Toma de antidepressivos pode agravar zumbido auditivo

100


Toma de antidepressivos pode agravar zumbido auditivo

  Tupam Editores

As pessoas com zumbido auditivo podem sofrer um agravamento da condição se estiverem a ser tratadas com inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS), uma classe comum de antidepressivos.

A conclusão surge após cientistas da Universidade do Oregon, nos Estados Unidos, terem estudado o tecido cerebral de modelos ratos e qual a resposta do zumbido à serotonina.

O zumbido é a sensação intermitente ou constante de sons auditivos quando nenhum desses sons está presente. Estudos anteriores sugeriram que as pessoas com zumbido estão em maior risco de depressão, em comparação com pessoas sem a condição.

Consulta otorrino

O novo estudo, no entanto, sugere que o tratamento com antidepressivos pode ser uma faca de dois gumes: enquanto trabalham para aliviar os sintomas de depressão, os ISRS podem realmente piorar esta condição auditiva.

Os cientistas concentraram-se na resposta dos neurónios no núcleo coclear dorsal (DCN) dos ratos, que é a região do cérebro envolvida no processamento sensorial afetada pelo zumbido. Descobriram, então, que quando os ratos foram expostos à serotonina, as células fusiformes no DCN tornaram-se hiperativas e hipersensíveis ao som.

Muitos pacientes já haviam relatado um agravamento do zumbido logo após o início da toma de ISRS. Com base nestes resultados e nos de estudos anteriores, os investigadores sugerem que o aumento da serotonina que ocorre com a toma de ISRS pode exacerbar o zumbido auditivo.

Numa investigação futura, a equipa pretende descobrir se é possível inibir um canal iónico específico no DCN que é ativado pela serotonina, pois isso faria com que os ISRS tratassem a depressão sem piorar o zumbido.

ARTIGO

Relacionados

NOOTRÓPICOS - Aumente o poder da sua mente

Desde o início da civilização que os seres humanos recorrem a substâncias externas ao organismo para alcançar estados alterados de consciência, prazer, analgesia, euforia, relaxamento, entre outros.

Destaques

CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

Popularmente conhecida por dor de cabeça, a cefaleia é um problema muito frequente e uma das queixas mais comuns nas consultas de clínicos, pediatras ou neurologistas.

NÃO SE ESQUEÇA DE DORMIR!

Dormir é uma necessidade fisiológica indispensável e pode funcionar como um excelente tratamento de beleza e de saúde. Mas dormir o “sono dos justos” parece ser o privilégio só de alguns.
0 Comentários