GENÉTICA

Descobertas variantes genéticas ligadas à displasia fibromuscular

Foram descobertas três novas variantes genéticas responsáveis por regular a expressão genética nas artérias que estão relacionadas com a displasia fibromuscular.

Descobertas variantes genéticas ligadas à displasia fibromuscular

MEDICINA E MEDICAMENTOS

INVISTA NA SUA SAÚDE


O estudo foi publicado na revista Nature Communications e realizado por investigadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos.

Durante a investigação, foram avaliados dados de mais de 1500 pessoas que sofriam com displasia fibromuscular, tendo estes sido comparados com mais de 7000 amostras de indivíduos sem a condição.

Foi possível então identificar os genes ATP2B1, LRP1 e LIMA1 que estão associados ao desenvolvimento da displasia fibromuscular.

Os genes identificados podem indicar que a base genética da displasia fibromuscular leva a alterações da estrutura e função das células musculares vasculares lisas.

Os dados genéticos revelam a existência de uma correlação com várias doenças cardiovasculares associadas à displasia fibromuscular, tais como hipertensão, enxaquecas, aneurisma intracraniano e hemorragia subaracnoídea.

Registou-se ainda uma correlação negativa com a doença aterosclerótica das artérias coronárias.

Por outro lado, não foi encontrada nenhuma associação genética com o acidente vascular cerebral isquémico, que acomete igualmente os doentes com displasia fibromuscular.

Fonte: News Medical

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS