Grávidas com apneia do sono têm mais risco de parto prematuro

Grávidas com apneia do sono têm mais risco de parto prematuro

GRAVIDEZ E MATERNIDADE

  Tupam Editores

3

Os médicos muitas vezes recomendam que as mães tenham um bom sono durante a gravidez. Agora, uma equipa de cientistas internacionais revela que um bom sono durante a gravidez também pode reduzir o risco de parto prematuro. Os resultados foram publicados on-line na revista Sleep Medicine Reviews.

O estudo de revisão científica foi conduzido por investigadores da Austrália e fornece informações importantes para mulheres grávidas e para os seus médicos.

Os adultos dormem durante cerca de um terço das suas vidas. De mesma forma, o feto dorme durante um terço da sua gestação, por isso, o sono materno mostrou ter um impacto sobre a saúde do feto.

Já se sabe que as grávidas que dormem com as costas para baixo podem prejudicar o feto, fazendo com que este receba menos oxigénio e nutrientes.

grávida a dormir

Neste estudo, os cientistas descobriram que mães que sofrem de apneia obstrutiva do sono, pouco tempo de sono e sono de má qualidade poderiam vir a aumentar a probabilidade de parto prematuro e natimorto.

A apneia obstrutiva do sono é um distúrbio potencialmente grave no qual a respiração para e começa repetidamente durante o sono.

A descoberta mais significativa sugeriu uma relação entre o nascimento prematuro e a apneia do sono materna, com quatro dos cinco maiores estudos mostrando uma clara conexão entre os dois.

No entanto, a revisão não mostrou relação de causa e efeito, apenas uma associação, afirmaram os autores.

RUÍDO

MEDICINA E MEDICAMENTOS

RUÍDO

O ruído é uma constante hoje em dia, principalmente nas grandes urbes. Para a nossa saúde os efeitos fazem-se sentir especialmente na audição, mas também a outros níveis.
REMÉDIOS NATURAIS: CONSTIPAÇÕES, RESFRIADOS

TRATAMENTOS NATURAIS

REMÉDIOS NATURAIS: CONSTIPAÇÕES, RESFRIADOS

Desde os primórdios que procuramos a alívio nas virtudes curativas das plantas e alimentos. Esse conhecimento subsistiu durante milénios, aprofundou-se e diversificou-se, até aos nossos dias.
0 Comentários