CONTÁGIO

COVID-19: crianças parecem não ser fonte de transmissão

Um estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz, no Brasil, e publicado na revista Pediatrics avaliou a dinâmica da infeção por COVID-19 entre crianças e os seus familiares numa comunidade do Rio de Janeiro.

COVID-19: crianças parecem não ser fonte de transmissão
COVID-19: OMS PEDE PRUDÊNCIA!

SOCIEDADE E SAÚDE

COVID-19: OMS PEDE PRUDÊNCIA!

O estudo envolveu 667 participantes de 259 famílias entre maio e setembro de 2020. As 323 crianças, com idade entre os zero e os 13 anos, os 54 adolescentes (idades entre os 14 e os 19 anos) e os 290 adultos foram submetidos a testes de diagnóstico de COVID-19.

Os resultados mostraram que 13,9 por cento das crianças testaram positivo, sendo mais frequente em crianças com menos de um ano (25 por cento) e com idades entre 11 e 13 anos (21 por cento).

A boa notícia é que nenhuma das crianças infetadas apresentou sintomas graves de COVID-19, sendo a infeção assintomática prevalente em crianças com menos de 14 anos.

Os cientistas concluíram que as crianças não parecem ser uma fonte de transmissão da infeção pelo novo coronavírus e, com maior frequência, adquirem o vírus de adultos.

Estes resultados sugerem que, em locais como o estudado, as escolas e creches podem ser reabertas com segurança se medidas de mitigação da COVID-19 adequadas estiverem em vigor e a equipa devidamente imunizada.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS