Restrição alimentar materna diminui expressão de citocinas anti-inflamatórias

Restrição alimentar materna diminui expressão de citocinas anti-inflamatórias

GRAVIDEZ E MATERNIDADE

  Tupam Editores

0

Um estudo publicado na revista Nutrition Research investigou os mecanismos subjacentes à restrição do crescimento intrauterino usando um modelo de rato.

Investigadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, avaliaram citocinas chave como a interleucina-10 (IL-10), processos celulares relacionados com a imunidade e o fenótipo IUGR resultante e a histopatologia placentária para determinar as vias imunológicas afetadas pela restrição do crescimento intrauterino, uma condição que afeta até dez por cento das gestações e muitas vezes tem consequências a curto e longo prazo para os filhos.

Os cientistas submeteram os animais prenhes a uma restrição alimentar leve e moderada do dia gestacional dez ao 19, recolhendo placentas e embriões no dia gestacional 19.

Grávida-alimentação

Os investigadores usaram o sequenciamento de RNA para identificar as vias imunológicas afetadas nas placentas associadas à restrição do crescimento intrauterino e validaram as alterações na expressão do RNA mensageiro de genes importantes na integridade celular.

Foram identificados vários genes diferencialmente expressos na restrição alimentar materna em comparação com os ratos de controlo, incluindo um considerável subconjunto que regula a tolerância imunológica, a inflamação e a integridade celular.

A restrição alimentar materna diminui o efeito anti-inflamatório da IL-10 e suprimiu as respostas placentárias autofágicas e de stress, apesar da presença de estruturas vasculares e trofoblásticas desreguladas que levam à restrição do crescimento intrauterino.

MEMÓRIA, BASE DO CONHECIMENTO - O que é e como funciona?

MENTE E RELACIONAMENTOS

MEMÓRIA, BASE DO CONHECIMENTO - O que é e como funciona?

De forma razoavelmente simplificada, a memória humana pode ser definida como a capacidade inata do cérebro para obter, armazenar e evocar informações disponíveis no cérebro – a chamada memória biológi...
CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

DOENÇAS E TRATAMENTOS

CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

Popularmente conhecida por dor de cabeça, a cefaleia é um problema muito frequente e uma das queixas mais comuns nas consultas de clínicos, pediatras ou neurologistas.
0 Comentários