Criado código de avaliação da dor com recurso a imagens

Criado código de avaliação da dor com recurso a imagens

MEDICINA E MEDICAMENTOS

  Tupam Editores

5

Um novo código de avaliação da dor com recurso a imagens como alfinetes, choques elétricos ou queimaduras foi criado para facilitar a comunicação entre médico e doente.

“O novo código visual da dor é uma ferramenta de cariz artístico, facilitadora da comunicação entre médico e doente”, afirmou a presidente da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED), Ana Pedro.

Segundo explicou a responsável, “o código visual permitirá auxiliar a interpretação da dor pelo doente, contribuindo para a melhoria dos cuidados de saúde prestados aos doentes com dor crónica em Portugal”.

Esta ferramenta, assim como um site sobre a dor (www.dor.com.pt), foi apresentada no passado sábado em Lisboa e pretende representar alguns descritores de dor através de 12 imagens: ferro em brasa, formigueiro, frio gelado, beliscão no nervo, rastejar sobre a pele, facada, choque elétrico, alfinetes, espasmo agudo, dor perfurante, arame farpado e queimadura.

Dor nas costas

“Nem sempre é fácil o doente exprimir a sua dor (a dor não se vê), o que pode ser uma barreira para o médico na compreensão da doença e no diagnóstico final. Esta nova ferramenta visual é, sem dúvida, uma mais-valia para os doentes e também para nós médicos, que tentamos diariamente compreender e avaliar corretamente a sua dor”, salientou a médica.

O código visual da dor conta com o apoio da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, e das sociedades de Anestesiologia, Oncologia, Medicina Física e Reabilitação, Medicina Interna, Ortopedia e Traumatologia e Reumatologia.

Segundo a APED, os custos com a dor crónica em Portugal ascendem aos 4 610 milhões de euros, o que corresponde a 2,7 por cento do PIB nacional.

Os gastos com a dor são superiores ao somatório dos gastos com a obesidade, a diabetes, o álcool e o tabagismo, de acordo com dados da associação.

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
10 de Maio de 2018

Referências Externas:

Música pode reduzir ansiedade durante cirurgia

MEDICINA E MEDICAMENTOS

Música pode reduzir ansiedade durante cirurgia

Pacientes submetidos a um bloqueio de nervo periférico têm uma alteração semelhante nos scores de ansiedade ao ouvirem uma música, em comparação com o uso do medicamento midazolam.
NOOTRÓPICOS - Aumente o poder da sua mente

MEDICINA E MEDICAMENTOS

NOOTRÓPICOS - Aumente o poder da sua mente

Desde o início da civilização que os seres humanos recorrem a substâncias externas ao organismo para alcançar estados alterados de consciência, prazer, analgesia, euforia, relaxamento, entre outros.
MEMÓRIA, BASE DO CONHECIMENTO - O que é e como funciona?

MENTE E RELACIONAMENTOS

MEMÓRIA, BASE DO CONHECIMENTO - O que é e como funciona?

De forma razoavelmente simplificada, a memória humana pode ser definida como a capacidade inata do cérebro para obter, armazenar e evocar informações disponíveis no cérebro – a chamada memória biológi...
CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

DOENÇAS E TRATAMENTOS

CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

Popularmente conhecida por dor de cabeça, a cefaleia é um problema muito frequente e uma das queixas mais comuns nas consultas de clínicos, pediatras ou neurologistas.
0 Comentários