Iogurte pode reduzir risco de adenomas pré-malignos em homens

  Tupam Editores

Consumir duas porções ou mais de iogurte por semana pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento de lesões (adenomas), que precedem o desenvolvimento de cancro do cólon, em homens, revela um estudo realizado por uma equipa de investigadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e outras instituições académicas.

Os investigadores identificaram também uma associação mais pronunciada em adenomas com grande possibilidade de se tornarem cancerígenos e os localizados no cólon em vez do reto.

Estudos anteriores tinham já sugerido que o consumo de muito iogurte poderia reduzir o risco de cancro do cólon através da alteração no tipo e volume do microbioma intestinal, mas não se sabia se haveria uma associação com um menor risco de adenomas.

Os cientistas analisaram a alimentação e subsequente desenvolvimento de diferentes tipos de adenomas em 32 606 homens que integravam o Estudo de Acompanhamento dos Profissionais de Saúde (“Health Professionals Follow Up Study”) e 55 743 mulheres participantes no Estudo da Saúde das Enfermeiras (“Nurses Health Study”), ambos dos Estados Unidos.

iogurte-homem

Todos os participantes tinham sido submetidos a colonoscopias entre 1986 e 2012. De quatro em quatro anos, os participantes prestavam ainda informação relativa ao seu estilo de vida e alimentação, incluindo a quantidade de iogurte consumida.

No decorrer do período do estudo, desenvolveram-se 5 811 adenomas nos homens e 8 116 nas mulheres.

Em relação aos homens que não consumiam iogurte, os que ingeriam duas ou mais porções por semana eram 19 por cento menos propensos a desenvolverem um adenoma convencional.

A redução do risco era mais pronunciada (26 por cento) para adenomas com grande risco de se tornarem cancerígenos e os localizados no cólon. Por outro lado, não foi identificada uma associação entre o consumo de iogurte e um menor risco de adenomas em mulheres.

Este estudo é de natureza observacional e, portanto, não estabelece uma causa e efeito. Porém, o elevado número de participantes e atualizações regulares na alimentação e estilo de vida dos mesmos pesam nos achados, sublinharam os autores.

O estudo foi publicado na revista Gut.

ARTIGO

Relacionados

ÍNDICE GLICÉMICO - Use-o a seu favor!

O Índice Glicémico anda “nas bocas” de toda a gente. Isto não quer dizer, contudo, que se saiba o que significa, ou que se conheça a influência que tem na saúde e bem-estar de cada um.

HIDRATAÇÃO - Estratégias para beber mais água

Alheios à vital importância deste líquido para a saúde e bom funcionamento de todo o organismo, a maioria das pessoas ingere diariamente quantidades insuficientes de água. Vamos mudar isso!

Destaques

CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

Popularmente conhecida por dor de cabeça, a cefaleia é um problema muito frequente e uma das queixas mais comuns nas consultas de clínicos, pediatras ou neurologistas.

NÃO SE ESQUEÇA DE DORMIR!

Dormir é uma necessidade fisiológica indispensável e pode funcionar como um excelente tratamento de beleza e de saúde. Mas dormir o “sono dos justos” parece ser o privilégio só de alguns.
0 Comentários