Espaços abertos com água aumentam risco de afogamento para crianças

100


Espaços abertos com água aumentam risco de afogamento para crianças

  Tupam Editores

A maior parte dos afogamentos fatais entre crianças ocorre anualmente entre maio e agosto, a maioria dos quais se regista em lagos, rios, oceanos e outros tipos de águas abertas, de acordo com um relatório divulgado pela organização Safe Kids Worldwide.

O relatório, intitulado “Perigos ocultos: uma exploração de afogamento em águas abertas e riscos para crianças”, mostra que a tendência decrescente de décadas relativamente ao número de afogamentos fatais entre crianças e adolescentes se inverteu entre 2015 e 2016, quando houve um aumento de 14 por cento nos afogamentos fatais nesse grupo da população.

Os 1 002 afogamentos registados em 2016 foram o maior número em cinco anos. A maioria dos afogamentos ocorre em mar aberto, com as crianças do sexo masculino, adolescentes e crianças afro-americanas a estarem sob maior risco.

Criança ao pé do mar

O relatório apresenta orientações de prevenção e segurança na água. Estes incluem lembrar os pais para escolher apenas áreas designadas de lazer, de preferência com salva-vidas de plantão.

Crianças pequenas ou nadadores inexperientes devem estar ao alcance de um adulto, enquanto crianças mais velhas devem nadar acompanhados. Por fim, coletes salva-vidas aprovados pela Guarda Costeira devem ser usados dentro e ao redor de águas abertas.

Os lagos, rios e oceanos apresentam uma série de riscos potenciais - como declives perigosos, correntes fortes, distâncias difíceis de avaliar e visibilidade limitada - que os pais precisam considerar cuidadosamente antes de permitir que os seus filhos estejam nesses locais, segundo o presidente da Safe Kids Worldwide.

ARTIGO

Relacionados

Destaques

HERPES

O nome da doença não disfarça os seus efeitos! Com origem no termo grego “herpein”, que significa “alastrar” ou “rastejar”, herpes é a palavra usada para designar uma doença viral da pele, altamente c...
0 Comentários