Alterações cardíacas da menopausa ocorrem mais cedo do que se pensava

  Tupam Editores

As alterações cardíacas nas mulheres terão início muito mais cedo do que se pensava, revela um estudo recente de cientistas da Universidade de Guelph, no Canadá, que mostram que ocorrem ligeiras alterações cardíacas durante a perimenopausa, que é o período anterior à menopausa.

Para o estudo, a equipa fez os ovários de ratinhos fêmea perderem a sua função gradualmente, de forma a simular a transição gradual para a menopausa nas mulheres. Os ratinhos passaram pela menopausa durante um período de quatro meses.

Ao longo daquele período, os corações dos ratinhos fêmea continuaram a funcionar normalmente, mas certos aspetos do músculo cardíaco sofreram alterações.

O que vimos foram marcadores de stress. Certas citocinas pro-inflamatórias (proteínas que indicam stress) estavam mais elevadas, enquanto outras não estavam”, indicou Glen Pyle, autor sénior do estudo.

Menopausa-coração

Posteriormente, a equipa analisou a forma como o coração respondia quando eram oferecidos fármacos simuladores de estrogénio durante a perimenopausa. Esta abordagem foi uma novidade, pois a terapia de substituição de estrogénio é oferecida às mulheres após a menopausa.

Pretendíamos testar a hipótese temporal: a ideia que existe uma janela de oportunidade para tomar o estrogénio para que pudéssemos tentar identificar essa janela e determinar o impacto da menopausa sobre a resposta aos estrogénios”, explicou Glen Pyle.

Os investigadores descobriram que a resposta aos compostos de estrogénio variava ao longo do período da perimenopausa, o que sugere, mais uma vez, que as alterações moleculares tinham ocorrido durante este crítico período de transição.

Isto diz-nos que não podemos simplesmente dar estrogénios a um coração, anos após a menopausa porque estaremos a tratar um coração que mudou de forma fundamental. E este estudo demonstra que essas mudanças ocorrem durante o período da perimenopausa”, concluiu o autor principal do estudo.

O estudo foi publicado na Acta Physiologica.

ARTIGO

Relacionados

QUEDAS NO IDOSO

A queda é o mais sério e frequente acidente que ocorre neste grupo etário, sendo inclusive a principal causa de morte acidental ...Mas pode ser evitável.

Destaques

CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

Popularmente conhecida por dor de cabeça, a cefaleia é um problema muito frequente e uma das queixas mais comuns nas consultas de clínicos, pediatras ou neurologistas.

NÃO SE ESQUEÇA DE DORMIR!

Dormir é uma necessidade fisiológica indispensável e pode funcionar como um excelente tratamento de beleza e de saúde. Mas dormir o “sono dos justos” parece ser o privilégio só de alguns.
0 Comentários