Maior exposição à poluição do ar durante a segunda gravidez pode aumentar risco de nascimento prematuro

Maior exposição à poluição do ar durante a segunda gravidez pode aumentar risco de nascimento prematuro

GRAVIDEZ E MATERNIDADE

  Tupam Editores

0

Mulheres grávidas expostas a níveis mais altos de poluição do ar durante a segunda gravidez, em comparação com a primeira, podem estar sob maior risco de parto prematuro, de acordo com cientistas do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos.

O estudo foi publicado na revista International Journal of Environmental Research and Public Health.

O nascimento prematuro, ou o nascimento de um bebé antes das 37 semanas, é uma das principais causas de morte infantil. Embora estudos anteriores tenham encontrado uma associação entre exposição à poluição do ar e risco de nascimento prematuro, os pesquisadores acreditam que este novo estudo é o primeiro a vincular esse risco a alterações nos níveis de exposição entre a primeira e a segunda gravidez.

Os cientistas analisaram dados de mais de 50 mil mulheres que deram à luz em 20 hospitais em Utah entre 2002 e 2010, bem como dados sobre poluentes aéreos aos quais as mulheres foram expostas durante a gravidez.

Gravidez-poluição

Para quase todos os poluentes, a exposição das mulheres teve maior probabilidade de diminuir ao longo do tempo. Mas entre sete e 12 por cento das mulheres no estudo tiveram maior exposição à poluição do ar durante a segunda gravidez.

Os riscos mais altos foram com o aumento da exposição ao monóxido de carbono (51 por cento) e dióxido de nitrogénio (45 por cento), geralmente provenientes de emissões de veículos automotores e usinas; ozónio (48 por cento), um poluente secundário criado por produtos de combustão e luz solar; e dióxido de enxofre (41 por cento), proveniente principalmente da queima de combustíveis fósseis que contêm enxofre, como carvão ou diesel.

O que surpreendeu nos resultados da pesquisa foi o facto de, entre as mulheres com baixo risco, incluindo as que não tiveram parto prematuro, o risco durante a segunda gravidez aumentou significativamente quando a poluição do ar permaneceu alta ou aumentou.

INFERTILIDADE - A CEGONHA QUE TARDA EM CHEGAR

SEXUALIDADE E FERTILIDADE

INFERTILIDADE - A CEGONHA QUE TARDA EM CHEGAR

Considera-se um casal infértil quando este não consegue ter filhos após dois anos de tentativas sem métodos contraceptivos, e estima-se que em todo o mundo cerca de 20% dos casais sejam inférteis.
IOGA - Equilíbrio de corpo e mente

EXERCÍCIO FÍSICO

IOGA - Equilíbrio de corpo e mente

Teve origem na Índia, há cerca de 5000 anos. Possui inúmeras vertentes e derivações, mas a essência é sempre a mesma, a harmonia do corpo, da mente e da alma. Se ainda não percebeu, é de ioga que fala...
0 Comentários