa deixar deve ser fundamental.

Destaques

STRESS, COMO CONVIVER COM ELE

Nunca se falou tanto de stress como agora. Todos se queixam, mas poucos sabem que não se pode viver sem ele.

CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

Popularmente conhecida por dor de cabeça, a cefaleia é um problema muito frequente e uma das queixas mais comuns nas consultas de clínicos, pediatras ou neurologistas.
0 Comentários