Crianças não apanham sol suficiente

100


Crianças não apanham sol suficiente

  Tupam Editores

O sol não está a ser bem aproveitado, as crianças brincam menos na rua e os estudos revelam falta de vitamina D. A pediatra Carolina Prelhaz afirma que é por isso que os médicos já recomendam suplemento de vitamina D além do primeiro ano de vida.

A recomendação é que todos os bebés com duas semanas comecem a tomar vitamina D. “Todos estão recomendados a iniciar, pela segunda semana de vida, uma gota de vitamina D oral durante o primeiro ano e já há recomendações para se estender isto um bocadinho mais”, explica à TSF a pediatra Carolina Prelhaz.

E a culpa é da forma como não estamos a aproveitar o sol. “Não saímos de casa. Saímos no verão, mas, depois, no resto do ano, ou está muito frio, ou está a chover, e as crianças brincam muito menos na rua, estão muito mais fechadas. Claro que há honrosas exceções, mas, no geral, temos alguma falta de vitamina D. Há estudos sobre isso e cada vez mais se sabe as repercussões que isso terá a nível cardiovascular e da mortalidade”.

Crianças - sol

Sabe-se que a exposição solar é essencial para a produção de vitamina D, uma vitamina lipossolúvel que não existe naturalmente em muitos alimentos, mas que ajuda a tornar os ossos mais fortes, ajuda a controlar e a prevenir a diabetes e a proteger o coração.

Os alimentos com maior teor em vitamina D são os peixes gordos (salmão, atum e cavala, por exemplo) e óleos de peixe. Alguns alimentos fortificados como o leite, bebidas e cremes vegetais, cereais de pequeno-almoço e pão também têm vitamina D, mas a exposição solar é imprescindível para que o processo de síntese desta vitamina ocorra.

ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
11 de Dezembro de 2019

Referências Externas:

Relacionados

Destaques

HERPES

O nome da doença não disfarça os seus efeitos! Com origem no termo grego “herpein”, que significa “alastrar” ou “rastejar”, herpes é a palavra usada para designar uma doença viral da pele, altamente c...
0 Comentários