DIETA

Tendência de dietas para 2022

Tal como em muitas outras áreas da atividade humana, é comum falar-se de moda ou tendências de moda, particularmente quando se trata de vestuário ou ornamentos de uso humano, contudo raramente este termo é conotado com a alimentação.

Tendência de dietas para 2022
DIETA PALEOLÍTICA

DIETA E NUTRIÇÃO

DIETA PALEOLÍTICA


Porém, com a sofisticação da sociedade, o aumento da expectativa de vida e a preocupação cada vez mais acentuada das pessoas com a sua saúde e bem-estar, surgiram os chefes de cozinha elevados ao patamar dos influenciadores de saúde e fitness, por se terem aprimorado na seleção de produtos de nutrição e confeção de refeições para muitas figuras públicas influenciadoras pelo exemplo e ampla exposição nos media.

Acompanhando os meios de comunicação especializados e dirigidos a esse público e cada vez mais a todas as pessoas preocupadas com a sua saúde e bem-estar, é possível observar tendências em dietas num prazo razoável.

De um modo geral, as figuras mais populares que definem as futuras tendências em dietas, dão-nos uma visão sobre a próxima grande novidade no universo nutricional, que não deixa de estar em permanente evolução. Eis algumas das tendências que se anunciam para 2022:

Fortalecimento da imunidade – A pandemia por Covid-19 continua a ser o principal influenciador de todas as tendências, por condicionar os hábitos alimentares.
A Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgou diretrizes dietéticas que enfatizam a “importância de uma dieta balanceada para manter um sistema imunológico forte”, recomendando o consumo de 4 porções de frutas e 5 porções de vegetais por dia.
Para incremento do sistema imunológico, são ainda recomendados todos os alimentos ricos em vitamina C e vitamina E, além de sol (vitamina D) e antioxidantes.


Dieta cetogénica - Quando a preocupação é estética e algum desequilíbrio de saúde, o açúcar é primeiro vilão a ser excluído das dietas, optando-se antes pela dieta keto ou cetogénica, que é baseada na ingestão de elevados níveis de gordura e se carateriza por ser muito baixa em hidratos de carbono e rica em gordura.
As dietas Keto podem provocar altas reduções de açúcar no sangue, redução dos níveis de insulina e ajuda na perda de peso, pelo que deverão incluir uma quantidade moderada de proteínas.

Alimentação à base de plantas – O veganismo está em baixa. A tendência atual é a alimentação por plantas em mais de 90% das refeições, mas não exclui a carne de frango, uma moderada bebida ou as almôndegas com saladas, incluindo proteínas derivadas de fontes vegetais, como semente de abóbora, proteínas de amêndoa e ervilha. Esta dieta é também ótima para o ambiente, porque as plantas têm uma pegada de carbono muito menor do que os animais.

Dieta paleo – Os seguidores desta dieta, já com mais de 10 anos, afirmam que todos devemos comer como nossos ancestrais das cavernas o faziam, tendo parcos recursos, o que significa consumir a maioria dos alimentos básicos de caçadores-coletores, como frutos vermelhos, nozes e carne de animais selvagens capturados (peixe, frango e outros). Nesta dieta são proibidos todos os alimentos que requeiram ou derivem de técnicas de cultivo industrializadas.

Jejum intermitente – O jejum intermitente tem vindo a ganhar popularidade e espera-se que domine boa parte do mundo alimentar em 2022. Os seguidores desta forma de comer dizem que ajuda as pessoas a perder peso naturalmente ao quebrarem o ciclo alimentar da vida moderna, com lanches constantes, existindo vários métodos para o fazer.

Dieta MIND – É uma dieta focada na saúde do cérebro, uma espécie de fusão entre a dieta mediterrânica e a dieta DASH, visando sobretudo ajudar os cérebros das populações mais idosas que seguem uma dieta, a reduzir os riscos de desenvolver a doença de Alzheimer e outros tipos de demência.
De uma perspetiva prática, a dieta é basicamente a dieta mediterrânica com um baixo teor de sódio, com um foco em alimentos frescos como frutas, vegetais, grãos inteiros, nozes e alimentos de origem selvagem, colhidos na natureza e peixe, além de laticínios com baixo teor de gordura e sódio.

Baixo FOODMAP – Trata-se de uma dieta pobre em carboidratos fermentáveis, usada para ajudar as pessoas com Síndrome do Intestino Irritável (SII), uma doença crónica comum, mas ainda pouco conhecida. Clinicamente, esta é a única dieta recomendada para tratar a doença e contempla 5 itens principais que são proibidos: oligossacarídeos fermentáveis (como trigo e legumes), dissacarídeos (como leite e iogurte), monossacarídeos (como figos, mel e a maioria das frutas que contêm frutose) e polióis (como amoras e lichias).
Estes alimentos são conhecidos por desencadear sintomas digestivos desconfortáveis, como gases e inchaço, e a sua eliminação é comprovadamente a melhor forma de combater a SII, sem o uso de fármacos.

Fonte: Tupam Editores

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS