Cientistas não encontram associação entre terapia hormonal de contraceção e depressão

100


Cientistas não encontram associação entre terapia hormonal de contraceção e depressão

  Tupam Editores

As mulheres têm disponível várias opções quando se trata de controlo da natalidade e um dos elementos a avaliar em primeiro lugar antes de optar por um método contracetivo são os potenciais efeitos secundários.

A depressão é uma preocupação comum para muitas mulheres, mas um novo estudo da Universidade Estadual do Ohio, nos Estados Unidos, descobriu que não há evidências para apoiar uma ligação entre o controlo da natalidade hormonal e a depressão.

mulher com pílulas

"A depressão é uma preocupação para muitas mulheres quando iniciam a contraceção hormonal, particularmente quando usam tipos específicos de progesterona", disseram os investigadores.

“Com base nas nossas descobertas, esse efeito secundário não deve ser uma preocupação para a maioria das mulheres”, refere a equipa.

Os especialistas analisaram milhares de estudos sobre os efeitos na saúde mental dos contracetivos; foram incluídos dados ligados a vários métodos de contraceção, como injeções, implantes e pílulas.

Da mesma forma, foram também analisados estudos que examinaram os efeitos do controlo da natalidade hormonal em mulheres no pós-parto, adolescentes e mulheres com historial de depressão, todos com a mesma conclusão: não há provas suficientes para confirmar uma ligação entre o controlo de natalidade por via hormonal e a depressão.

"Às vezes, adolescentes e mães grávidas têm um maior risco de depressão, não necessariamente por causa da terapia que estão a tomar, mas porque possuem esse risco desde início e, para essas pacientes, é importante que tenham um bom relacionamento com o seu médico para que possa ser feito um rastreio adequado, independentemente dos medicamentos que estão a tomar", concluíram os médicos.

ARTIGO

Relacionados

MEMÓRIA, BASE DO CONHECIMENTO - O que é e como funciona?

De forma razoavelmente simplificada, a memória humana pode ser definida como a capacidade inata do cérebro para obter, armazenar e evocar informações disponíveis no cérebro – a chamada memória biológi...

FILHO, OS PAIS VÃO SEPARAR-SE!

De repente tudo muda! As rotinas diárias passam a ser feitas a dois (em vez da equipa de três inicial) e os tempos livres organizados num calendário, repartido entre o pai e a mãe. A separação (ou div...

Destaques

HERPES

O nome da doença não disfarça os seus efeitos! Com origem no termo grego “herpein”, que significa “alastrar” ou “rastejar”, herpes é a palavra usada para designar uma doença viral da pele, altamente c...
0 Comentários