GOLDEN RETRIEVER

GOLDEN RETRIEVER

ETOLOGIA

  Tupam Editores

5

Pelo e coração de ouro! É assim que todos os que conhecem de perto a raça canina Golden Retriever a descrevem, não obstante se tratar de uma linhagem razoavelmente nova. E a descrição não anda longe da verdade, pois é um companheiro devotado a toda a família, e até aos animais que dela façam parte.

A maior parte das raças que hoje conhecemos estão associadas a lendas e contos que de alguma forma pretendem ilustrar o seu passado anónimo. E, de facto, alguma controvérsia envolve a origem deste belo animal.

Reza a história que o Golden Retriever, também conhecido por Labrador de pelos longos, foi gerado na Grã-Bretanha, em meados do século XIX, a partir do cruzamento de diferentes raças caninas, que incluíam a Water Spaniel (já extinta), Terra Nova e Setter Inglês, embora haja estudiosos que acreditam que o Bloodhound também tenha feito parte da matriz que lhe deu origem.

Ainda que abundem várias suposições que explicam a sua procedência, a raça deve a maior parte das suas características a um criador escocês, amante de cães, Sir Dudley Majoribanks, também conhecido por Lorde de Tweedmouth.

Uma das versões contadas diz que ao passear pela cidade inglesa de Brighton, Lorde Tweedmouth ficou impressionado com os truques de um grupo de cães pastores Russos pertencentes a um circo e que, num acesso de súbita paixão, os comprou e levou consigo para a sua propriedade em Guisachaar, na Escócia, onde realizou os cruzamentos que viriam a dar origem ao Golden Retriever.

Embora esta seja uma das histórias favoritas dos amantes de Golden Retrievers, após o estudo do seu Stud Book (tornado público em 1952), que abrange os anos de 1835 a 1890, não se encontrou qualquer registo dessa compra, mas continha detalhes de um cuidadoso programa de line-breeding pouco usual na época.

O Kennel Club do Reino Unido aceitou o registo dos primeiros Golden em 1903. Na altura eram registados como Yellow Flatcoated Retrievers. Em 1911, foram reconhecidos como uma raça, primeiro designada por Yellow or Golden Retrievers, que passados uns anos passou a designar-se apenas Golden Retriever.

Cão Guia

O nome tem origem no verbo inglês to retrieve, que significa ir buscar ou trazer. E, se inicialmente, em virtude das suas características e comportamento especial, a sua função era auxiliar o caçador no cobro das peças de caça abatidas em terra e na água, na atualidade, por ser um bom observador e capaz de associar causa e efeito das suas ações, é muito requisitado como cão-guia de deficientes visuais, cão de busca e salvamento bem como na terapia de pacientes com doenças físicas e mentais.

Mas o seu auxílio não se fica por aqui, o seu aguçado faro também tem sido útil no combate ao tráfico de droga e localização de corpos em catástrofes naturais ou acidentes provocados.

Características morfológicas e comportamentais da raça

A descrição mais ou menos pormenorizada das características morfológicas e comportamentais de uma raça é denominada de Estalão. O Golden Retriever pertence ao Estalão FCI nº 111, Grupo 8, Secção 1.

É impossível definir numa só palavra todas as qualidades do Golden Retriever – um cão com um temperamento doce, paciente, inteligente, dócil, amistoso e seguro de si próprio. A aparência geral é a de um animal simétrico, harmonioso, bem proporcionado, ativo, bem colocado no andar, de movimentos ondulantes, de constituição robusta e naturalmente dotado para o trabalho.

A cabeça é bem proporcionada e bem cinzelada, e o crânio largo sem ser pesado. Pescoço de bom comprimento, desenvolto e musculoso. Possui uma bonita implantação de cabeça no pescoço e um focinho largo e alto. O comprimento da cana nasal é aproximadamente igual à do crânio, do stop bem marcado ao occipital. O nariz preferencialmente preto.

Os olhos são castanho escuros com o bordo das pálpebras também escuro e estão bem afastados. As orelhas, de tamanho médio, estão implantadas quase à altura dos olhos. As mandíbulas, fortes, apresentam uma articulação em tesoura perfeita, regular e completa, isto é dizer, os incisivos superiores cobrem os inferiores, em contacto estreito e estão bem implantados em esquadria em relação às mandíbulas.

O corpo é bem equilibrado, o lombo curto, forte e musculoso, o peito bem descido na região do esterno e as costelas também bem descidas e arqueadas. Linha dorsal horizontal. A cauda, implantada e elevada à altura do lombo, chega aos jarretes e não se enrosca na extremidade. A altura ao garrote é, nos machos entre 56 a 61 cm, e nas fêmeas entre 51 e 56 cm.

Golden Retrivier

As patas dianteiras são retas e apresenta uma boa ossatura. Os ombros são bem oblíquos. A omoplata comprida e o braço de igual comprimento fazem com que os dianteiros, do cotovelo ao chão, estejam bem dispostos por debaixo do corpo. Os cotovelos estão bem unidos ao corpo.

Os quartos traseiros são fortes e musculosos. As pernas são sólidas e os joelhos estão bem angulados. Os jarretes, que não estão voltados para fora nem para dentro, estão bem descidos, e vistos por trás, aprumados. Os pés são redondos, de gato. O andar é enérgico, e com muito impulso. A passada comprida e solta sem nenhuma tendência para levantar os dianteiros. As patas dianteiras e traseiras deslocam-se em planos paralelos ao eixo do corpo.

O pelo é liso ou ondulado com boas franjas e o sub-pelo é denso e impermeável. A tonalidade deve ser dourada ou creme, admitindo-se a presença de alguns pelos brancos, unicamente no peito.

Estas características servem essencialmente para o julgamento dos exemplares da raça nas exposições e concursos de beleza e de trabalho, e revelam a perfeição do animal.

Mas as qualidades do Golden Retriever não se resumem à sua exuberância, como a facilidade de interação com o homem o demonstra.

Comportamento e interação

O Golden Retriever é um companheiro extremamente dedicado ao seu dono, a quem quer agradar acima de tudo, e à família, que gosta de acompanhar em qualquer atividade, como passeios, caminhadas, etc. É carinhoso e paciente com crianças e outros animais, e promove a diversão e brincadeira com todos os que têm o prazer de com ele conviver.

Cão e Família

É um cão que não gosta de ficar sozinho no quintal – é muito mais feliz quando interage com a família. Aliás, a interação com as pessoas é a sua principal característica. Não suporta o tédio e precisa de exercícios e atividades diárias para se manter sempre equilibrado. Passear pelo bairro, brincar no parque, jogar à bola... tudo é possível, menos deixá-lo sozinho e entediado.

Se pensou que por ser grande iria intimidar os estranhos e proteger a casa, desengane-se. O Golden Retriever não tem a menor vocação para cão de guarda, e recebe os estranhos com o mesmo ar amigável com que brinca com a família.

Apesar de ser um cão de caça, é bastante adaptável. Pode viver no exterior, ou em casa, mas tem necessidade de se sentir parte do grupo e gosta de estar no seio familiar. A situação ideal seria viver numa casa com acesso a um pátio ou terreno que pudesse explorar.

Mas ele valoriza a interação com o dono mais do que valoriza um pátio ou um terreno, razão pela qual também é possível criá-lo em áreas pequenas, desde que o levem a passear pelo menos duas vezes por dia, pois necessita de algumas horas diárias de exercício.

Muito inteligente, obediente e sensível, o Golden Retriever prefere ser educado a treinado, pois não se dá bem com a brusquidão. Desde cedo deve ser educado para respeitar determinadas regras dentro de casa, pois tal evitará futuras dores de cabeça.

Dá-se bem com outros animais que existam na casa, no entanto, deve ter-se um cuidado especial com as aves, uma vez que a sua função original era recolher as aves para as entregar aos caçadores.

Não é difícil fazer um Golden Retriever feliz, mas para além da interação com a família e o exercício, é importante incluir outros cuidados de modo a manter a sua saúde e bem-estar.

Saúde e cuidados básicos

A esperança média de vida do Golden Retriever oscila entre os 9 e os 15 anos de idade e, como qualquer outra raça, precisa de alguns cuidados especiais para manter sempre uma aparência saudável e evitar determinados problemas de saúde.

Uma alimentação adequada é fundamental para o desenvolvimento e manutenção da sua saúde. O comportamento, a capacidade de aprendizagem, a imunidade às doenças e a qualidade de vida do Golden Retriever serão fortemente influenciadas pela qualidade da alimentação que lhe for ministrada. Não se trata apenas de saciar a fome do animal, mas suprir todas as suas necessidades nutricionais, ou seja, fornecer o "combustível" adequado ao funcionamento correto do seu organismo.

Para além da alimentação, há que ter um cuidado especial com a pelagem, que é um reflexo fiel do estado de saúde de um cão.

A raça, mundialmente conhecida pelo seu pelo dourado, possui uma camada dupla de pelagem, sendo a superior mais densa e à prova de água e a outra interna, macia. Existem partes do pelo mais longas, localizadas na parte de trás das patas, pescoço, peito e na cauda. A pelagem deve ser escovadas com regularidade, pois devido ao seu comprimento médio, se não tiver manutenção pode enriçar.

Por terem orelhas caídas, os ouvidos dos animais devem receber também uma atenção especial. Devem manter-se bem secos e usar soluções específicas para a limpeza, que deve ser semanal.

Após os banhos, com champô ou sabão específicos, o animal deve ser bem enxaguado para que não fiquem resíduos que podem prejudicar a sua pele. Igualmente importante é a secagem do animal, pois um dos problemas mais comum à raça é a dermatite húmida, que causa irritabilidade na pele, comichão e, consequentemente, pode levar ao desenvolvimento de feridas no local afetado.

Os donos destes belos animais devem estar preparados para encontrar fios dourados por toda a casa, pois o Golden Retriever larga bastante pelo.

Por ser de média dimensão, tende a aglomerar-se, o que facilita a limpeza, mas também torna a sua concentração mais visível. Não é necessário proceder a tosquias, embora o corte típico da raça implique aparar os membros posteriores, entre as almofadas plantares e no peito.

Para além dos problemas de saúde desencadeados por uma má higienização do animal, também os há que são obra da hereditariedade, entre eles, a displasia coxofemoral que ocorre pela má formação das estruturas articulares havendo luxações nas áreas afetadas, a piodermite, a atrofia progressiva da retina e cataratas. Estas duas últimas são doenças graves que podem levar o cão à cegueira total, logo quanto mais cedo o veterinário for consultado, mais hipóteses de cura existirão.

Cão no Veterinário

Um dos inconvenientes de possuir um Golden Retriever é que se trata de uma raça com propensão para várias doenças, podendo sofrer, ao longo da vida, de complicações hormonais como o hipotiroidismo, diabetes mellitus, epilepsia, cardiopatia, tumores e cancros de tipos diferentes. Assim, para o manter o mais saudável possível e aumentar a sua longevidade, são importantes as consultas regulares ao veterinário.

Já para o manter feliz basta apenas ser seu amigo e o companheiro de atividades e brincadeiras, de que tanto gosta e precisa. Muito apegado ao dono, é um cão muito dócil que nunca irá ser agressivo com pessoas ou outros animais.

De temperamento amistoso e expansivo, inteligência aguçada e beleza, o Golden Retriever é já um dos cães de companhia mais populares em todo o mundo. É um amigo de ouro, estime-o!

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
07 de Junho de 2017

Referências Externas:

CÃES PERIGOSOS - Conheça o tema de A a Z

Canídeos

CÃES PERIGOSOS - Conheça o tema de A a Z

Muito se ouve falar, ultimamente, sobre cães perigosos e raças potencialmente perigosas mas a verdade é que ainda há muita ignorância relativamente ao assunto.
0 Comentários