Luz azul de telemóveis e tablets destrói células da retina

100


Luz azul de telemóveis e tablets destrói células da retina

  Tupam Editores

Cientistas da Universidade de Toledo, nos Estados Unidos, descobriram, num estudo recente, que a luz azul emitida por dispositivos eletrónicos como telemóveis e tablets destrói as células da retina.

Os cientistas explicaram que a luz azul-violeta dos aparelhos eletrónicos transforma moléculas vitais na retina em “assassinas de células”, um processo que promove a degeneração macular relacionada à idade.

“Estamos a ser expostos à luz azul continuamente e a córnea e a lente do olho não conseguem bloqueá-la ou refleti-la. Já se sabe que a luz azul prejudica a nossa visão danificando a retina. O nosso estudo explica como isso acontece e esperamos que isso leve a terapias que retardem a degeneração macular, como um novo tipo de colírio”, disse Ajith Karunarathne, da Universidade de Toledo.

A degeneração macular, uma doença ocular incurável que resulta em perda significativa da visão, começando em média nos 50 ou 60 anos de idade, envolve a morte de células fotorrecetoras na retina.

Homem com telemóvel

Essas células precisam de moléculas chamadas retinais para captar a luz e desencadear uma cascata de sinalização para o cérebro - também conhecidas como retinaldeído, essas moléculas da retina são uma forma de vitamina A.

Os investigadores descobriram que a exposição à luz azul faz com que a retinal desencadeie reações que geram moléculas químicas prejudiciais às células fotorrecetoras.

Em causa estão “moléculas tóxicas. Quando a retina é exposta à luz azul, a retinal mata as células fotorecetoras quando a molécula sinalizadora na membrana se dissolve. As células fotorrecetoras não se regeneram no olho”, explicou o cientista Kasun Ratnayake.

Para proteger os olhos da luz azul, Karunarathne aconselha a usar óculos de sol que possam filtrar a luz nos comprimentos de onda UV e azul e evitar olhar para o telemóvel ou tablet no escuro.

ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
16 de Novembro de 2018

Referências Externas:

Relacionados

SARAMPO - O regresso!

Tudo começa com febre, conjuntivite, nariz a pingar e tosse. A seguir, chegam uns pequenos pontos brancos na boca, e uns dias depois, para piorar a situação, o corpo enche-se de borbulhas – primeiro n...

Destaques

HERPES

O nome da doença não disfarça os seus efeitos! Com origem no termo grego “herpein”, que significa “alastrar” ou “rastejar”, herpes é a palavra usada para designar uma doença viral da pele, altamente c...
0 Comentários