SORRISO PERFEITO, ORTODONTIA ESTÉTICA

100


SORRISO PERFEITO, ORTODONTIA ESTÉTICA

  Tupam Editores

Tudo indica que a primeira vez que o ser humano viu o seu reflexo foi na água. Terá sido provavelmente este evento imemorial que inspirou a criação do primeiro espelho, algures nas regiões da Mesopotâmia e Egipto durante a idade dos metais.

Com a invenção deste utensílio, civilizações posteriores da Grécia Antiga, cerca de 1000 a.C. passaram a utilizá-lo para monitorizarem o seu aspeto, adequando a sua imagem à que nele gostariam de ver refletida, tendo passado a usar bases de metal e os mais extravagantes materiais nos dentes, com vista a melhorar o seu sorriso natural.

O sorriso é o cartão de visita de pessoas saudáveis e um dos seus primeiros elementos identificadores. Dentes desalinhados podem acarretar consequências psicológicas e sociais, além de prejuízos profissionais, dado que a aparência é um fator decisivo para muitas empresas, especialmente em ramos que envolvam imagem corporal.

Num mundo em constante evolução, a Medicina Dentária, e particularmente a especialidade designada por Ortodontia, percorreu um longo caminho nos últimos mil anos. Crianças, adolescentes, jovens, adultos de meia-idade do sexo feminino e masculino, seniores – todos estão a tirar partido da simplicidade que a distingue nos nossos dias.

Mas, afinal o que é a Ortodontia? Trata-se de uma especialidade da Medicina Dentária (Odontologia) relacionada com o estudo, prevenção e tratamento dos problemas de crescimento, desenvolvimento e amadurecimento da face dos arcos dentários e da oclusão, isto é das disfunções dento-faciais. Tem como objetivo a deteção, prevenção e correção de todo o conjunto de anomalias do aparelho mastigatório (dentes, arcadas dentárias e maxilares) que impedem uma correta oclusão dentária (mal-posicionamentos dentários, deformações maxilofaciais, entre outros).

A estética facial é, aliás, um dos principais objetivos ortodônticos. O desejo de melhorar a estética dento-facial, e a aquisição de maior equilíbrio e harmonia, é uma das razões pelas quais os pacientes procuram tratamento. Dentes alinhados e nivelados, suportados por gengivas saudáveis, têm enorme influência na imagem e consequente autoestima das pessoas.

Os tratamentos de ortodontia devem ser supervisionados por médico dentista, que identifica as necessidades de correção e a melhor forma de o fazer. O médico dentista é o profissional da saúde responsável pelo diagnóstico, tratamento e prevenção de todas as patologias orais e maxilares, bem como de todas as estruturas anexas a estes. Para exercer a profissão necessita de ter uma licenciatura ou mestrado integrado em Medicina Dentária obtido em Portugal e estar inscrito na Ordem dos Médicos Dentistas.

ortopantomografia

Para uma correta identificação das necessidades do paciente, é realizado por este especialista um estudo ortodôntico, composto por duas etapas distintas. Numa primeira consulta são realizados registos clínicos (exame clínico, modelos de estudo em gesso, fotografias) e exames radiológicos (telerradiografia e ortopantomografia).

Na etapa seguinte o ortodontista apresenta por escrito o diagnóstico, o plano de tratamento, o orçamento e o seu faseamento no tempo. Nesta fase o médico está disponível para esclarecer quaisquer dúvidas ou anseios que o paciente possa sentir, o que deve ser feito, a fim de o tranquilizar e envolver no procedimento.

Dúvidas, indicações e benefícios do tratamento ortodôntico

Além de melhorar a aparência pessoal através de um sorriso bonito, o tratamento ortodôntico melhora a saúde oral, a saúde em geral e facilita a sociabilidade frequentemente associada ao êxito pessoal. De facto, várias pesquisas comprovam que pessoas com dentes bonitos têm mais facilidade para conseguir um emprego, são mais sociáveis, felizes, capazes, responsáveis e mostram-se mais inteligentes, ou seja deve-se investir num sorriso saudável, aberto e sem limitações ou complexos.

As indicações para o tratamento ortodôntico são várias, tal como os problemas que podem advir em conjunto ou separadamente em cada paciente. Estes podem ser de ordem dentária, como um pequeno giro ou um desalinhamento, de ordem esquelética, como um excesso de crescimento maxilar, ou mesmo funcional, quando o paciente se queixa, por exemplo, de dificuldades a mastigar.

Em termos meramente estéticos, os especialistas indicam que ao sorrir, a gengiva não pode aparecer mais que dois ou três milímetros e o contorno do sorriso tem que acompanhar a curvatura do lábio inferior e a proporção dos dentes.

Os tratamentos estéticos complementares também ajudam a alcançar o sorriso perfeito. Procedimentos como o clareamento, fragmento de porcelana, faceta, cirurgia ortognática e aparelhos ortodônticos são alguns dos métodos. Deve no entanto ter-se em atenção que para fazer o clareamento, precisa da supervisão de um dentista. Feito sem a orientação de um especialista credenciado, o clareamento pode provocar a sensibilidade dos dentes, alteração do esmalte, inflamação do nervo do dente e até dano periodontal.

De entre os problemas que podem conduzir os pacientes ao tratamento, alguns surgem com mais frequência, como por exemplo o apinhamento. Caracterizado pelo posicionamento inadequado dos dentes, o apinhamento é um dos problemas mais comuns no consultório odontológico. Trata-se do popular "dente torto" ou "dente montado". A sua principal causa deriva da falta de espaço na mandíbula, sendo muito comum durante a transição dos dentes de leite para a dentadura permanente. Além de inestético o apinhamento dificulta a correta higienização bucal, favorecendo o acúmulo de tártaro, desenvolvimento de cáries e inflamações gengivais.

A sobremordida exagerada é um tipo de má oclusão vertical em que os dentes superiores recobrem grande parte dos inferiores. Em casos mais acentuados, a arcada inferior pode ficar totalmente encoberta, encostando no palato mole do paciente. Esta é muitas vezes a disfunção menos compreendida e a mais difícil de se tratar com sucesso e estabilidade, apresentando uma etiologia multifatorial que necessita de um diagnóstico diferencial elaborado e específico.

Está associada principalmente à genética e a alterações no crescimento mandibular. O problema traz prejuízos estéticos e causa alterações na mastigação e deglutição, além de dificultar a limpeza. Na verdade, a sobremordida exagerada é um conjunto de características esqueléticas, dentárias e neuromusculares que produz uma quantidade excessiva de trespasse vertical na região dos incisivos.

Considerada um dos problemas ortodônticos de tratamento mais difícil, a mordida aberta caracteriza-se pela ausência de contacto entre as arcadas dentárias superior e inferior. Geralmente ocorre na região anterior da boca, embora não haja uma regra. A disfunção está associada principalmente a fatores ambientais, pode ocorrer tanto em adultos como crianças e geralmente está relacionada com o hábito de chupar o dedo, uso de chupetas e biberões por tempo prolongado, respiração bucal, interposição da língua (durante a fala ou a deglutição de alimentos) e roer as unhas, entre outras.

A maioria dos tratamentos é realizada através da utilização de aparelhos ortodônticos ou ortopédicos associados a exercícios fonoaudiólogos para correção de posicionamento dos dentes, bem como para o restabelecimento das estruturas musculares dos lábios, língua e bochechas que se traduzirá em melhorias da estética, melhoria da fala, da respiração e da mastigação. Em casos mais complexos pode ainda ser necessário efetuar uma cirurgia ortognática.

A mordida cruzada é um dos problemas mais comuns de mau posicionamento dentário e ocorre quando um ou mais dentes da arcada superior não se encaixa corretamente na inferior, que deve ser recoberta. Assim, a anomalia resulta numa inversão da oclusão no sentido vestíbulo-lingual. Este tipo de má formação é causado por traumas na dentição ou perda precoce dos dentes de leite, o que provoca o desvio do eixo de erupção dos dentes permanentes.

Falta de espaço na arcada, dentes extranumerários e respiração bucal também podem ser destacados como fatores que favorecem a mordida cruzada. O tratamento pode ser feito com uso de aparelho ortodôntico fixo, semifixo ou removível. A indicação do dispositivo mais adequado depende do diagnóstico e da avaliação do ortodontista. Em casos graves, uma cirurgia ortodôntica pode ser necessária.

Diastema, definido em odontologia como espaço existente entre os dentes resultando em ausência de contacto entre dois ou mais componentes da arcada dentária, não é apenas um problema estético. Trata-se de uma anomalia que, se muito acentuada, pode interferir na dicção do paciente, impossibilitando a entonação correta de alguns fonemas e provocando sons indesejáveis. Este espaço entre dentes favorece o acúmulo de restos de alimentos, aumentando a hipótese de desenvolvimento de cáries e outros problemas bucais.

diastema

Entre os problemas de saúde causados por dentes e maxilares desalinhados salientam-se as dores na região da cabeça, no pescoço, ombros e nas costas; zumbido nos ouvidos, ruídos e estalido na articulação; dificuldade em abrir a boca; ranger de dentes e ansiedade que, em casos graves, pode levar a distúrbios da personalidade. Existe ainda uma maior possibilidade de doença periodontal devido à dificuldade de higienizar e de manter os dentes limpos.

Manter dentes saudáveis e alinhados não é apenas uma questão de estética, mas também de saúde. Uma mordidela correta beneficia diversos fatores, como o sono e a respiração; os dentes alinhados permitem uma melhor mastigação e digestão, assim como uma correta higienização evitando as doenças das gengivas. Uma dentada correta reduz o stress e as dores de cabeça. A fonética e a facilidade de falar em público aumentam e o paciente adquire confiança e melhora as suas relações pessoais e profissionais. O sorriso, a imagem e as características faciais saem beneficiados.

Todavia algumas dúvidas persistem, nomeadamente quanto ao limite de idade para o tratamento, se é doloroso, e se o alinhamento dos dentes é vitalício, entre muitas outras que o ortodontista saberá esclarecer.

Apesar de não existir limite de idade para a realização de um tratamento ortodôntico, o paciente adulto pode estar sujeito a algumas limitações, por ser normalmente mais lento devido paragem no crescimento, ter problemas de suporte ósseo dos dentes e mesmo a sua perda precoce ou dentes em mau estado.

É sempre difícil prever a duração de um tratamento ortodôntico, já que depende de muitos fatores, como a resposta biológica individual, a sua complexidade, a colaboração do paciente e o tipo de aparelho dentário utilizado. Em média poderá situar-se entre 18 a 24 meses de tratamento ativo. A única certeza é que não é doloroso. No início, aquando da colocação do aparelho, pode provocar alguma alteração de sensibilidade, e após essa fase algum desconforto durante 24 a 48 horas depois da sua ativação.

Após o tratamento, nem sempre os dentes mantêm o alinhamento para o resto da vida, tendo tendência a voltar à sua posição original, o que salienta a importância da fase de contenção. Nesta fase deve ser usado um Aparelho de Contenção – aparelhos passivos, cómodos e praticamente impercetíveis, cuja função se limita a manter a posição alcançada pelo aparelho de ortodoncia. No entanto, ao longo da vida podem ocorrer alterações adversas na oclusão, alheias ao controlo médico, que podem vir a tornar necessário novo, e até diferente, tratamento ortodôntico.

As diferentes técnicas em Ortodontia

Os aparelhos ortodônticos podem ser de tipo fixo e removível. O tipo utilizado em cada caso vai depender do problema e da má oclusão (tipo de face, caraterísticas e posicionamento dos dentes) de cada paciente.

Os aparelhos fixos são utilizados normalmente em pacientes que necessitam de movimentações dentárias maiores e mais precisas; os removíveis estão indicados para pequenas movimentações dentárias e direcionamento de crescimento (pacientes ainda em fase de crescimento) quando se mostrar alterado.

A evolução das técnicas e materiais em ortodontia permite atualmente novos métodos e mais opções a nível de aparatologia, resultando em tratamentos mais rápidos, mais cómodos bem como beneficiação estética para o paciente.

O aparelho dentário fixo convencional é, geralmente, o mais utilizado. Afixado aos dentes com substâncias adesivas adequadas, este tipo de aparelho é composto por bandas, fios, brackets (peça colada no dente através da qual o ortodontista aplica a força) e elásticos. Geralmente de metal leve, o aparelho é reajustado periodicamente pelo dentista, sendo através destes suaves apertos que os dentes se vão gradualmente deslocando para a posição correta. A assiduidade do paciente nas consultas de controlo determina e contribui para o sucesso deste tratamento.

aparelho fixo convencional

Para colmatar os problemas estéticos da ortodontia convencional, existe a possibilidade do aparelho fixo com brackets de cerâmica e arcos estéticos, que apresentam uma cor semelhante à do esmalte dentário de forma a camuflar o aparelho. Embora com boa estética, os brackets são muito volumosos e têm tendência para fraturar.

Os aparelhos estéticos são uma ótima alternativa para os pacientes que preferem conciliar a correção ortodontica com a aparência agradável do sorriso; por isso a sua procura tem vindo a aumentar nos últimos anos, apesar de mais caros que os metálicos.

Contudo o conceito mais inovador na estética em ortodontia surge com a ortodontia invisível que se baseia em dois sistemas de última geração: a Ortodontia Lingual e o Sistema Invisalign.

No aparelho ortodôntico lingual a aparatologia é colocada na superfície dentária não visível, permitindo um alinhamento dentário sem que se veja o aparelho. Neste tipo, os brackets são aplicados na face interna do dente, ficando o aparelho "escondido" pelos próprios dentes do paciente.

ortodontia lingual

Os brackets linguais têm um design totalmente diferente dos anteriores, que vem sendo desenvolvido há muito tempo, encontrando-se já na sua oitava geração. A técnica de colagem dos brackets é mais complexa exigindo treinamento específico e os arcos precisam de ser personalizados, o que requer maior habilidade do ortodontista.

Pela dificuldade de se trabalhar com este tipo de aparelho, estes tratamentos são normalmente mais caros que o convencional e o estético.

O Sistema Invisalign ou Aligner corrige os dentes através de uma série de alinhadores transparentes removíveis praticamente invisíveis que são executados à medida dos dentes, para maior conforto. À medida que se vai trocando de aligner a cada duas semanas, os dentes vão-se deslocando aos poucos, semana a semana, movendo-se gradualmente para a posição final pretendida.

Sendo a terapêutica adequada às necessidades do paciente estabelece-se um plano de tratamento. São realizados moldes e modelos que são digitalizados de forma a poder analisar toda a dentição através de imagem 3D. É possível assim obter uma representação virtual da dentição antes, durante e após o tratamento, permitindo antever o resultado final.

Uma vez estabelecido o plano de tratamento são fabricados os aparelhos (aligners) de forma individualizada, sendo cada um ligeiramente diferente do anterior para, gradualmente, mover os dentes até ficarem alinhados na posição desejada.

Alcançar o sorriso dos nossos sonhos não tem de ser difícil! Requer apenas persistência e alguns cuidados especiais.

Cuidados especiais dos portadores de aparelhos ortodônticos

Dieta diversificada e uma boa digestão dependem em certa medida de uma dentição em bom estado. Dentes cuidados compõem igualmente o sorriso e contribuem para a expressão facial de cada indivíduo, ao servirem de suporte aos músculos faciais. São também garantia da manutenção da distância do nariz ao queixo quando se fecha a boca, fator que poderia alterar a fisionomia, se tal não acontecesse. Por ultimo, muitos dos sons produzidos pelas cordas vocais são trabalhados pela interação da língua com os dentes. Na falta destes não é possível uma pronúncia perfeita.

De uma forma geral, o paciente pode comer quase de tudo. Por precaução, alimentos muito duros (castanhas, frutos secos, rebuçados etc.) podem danificar o parelho dentário e devem ser evitados. Outros alimentos como caramelos, sugos e gomas de fruta, bem como pastilhas elásticas devem ser excluídos porque aumentam a formação da placa bacteriana, atacam o esmalte, e podem fazer com que o aparelho descole.

O hábito de roer as unhas, canetas, ou rasgar pacotes ou outros plásticos com os dentes deve ser imediatamente banido.

Porém, é no respeitante à higiene que os cuidados devem ser mais rigorosos. A placa bacteriana é uma massa que se forma sobre os dentes e gengivas e que é constituída essencialmente por restos de alimentos, saliva e bactérias. Esta massa adere fortemente à superfície dos dentes e acumula-se nos espaços entre eles e junto às gengivas.

Os utilizadores de aparelhos ortodônticos necessitam de alguns cuidados especiais pois a presença do aparelho na cavidade oral leva a uma maior acumulação de placa bacteriana junto aos brackets e às bandas. É necessária disciplina e rigor na higiene oral diária pois quando deficiente, é geralmente o fator que condena o êxito da colocação do aparelho.

cuidados de higiene

O portador de aparelho dentário deve escovar sempre os dentes após as refeições. A utilização de produtos adequados e específicos, e de acordo com indicação médica, torna-se um auxiliar precioso no sucesso de uma correção ortodôntica.

Uma solução em pré-escovagem, com o objetivo de facilitar a remoção da placa bacteriana, deve ser sistematicamente utilizada. A escova de dentes deve ter uma cabeça pequena e filamentos suaves com extremidade arredondada e o dentífrico deve ser enriquecido com flúor para tornar o esmalte mais resistente à dissolução pelos ácidos e proteger das bactérias e ácidos por elas produzidas, e assim prevenir a cárie.

Após a escovagem deve passar-se o fio dentário entre todos os dentes e para remover a placa bacteriana entre o dente e o arame do aparelho, ou entre os dentes mais espaçados, deve utilizar-se um escovilhão, selecionando o tamanho mais adequado. Finalmente, para bochechar após-lavagem, utilizar um colutório com flúor.

Ter sempre em mente que a saúde começa pela boca, pelo que se deve consultar regularmente o dentista. Um sorriso pode mudar tudo! A autoconfiança, a estética visual… e até a vida de cada um de nós. Nunca é tarde para mudar o seu!

Ver mais:
DIETA MEDITERRÂNICA


ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
07 de Junho de 2017

Referências Externas:

Relacionados

ÓLEOS ESSENCIAIS - Um prazer da terra!

Os óleos essenciais acompanham-nos há milénios. As civilizações mais antigas foram as primeiras a usufruir das suas infinitas propriedades. Os gregos e os romanos utilizavam-nos na elaboração de banho...

Destaques

CONHECE O PODER DO SORRISO?

Dias cansativos, trabalho que nunca mais acaba, stress, correrias, casa para arrumar, filhos para acompanhar, contas para pagar, para além daqueles problemas ou situações mais negativas que, por vezes...

BIOTECNOLOGIA: A ALQUIMIA DOS TEMPOS MODERNOS

O toque de alvorada da indústria da biotecnologia soou quando se realizaram as primeiras experiências de splicing genético, isto é, a modificação da informação genética do DNA para o RNA após a transc...
0 Comentários