Cientistas criam sensor biodegradável para monitorizar doenças

  Tupam Editores

Uma equipa de Engenheiros da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, desenvolveu um sensor de pressão biodegradável que permite monitorar patologias diversas como a doença pulmonar obstrutiva crónica ou um inchaço do cérebro, dissolvendo-se depois de cumprir a sua função.

Segundo sublinhou Thanh Duc Nguyen, responsável pelo desenvolvimento do aparelho, a grande vantagem do dispositivo é ser capaz de se dissolver no organismo dos doentes sem provocar qualquer efeito secundário.

Biosensor

O sensor foi produzido com base em materiais clinicamente seguros, já aprovados pelas autoridades de saúde para uso em suturas cirúrgicas, enxertos ósseos e implantes médicos.

O dispositivo foi desenvolvido com o objetivo de substituir os sensores de pressão implantáveis atuais, que possuem componentes eletrónicos potencialmente tóxicos e precisam de ser removidos após o uso, submetendo os pacientes a um procedimento invasivo adicional, aumentando, desta forma, o tempo de recuperação e o risco de infeção.

O sensor biodegradável emite uma pequena carga elétrica quando é pressionado, podendo, por isso, ser usado ainda para fornecer estimulação elétrica para a regeneração de tecidos. Outras aplicações potenciais incluem monitorização de pacientes com glaucoma, doença cardíaca e cancro da bexiga.

Testes já realizados em animais foram bem-sucedidos e os cientistas estão agora a tentar aumentar o tempo de vida útil do sensor, ou seja, o tempo que permanece ativo no organismo antes de se dissolver.

ARTIGO

CONTAMINAÇÕES HOSPITALARES

O conceito geral de hospital tem a sua origem no vocábulo latino hospes (hóspede ou hospedeiro) do qual resulta hospitalitas (hospitalidade), noção que ao longo do tempo passou a dizer respeito à qual...

MEDICAÇÃO PERSONALIZADA

“A educação dos profissionais de saúde em farmacogenética como parte de seu currículo em farmacologia, e a exposição de seu potencial para a população em geral, serão indispensáveis para o sucesso da...

Destaques

TELEMEDICINA

Etimologicamente telemedicina (tele, prefixo grego de distância + medicina, do latim medicinae, remédio) entende-se como a realização de atos médicos à distância.

CAFÉ

É simplesmente a bebida mais consumida no mundo, a seguir à água, não só pelo seu aroma apelativo aos sentidos e sabor caraterístico, como também pelos seus efeitos estimulantes.
0 Comentários