CANNABIS

Doentes oncológicos escondem uso de cannabis aos médicos

Uma nova pesquisa indica que quase metade dos adultos norte-americanos com cancro da mama consomem cannabis em conjunto com o tratamento oncológico para controlar os sintomas e os efeitos secundários decorrentes do tratamento; no entanto, a maioria dos pacientes não discute o consumo de cannabis com os seus médicos. As descobertas foram publicadas pela revista CANCER.

Doentes oncológicos escondem uso de cannabis aos médicos
CANNABIS, A PLANTA DA DISCÓRDIA

TRATAMENTOS NATURAIS

CANNABIS, A PLANTA DA DISCÓRDIA


Os indivíduos diagnosticados com cancro costumam sentir dor, fadiga, náuseas e outras dificuldades decorrentes da doença e dos seus tratamentos. Alguns recorrem ao consumo de cannabis para aliviar esses sintomas, mas muitos médicos sentem que não têm o conhecimento necessário para discutir o consumo desta droga com os seus pacientes.

No estudo, de um total de 612 participantes, 42 por cento relataram consumir cannabis para o alívio de sintomas, como dor, insónias, ansiedade, stress e náuseas; entre aqueles que consumiram a droga, 75 por cento relataram que foi extremamente, ou muito útil, no alívio dos sintomas.

Quase metade (49 por cento) dos participantes que consumiram cannabis acreditam que a cannabis medicinal pode ser usada para o tratamento do cancro, embora a sua eficácia ainda não tenha sido comprovada.

Cerca de 79 por centos dos consumidores afirmaram ter consumido a droga durante o período de tratamento, que incluiu terapias sistémicas, radioterapia e cirurgia.

Os participantes relataram o consumo de uma ampla gama de diferentes produtos de cannabis conhecidos por variarem em qualidade e pureza.

Segundo os cientistas, a maioria dos utilizadores preferia procurar informações sobre a cannabis medicinal em órgãos de comunicação social (como sites e revistas) ao invés de falarem com o seu médico; já aqueles que o fizeram, relataram ter ficado insatisfeitos com o atendimento e esclarecimento prestado pelo profissional de saúde.

O estudo destaca uma oportunidade importante para os provedores de saúde iniciarem conversas informadas sobre a cannabis medicinal com os seus pacientes, já que as evidências mostram que muitos estão a consumir a droga sem o seu conhecimento ou orientação.

Fonte: Eurekalert

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS