PRÓSTATA

Alimento rico em proteína aumenta risco de cancro da próstata

Não é novidade para ninguém que a dieta tem um impacto na saúde como um todo, inclusive na probabilidade de desenvolvimento de cancros agressivos.
Um estudo, recentemente publicado no jornal Times of India, revelou que um alimento saudável que integra a dieta diária de muitos de nós, pode aumentar o risco de cancro da próstata em 70%.

Alimento rico em proteína aumenta risco de cancro da próstata
CANCRO DA PRÓSTATA

DOENÇAS E TRATAMENTOS

CANCRO DA PRÓSTATA


A colina é uma das vitaminas do complexo B (B8, especificamente) que pode tanto ser produzida pelo organismo quanto ingerida via alimentos ou suplementos. É um nutriente essencial ao nosso corpo e desempenha um papel vital na manutenção da integridade estrutural da membrana celular. É importante para a neurotransmissão e para o desenvolvimento precoce do cérebro, e ainda está envolvida na modulação da expressão genética.

Vários estudos referem o papel da colina dietética na prevenção do cancro. Acredita-se que a deficiência deste nutriente esteja ligada a um risco aumentado de problemas de saúde fatais, no entanto, está igualmente provado que uma ingestão excessiva pode aumentar o risco de cancro letal da próstata nuns impressionantes 70%. Múltiplas pesquisas descobriram que a colina está presente em células do cancro da próstata. Assim, a palavra chave é moderação.

A ingestão diária recomendada de colina é de cerca de 450 mg/dia para um adulto. Se forem excedidos os 500 mg de colina por dia (a dose diária recomendada para os homens), tal pode contribuir para o desenvolvimento do tumor.
Os ovos são ricos em colina e são um alimento que integra o regime alimentar de milhões de pessoas em todo o mundo. Um ovo é inferior a 150 mg de colina, ou seja, uma dieta saudável que inclui ovos e carne quando consumida com moderação é benéfica e vai mantê-lo saudável.

Durante o estudo os cientistas verificaram os níveis de colina dos pacientes diagnosticados com cancro da próstata, no entanto, não tiveram em consideração o seu estilo de vida, a sua dieta total e o nível de atividade. Logo, não é possível atribuir o risco de cancro a um alimento em particular.

Investigações anteriores haviam referido uma ligação entre uma dieta rica em gorduras saturadas e um elevado risco de cancro da próstata agressivo. Este tipo de gorduras podem aumentar os níveis de colesterol LDL, o mau colesterol, o que pode por sua vez aumentar ainda mais o risco de cancro agressivo.

Todavia, isto pode ser revertido aderindo a uma dieta que dê preferência a alimentos à base de plantas, como vegetais, frutas, sementes, frutos secos e com a prática regular de exercício físico.

Fonte: Tupam Editores

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS