AVC

Distinguir um enfarte de um AVC

Em artigo de opinião tornado público, João Brum da Silveira, cardiologista de intervenção e coordenador do Stent Save a Life, refere que o enfarte do miocárdio e o Acidente Vascular Cerebral (AVC), “estão ambos associados a episódios vasculares, envolvendo os vasos sanguíneos e em particular as artérias, mas os sintomas são diferentes e devem ser distinguidos”.

Distinguir um enfarte de um AVC

DOENÇAS E TRATAMENTOS

BADAGAIO


Uma das principais causas de morte em Portugal, as doenças cardiovasculares afetam não só o coração, mas também os vasos sanguíneos e diferentes órgãos, sendo por vezes difícil à população distinguir os sintomas. Trata-se de duas situações clínicas distintas, localizadas em órgãos diferentes e que se não forem rapidamente tratadas podem causar graves sequelas ou conduzir à morte.

Ambas as situações envolvem os vasos sanguíneos, particularmente as artérias, mas enquanto o enfarte do miocárdio (ataque cardíaco), ocorre no coração, o AVC afeta o cérebro.
O enfarte do miocárdio ocorre quando umas das artérias que transporta o oxigénio e nutrientes para o coração fica obstruída, originando sintomas como dor no peito, suores, náuseas, vómitos, falta de ar e ansiedade.

Por outro lado, o AVC ocorre quando uma das artérias que transporta o oxigénio e nutrientes para o cérebro fica obstruída, originando um AVC isquémico, ou quando uma artéria do cérebro se rompe, dando origem a um AVC hemorrágico.
Os sintomas caraterísticos da doença podem observar-se quando a pessoa começa a sentir de forma repentina a face assimétrica no canto da boca ou uma das pálpebras descaídas, falta de força num braço ou numa perna, fala de forma incompreensível, tem perda súbita de visão em um ou em ambos os olhos e forte dor de cabeça, sem causa aparente.

Em ambas as situações, na presença de qualquer desses sintomas, o doente não deve tentar ir ao hospital em veículo próprio, recomendando-se que ligue imediatamente para o 112 e siga as instruções que lhe forem dadas, aguardando pela chegada da ambulância que irá transportá-lo para um centro especializado que prontamente lhe irá proporcionar atendimento prioritário e instituir o tratamento mais adequado.
A adoção de medidas preventivas deste tipo de doenças, adotando um estilo de vida saudável através da prática de exercício físico, ainda que moderado, evitar o consumo de álcool em excesso, abster-se de fumar e controlar a alimentação, evitando o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura, pode contribuir fortemente para as evitar.

Doenças como a hipertensão arterial, colesterol elevado, diabetes, tabagismo, obesidade e o sedentarismo, contribuem fortemente para aumentar o risco de sofrer doenças cardiovasculares, sendo a alteração dos estilos de vida uma medida urgente para prevenir o enfarte.

Com o objetivo de promover o conhecimento e compreensão sobre o enfarte agudo do miocárdio e os sintomas a ele associados, bem como alertar para a importância do diagnóstico atempado e tratamento precoce, a Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) está a promover a campanha “Cada segundo conta”.

A APIC é uma entidade sem fins lucrativos, que tem por finalidade o estudo, investigação e promoção de atividades científicas no âmbito dos aspetos médicos, cirúrgicos, tecnológicos e organizacionais da Intervenção Cardiovascular.

Fonte: Tupam Editores

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS