Há uma raça canina que consegue viver a mais de 4 km de altitude

Há uma raça canina que consegue viver a mais de 4 km de altitude

Canídeos

  Tupam Editores

0

A pergunta lançada era: como é que o mastim tibetano, uma raça canina que chega a atingir cem quilos de peso e que é utilizada para proteger rebanhos de ovelhas de lobos e outros predadores dos Himalaias, consegue viver a mais de quatro mil metros acima do nível do mar, a uma altitude que nenhuma outra raça sobrevive?

Uma equipa de investigadores internacionais, composta por cientistas da Universidade de Nebraska-Lincoln, e da Universidade de Qinghai, na China, procuraram esclarecer este mistério, e perceberam que a chave estava no cruzamento destes cães com o lobo tibetano ao longo dos anos, o que lhes permitiu desenvolver uma “super-hemoglobina” que capta e liberta oxigénio cerca de 50 por cento mais eficientemente do que a de outras raças de cães.

Até aqui nada de novo, mas este estudo permitiu perceber a composição desta hemoglobina, esclarecendo porque é que o mastim tibetano, tal como o seu companheiro lobo, não tem problemas em viver nas alturas.

Segundo Tony Signore, um dos responsáveis da investigação, chegou-se a esta conclusão após comparar a hemoglobina do mastim tibetano com outras raças de cães, incluindo o Irish Wolfhound, que também se diz ser descendente do lobo tibetano.

Mastim-tibetano-na-neve

Os cientistas das universidades de Qinghai e Nebraska já sabiam que esta “super-hemoglobina” do mastim tibetano tinha mutações em dois aminoácidos, uma alteração que também está presente na hemoglobina dos lobos, mas ausente nas outras raças de cães.

Estudaram então as hemoglobinas que continham as duas mutações de aminoácidos e descobriram que ambas são igualmente importantes para o alto rendimento da hemoglobina.

Se uma destas não estivesse presente, a hemoglobina funcionava como em qualquer outra raça canina.

Os cientistas referem, no entanto, que não há uma evidência direta que documente que estas duas mutações únicas têm algum efeito fisiológico benéfico que provavelmente seja adaptativo à grande altitude.

Descobriu-se, no entanto, que é uma das razões pelas quais o mastim tibetano é tão diferente das outras raças de cães. E isto fica a dever-se ao empréstimo de algumas características dos lobos do Tibete.

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
03 de Fevereiro de 2021

Referências Externas:

CÃES PERIGOSOS - Conheça o tema de A a Z

Canídeos

CÃES PERIGOSOS - Conheça o tema de A a Z

Muito se ouve falar, ultimamente, sobre cães perigosos e raças potencialmente perigosas mas a verdade é que ainda há muita ignorância relativamente ao assunto.
ANIMAIS EM FÉRIAS

BEM-ESTAR & NUTRIÇÃO

ANIMAIS EM FÉRIAS

O verão chegou, e com ele o tão almejado momento de ir de férias! A família só pensa na praia, nos dias descontraídos à beira mar, nas caminhadas no pinhal e nas redes de descanso à sombra.
0 Comentários