NEUROCIÊNCIAS

Álcool provoca mudanças duradouras no centro emocional do cérebro

O consumo excessivo de álcool na adolescência provoca efeitos duradouros nas ligações cerebrais e está associado a um aumento do risco de problemas psicológicos e de transtornos relacionados ao consumo de álcool mais tarde na vida.

Álcool provoca mudanças duradouras no centro emocional do cérebro

Investigadores da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostraram que algumas dessas mudanças duradouras são o resultado de alterações epigenéticas que modificam a expressão de uma proteína crucial para a formação e manutenção de conexões neurais na amígdala - a parte do cérebro envolvida nas sensações de emoção, medo e ansiedade.

Os resultados foram publicados na revista Translational Psychiatry.

Os investigadores analisaram o tecido da amígdala humana pós-morte de 11 indivíduos que começaram a beber muito antes dos 21 anos; de 11 indivíduos que começaram a beber excessivamente após os 21 anos de idade e de 22 indivíduos sem historial de transtorno por uso de álcool.

A idade média de morte dos indivíduos de quem as amostras foram recolhidas era de cerca de 58, 55 e 59 anos, respetivamente.

As amígdalas de indivíduos que bebiam precocemente tinham cerca de 30 por cento mais de uma molécula chamada BDNF-AS, um grande RNA não-codificante.

Os investigadores descobriram que o aumento do BDNF-AS em consumidores precoces é causado pela diminuição da metilação da BDNF-AS.

Essa mudança pode alterar a função normal da amígdala, que ajuda a regular as emoções, e pode fazer com que os indivíduos sejam mais suscetíveis à ansiedade e ao desenvolvimento e manutenção do transtorno do uso de álcool mais tarde na vida.

Fonte: Eurekalert

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS